Sete lojas fechadas na principal avenida do Assú no centro comercial mostra grave crise econômica

Sete lojas fechadas na principal avenida do Assú no centro comercial mostra grave crise econômica

Em pleno sábado, dia da feira livre em Assú, a cidade deserta com sete lojas fechadas e o prefeito Gustavo Soares, vulgo Odorico Paraguassu, fazendo promessas ao povo e reclamando da gestão passada, o município caminha para um futuro incerto e muito duvidoso. Ate hoje, o prefeito recebeu mais de R$ 15 milhões mas que ele prefere aplicar parte desse dinheiro a juros de 0,075%.

Enquanto a Prefeitura do Assú fatura mais de R$ 100 mil com rendimentos bancários, o fechamento de lojas na avenida senador João Câmara, uma das principais e mais movimentadas do centro comercial da cidade, revela que o comércio outrara pujante e vigoroso, esta em decadência e a crise tende a se agravar com o imobilismo do governo municipal que atrasa propositadamente a fornecedores e funcionários para culpar o seu adversário.

Só com conversa fiada não se governa uma cidade, principalmente, se o olhar do governante despreparado e incompetente está voltado exclusivamente e fixamente para o retrovisor. Assú não é uma cobaia para as fantasiosas experiências administrativas do doutor e pode levar a cidade a cair num abismo econômico perigoso.

Não é com a Prefeitura do Assú cheia de suspeitos da prática de corrupção e roubalheira que se governa bem. Para governar com sucesso, o prefeito Gustavo Soares, vulgo Gustavo Paraguassu, não precisa da patota bichada de consultores e secretários no governo  que se tornaram réus de malandragens  praticadas na gestão do seu pai.

Deixe uma resposta