Multidão sai às ruas de Assú para a “Pedalada 55” com Patrício Júnior

728x90Multidão sai às ruas de Assú para a “Pedalada 55” com Patrício Júnior (PSD)

14192042_1839280382958305_3447808513729760642_n

O grupo de apoio ao candidato a prefeito de Assú Patrício Júnior (PSD) amanheceu pedalando pelas ruas da cidade neste feriado da Independência. O povo compareceu em peso na Pedalada 55, evento organizado para demonstrar o apoio da população ao projeto do PSD para o desenvolvimento de Assú.

14222124_1839280749624935_463007631219615222_n

Mesmo debaixo de sol forte, uma multidão finalizou todo o percurso de cerca de 10 quilômetros. Apesar de ter sido uma “pedalada”, quem não tinha bicicleta também não ficou de fora. Além das bikes, teve gente de carro e de moto. Ninguém queria ficar de fora do grande evento.

14192087_1839281246291552_2276212470819331047_n

Em várias ruas por onde a caravana passava as pessoas ficavam esperando nas esquinas para ver Patrício Júnior e manifestar a ele o seu apoio. O prefeito Ivan Júnior também marcou presença.

No final do percurso, a multidão se reuniu no ginásio da praça Jota Keully para fazer uma selfie com Patrício e Ivan Júnior. “Cada dia que passa a gente se apaixona mais por esse povo. Onde Patrício e Ivan estão o povo vem atrás. Quero agradecer a todos vocês mais uma vez”, disse Patrício.

Patrício Júnior (PSD) faz caminhada no Espaço Vivo e no Vista Bela

Patrício Júnior (PSD) faz caminhada no Espaço Vivo e no Vista Bela

14291689_1839146986304978_4909545150499833324_n

A Caravana do 55 passou nesta terça-feira (06) pelas ruas do Espaço Vivo e do Vista Bela. O povo saiu em caminhada com o candidato a prefeito de Assú pelo PSD, Patrício Júnior, com o candidato a vice-prefeito Breno Lopes e com o prefeito Ivan Júnior, além dos vereadores da coligação Assú Avançando.

Como de costume, vários apoiadores receberam o candidato Patrício Júnior com festa. Bolos, enfeites, refrigerante, cachorro quente, tudo isso foi preparado pelos moradores para ressaltar o compromisso com o projeto do PSD para o desenvolvimento de Assú.

14225462_1839146802971663_4653856689689014657_n

No momento em que Patrício foi discursar no palanque, o povo começou a gritar repetidas vezes o nome dele. O candidato se disse conhecedor das demandas dos bairros e reiterou o compromisso de trabalhar para atendê-las. Ele também agradeceu a todos pelo empenho nos dois arrastões, no sábado e no domingo últimos.

14225539_1839144709638539_2476546294698315230_n

Patrício lembrou também do evento do Sebrae do qual ele participou na manhã de ontem (06) e garantiu que irá fomentar ações em prol dos microempreendedores. “Nossa administração vai dar um apoio às micro e pequenas empresas. Há 20 anos eu fui um microempresário e sei das dificuldades. Então pode ter certeza que a nossa administração vai olhar com bons olhos para esse segmento”.

APOIO

O prefeito Ivan Júnior pediu o voto ao candidato Patrício Júnior e aos vereadores, para que o grupo forme uma bancada forte que possa ajudar na administração do candidato. Ivan prestou contas também de sua gestão, apresentando ações realizadas como pavimentação, construção de praças, casas, entre outras.

O chefe do executivo municipal relatou ainda o que ouviu de um morador durante a visita. Antes de ele assumir a Prefeitura, segundo o morador, havia apenas sete praças na cidade, contando zona urbana e zona rural. “Em um dia só eu entreguei cinco praças na cidade do Assú. Dobramos e estamos trabalhado para aumentar cada vez mais as praças da cidade do Assú”, disse Ivan Júnior.

ENTREVISTA EXCLUSIVA DE FHC A JOSIAS DE SOUZA

Para FHC, o PT e até o PSDB viraram ‘velharia’

Fernando Henrique Cardoso recebeu o UOL no final da tarde da última segunda-feira (5). Concedeu a sua primeira entrevista a um veículo de comunicação brasileiro desde a deposição de Dilma Rousseff. O ex-presidente tucano fez uma avaliação corrosiva da conjuntura do país. A íntegra da conversa está disponível no rodapé do post.

Ao longo do texto, você assiste a alguns dos principais trechos. No vídeo abaixo, FHC diz que o PT e até o seu PSDB perderam o “frescor” que tinham na década de 1990. Reconheceu que as duas legendas tornaram-se parte da “velharia” política que dificulta a modernização do país.

O repórter leu para FHC um comentário que ele gravou em março de 1996. Nessa época, exercia seu primeiro mandato presidencial. Estava às voltas com um paradoxo: prometia o novo de mãos dadas com o arcaico. Incomodado com a dificuldade para aprovar reformas no Congresso, disse a frase que reproduziria no seu livro Diários da Presidência: “Este é o Brasil de hoje, onde a modernização se faz com a podridão, com a velharia, com o tradicionalismo, o qual na verdade ainda pesa muitíssimo.”

Decorridos 20 anos, não lhe parece que PSDB e PT integram a velharia?, quis saber o repórter. E FHC, sem titubeios: “Parece, infelizmente me parece. Curioso que você leu essa frase. Como eu estou relendo o terceiro volume [de Diários da Presidência, ainda por ser lançado], eu repito isso mais adiante, porque era sensível. Você quer melhorar, modernizar, avançar, ser progressista. Mas você precisa dos partidos que existem. E o que existe, a maior parte, é isso. Infelizmente, nós não fomos capazes de superar esses entraves enormes, que eu chamo de atraso. Não é direita e esquerda. É outra coisa, é cultural. São pessoas que querem tirar proveito do Estado.”

Por Josias de Souza – UOL

Mendonça garantiu o apoio do MEC as ações e projetos dos municípios potiguares

Presidente da FEMURN Ivan Júnior discute pleitos com Ministro da Educação

Presidente da FEMURN discute pleitos

Em evento realizado na Escola de Governo, nesta segunda-feira (5), o Presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte – FEMURN – Ivan Lopes Júnior, levou os principais pleitos dos gestores potiguares ao Ministro da Educação (MEC), Mendonça Filho (DEM-PE).

Reajustes nos valores dos convênios de merenda e do transporte escolar e o acesso ao MEC pelos gestores foram propostas discutidas entre Ivan e Mendonça. A reunião foi articulada pelo líder da bancada do partido Democratas na Câmara, deputado federal Felipe Maia (DEM-RN). O evento também contou com uma comitiva de políticos e autoridades da educação do Estado.

FEMURN discute pleitos com

Durante sua fala, Ivan Júnior destacou que “os valores dos convênios de merenda e transporte escolar são as maiores reivindicações dos gestores, que enfrentam dificuldades em administrar os poucos recursos disponibilizados pelo Governo Federal. Têm sido necessário que as prefeituras entrem com recursos próprios para manter, com qualidade, as ações nos municípios, e infelizmente os gestores não dispõem de verbas”, afirmou.

repasse do Fundo Nacional de Desenvolvimento à Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), por exemplo, é de apenas R$ 0,50 por aluno conveniado, e o complemento é pago pelas prefeituras.

O ministro Mendona Filho admitiu a defasagem de valores de convênios entre o Governo Federal e as prefeituras, e disse que o presidente Michel Temer firmou compromisso de, a partir de 2017, reajustar o valor que a União repassa aos municípios para as áreas de educação e transporte.

Ler mais

Michel Temer participa do desfile de 7 de setembro

Presidente ouve ‘Fora, Temer’ e aplausos no 7 de Setembro

1625160

Por motivo de segurança, presidente abre mão do tradicional Rolls Royce usado em datas comemorativas

O presidente Michel Temer foi recebido aos gritos de “Fora, Temer” por parte da arquibancada que acompanha o desfile de 7 de Setembro.

Temer dispensou o carro aberto e chegou num veículo presidencial fechado, acompanhado da mulher, Marcela. O presidente não usou a tradicional faixa presidencial.

Ao subir à tribuna, o público de parte de uma arquibancada perto da tribuna das autoridades passou a gritar “Fora, Temer”.

O protesto foi ouvido da tribuna e de outras arquibancadas ao redor do desfile. Pouco depois, um outro grupo reagiu aos gritos de “a nossa bandeira jamais será vermelha”.

Seguranças da Presidência nas arquibancadas mais próximas às tribunas disseram que estaria proibida qualquer manifestação de cunho político. Um homem com um adesivo escrito “Fora Temer” colado na camiseta foi obrigado a retirar o adesivo, segundo as autoridades.

A informação contradisse o que a assessoria de imprensa do Planalto informou mais cedo de que as manifestações políticas estavam liberadas, com exceção para o uso de faixas e cartazes grandes para “não atrapalhar a visão”.

É a primeira aparição pública de Temer como presidente no Brasil.

Após ser afastada, Dilma terá direito a oito servidores e dois carros

Dilma terá direito a oito servidores e dois carros

1473189262660

A equipe que acompanhou a petista no Palácio do Alvorada, composta por 22 pessoas, será exonerada por Temer na quinta-feira, 8; presidente cassada vai morar em Porto Alegre

Vera Rosa – O Estado de S.Paulo

A partir de agora, a presidente cassada Dilma Rousseff terá direito a oito servidores de livre escolha, com salários que vão de R$ 2,2 mil a R$ 11,2 mil, e também a dois carros. Os direitos dos ex-presidentes são regidos pela lei 7474, de 1986, e pelo decreto 6381, de 2008. Dos oito funcionários, quatro são para prestar serviços de segurança e apoio pessoal, dois para assessoria e outros dois são motoristas.

A equipe que acompanhou a petista no Palácio do Alvorada, composta por 22 pessoas, será exonerada por Temer na quinta-feira, 8.

Mesmo morando em Porto Alegre, Dilma disse a amigos que passará temporadas no Rio de Janeiro, onde sua mãe tem um apartamento. O local é considerado mais estratégico para a atuação política. A candidata do PC do B à prefeitura do Rio, Jandira Feghali, convidou a presidente cassada para gravar uma participação no seu programa eleitoral de TV.

Temer recua e decide enviar reforma antes das eleições

728x90Geddel diz que Temer enviará reforma da Previdência ao Congresso antes das eleições

GedellO ministro da Secretaria de Governo afirmou, ainda, que o argumento de parte da base aliada, de que a medida pode atrapalhar os candidatos governistas nas eleições municipais, não é válido

Tânia Monteiro – O Estado de S.Paulo

O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, anunciou que o presidente Michel Temer decidiu, em reunião no Planalto, que vai mandar para o Congresso a reforma da Previdência antes da eleição. “O presidente Temer achou que, simbolicamente, por tudo que o Brasil passa atravessa neste momento, já que o texto e o mérito o governo não tem dúvida da necessidade de implementar, que nós mandemos antes de o processo de eleição findar”, declarou Geddel, em entrevista, sem dizer a data exata do envio.

O ministro salientou ainda que o governo vai “fazer todo o esforço possível de aprovarmos o mais rápido possível a proposta, respeitando os prazos do Congresso”. E acrescentou: “Nós vamos jogar todo o peso do governo junto à nossa base para que a tramitação seja breve”.

Segundo Geddel, “não há divergência” entre o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, e o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, em relação ao teor do projeto da previdência. “Eu já conversei com os dois hoje. É mais uma questão de estratégia e não de mérito. É uma questão de estratégia parlamentar”, justificou ele, acrescentando que o governo vai ainda amarrar a melhor data para o envio, mas “já está definido pelo presidente que será agora em setembro”.

Ler mais

AGU pede veto a reajuste para defensores públicos que pode chegar a 67%

Aumento aprovado para defensores públicos tem parecer contrário da AGU à sanção do projeto

AGUA Advocacia-Geral da União recomendou ontem ao governo o veto ao projeto aprovado no Congresso que concede aumento salarial aos defensores públicos.

Aprovado há duas semanas no Senado, com o apoio de parte da base do governo (incluindo o PMDB) o texto está sob análise do presidente Michel Temer, aguardando sanção presidencial. Segundo seus auxiliares, Temer não decidiu o que fará sobre o tema.

O parecer contrário à sanção do projeto foi assinado ontem pelo advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, e revelado pelo GLOBO. Na recomendação, o AGU defende que há “vícios de inconstitucionalidade” pelo fato de a iniciativa do projeto ter partido da própria defensoria, enquanto deveria ter sido de autoria do Executivo. A recomendação da AGU diz ainda que a proposta deveria ter vindo por meio de lei complementar.

Defensores em início da carreira recebem R$ 17,3 mil e, pelo projeto, seus salários serão elevados de forma escalonada em 67% até atingir R$ 28,9 mil em janeiro de 2018. No teto da carreira, o subsídio mensal do defensor-geral da União chegaria a R$ 33,8 mil em 18 meses.

Em nota, a Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (Anadef ) classificou de “infundada” a recomendação da AGU: “A manifestação da Advocacia-Geral da União é notoriamente rasa, contraditória e não encontra lastro constitucional ou legal’’

O GLOBO (Júnia Gama)

Quase 40 inquéritos da Lava-Jato estão em curso no STF

728x90Sem políticos condenados na Lava-Jato, Janot reconhece lentidão dos inquéritos no Supremo

Autoridades com foro privilegiado são investigadas desde março de 2015

POR VINICIUS SASSIN – O GLOBO

60784359_BRASILBRASILIABSB17-08-2016Sessao-no-Supremo-Tribunal-Federal-O-Procurador-GO procurador-geral da República, Rodrigo Janot, reconheceu nesta terça-feira que os inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) que investigam políticos citados na Lava-Jato correm com lentidão.

Autoridades com foro privilegiado são investigadas desde março de 2015, quando os primeiros inquéritos foram abertos a partir das delações premiadas do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Um grupo de trabalho na PGR atua nos casos desde então.

— É o ritmo de tribunal. Tribunal não foi feito para formar processo, tribunal foi feito para julgar recurso. Quando você inverte a lógica, fica mais lento, mesmo. Mas o Supremo tomou todas as providências para melhorar, jogou para as turmas — disse Janot.

Quase 40 inquéritos da Lava-Jato estão em curso no STF, investigando as mais diferentes autoridades, da ex-presidente Dilma Rousseff, suspeita de obstrução da Justiça, aos caciques do PMDB no Senado, suspeitos de se beneficiarem de propina a partir de desvios de contratos de estatais. Até agora, o STF converteu apenas três processos em ações penais, em que os investigados passaram à condição de réus. Ninguém foi condenado até agora.

O Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF), presidido por Janot, prorrogou por mais um ano o funcionamento da força-tarefa em Curitiba. A prorrogação vale a partir de 8 de setembro, o que sign