PR conquista Prefeitura e duas vagas na Câmara, mas ‘mata’ o PMDB que perde dois vereadores em Assú

PR conquista Prefeitura e duas vagas na Câmara, mas ‘mata’ o PMDB que perde dois vereadores em Assú

arnobio-e-heliomar

PR de George Soares conquista Prefeitura do Assú, mas o PMDB de Henrique, Garibaldi e Walter Alves, perdeu os mandatos dos vereadores Heliomar Alves e Arnóbio Júnior

O PMDB do Assú entrou eufórico na campanha eleitoral do prefeito eleito Gustavo Soares, do PR, com o mandato do vice-prefeito Eurimar Nóbrega e dos vereadores Arnóbio Júnior e Heliomar Alves, mas terminou as eleições cabisbaixo com apenas a vice-prefeita eleita Sandra Alves e sem os mandatos dos dois representantes da legenda no legislativo assuense.

O fraco desempenho eleitoral do PMDB de Assú acabou levando o partido a perder duas vagas na Câmara de Vereadores. A aliança política do PMDB com o PR do deputado estadual George Soares, foi nociva aos interesses partidários de crescimento, já que a legenda comandada pelo ex-ministro Henrique Alves, sumiu do mapa do poder legislativo municipal.

Já o PR que não tinha nenhum vereador na Câmara, conseguiu eleger dois para representar o partido do deputado estadual e do prefeito eleito Gustavo Soares, mas literalmente matou o PMDB do senador Garibaldi Alves e do deputado federal Walter Alves, que não conseguiu reeleger os dois vereadores da legenda.

O vereador Heliomar Alves, do PMDB, cunhado da vice-prefeita eleita, Sandra Alves, obteve 2,35%, o representa um total de 834 votos e o seu colega vereador Arnóbio Júnior, sobrinho do ex-vice-prefeito Zeca Abreu, atingiu o número de 314 votos, o que significa 0,88% do eleitorado assuense. Os atuais dois vereadores peemedebistas estão fora da Câmara em janeiro de 2017.

João Wálace volta a Câmara de Vereadores depois de defender prisão e cadeia para o pai do prefeito eleito Gustavo Soares

João Wálace volta a Câmara de Vereadores depois de defender prisão e cadeia para o pai do prefeito eleito Gustavo Soares

walace

Em 2004, Wálace disse que o pai do prefeito eleito Gustavo Soares devia estar na preso na cadeia

O ex-combativo político contra a oligarquia Soares/Montenegro, João Wálace que no debate nas eleições de 2004, realizado na Câmara Municipal de Vereadores do Assú, chegou a chamar o então gestor na época, Ronaldo Soares, de ladrão e corrupto, defendendo inclusive que o lugar do ex-prefeito e pai do atual prefeito eleito Gustavo Soares, era na cadeia, foi um dos dois eleitos vereadores pelo PR.

Depois de se render aos encantos do deputado estadual George Soares, após esculhambar publicamente o chefe da oligarquia e pai do prefeito eleito, João Wálace, que foi derrotado nas eleições de 2012, virou ‘menino de recado’ de Ronaldo e George Soares, foi recompensado agora com sua volta ao poder legislativo municipal, ficando em segundo lugar entre os vereadores eleitos mais votados da atual oposição e em primeiro lugar do PR.

Comenta-se nos bastidores que o vereador João Wálace é um nome que tem o aval do prefeito eleito Gustavo Soares para ser o futuro presidente da Câmara de Vereadores, mas que encontra resistência do seu pai e ex-prefeito Ronaldo Soares que certa vez se recusou a apertar a mão de Wálace, porque ele o chamou de político de ‘mãos sujas’.

Pedro Avelino comemora vitória de Neide Suely do DEM

Pedro Avelino comemora vitória de Neide Suely do DEM

dem-vitoria

Prefeita eleita Neide Suely com o esposo Deputado José Adécio

A candidata do DEM, Neide Suely da coligação “O trabalho reconstrói” é a vencedora no município de Pedro Avelino, sua terra e do Deputado José Adécio, com quem é casada.

Eleita pela terceira vez como prefeita de Pedro Avelino, Neide Suely Muniz Costa, 56 anos, tomará posse em 1º de Janeiro de 2017, com o apoio do DEM, PSD, PP, SD, REDE, PSDB, PEN e PR.

Congressistas têm fraco desempenho e não se elegem prefeito em nenhuma capital

Congressistas têm fraco desempenho e não se elegem prefeito em nenhuma capital

16275301

RANIER BRAGON – Folha de São Paulo

Oitenta e três congressistas se candidataram para os cargos de prefeito ou vice nestas eleições, mas apenas 10 conseguiram uma vitória definitiva neste domingo (2). Outros 16 continuam na disputa no segundo turno.

Dos já eleitos, 8 conquistaram a cadeira de prefeito, mas nenhum deles em capitais. Somente 4 conseguiram o comando de cidades grandes, com mais de 200 mil eleitores.

As únicas duas vitórias em capitais foram para os cargos de vice-prefeito –Bruno Covas (PSDB) em São Paulo e Manoel Júnior (PMDB), um dos principais aliados do deputado cassado Eduardo Cunha, em João Pessoa (PB).

Entre os 57 congressistas que fracassaram nas urnas, 16 disputavam a prefeitura ou a vice das três maiores cidades do Sudeste, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

São eles: Celso Russomanno (PRB), Marta Suplicy (PMDB), Luiza Erundina (PSOL), Ivan Valente (PSOL) e Major Olímpio (SD) em São Paulo, Pedro Paulo (PMDB), Alessandro Molon (Rede), Jandira Feghali (PC do B), Índio da Costa (PSD) e Hugo Leal (PSB), no Rio de Janeiro, e Rodrigo Pacheco (PMDB), Reginaldo Lopes (PT), Jô Morais (PC do B), Marcelo Álvaro Antônio (PR), Eros Biondini (PROS) e Luis Tibé (PT do B), em Belo Horizonte.

Ler mais

Luizinho cai em desgraça política com a derrota do seu sobrinho para Doutor Thiago em Carnaubais

Ex-prefeito Luizinho cai em desgraça política com a derrota do seu sobrinho para Doutor Thiago em Carnaubais

thiago

Doutor Thiago acaba com o sonho da perpetuação da oligarquia dos Cavalcante no poder em Carnaubais

O médico tucano Thiago Meira Mangueira, é o novo prefeito eleito de Carnaubais, desbancando assim a oligarquia dos Cavalcante no município sob o comando do ex-prefeito Luizinho Cavalcante, que tem uma extensa ficha suja de condenações na Justiça por falcatruas, quando governou a cidade varzeana encravada na região do Vale do Açu.

Com o tropeço político do candidato Thiago Cavalcante, PC do B, o ex-prefeito Luizinho que vive fugindo dos oficiais de Justiça para não ser notificado sobre execução de títulos judiciais e que responde por vários processos de improbidade administrativa, caiu na desgraça política com o insucesso do seu sobrinho.

Apuradas 27 seções de Carnaubais, o Doutor Thiago, foi o primeiro colocado com 3.173 votos que totaliza 42,49% do eleitorado. Em segundo lugar ficou o atual prefeito que disputava a reeleição Júnior Benevides, do PMDB, com 2.717 votos, o que representa 36,38%.

O sobrinho de Luizinho, o comunista Thiago Cavalcante, ficou em terceiro lugar com 1.543 votos, o equivalente a 20,66%. Na disputa que contava com quatro candidatos, Maristela Martins, do PTN, ficou em último lugar.

PT sofreu humilhação nacional em eleições municipais, diz Financial Times

Financial Times diz que PT sofreu humilhação nacional em eleições municipais

dilma-padilha-e-lula

Jornal britânico aponta, também, que disputa presidencial em 2018 deve ser ainda mais imprevisível

Célia Froufe, O Estado de São Paulo

O jornal inglês Financial Times publicou há pouco nas redes sociais a vitória de João Dória, candidato do PSDB para a Prefeitura de São Paulo, no primeiro turno e destacou que o PT sofreu “humilhação nacional” nas eleições. Conforme o FT, o colapso do PT ajuda a fragmentar o voto e poderá fazer com que a próxima eleição presidencial se torne ainda mais imprevisível do que o habitual.

O periódico destacou também que o PMDB, legenda liderada pelo presidente da República, Michel Temer, por sua vez, perdeu o controle do Rio de Janeiro, a segunda maior cidade do Brasil. Apesar disso, continua a matéria, o partido ainda obteve o maior número de prefeituras nas eleições locais realizadas em todo o país ontem.

O jornal comentou também que o resultado das eleições será fundamental para a corrida presidencial de 2018 e que poderá já ter os seus primeiros reflexos sobre as reformas fiscais, consideradas cruciais para o País, e que podem começar a ser votadas pelo Congresso Nacional nas próximas semanas. Para o FT, as eleições municipais podem ser consideradas como um importante indicador sobre o “estado de ânimo” dos eleitores. A publicação enfatizou que quase meio milhão de candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador competiu para as posições em 5.568 municípios.

Ler mais

Valderedo derrota Marluce de Cocó e sepulta oligarquia Barbosa em Ipanguaçu

Valderedo derrota Marluce de Cocó e sepulta oligarquia Barbosa em Ipanguaçu

Tucano Valderedo vence eleições para cunhada do ex-prefeito de Ipanguaçu José de Deus Barbosa

Mais uma vez, o líder da oligarquia Barbosa e ex-prefeito de Ipanguaçu, José de Deus Barbosa Filho, que reinou no município durante as décadas de 80 a 90, como principal manda chuva da política voltou a sofreu uma nova derrota agora com a sua cunhada e candidata derrotada, Marluce Araújo de Souza Barbosa, do PMDB, esposa de Cocó e irmão do ex-prefeito.

Na campanha de 2012, o ex-prefeito José de Deus lanço a sua esposa Rizomar Barbosa e foi derrotado pelo atual prefeito Leonardo Oliveira. Em junho de 2014, Maria Rizomar concorreu com o nome, o número e, na urna eletrônica, com a fotografia do substituído, José de Deus Barbosa Filho, mas acabou perdendo para Francisco Geraldo de Paula (Geraldo Paulino), do PT.

Agora, o candidato do PSDB, Valderedo Bertoldo do Nascimento, sepultou de vez o sonho do ex-prefeito e é o novo prefeito eleito de Ipanguaçu que ocupará a partir de 2017, o lugar do atual prefeito do PT, Leonardo Oliveira. Valderedo obteve 5.735 votos contra 4.250 votos de Marluce de Cocó. A maioria de Valderedo foi de 1.485 votos.

O candidato a prefeito Naldo de Nova Descoberta, do PRTB, ficou em terceiro lugar, depois de 36 seções apuradas. No total votaram 10.613, com 10.054 votos válidos, o que representa 94,73%. O número votos em branco foi de 117 (1,10%) e os nulos 442 (4,16%). As abstenções atingiram a marca de 1.028 votos, totalizando 8,83% do eleitorado.

Grupo do prefeito Ivan Júnior elege nove vereadores contra seis do ex-prefeito Ronaldo Soares

728x90Grupo do prefeito Ivan Júnior elege nove vereadores contra seis do ex-prefeito Ronaldo Soares

rdse-3

Grupo liderado pelo prefeito Ivan Júnior obtém maioria na Câmara de vereadores do Assú

Apesar da derrota do candidato do PSD, Patrício Júnior para Gustavo Soares, o grupo governista liderado pelo atual prefeito Ivan Júnior, conseguiu fazer maioria na Câmara Municipal do Assú.

Foram eleitos pelo sistema governista, um total de nove candidatos a vereador, deixando o prefeito eleito Gustavo Soares, com minoria no poder legislativo municipal:

  1. Fabielle (PSB) 1.961 votos – 5,52%
  2. Enfermeiro Xavier (PSB) 1.953 votos – 5,49%
  3. Beatriz Rodrigues (PSD) 1.827 votos – 5,14%
  4. Delkiza Cavalcante (PSDC) 1.330 votos – 3,74%
  5. Matheus do Frutilândia (PSD) 1.318 votos – 3,71%
  6. Stelio Sá Leitao (PROS) 1.238 votos – 3,48%
  7. Paulinho de Marlene (PSD) 1.202 votos – 3,38%
  8. Junior do Trapia (PSB) 1.068 votos – 3,00%
  9. Valdson (PSB) 1.039 votos – 2,92%

O grupo da oposição vitoriosa liderada pelo ex-prefeito Ronaldo Soares, no pleito de ontem, elegeu apenas seis candidatos a vereador:

  1. Paulo Brito (PP) 1.357 votos – 3,82%
  2. Walace (PR) 1.260 votos – 3,54%
  3. Joao Paulo (Solidariedade) 1.015 votos – 2,86%
  4. Wedson (PR) 981 votos – 2,76%
  5. Elisangela Albano – Eli (PP) % 949 votos – 2,67
  6. Tê (Solidariedade) 938 votos – 2,64%

Gustavo Soares vence Patrício Júnior e ressuscita oligarquia dos Soares em Assú

Gustavo Soares vence Patrício Júnior e ressuscita oligarquia dos Soares em Assú

pai-e-filho

Depois de ter seu plano de ódio e de vingança frustrado pelo deputado estadual George Soares em 2012, quando foi vergonhosamente derrotado na disputa pela Prefeitura do Assú com o atual prefeito Ivan Júnior, a vitória agora do seu outro filho, Gustavo Soares, do PR, sobre o candidato Patrício Júnior (PSD), trouxe de volta a oligarquia Soares/Montenegro, ao poder na terra do poeta Renato Caldas.

Apuradas 123 seções, o filho de Ronaldo Soares, Gustavo Soares, é o novo prefeito do Assú a partir de janeiro de 2017, com 18.217 votos, representando um total de 51,76% do eleitorado assuense.

O candidato do PSD, Patrício Júnior, apoiado pelo prefeito Ivan Júnior e o governador Robinson Faria, obteve 16.976 votos, o equivalente a 48,24%. A maioria de Gustavo sobre Patrício foi de apenas 1.241 votos.

O ex-prefeito Ronaldo Soares ficou de peito lavado com a derrota de Patrício, já que por tabela impôs uma derrota a Ivan Júnior, como também ao governador Robinson e ao deputado federal Fábio Faria.

Foram apurados 36.924 votos de um total de 35.193 (95,31%) válidos. O percentual de votos brancos foi de 491 (1,33%). Votos nulos atingiram a marca de 1.240 (3,36%) e as abstenções foram de 3.874 votos (9,50%).