Alderlan morando em Assú já recebeu mais de R$ 400 mil como assessor do deputado George Soares

Alderlan morando em Assú já recebeu mais de R$ 400 mil como assessor do deputado George Soares

alderlan

Alderlan apadrinhado da geração 22 ganha uma fortuna na Assembléia Legislativa no gabinete de George Soares

O bem sucedido empresário de Assu, Alderlan Lenilson Bento da Silva, homem forte e braço direito do deputado estadual George Soares, já recebeu de 2011 até outubro de 2016, mais de R$ 400 mil dos cofres da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte, como assessor lotado no gabinete do deputado assuense e terceiro secretário da Mesa Diretora;

Em quase seis anos de mandato do deputado George Soares, Alderlan Bento, mesmo morando distante 200 quilômetros de Natal e sem dar expediente, recebeu essa fortuna dos cofres públicos.

Até o final de 2018, a previsão é de que Alderlan, integrante da geração 22 e apadrinhado político do deputado estadual do PR, tenha recebido mais de R$ 500 mil ou seja mais de meio milhão de reais dos cofres da Assembléia Legislativa, comparando a média anual que ele vem recebendo em quase seis anos de mandato do deputado assuense.

VEJA AQUI levantamento completo realizado pelo Blog do VT, sobre quanto o assessor do deputado George Soares vem embolsando mês a mês. Ano a ano, Alderlan teve seu salário aumentado. Em 2011, ele recebeu R$ 31.841,01 e em 2015, a sua receita salarial, pulou para R$ 98.182,47 – mais do triplo, o que representa mais de 300%.

Reajuste de salário do funcionalismo vai gerar gasto de R$ 60 bilhões até 2019

Governo gastará R$ 60 bilhões até 2019 com aumentos para servidores

temer-5

Enquanto governo diz que há previsão orçamentária, aliados ressaltam a incoerência de defender reajustes enquanto existe esforço concentrado para aprovar PEC que estabelece limite de gastos

POR ISABEL BRAGA, BÁRBARA NASCIMENTO E SIMONE IGLESIAS – O GLOBO

O governo conseguiu engordar os cofres públicos com R$ 46,8 bilhões arrecadados com a repatriação de dinheiro no exterior, mas terá que gastar pelo menos R$ 59,8 bilhões, até 2019, para custear os reajustes concedidos ao funcionalismo este ano. O impacto poderá chegar a R$ 71,4 bi, se outros dois projetos de aumento — já aprovados em comissões especiais da Câmara — forem aprovados no Congresso.

Sob a justificativa de que há previsão orçamentária, o governo tem dado o aval aos dois projetos, mas aliados ressaltam a incoerência de defender reajustes diante do esforço de aprovação da PEC que limita o teto de gastos. Para conseguir avançar na pauta do ajuste fiscal, o presidente Michel Temer usa a tática de manter sob controle categorias que ameaçam fazer greve.

Ler mais

Gilberto Lopes de Itajá ganha mais de R$ 3 mil por mês no gabinete de Beto Rosado em Brasília

Gilberto Lopes de Itajá ganha mais de R$ 3 mil por mês no gabinete de Beto Rosado em Brasília

gilberto-e-alaor

Gilberto, genro do prefeito eleito de Itajá Alaor Neto, com o deputado Felipe Maia em Brasília, ganha mais de R$ 3 mil por mês no gabinete de Beto Rosado

O ex-prefeito de Itajá, Gilberto Eliomar Lopes, que é secretário parlamentar lotado no gabinete do deputado federal Beto Rosado (PP), botou o seu sogro e atual prefeito eleito Alaor Pessoa Neto, do PSD, debaixo do braço e o levou á Brasília para passear e quem sabe dar pelo menos um dia de expediente na Câmara dos Deputados e justificar o ótimo salário que recebe mensalmente, sem trabalhar. VEJA DOCUMENTO AQUI

Gilberto que nunca deu expediente na Câmara desde 2013 e ganha por mês dos cofres públicos, a quantia de R$ 3.002,51 como secretário do deputado Beto Rosado, procurou o deputado Felipe Maia (DEM), para reivindicar emendas para a futura gestão do seu sogro que terá papel importante a sombra do poder.

No total, o ex-prefeito vai ganhar por ano mais de R$ 36 mil e nos quatro anos que está lotado no gabinete de Beto Rosado, Gilberto Lopes já faturou mais de R$ 144 mil e até 2018, se não for demitido, ele deverá ter recebido mais de R$ 200 mil, fazendo a política feijão com arroz para o filho do ex-deputado de Mossoró Betinho Rosado.

  • Republicado por incorreção

Supremo estende a 23 Estados e DF decisão sobre bloqueio de recursos da repatriação

Supremo estende a 23 Estados e DF decisão sobre bloqueio de recursos da repatriação

rosa-weber-ministra

Se Corte decidir que têm direito de receber também parte da multa, não só do IR, unidades receberão o dobro do valor previsto

Luci Ribeiro, Lígia Formenti e Idiana Tomazelli – O Estado de São Paulo

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), universalizou a ordem de depósito judicial de valores da repatriação que já havia beneficiado os Estados de Piauí e Pernambuco. Com a decisão liminar, ao todo 23 Estados e o Distrito obtiveram o bloqueio do recursos.

Na noite desta sexta-feira, 11, a ministra decidiu conceder a outros entes que entraram com ação no Supremo liminares que determinam à União depositar em conta judicial um montante superior ao valor inicialmente destinado a essas unidades da Federação como cota do Fundo de Participação dos Estados (FPE) referente à arrecadação com a repatriação.

Com isso, o dinheiro arrecadado com a multa de 15% sobre os valores legalizados dentro do programa terão de ficar depositados em juízo à espera da decisão sobre o mérito pelo STF. O julgamento final dos processos ainda não está marcado.

Segundo o Ministério da Fazenda, o Programa de Repatriação arrecadou R$ 46,8 bilhões, dos quais R$ 4,026 bilhões ficaram com os Estados – o correspondente a 21,5% do Imposto de Renda, divididos na mesma proporção do Fundo de Participação dos Estados (FPE). Outros 24,5% são repassados às prefeituras, por meio do Fundo de Participações dos Municípios (FPM), o correspondente a R$ 4,214 bilhões. Se os Estados conseguirem que o Supremo determine a divisão da multa também, esses valores dobram.

Caso

Além de Piauí e Pernambuco, estão entre os litigantes beneficiados: Distrito Federal, Rio de Janeiro, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Santa Catarina, Roraima, Pará, Rio Grande do Sul e Tocantins. Outros Estados que também entraram com ações semelhantes foram atendidos: Acre, Ceará, Maranhão, Paraíba, Sergipe e Rio Grande do Norte.

Após a aprovação da Lei da Repatriação, a então presidente Dilma Rousseff vetou a possibilidade de os Estados ficarem com parte da multa, determinando que apenas os valores arrecadados com os 15% do Imposto de Renda cobrados sobre os recursos seriam compartilhados com Estados e municípios.

$uper lobista começa a cuidar da vida de nossa gente no Vale do Açu

$uper lobista começa a cuidar da vida de nossa gente no Vale do Açu

115abaf4c4

Um prefeito eleito do Vale Açu começou a enveredar pelo mau caminho e já contratou um famoso lobista que vem auxiliando a tradicional família política do vaqueiro para cuidar da vida de nossa gente.  

Com um currículo invejável, o lobista já botou conhecida liderança política do Estado numa enrascada grande, mas o novo prefeito, marinheiro de primeira viagem está se achando muito esperto, depois de ouvir as orientações da família do vaqueiro.

De acordo com o dicionário, lobista é a pessoa que faz “lobby”, rede de influência, pressão ou campanha realizada por um grupo organizado que busca exercer influência ou controlar algo, sem expressar esse controle formalmente e/ou sem pedir a interferência do governo.

Servidor ‘nível técnico’ do Senado ganha mais que ministro do Supremo, dizem juízes

Servidor ‘nível técnico’ do Senado ganha mais que ministro do Supremo, dizem juízes

renan_janedearaujo_agsenado1

Em reação à ofensiva de Renan Calheiros, que instalou comissão para identificar quem ganha acima do teto no Executivo, no Legislativo e no Judiciário, entidade dos magistrados federais aponta ‘retaliação’ do peemedebista

Por Julia Affonso, Mateus Coutinho e Fausto Macedo – O Estado de São Paulo

Os juízes federais reagiram à ofensiva do senador Renan Calheiros (PMDB/AL), que mandou instalar uma comissão para identificar quem ganha acima do teto no Legislativo, no Executivo e no Judiciário. Para os magistrados, a iniciativa do peemedebista – alvo da Lava Jato e de onze inquéritos no Supremo Tribunal Federal -, significa ‘retaliação’.

“É de estranhar que somente agora, quando o Judiciário está empenhado no enfrentamento da corrupção, venham iniciativas do tipo controle de salários, abuso de poder e crimes de responsabilidade de juízes de primeiro grau, levando à conclusão que se trata de ameaças de intimidação da magistratura”, afirma o presidente da Associação dos Juízes Federais, Roberto Veloso, em nota pública divulgada nesta sexta-feira, 11.

O contraataque da toga federal é mais um capítulo do embate entre Renan e os juízes. Em outubro, quando o juiz Wallisney Oliveira, da 10.ª Vara Federal de Brasília, autorizou a Polícia Federal a fazer buscas nas dependências da Polícia do Senado, o presidente do Congresso o chamou de ‘juizeco’. Imediatamente, Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, exigiu respeito ao Judiciário.

Ler mais

Temer diz que prefeitos podem usar valor da repatriação para pagar 13º

Temer diz que prefeitos podem usar valor da repatriação para pagar 13º

temer3

Temer pediu aos prefeitos que eles entrem em contato com o governo federal para descobrirem o valor que cada prefeitura terá direito até o fim do ano

O presidente Michel Temer usou o Twitter para dizer que parte do dinheiro arrecadado R$ 46,8 bilhões em impostos e multas com a repatriação de recursos, que serão repartidas entre a União, os estados e municípios.

Temer pediu aos prefeitos de todo o Brasil que eles entrem em contato com o governo federal para descobrirem o valor que cada prefeitura terá direito até o fim do ano.

O presidente voltou a mencionar a possibilidade de o dinheiro ajudar a pagar os salários dos funcionários públicos municipais. “Comunique-se com o governo federal que você saberá a importância que receber para este fim de ano, quem sabe até para pagar o décimo terceiro salário”, disse o presidente.

Ex-vereadores de Natal Dickson Nasser e Emilson Medeiros terão prisão especial

Ex-vereadores de Natal Dickson Nasser e Emilson Medeiros terão prisão especial

ex-vereadores

O juiz Raimundo Carlyle de Oliveira Costa, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Natal, determinou que os dois ex-vereadores condenados na “Operação Impacto”, que investigou a compra de votos na votação do Plano Diretor de Natal (PDN) na Câmara Municipal, em 2007 -, Dickson Nasser e Emilson Medeiros devem cumprir penas em regime semiaberto, segundo informação publicada na edição de hoje da Tribuna do Norte.

Os dois ex-vereadores serão recolhidos a quartéis ou a prisão especial, já que eles têm diploma de educação superior, vão cumprir sentença conforme reafirmação de jurisprudência do  Plenário Virtual do Supremo Tribunal Federal (STF), de que é possível a execução provisória do acórdão penal condenatório proferido em grau recursal, mesmo que estejam pendentes recursos aos tribunais superiores.

O juiz da Vara das Execuções Penais, Henrique Baltazar dos Santos, disse que após Raimundo Carlyle expedir e for cumprido o mandado de prisão, os ex-vereadores “serão encaminhados para a prisão adequada”.

Ministério Público Federal vai apurar uso de aviões da FAB por ministros do governo Temer

Ministério Público abre inquérito para investigar voos de ministros em aviões da FAB

jatinho-fab

Investigação tem como base representação apresentada pela oposição após reportagem do ‘Estado’ revelar registro de 238 viagens sem justificativas

Isadora Peron e Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

O Ministério Público Federal do Distrito Federal mandou abrir um inquérito civil para investigar eventuais irregularidades cometidas pelos ministros Alexandre de Morais, José Serra e Gilberto Kassab, no uso dos aviões da Força Área Brasileira (FAB).

A investigação teve como base uma representação apresentada por parlamentares da oposição após o Estado publicar, na segunda-feira passada, que titulares do primeiro escalão do governo Michel Temer fizeram 238 viagens que tiveram como destino ou origem a sua cidade de residência sem uma justificativa considerada adequada nas agendas oficiais divulgadas pela internet.

O caso está sob a condução do procurador Paulo José Rocha, que já encaminhou um pedido de explicações à FAB. O órgão terá 15 dias para repassar informações sobre as viagens, como as justificativas dos voos e os custos dos deslocamentos.

Ler mais