Homem mata os filhos cortando o pescoço deles em Contagem

Homem mata os filhos cortando o pescoço deles em Contagem

As crianças têm 3 e 5 anos, foram levadas para a UPA Ressaca, mas não resistiram e morreram

Um homem de 36 anos cortou o pescoço de seus dois filhos de 3 e 5 anos em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, neste domingo (12). De acordo com a Polícia Militar (PM), as crianças foram levadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Ressaca, na rua Extrema, mas não resistiram aos ferimentos.

Ainda de acordo com a PM, o crime ocorreu na rua 16, próximo a casa da família. Uma vizinha ouviu as crianças gritarem e viu o suspeito cortando os pescoços dos filhos. Ela não soube dizer porque o homem cometeu o crime. Os moradores da região chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) que levou às vítimas para a UPA.

Segundo as primeiras informações da polícia, uma criança teria morrido a caminho do atendimento médico e a outra morreu no hospital. Ainda não há informações do sexo das crianças e nem do objeto utilizado pelo homem. A motivação do crime também é desconhecida.

A polícia se deslocou para a UPA Ressaca para colher mais informações. O suspeito fugiu e é procurado pela PM, que já tem sua identificação, segundo a jornalista Natália Oliveira, do jornal mineiro O Tempo.

Exigência de 25 anos de contribuição pegaria 79% de aposentados por idade

Exigência de 25 anos de contribuição pegaria 79% de aposentados por idade

Oito em cada dez trabalhadores que se aposentam hoje por idade contribuem para a Previdência menos tempo do que exigirá a proposta feita pelo governo Michel Temer.

O texto da reforma estabelece que, para se aposentar, será preciso ter no mínimo 65 anos de idade e 25 anos de contribuição. Hoje, é possível obter o benefício com 15 anos de contribuição e 65 anos de idade, para homens, ou 60 anos, no caso das mulheres.

Números inéditos da Previdência mostram que 60% das aposentadorias por idade concedidas de janeiro a dezembro de 2015 foram para trabalhadores que não chegaram aos 20 anos de contribuição, e 79% haviam contribuído menos que os 25 que serão exigidos pela reforma.

A mudança deve atingir principalmente os mais pobres, que, em geral, contribuem por menos tempo, pois costumam ser mais sujeitos ao trabalho informal.

Por isso, são os trabalhadores da base da pirâmide os que mais recorrem à aposentadoria por idade. O valor médio dos benefícios (R$ 890) é menos da metade do pago, em média, aos que deixam o mercado pelo critério do tempo de contribuição (R$ 1.825). Ela também é majoritária nos Estados mais pobres do país. As informações são da Folha de São Paulo.

Prefeito do Assú diz que concursados são problema jurídico, mas chama quem tem padrinho político

Prefeito  do Assú diz que concursados são problema jurídico, mas chama quem tem padrinho político

O Ministério Público começou a fechar o cerco contra o ‘trem da alegria’ descarrilhado de nomeações para exercer funções no governo do prefeito do Assú Gustavo Soares e pediu explicações sobre cargos criados de Médico e Terapeuta Educacional, os quais possuem concurso público vigente para seu provimento, mas que o governo municipal não quer chamar de jeito nenhum

Na última sexta-feira, o prefeito Gustavo Soares durante entrevista a Rádio Princesa do Vale, apresentou o ‘trem da alegria’ como um programa de governo e chegou a agradecer aos vereadores a aprovação do projeto de criação de cargos comissionados, mas apesar de chamar uma enxurrada de gente por apadrinhamento político, ele recusou a convocar os aprovados em concurso público realizado pela Comperve da UFRN.

Gustavo tem demonstrado poder para chamar quem nunca fez uma prova e que tem padrinho político para conseguir um emprego. Por outro lado, o prefeito penaliza quem estudou muito, passou no concurso e que não foi chamado para trabalhar. Para quem passou no concurso, Gustavo diz que a convocação é um problema jurídico, mas quem não fez concurso, são chamados sem nenhuma burocracia e basta apenas ter padrinho forte político.

Temer se blinda antes que exploda a bomba da Odebrecht

Temer se blinda antes que exploda a bomba da Odebrecht

O nome do presidente e alguns de seus aliados estão entre os citados nas delações premiadas dos 77 altos executivos da empresa. Deputado acusa Temer de estar trabalhando em conjunto com o ministro do Supremo Gilmar Mendes para “providenciar mecanismos” que possam levar à soltura do deputado cassado Eduardo Cunha

À espera que uma nova onda de acusações de corrupção se abata sobre Brasília, o presidente Michel Temer construiu um bunker para limitar o potencial nocivo que as temidas delações da cúpula de Odebrecht pode ter sobre seu governo.

A Operação “Lava Jato” há quase três anos sacode as elites políticas e econômicas do país, mas, longe de diminuir seu impacto, promete uma escalada de denúncias para os próximos dias.

Os procuradores estão investigando se Temer e outros políticos principalmente pertencentes ao PMDB participaram na mega-rede de propinas e desvios milionários de fundos da Petrobras para financiar suas campanhas eleitorais.

O nome do presidente e alguns de seus aliados estão entre os citados nas delações premiadas dos 77 altos executivos da  Odebrecht.

As chamadas “delações do fim do mundo” e seu potencial explosivo seguem sob sigilo judicial, mas podem ser divulgadas em breve pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Ler mais

Setor de comunicação da Câmara ficará com nome da Universal

Setor de comunicação da Câmara ficará com nome da Universal

Deputado federal Márcio Marinho (PRB-BA)

Ranier Bragon e Daniel Carvalho – Folha de são Paulo

A dança de cadeiras nos cargos de comando da Câmara deve levar o deputado federal Márcio Marinho (PRB-BA) a, nos próximos dias, ser oficializado no comando do setor de comunicação da Casa.

Pastor licenciado da Igreja Universal, de Edir Macedo, Marinho irá comandar, se for confirmado no cargo, uma estrutura de mais de 500 funcionários, composta por TV, rádio e site, entre outros órgãos.

A Secom (Secretaria de Comunicação) da Câmara passou a ser comandada por um deputado por decisão do ex-presidente da Casa Eduardo Cunha (PMDB-RJ), hoje preso no Paraná.

Em 2015, Cunha entregou a função a um deputado também do PRB, Cleber Verde (MA), que não é da Universal.

Ler mais

Prefeito do Assú emprega a mãe com salário de R$ 7 mil por mês e engorda conta bancária da família

Prefeito do Assú emprega a mãe com salário de R$ 7 mil por mês engorda conta bancária da família

Enquanto o ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, suspende a eficácia de decreto assinado pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), nomeando seu filho Marcelo Hodge Crivella para o cargo de secretário-chefe da Casa Civil da prefeitura, o prefeito do Assú Gustavo Soares embarca a sua mãe Rizza Montenegro no trem da alegria para exercer o cargo de Secretária Executiva de Desenvolvimento Humano da Prefeitura do Assú.

Com a nomeação de Rizza Montenegro, o prefeito vai engordar a renda financeira mensal e familiar do gestor que prometeu mudar o Assú, mas que está transformando a cidade numa capitania hereditária da oligarquia Soares. Por mês, Rizza receberá um salário mensal de R$ 7 mil, totalizando em 12 meses R$ 84 mil. Até o final do mandato do filho, ela vai faturar R$ 336 mil nessa brincadeira de empregar familiares no governo municipal.

Horário de verão termina no próximo domingo

Horário de verão termina no próximo domingo

O horário de verão acaba no próximo domingo (19), a partir da 0h, quando os relógios devem ser atrasados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A medida, em vigor desde outubro, tem como objetivo aproveitar melhor a luz solar durante o período do verão, além de estimular o uso consciente da energia elétrica.

A mudança de horário é adotada no Brasil desde 1931, e visa proporcionar uma economia de energia para o país, com um menor consumo no horário de pico (das 18h às 21h), pelo aproveitamento maior da luminosidade natural. Com isso, o uso de energia gerada por termelétricas pode ser evitado, reduzindo o custo da geração de eletricidade, segundo a Agência Brasil.

A previsão do governo é que o Horário de Verão deste ano resulte em uma economia de R$ 147,5 milhões, por causa da redução do uso de energia de termelétricas. Na edição anterior (2015/2016), a adoção do horário de verão possibilitou uma economia de R$ 162 milhões.

Câmara acerta segunda rodada de repatriação

Câmara acerta segunda rodada de repatriação

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM­RJ), advogados e o relator do projeto, deputado Alexandre Baldy (PTN­GO), fecharam emreuniões ao longo da semana o texto que deve ser votado nos próximos dias com a abertura de uma segunda rodada do programa de regularização de bens e ativos mantidos ilegalmente no exterior.

A proposta prevê pontos polêmicos: permissão para que quem aderiu na primeira rodada, mas não declarou todos os bens ou não pagou o imposto, participe da segunda fase; possibilidade de retificação de omissões na declaração, sem exclusão automática do programa; manutenção da permissão para que parentes de políticos possam regularizar dinheiro mantido no exterior.

Caso aprovadas as alterações, o texto terá que voltar ao Senado, a quem caberá dar aval ou rejeitar as mudanças realizadas. Segundo Baldy, está se buscando mais segurança jurídica para garantir que quem aderir não correrá risco de acabar preso com base em brechas na lei. Esse medo, disse, fez com que muitos deixassem de participar da primeira rodada.

Ler mais

Em regime semi aberto, preso cumpre prisão como Consultor Administrativo da Prefeitura do Assú

Em regime semi aberto, Creso Venancio cumpre prisão como Consultor Administrativo da Prefeitura do Assú

O Consultor Administrativo  da Prefeitura do Assú, Creso Venâncio Dantas,  nomeado pelo prefeito do Assú Gustavo Soares, está em prisão de regime semi aberto por crimes cometidos contra a administração pública da cidade Pau dos Ferros, além de responder a mais de 60 processos por improbidade administrativa e outras falcatruas, mas foi chamado para cuidar da administração do novo governo.

Creso homem forte e braço direito prefeito do Assú Gustavo Soares, ganha mensalmente R$ 6 mil o que totalizará em 12 meses um montante de R$ 72 mil. Nos quatro anos, Creso vai faturar R$ 288 mil fora as virações. Gustavo ainda se orgulha de Creso como integrante de auxiliares. VEJA ABAIXO:

Militares respondem por um terço do rombo das previdências dos Estados

Militares respondem por um terço do rombo das previdências dos Estados

Crise na segurança pública, evidenciada com a paralisação de PMs no Espírito Santo, tornou mais difícil para o governo negociar mudanças nas aposentadorias dos militares

Idiana Tomazelli e Adriana Fernandes , O Estado de São Paulo

A crise na segurança pública, escancarada na semana passada com a paralisação dos policiais militares no Espírito Santo, que ameaçava se espalhar para outros Estados, adicionou um novo obstáculo para a reforma da Previdência. Segundo levantamento feito em alguns Estados, os militares são responsáveis por cerca de um terço do rombo das previdências estaduais, mas ficaram de fora da reforma proposta pelo governo. A ideia era enviar um projeto com novas regras para a aposentadoria dos militares até o fim de março, mas fontes do governo admitem que essa possibilidade está cada vez mais distante.

“O momento não é oportuno para entrar nessa discussão, porque o Congresso já vai estar bastante tensionado por conta da reforma da Previdência e da reforma trabalhista. É hora de avançar na reforma previdenciária geral”, avalia o cientista político Murillo de Aragão, presidente da Arko Advice. Para ele, a previdência dos policiais, inclusive civis e federais, que estão dentro do projeto de reforma da Previdência, precisa ser discutida de forma separada por conta do risco da profissão.

Mas, sem equacionar a questão dos policiais militares e bombeiros, os Estados dificilmente conseguirão equilibrar suas previdências. Só em São Paulo, o pagamento de benefícios a 94,6 mil inativos e pensionistas militares deixou um rombo de R$ 5,78 bilhões no ano passado, ou 33,8% do déficit total de R$ 17,11 bilhões na Previdência estadual.