Começa governo do terror e da perseguição na educação com prefeito do Assú Gustavo Soares

Começa governo do terror e da perseguição na educação com prefeito do Assú Gustavo Soares

O prefeito do Assú Gustavo Soares, vulgo “Gustavo Paraguassu”, começou o governo do terror e da perseguição política contra professores da rede municipal de ensino, contra aquele que não votou nele. A professora Fátima Mafra usou a sua rede social no Facebook para denunciar essa perseguição política.

No depoimento dela, a professora explica que “o discurso da mãe do prefeito GUSTAVO na abertura da Semana Pedagógica 2017 tinha fundamento quando a mesma disse que está séria uma gestão livre sem perseguição. Hoje pude perceber que não passava de um discurso demagogo, pois fui vítima da perseguição dos mesmos”.

“Não estou de maneira alguma triste por que vou para uma sala de aula, uma vez que fiz concurso para ser professora. Estava na supervisão por que também sou habilitada para tal é tenho certeza que desempenhei a contento minha profissão até hoje”, registrou.

Prefeito do Assú começa perseguição cruel e anula benefícios dos servidores garantidos por lei

Prefeito do Assú começa perseguição cruel e anula benefícios dos servidores garantidos por lei

O prefeito do Assú Gustavo Soares, vulgo “Gustavo Paraguassu”, assinou tarde noite de hoje, decreto, determinado a anulação de “todos os atos administrativos autorizados, registrados e consumados”, nos seis meses da gestão do ex-prefeito Ivan Júnio, começando assim, a perseguição mais cruel já registrada na história do município contra o funcionalismo público municipal.

Na maior cara de pau, o prefeito ainda faz deboche dos servidores e diz que “o servidor que se sentir prejudicado em razão da sua decisão injustificada, poderá apresentar o competente recurso administrativo, dirigido a Secretaria Municipal de Administração e Planejamento”, mas os servidores devem ingressar com ação na Justiça para garantir seus direitos, já que afiram não existir base legal e sim pura perseguição política.

Além de anular todos os atos, o prefeito Gustavo Soares ainda ameaça os servidores municipais, alegando “caber ao município ressarcir­se de algum pagamento que tenha sido efetuado indevidamente”.

No final do mandato seu pai e ex-prefeito Ronaldo Soares em 2008, ele assinou diversos atos  os quais envolviam aumento real da despesa com pessoal, nomeando e concedendo, incorporações de vantagens e aumento de carga­horária, mas hoje o filho dele, classifica essa decisão como ilegal, só porque foi assinada pelo seu antecessor Ivan Júnior.

Ministro Gilmar Mendes diz que caixa dois ameaça eleições de 2018

Ministro Gilmar Mendes diz que caixa dois ameaça eleições de 2018

Ministro defende realização de reforma eleitoral até setembro, para valer no próximo pleito

POR THIAGO HERDY – O Globo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse nessa segunda-feira que o sistema de caixa 2 descoberto com os depoimentos da Odebrecht são um risco às eleições de 2018. Ele defendeu a realização de uma reforma político-eleitoral até setembro deste ano, para que novas regras possam valer a partir do próximo pleito.

— Segundo as revelações que agora estão saindo da Lava-Jato e da Odebrecht, talvez o caixa dois tenha sido tão forte ou até mais forte do que o caixa um. Imagine o que vai ser uma eleição presidencial, quando vamos ter essa corrida de elefantes, com um sistema sem regulação. Esse tema precisa estar na agenda, e esse é o grave problema. Tem que estar na agenda até setembro, por conta do princípio da anualidade — afirmou Gilmar, antes de participar de evento no Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis (Sescon) de São Paulo.

O ministro do STF, que também preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse considerar a reforma político-eleitoral como “a mãe das reformas”, para combater falhas “no sistema de financiamento e na multiplicação de partidos”. Para ele, as iniciativas no sentido de reduzir os danos do sistema são, em geral, “muito fracas”.

Ler mais

George Soares foi se aconselhar com Lula de Guamaré envolvido na operação Mascara Negra

George Soares foi se aconselhar com Lula de Guamaré envolvido na operação Mascara Negra

Depois que seu irmão e prefeito do Assu Gustavo Soares, vulgo “Gustavo Paraguassu” chamou mais de meia dúzia de réus em processos por corrupção para ajudá-lo a administra a cidade do Assú, agora, o deputado estadual George Soares, foi buscar conselhos do ex-prefeito e atual presidente da Câmara de Vereadores de Guamaré, Emilson Borba Cunha, o Lula, que foi na época preso temporariamente por esquema fraudulento na Operação Máscara Negra.

O Lula de Guamaré gastou mais de R$ 6 milhões em festividades e o deputado estadual George Soares pode ate receber conselhos,como ensinar para o atual prefeito do Assú Gustavo Soares, a realizar contratações de bandas musicais para tocar durante a festa de São João Batista, o famoso são mais antigo do mundo, além da contratação de estrutura de palco, som, trios elétricos e decoração.

Pelo visto, o deputado George Soares deverá incluir o Lula no esquema de contratações pelo know how, apesar de contar com a experiente e seu antigo parceiro e ex-sócio Karume Nascimento, outro réu em maracutaia, que no carnaval do Assú, abocanhou quase tudo.

Prefeito gay se casa com empresário

Prefeito gay se casa com empresário

Reeleito para governar Lins (SP) nos próximos quatro anos, o prefeito Edgar de Souza (PSDB), 38, casou-se no final de semana com o empresário Alexsandro Luciano Trindade, 35, com quem mantinha relação estável há 13 anos.

A cerimônia no último sábado (4), que teve quase 300 convidados entre amigos e familiares, contou com a presença de um ministro anglicano, uma ministra católica, uma espírita kardecista e um pai de santo. Católico, o prefeito disse que sonhava em casar-se na igreja, mas, como a religião não aceita cerimônias homossexuais, fez o casamento em um salão de festas da cidade.

Líder do PT critica idade mínima defendida por relator da Reforma

Líder do PT critica idade mínima defendida por relator da Reforma

O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), reagiu na tarde desta segunda-feira (6) à defesa do relator da Reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS-BA), sobre a idade mínima de 65 anos para aposentadoria. O petista disse que há regiões no país onde o trabalhador sequer atinge essa idade. “Como podemos admitir uma idade mínima tão alta para o padrão de idade média do brasileiro?”, questionou o parlamentar.

Mais cedo, o relator disse que há base para aprovar a reforma na Câmara e apoiou a idade mínima sugerida pelo Executivo. “Não dá para pensar em não ter idade mínima de 65 anos de jeito nenhum”, disse, ao deixar o Ministério da Fazenda, em Brasília, após reunião com o ministro Henrique Meirelles. O deputado do PT disse que a proposta de idade mínima não tem “pé nem cabeça”.

Zarattini atacou a pressa do governo para aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC). O petista afirmou que a proposta vai impedir que milhões de brasileiros se aposentem no futuro e vai reduzir o valor do benefício de quem conseguir se aposentar. “Acho um verdadeiro absurdo querer fazer essa discussão à toque de caixa e querer passar o rolo compressor”, declarou.

Faculdade Maurício de Nassau é condenada a pagar R$ 5 mil por assédio moral a funcionária

Faculdade Maurício de Nassau é condenada a pagar R$ 5 mil por assédio moral a funcionária

Uma indenização por danos morais no valor de R$ 5 mil, determinada pela 6ª Vara do Trabalho de Natal contra a Sociedade Educacional Carvalho Gomes Ltda (Faculdade Maurício de Nassau) foi mantida, por unanimidade, pela Primeira Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN).

A autora da ação alegava que era constantemente agredida verbalmente pela sua chefe imediata, a coordenadora do setor comercial, que a chamava de “ladra” e “cafetina”, além de ser tratada com gritos, xingamentos e humilhações perante empregados e clientes.

Ler mais

Juiz federal nega pedido de Lula de depor por videoconferência

Juiz federal nega pedido de Lula de depor por videoconferência

O ex-presidente será interrogado na próxima terça (14), na sede da Justiça Federal de Brasília, por suspeita de atrapalhar o andamento da Lava Jato

O juiz federal Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal, em Brasília, negou ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta segunda-feira (6) ser interrogado por meio de videoconferência. O petista havia solicitado ao magistrado para que fosse ouvido em São Bernardo do Campo (SP). Lula será interrogado em 14 de março, às 10h, na sede da Justiça Federal de Brasília.

São réus nesta ação, além do ex-presidente Lula, seu amigo, o pecuarista José Carlos Bumlai, o ex-senador Delcídio Amaral, o banqueiro André Santos Esteves, o ex-assessor de Delcídio, Diogo Ferreira Rodriguez, o advogado Edson Siqueira Ribeiro Filho, e o filho de Bumlai, Maurício Barros Bumlai. Todos são acusados de agirem irregularmente para atrapalhar as investigações da operação Lava Jato.

O interrogatório de Lula estava marcado para 17 de fevereiro. Após a morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia, mulher do petista, o juiz adiou o depoimento do ex-presidente para 14 de março.

Ler mais

Prefeito de São Paulo apoia à candidatura presidencial de Alckmin nas eleições de 2018

Prefeito de São Paulo apoia à candidatura presidencial de Alckmin nas eleições de 2018

João Doria e o Geraldo Alckmin participam de almoço-debate promovido pelo Lide, em São Paulo

O prefeito de São Paulo João Doria, do PSDB, reafirmou hoje seu apoio à candidatura presidencial de Alckmin nas eleições de 2018.

O prefeito disse ter aprendido com os pais que “o melhor dos sentimentos é a gratidão” e que a amizade com Alckmin não é na “política ou na vida pública”. “Sou amigo de uma vida inteira.”

“No futuro vindouro, não que essa seja a hora e o momento, quero dizer que a posição do João Doria cidadão e eleitor é Geraldo Alckmin candidato à Presidência do Brasil”, afirmou.

Doria repetiu diversas vezes que “ainda não era a hora de tratar” desse assunto, mas disse que fazia o discurso “para que nenhuma dúvida possa existir”. “Essa é a minha posição.” As informações são da Folha de São Paulo.

Governador Geraldo Alckmin assume em público que quer ser candidato a presidente

Governador Geraldo Alckmin assume em público que quer ser candidato a presidente

‘Se disser que não quero ser (candidato), não é verdadeiro’, diz Alckmin

Diante de especulações de que seu afilhado político, o prefeito João Doria, poderia ser o nome do PSDB à Presidência da República em 2018, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assumiu em público nesta segunda-feira que quer se candidatar ao Palácio do Planalto no ano que vem. A declaração foi dada em um almoço com empresários.

— Se disser que não quero ser (candidato), não é verdadeiro — disse ele.

O tucano ponderou, entretanto, que a escolha do candidato tem que ser resultado de uma “vontade coletiva” e não uma “vontade pessoal”.

Pouco antes, Doria havia feito um discurso, no mesmo evento, para tentar afastar os rumores de que poderia concorrer à eleição em 2018 para presidente. As informações são de O Globo.

George Soares se recusa a debater sobre ‘Feminicídio e Pré Feminicídio a pedido do irmão prefeito do Assú

George Soares se recusa a debater sobre ‘Feminicídio e Pré Feminicídio a pedido do irmão prefeito do Assú

O Dia Internacional da Mulher é comemorado em 8 de março. Os números alarmantes de violência, já que uma em cada três mulheres no mundo já sofreu abuso sexual e o Brasil está entre os cinco países do mundo onde se mata mais mulheres, como também as espancas covardemente.

Enquanto isso, o atuante deputado estadual do PR, George Soares, se recusou a promover em Assú, um evento sobre o tema ‘Feminicídio e Pré Feminicídio – Sinais de Violência’, depois de consultar o prefeito e seu irmão Gustavo Soares, vulgo “Gustavo Paraguassu”.

A deputada Cristiane Dantas (PCdoB), é uma das grandes defensoras de políticas públicas para a proteção das mulheres. Em Assú, o prefeito Gustavo Soares, irmão do deputado George Soares, vai ter que superar o trauma e acatar na boa a idéia que proíbe a violência contra a mulher.

TCE manda executar dívida de R$ 37 mil do ex-presidente da Câmara de Macau Chico Paraíba

TCE manda executar dívida de R$ 37 mil do ex-presidente da Câmara de Macau Chico Paraíba

Chico que também está na lista dos envolvidos na operação Máscara Negra, vai ter que devolver R$37 mil por uso indevido do dinheiro público aos cofres da Prefeitura de Macau

O Tribunal de Contas do Estado – TCE reprovou as contas do ex-vereador *Francisco Gaspar Paraíba da Silva Cabral (Chico Paraíba)* em processos distintos, quando de sua passagem pela presidência do Poder Legislativo macauense (1993/1994 e 1997/1998), mas a determinação dos valores de multas recaiu apenas sobre dois processos cujos valores somam mais de 37 mil reais.

O ex-presidente da Câmara Municipal de Macau, que após a perda de mandato conseguiu sua indicação como Secretário Municipal, além de estar obrigado a ressarcir dinheiro aos cofres municipais por uso indevido de recursos públicos, também está envolvido em vários processos instaurados pelo Ministério Público e somente este ano, de 27/01 a 17/02 foi citado em 11 processos que integram a operação *”Máscara Negra”.*

Sobre a devolução de recursos à municipalidade, o prefeito interino Einstein Barbosa  recebeu intimações (em 19/05/2016 e 16/09/2016) de execução da dívida do ex-vereador Chico Paraíba. O débito total é de *R$ 37.053,04,* suficiente para pagar a mais de 30 aposentados do município, com salários atrasados.

Agora, a atual gestão vai seguir as recomendações judiciais para executar a dívida que o ex-vereador Paraíba tem com os cofres municipais.

Polícia Federal prende médicos acusados de cobrar por partos cobertos pelo SUS

Polícia Federal prende médicos acusados de cobrar por partos cobertos pelo SUS

Cobrança ocorre há 13 anos e pode ter rendido R$ 1,6 milhão, diz polícia

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira a Operação Falso Juramento, que investiga a cobrança de partos cobertos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Itaqui, no Rio Grande do Sul. Os agentes cumpriram mandados de prisão preventiva contra dois obstetras que teriam recebido pagamento indevido das mãos de dezenas de mulheres que deram à luz no Hospital São Patrício, no bairro José da Luz.

Os médicos detidos foram encaminhados à Penitenciária Modulada de Uruguaiana e responderão à Justiça por crimes de corrupção, estelionato e realização de esterilização cirúrgica ilegal. Além dos dois médicos, a investigação identificou o envolvimento na cobrança de um anestesista e uma funcionária de um dos obstetras. Os dois foram indiciados.

Dezenas de mulheres relataram aos investigadores que, com receio de entrar em trabalho de parto, pediam diretamente aos obstetras uma cesárea — e pagavam, para isso, de R$ 400 a R$ 1,8 mil. O dinheiro, segundo a PF, era embolsado integralmente pelos acusados, já que documentação do hospital comprovava o custeio do procedimento pelo SUS.

 

Não dá para não ter idade mínima de 65 anos, diz relator da reforma da Previdência

Não dá para não ter idade mínima de 65 anos, diz relator da reforma da Previdência

Após encontro com Meirelles, Arthur Maia diz que governo tem base para aprovar as mudanças na aposentadoria

Apesar da ofensiva do governo para garantir votos para a Reforma da Previdência, o relator do projeto, Arthur Maia (PPS-BA), disse que há base para aprovar as mudanças. “O governo está afinado, não tenho dúvida nenhuma que temos base parlamentar para aprovar PEC da Previdência”, afirmou. Maia defendeu a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria. “Não dá pra pensar em não ter idade mínima de 65 anos de jeito nenhum”, disse, ao deixar o Ministério da Fazenda, em Brasília, após reunião com o ministro Henrique Meirelles.

Enquanto o governo defende a aprovação da proposta da forma como foi enviada ao Congresso, Maia voltou a defender modificações, entre elas mudanças nas regras de transição e a flexibilização do ponto que proíbe acumular pensão e aposentadoria. “Continuo dizendo que regra de transição é muito abrupta e continuo entendendo que merece alternativas, que a discussão seja aprofundada”, disse. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

‘A gente sabia que o italiano era o Palocci’, diz executivo da Odebrecht

‘A gente sabia que o italiano era o Palocci’, diz executivo da Odebrecht

Fernando Sampaio Barbosa confirmou informação ao juiz Sérgio Moro

POR GUSTAVO SCHMITT – O Globo

Em depoimento ao juiz Sérgio Moro na manhã desta segunda-feira, o executivo da Odebrecht Fernando Sampaio Barbosa disse que o codinome “italiano” se referia ao ex-ministro Antonio Palocci. Barbosa, que foi arrolado como testemunha de defesa de Marcelo Odebrecht, confirmou a informação ao ser perguntado por Moro.

— A gente sabia que o ‘Italiano’ era o Palocci” — afirmou o executivo Fernando Sampaio Barbosa por meio de vídeoconferência de São Paulo.

O magistrado então retrucou:

—A gente sabia quem? — disse Moro.

Barbosa respondeu que tinha sido informado por Márcio Faria, ex-diretor da empresa.

— Eu sabia. Eu tinha sido informado pelo Márcio Faria.

Nas investigações da Lava-Jato, o apelido “italiano” aparece numa das planilhas apreendidas no setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, mais conhecido como departamento de propina. Para a Lava-Jato, todos os recursos movimentados na planilha italiano eram direcionados ao PT e alcançavam R$ 128 milhões, entre 2008 e 2013.

Ler mais