Secretário defende a participação de gestores nas oficinas sobre Plano Intermunicipal de Resíduos Sólidos

Secretário defende a participação de gestores nas oficinas sobre Plano Intermunicipal de Resíduos Sólidos

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) está promovendo oficinas sobre a elaboração do Plano Intermunicipal de Resíduos Sólidos das regiões do Mato Grande e Assú. Os eventos acontecerão a partir de desta quarta-feira (08) até o dia 16 deste mês, nos municípios de Areia Branca, Angicos, Assú, Touros, São Paulo do Potengi e João Câmara.

O Secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Ivan Júnior, ressalta que Plano Estadual de Resíduos Sólidos já foi finalizado, bem como os Planos Intermunicipais das regiões Alto Oeste, Agreste e Seridó. “É muito importante a participação de gestores municipais e da população nesse processo”, defendeu o secretário.

Ele explica que as oficinas influenciam diretamente em investimentos na área de resíduos sólidos, recuperação ambiental e estruturação do projeto de coleta seletiva. “É um tema que precisa ser debatido com o maior número de pessoas para que o plano seja construído de forma coletiva, atendendo as necessidades de cada município”, destacou Ivan Júnior.

Ler mais

Prefeito do Assú Gustavo Soares tem medo que se pela da lei Maria da Penha

Prefeito do Assú Gustavo Soares tem medo que se pela da lei Maria da Penha

A Lei Maria da Penha que garante a proteção das mulheres contra qualquer tipo de violência doméstica, seja física, psicológica, patrimonial ou moral, não será prioridade no governo do prefeito do Assú Gustavo Soares, vulgo Gustavo Paraguasu.

Gustavo tem medo que se pela da Lei Maria da Penha e por isso essa política pública de proteção as mulheres assuense não vai avançar na cidade.

Pode?

Jucá defende projeto que pode pôr em risco a Operação Lava Jato

Jucá defende projeto que pode pôr em risco a Operação Lava Jato

Enquanto parlamentares vivem apreensão com os novos pedidos de abertura de inquérito contra políticos no âmbito da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, líderes dos principais partidos no Senado já manifestaram apoio à proposta que põe fim a qualquer sigilo em investigações.

Considerado por integrantes do Ministério Público como um dos itens da agenda “anti-Lava Jato” no Congresso, o projeto – de autoria do senador Romero Jucá (PMDB-RR) – recebeu críticas da Associação Nacional de Procuradores da República (ANPR), segundo a revista Veja.

Prefeito de Lins do PSDB se casa com parceiro e a cidade fica sem a convencional ‘primeira dama’

Prefeito de Lins do PSDB se casa com parceiro e a cidade fica sem ‘primeira dama’

Edgar de Souza casou-se com o empresário Alexsandro Luciano Trindade, com quem mantinha união estável há 13 anos

O prefeito reeleito de Lins, Edgar de Souza (PSDB), casou-se no sábado (4), mas, ainda assim, a cidade do interior de São Paulo, não tem o que se convencionou chamar de primeira-dama. Um dos primeiros prefeitos assumidamente gays do Brasil, Souza casou-se com o empresário Alexsandro Luciano Trindade, com quem mantinha união estável há 13 anos. A cerimônia agitou a sociedade local. O governador Geraldo Alckmin (PSDB), em visita ao interior, passou por Lins na véspera para cumprimentar os noivos.

O Diversidade Tucana, segmento de políticas LGBT do PSDB, considerou a união um marco na história do país. A cerimônia ecumênica teve oficiantes de vários credos religiosos: uma ministra católica, um pastor anglicano, uma espírita kardecista e um pai de santo, segundo a Agência Estado.

Os noivos entraram acompanhados pelos pais, familiares, além de pajens e daminhas de honra com as alianças. O “sim” teve direito a lágrimas e beijo. A juíza de casamento Aline de Oliveira, expediu a certidão de matrimônio. “Fizemos questão desse momento para dizer a todos que nos amamos. Corrupção é feio, lavagem de dinheiro é feio, mas o amor é muito bonito”, discursou o prefeito.

Ler mais

Prefeito Valderedo quer mandar por mais de 20 anos em Ipanguaçu

Prefeito Valderedo quer mandar por mais de 20 anos em Ipanguaçu

O prefeito Valderedo Bertoldo, o seu primo presidente da Câmara de Vereadores, Batista Bertoldo e o empresário Pedro Neto, têm plano para mandar e desmandar na Prefeitura de Ipanguaçu, durante mais de 20 anos. O ambicioso plano de poder político vai começar a se materializar aos poucos.

O trio já fechou um pacto político nesse sentido e o vice-prefeito Thales Marinho, está de fora da lista de futuros mandatários do município. A antecipação de reeleição de Batista Bertoldo como presidente do legislativo, integra a estratégia de planejamento de poder deles a curto, médio e a longo prazo no município.

Câmara pretende aumentar cargos de confiança para dar lugar a apadrinhados políticos de deputados

Câmara pretende aumentar cargos de confiança para dar lugar a apadrinhados políticos de deputados

Mesa Diretora quer reduzir funções comissionadas dos servidores para dar lugar a apadrinhados políticos de deputados; Casa diz que orçamento será mantido

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

A possibilidade de elevar cargos de confiança começou a ser discutida ainda durante o processo eleitoral para a presidência da Câmara, quando Rodrigo Maia (DEM-RJ) se reelegeu.

Atualmente, a Câmara possui 3.124 servidores concursados, que recebem entre R$ 15.035 mil a R$ 28.801,02 por mês. Desses funcionários, 1.719 acumulam funções comissionadas, que variam de R$ 3.500 a R$ 9.430.

Os cargos de confiança somam 11.792, sendo 1.621 ocupantes de CNE’s, que ganham salários de R$ 3.346 a R$ 18.172; e 10.171 secretários parlamentares, recebendo de R$ 936 a R$ 14.334 mensais. A Câmara permite um total de gastos de R$ 101.971 por gabinete para contratações.

Ler mais

Temer torce para não ter surpresas no TSE, em processo que pede cassação de chapa

Temer torce por dia sem surpresa no TSE

Novos depoimentos podem definir se advogados do presidente vão pedir a nulidade dos interrogatórios de ex-executivos da Odebrecht

Depoimentos de ex-executivos da Odebrecht, previstos para ocorrer nesta segunda-feira (6) no processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), podem definir se os advogados do presidente Michel Temer pedirão ou não a nulidade dos interrogatórios de ex-diretores da empreiteira. A decisão dependerá do teor das respostas que serão dadas ao relator do processo no TSE, ministro Herman Benjamin.

Estão marcados os depoimentos de Cláudio Melo Filho, cujo testemunho para formalizar a delação premiada se tornou público, com uma lista de dezenas de nomes de políticos que, em algum momento, teriam recebido dinheiro para atender aos interesses da Odebrecht, e de Alexandrino Alencar, ex-diretor de Relações Institucionais. O relator do processo quer que os ex-executivos, delatores da operação Lava-Jato, detalhem o repasse de recursos da empreiteira à chapa Dilma-Temer nas eleições de 2014.

Além deles, o ministro convocou o ex-executivo Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho, que cumpre prisão domiciliar. Ele é apontado como chefe do departamento criado na construtora para organizar a distribuição de propina aos políticos, a chamada diretoria de Operações Estruturadas. As informações são de O Globo.

Ivan diz que prefeito do Assú, esta ganhando juros com aplicação do dinheiro do prefeitura

Prefeito do Assú, não paga em dia, ganha juros com aplicação e o servidor paga juro por atraso

O prefeito do Assú Gustavo Soares, vulgo ‘Gustavo Paraguassu’,  não paga em dia a folha de pagamento, mas vem fazendo aplicação financeira bancária com o dinheiro público para ganhar juros e deixando para os fornecedores e o servidor municipal, o abacaxi de pagar juros por compromissos financeiros atrasados, segundo o ex-prefeito Ivan Júnior, que estima ter o atual governante, já recebido entre repasses e o que ficou na conta, mais de R$ 22 milhões de janeiro até agora.

Nesse jogo, o prefeito Gustavo Soares aplica o dinheiro do povo, ganha juros do banco e o servidor acaba pagando juros por não receber seu salário em dia e não poder quitar dívidas de contas pessoais. Eis abaixo, trecho da entrevista do prefeito Ivan Júnior concedida no último sábado ao Sala de Redação da Princesa do Vale.

Lula quer caciques como candidatos por uma vaga de deputado federal

Lula quer caciques como candidatos por uma vaga de deputado federal

Petista tem medo que desgate da sigla diminua a bancada e, consequentemente, o fundo partidário

Com receio de que o desgaste do PT provoque uma drástica diminuição da sua bancada na Câmara em 2018, o ex-presidente Lula elaborou um plano para lançar os principais nomes do partido na disputa por uma vaga de deputado federal. A estratégia, porém, está ameaçada pela resistência de alguns nomes de aceitar a tarefa.

Se perder parlamentares, o PT terá menos tempo de televisão e repasses do fundo partidário, o que pode inviabilizar o seu futuro. A legenda elegeu 68 deputados em 2014, a maior bancada da Câmara. Debandadas provocadas pela crise originada da Lava Jato e do impeachment da presidente Dilma Rousseff já reduziram o número de parlamentares para 58, permitindo que o PMDB se tornasse a legenda como mais representantes na Câmara: 65.

“Se o número de deputados cair para em torno de 20, vamos virar um partido pequeno e a recuperação, mesmo no futuro, fica difícil. Agora, se fizermos uma boa bancada, podemos manter a estrutura partidária e aí dá para recuperar, mesmo que a gente perca a eleição presidencial”, diz um cacique petista.

Ler mais

Ipanguaçu recebe R$ 200 mil de emenda do deputado federal Rogério Marinho para investir em saúde

Ipanguaçu recebe R$ 200 mil de emenda do deputado federal Rogério Marinho para investir em saúde

O município de Ipanguaçu recebeu de R$ 200 mil para investir na saúde pública. Os recursos foram viabilizados a partir de emenda apresentada pelo deputado federal Rogério Marinho (PSDB).

O dinheiro já foi repassado para o prefeito tucano Valderedo Bertoldo, no início deste ano.

Os investimentos poderão ser feitos na compra de material médico-hospitalar ou na melhoria da infraestrutura das unidades de saúde do município potiguar.

Câmara retoma discussões sobre reformas trabalhista e da Previdência

Câmara retoma discussões sobre reformas trabalhista e da Previdência

Após o feriado do carnaval, a Câmara dos Deputados retoma os trabalhos com discussões sobre as reformas trabalhista e da Previdência. Em audiências públicas nesta semana, deputados e convidados debaterão as mudanças propostas pelo governo para essas duas áreas.

A Comissão Especial da Reforma da Previdência, que analisa e discute o mérito da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287, fará três audiências públicas ao longo da semana. Na terça-feira (7), serão discutidas as aposentadorias de profissionais envolvidos em atividades de risco, como os policiais.

Na quarta (8), será a vez dos professores e dos trabalhadores que atuam em atividades que prejudicam a saúde. Na quinta (9), a discussão será sobre as novas regras de aposentadoria para servidores públicos.

Ler mais

Presidente da Câmara de Ipanguaçu Batista Bertoldo, primo do prefeito, ganha mais dois anos no comando e fica até 2020

Prefeito de Ipanguaçu faz acordo com vereadores e garante presidência da Câmara por mais dois anos ao primo

Presidente da Câmara de Ipanguaçu Batista Bertoldo, primo do prefeito, ganha mais dois anos no comando e fica até 2020

O prefeito de Ipanguaçu Valderedo Bertoldo, 51 anos, fechou um acordo nos bastidores com os vereadores da cidade para a antecipação das eleições para a Mesa Diretora que presidirá aquela casa legislativa no 2º biênio (2019/2020) da atual legislatura que deverá acontecer nos próximos dias.

Com o acordo político, o prefeito Valderedo Bertoldo garante a permanência do seu primo e atual presidente do legislativo, vereador Batista Bertoldo, para mais dois anos no comando da Casa. Comenta-se nos bastidores que Valderedo tomou a medida para evitar qualquer briga entre os vereadores motivada pela ambição no futuro.

Para relator no TSE, Odebrecht se apropriou do poder público

Para relator, Odebrecht se apropriou do poder público

Herman Benjamin, do TSE, ficou impressionado com depoimentos de delatores e grau de acesso à cúpula do poder que empreiteiro contou ter, apurou o ‘Estado’

Luiz Maklouf Carvalho, O Estado de S. Paulo

O ministro Herman Benjamin, relator no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do processo que pede a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, considerou os depoimentos de Marcelo Odebrecht e de dois outros ex-executivos da empreiteira – tomados na quarta e na quinta-feira passadas – como os mais importantes de todos os 50 que já colheu desde que assumiu o caso em agosto do ano passado, segundo apurou o Estado.

A oitiva do ex-presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht, preso desde junho de 2015 na operação Lava Jato, deixou Benjamin particularmente impressionado, como perceberam advogados presentes.

Primeiro, pelo grau de acesso e de domínio que o empresário contou ter ao topo da cadeia de poder, sugerindo a impressão de apropriação do poder público pelo poder privado.

Segundo, pelo valor de caixa 2 – R$ 180 milhões –, desproporcionalmente gigantesco em relação às doações oficiais. O ministro batizou de caixa 3, ou barriga de aluguel, a doação da Odebrecht para uma outra empresa o Grupo Petrópolis, da cervejariaItaipava fazer o repasse, modalidade que considerou uma novidade no esquema de corrupção.

Ler mais

Odebrecht nega ter subornado a guerrilha das Farc

Odebrecht nega ter subornado a guerrilha das Farc

Segundo a Veja, dois executivos da empresa em depoimento admitiram os pagamentos, entre US$ 50 mil e US$ 100 mil por mês, em troca de “licenças” para a realização de obras nas áreas controladas pela guerrilha.

A construtora Odebrecht negou neste domingo (5) ter repassado dinheiro durante 20 anos às Farc para garantir a segurança de suas obras na Colômbia, como afirmou no sábado a revista Veja.

“A Odebrecht desmente e confirma que a afirmação da Veja, segundo a qual a empresa teria realizado pagamentos a um grupo guerrilheiro colombiano, é uma especulação”, indica a construtora em um comunicado enviado à AFP.

Segundo a Veja, dois executivos da empresa em depoimento admitiram os pagamentos, entre US$ 50 mil e US$ 100 mil por mês, em troca de “licenças” para a realização de obras nas áreas controladas pela guerrilha. 

Ler mais

Sem Padilha, na mira da Lava-Jato, governo monta força-tarefa para mudar Previdência

Sem Padilha, na mira da Lava-Jato, governo monta força-tarefa para mudar Previdência

Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, estão na linha de frente do grupo que pretende assegurar a aprovação da reforma

Preocupado com a forte resistência entre parlamentares aliados à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da reforma da Previdência e sem seu principal negociador com o Congresso, o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil), o governo montou uma força-tarefa para viabilizar a aprovação da medida até meados deste ano. O objetivo no Palácio do Planalto é evitar problemas na base em função do vácuo provocado pela ausência de Padilha, que não tem data certa para retornar a Brasília, e que isso emperre a tramitação da proposta.

O alerta de que seria preciso agir rapidamente ficou mais intenso nos últimos dias, considerando não só o afastamento por motivos médicos, mas o enfraquecimento político de Padilha, citado nos depoimentos da Odebrecht. O próprio presidente Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, estão na linha de frente do grupo que pretende assegurar a aprovação da reforma, em meio ao pânico generalizado no Congresso pelos desdobramentos da Lava-Jato.

— O governo montou um time, agora temos que começar a jogar e mostrar resultados. O vácuo deixado por Padilha é grande, mas até ele retornar vamos tocar essa pauta para não ter atrasos. Não tem o que esperar. O motor continua girando — afirma um dos integrantes do grupo.