Prefeito do Vale quebrou braço de esposa e o deputado ‘possesso’, os móveis da casa da mãe

Prefeito do Vale quebrou braço de esposa e o deputado ‘possesso’ os móveis da casa da mãe

O Poder Legislativo Municipal existe para fiscalizar o governo e criar leis, mas também tem o poder de repudiar e condenar atitudes de homens públicos covardes que não respeitam a lei Maria da Penha, mas subservientemente abraçam causas movidas apenas por interesse dos coronéis da política região para posar de defensores.

Quebrar braço de esposa e espancá-la não é uma atitude nobre, assim, como também um deputado possesso quebrou os móveis de casa da mãe por causa de desavenças políticas, não é normal. Pois bem, o legislativo que assume a defesa a proteção da mulher, deveria condenar um prefeito do Vale do Açu que já esteve envolvido em espancamento, como um outro importante político do Estado que exerce o cargo de deputado estadual.

O legislativo quando é comprometido com a causa de proteção as mulheres, adota políticas públicas de enfrentamento à violência contra elas, incentivando-as as denunciar os seus verdadeiros algozes que se escondem hoje a sombra do poder, como inimigo oculto delas.

‘O que está em jogo é a imagem do Brasil’, diz ministro sobre Carne Fraca

‘O que está em jogo é a imagem do Brasil’, diz ministro sobre Carne Fraca

A maior preocupação do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, após a deflagração da Operação Carne Fraca, que revelou irregularidades no controle sanitário das carnes vendidas nos mercados interno e externo, é com a imagem do Brasil. “É um tremendo soco na gente”, disse ele em entrevista ao Estado. Diante do quadro, a ordem é passar um “pente fino” nos processos do Ministério da Agricultura e corrigir as falhas. Veja abaixo os principais trechos da entrevista ao jornal O Estado de São Paulo.

Diante de um problema desses, qual é sua prioridade? 

Nossa prioridade é levantar os problemas que temos, levantar as operações, separá-las, dar o tratamento de choque que é preciso. Vamos verificar todos os procedimentos e ser absolutamente transparentes.

Qual é sua maior preocupação agora?

É com a imagem do Brasil lá fora e a perda da confiança do nosso consumidor. O que está em jogo não é só a reputação das empresas, mas do País como fornecedor. É um tremendo soco na gente. O nosso sistema de controle da sanidade é robusto. Mas, quando tem pessoas corruptas no meio, foge das nossas possibilidades. É muito ruim. Então, o negócio é checar tudo, passar um pente fino.

O Brasil é um grande exportador de proteína animal e essa operação pega esse mercado em cheio. O que o sr. dirá aos países importadores? 

A mensagem é que seremos transparentes na verificação do problema. Vamos tomar as medidas cabíveis e seremos transparentes a ponto de dar tranquilidade aos nossos consumidores. Temos mais de 600 SIFs (Serviço de Inspeção Federal) que cuidam da parte de bovinos. Nos envolvidos (no esquema investigado), tem 18. É um número pequeno, mas não deixa de tirar a tranquilidade.

Ler mais

Juiz determina que mulher de Cabral vá para prisão domiciliar

Juiz determina que mulher de Cabral vá para prisão domiciliar

A Justiça Federal do Rio determinou que a advogada Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), seja encaminhada para prisão domiciliar.

Adriana teve a prisão preventiva decretada em 6 de dezembro, no âmbito da Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato no Rio, que também levou à cadeia o ex-governador.

A decisão foi tomada na tarde desta sexta-feira (17) pelo juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Criminal Federal, que concentra as decisões a respeito das investigações da Lava Jato.

Cabral é tido pelos investigadores como líder de um esquema de desvios de dinheiro e propina em obras no Estado do Rio. O esquema é acusado também de lavar dinheiro ilegal e ocultação de recursos no exterior, entre outras coisas com compra de jóias, ouro e pedras preciosas.

Segundo as investigações, Adriana teria lavado dinheiro por meio da compra de R$ 6,5 milhões em joias entre 2007 e 2016.

Ler mais

Carmem Lúcia diz sobre caixa 2 que ‘tudo que for ilícito e crime tem que ser apurado e punido’

Carmem Lúcia diz sobre caixa 2 que ‘tudo que for ilícito e crime tem que ser apurado e punido’

A presidente do STF foi questionada pelos jornalistas sobre a possibilidade de anistia ao caixa dois por parte do Congresso Nacional:

– Não existe essa história de caixa um, ou caixa dois, ou caixa três. Se vier de dinheiro ilícito, constitui-se em ilícitos previstos na legislação penal. E tudo que for ilícito e crime tem que ser apurado e punido.

Ela comentou ainda sobre a possibilidade de o STF atuar caso a anistia ao caixa dois passe no Congresso Nacional:

– Eu espero que todo mundo tenha prudência para saber que, num Estado de direito, o direito é para ser respeitado. E não acho que alguém hoje desconheça a necessidade de, depois de tanta luta para chegarmos a um Estado democrático de direito, como foi no Brasil, quase 30 anos depois de uma Constituição em vigor, com uma legislação penal e eleitoral posta de maneira clara, queira tergiversar e simplesmente se escusar de cumprir aquilo que for apurado e considerado ilícito. Até porque o direito existe para que a sociedade viva em paz. Todo mundo cumprindo e respondendo por aquilo que foi feito errado. Se houver algum tipo de tentativa nesse sentido, o Poder Judiciário vai ter de atuar.

Em entrevista para o jornalista Jorge Bastos Moreno, na CBN, a ministra falou sobre a recepção que a medida de anistir o caixa dois teria no Supremo:

– Qualquer tentativa de obstaculizar medidas punitivas que são necessárias no caso de cometimento de crime não é bem-vinda, evidentemente, à sociedade e menos ainda à comunidade juridica. As informações são de O Globo.

Presidente do STF diz que foro privilegiado quebra a igualdade

Presidente do STF diz que foro privilegiado não pode ficar como está

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, disse nesta sexta-feira que “já passou da hora” de se discutir o foro privilegiado de políticos. Ao participar do evento “E agora, Brasil?”, promovido pelo GLOBO em parceria com a Confederação Nacional do Comércio (CNC), a ministra afirmou que o tema já era um assunto que se discutia quando ela ainda estava na faculdade.

– Não é que chegou a hora (de discutir o foro privilegiado). Esse era um assunto que, quando eu era aluna na faculdade, a gente já discutia. É preciso que se saiba o que fazer e como fazer. Tem que ser discutido, não pode ficar como está. Isso (o foro) quebra a igualdade em alguns casos de maneira flagrante – afirmou a ministra.

Ler mais

Advogado acusado de envolvimento na operação “Lama nas Ruas” não está assombrado

Advogado acusado de envolvimento na operação “Lama nas Ruas” não está assombrado

Só faltou Lula Mascara Negra no encontro do advogado Sérvulo Nogueira (camisa branca) com amigos

Depois de acusado na operação “Lama nas Ruas” pelo Ministério Público de usar a sua conta bancária para receber recursos de contratos de fachada em Alto do Rodrigues, o advogado Sérvulo Nogueira Neto, reuniu um grupo de amigos para mostrar que não está nenhum um pouco preocupado com a investigação dos promotores.

Prestigiaram a confraternização do desassombro do advogado que veste camisa branca na foto, o ex-prefeito de Guamaré Mozaniel Rodrigues e seu cunhado Vereador Gustavo Santiago, filho e genro respectivamente do ex-prefeito João Pedro,

O advogado Sérvulo Nogueira Neto, que é assessor jurídico da Câmara de Vereadores de Guamaré, reuniu essa turma da pesada como se nada tivesse acontecido e só faltou ao encontro, o presidente, Emilson de Borba, vulgo “Lula Mascara Negra” e aliado do deputado estadual George Soares, do PR.

Procuradores comemoram três anos de Lava Jato e alertam que Congresso pode derrubar operação

Procuradores comemoram três anos de Lava Jato e alertam que Congresso pode derrubar operação

Procuradores da força-tarefa da Lava Jato comemoram nesta sexta-feira o terceiro aniversário da operação com um balanço das investigações e aproveitaram para alertar que medidas em discussão no Congresso Nacional podem fazer com que a Lava Jato caia por terra.

Os procuradores fizeram um balanço dos três anos da operação que prendeu executivos de grandes empreiteiras e abalou a classe política em entrevista em Curitiba, e se comprometeram a trabalhar não só para nacionalizar, mas também para internacionalizar as investigações.

De acordo com a força-tarefa, nos três anos de Lava Jato já foram firmados mais de 180 acordos de cooperação internacional com 43 países, que resultaram na repatriação de mais de 594 milhões de reais em recursos ao Brasil.

A força-tarefa, no entanto, voltou a mostrar preocupação com medidas que vêm sendo discutidas no Congresso Nacional e que, de acordo com os procuradores, podem comprometer as investigações da Lava Jato, que atingiram políticos com e sem mandato de vários partidos.

Ler mais

Governo do Estado vai retomar pagamento do Farmácia Básica aos municípios

Governo do Estado vai retomar pagamento do Farmácia Básica

Oitenta e um meses depois do último repasse feito, o governo do Estado promete restabelecer o pagamento da Farmácia Básica aos municípios do Rio Grande do Norte. O compromisso foi assumido na manhã desta sexta-feira (17), em audiência de conciliação no Tribunal de Justiça, presidida pelo desembargador Cláudio Santos. Pelas contas do presidentes da Federação dos Municípios (Femurn), Benes Leocádio, as parcelas atrasadas somam mais de 70 milhões. 

Na audiência, ficou acertado que o pagamento da cota-parte do governo estadual será retomado em abril, quando será depositado, até o dia 11, o mês de março. O Farmácia Básica é um programa financiado pelos três níveis administrativos do poder executivo: municipal, estadual e federal. 

O advogado Mário Gomes, do escritório Jales Costa, Gomes & Gaspar, que presta assessoria jurídica à Femurn, destacou que as prefeituras e a União estão em dia com suas obrigações, diferentemente do Estado, que deixou, inclusive, de cumprir uma decisão judicial de 2014. 

Ler mais

Odebrecht paga R$ 30 milhões para encerrar ação por trabalho escravo

Odebrecht paga R$ 30 milhões para encerrar ação por trabalho escravo

O inquérito foi instaurado pelo procurador Rafael de Araújo Gomes a partir da publicação de uma série de reportagens que mencionavam existência de “inúmeras condenações judiciais reconhecendo a submissão de brasileiros

O Ministério Público do Trabalho informou nesta sexta-feira (17) que fechou com o Grupo Odebrecht, no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, um acordo no valor de R$ 30 milhões para encerrar ação por trabalho escravo. Segundo o Ministério Público, é o maior processo de trabalho escravo do País e tramita na Justiça do Trabalho desde 2014.

O inquérito contra a Odebrecht foi instaurado pelo procurador Rafael de Araújo Gomes a partir da publicação de uma série de reportagens veiculadas pela BBC Brasil, mencionando a existência de “inúmeras condenações judiciais reconhecendo a submissão de brasileiros a trabalho degradante em Angola”. Os empregados haviam sido contratados na cidade de Américo Brasiliense (SP).

Em depoimentos prestados à Justiça, os trabalhadores relataram que os ambientes na obra eram “muito sujos e os banheiros, distantes do local de trabalho, permaneciam sempre cheios e entupidos, obrigando-os a evacuar no mato”. Os relatos revelam ainda que a água consumida era salobra e a comida, estragada. As informações são da Agência Estado.

Ler mais

JBS doou R$ 200 mil a ministro da Justiça nas eleições

JBS doou R$ 200 mil a ministro da Justiça nas eleições

A quantia representa a maior doação única para o peemedebista Osmar Serraglio, cuja campanha teve uma arrecadação total de R$ 1,4 milhão

Alvo da Operação Carne Fraca deflagrada nesta sexta-feira (17) por suspeita de pagar propinas a fiscais agropecuários federais, a empresa JBS doou em 2014 R$ 200 mil à campanha para a Câmara dos Deputados do atual ministro da Justiça Osmar Serraglio (PMDB-PR). O valor foi doado primeiro ao diretório nacional do PMDB, que repassou para a campanha do atual ministro.

A quantia representa a maior doação única para o peemedebista, cuja campanha teve uma arrecadação total de R$ 1,4 milhão. Seu nome apareceu nos grampos da investigação, que identificaram um diálogo do atual ministro da Justiça – Pasta à qual está atrelada a própria Polícia Federal -, com o fiscal agropecuário Daniel Gonçalves Filho, superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná entre 2007 e 2016.

A Operação Carne Fraca aponta Daniel Gonçalves como o “líder da organização criminosa”. No diálogo, Osmar Serraglio se refere a Daniel Gonçalves como “o grande chefe”.

A JBS foi a maior doadora eleitoral em 2014, tendo repassado R$357 milhões a partidos e políticos. Segundo levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo, as empresas do grupo e de seus sócios foram também as que fizeram mais doações para deputados eleitos. Ao todo, o frigorífico distribuiu R$ 61,2 milhões para 162 deputados eleitos. Os recursos foram doados para a cúpula de 21 dos 28 partidos representados na Câmara, incluindo todos os grandes.

A Seara e a BRF, outras gigantes do setor e que também foram alvos da operação desta sexta-feira, doaram o total de R$ 5,9 milhões a deputados eleitos em 2014. Segundo o delegado Maurício Moscardi Grillo, responsável pela investigação, parte do dinheiro dos frigoríficos para os fiscais abastecia políticos do PMDB e do PP.

Ler mais

Após Carne Fraca, PSOL tentará CPI e representação contra Serraglio

Após Carne Fraca, PSOL tentará CPI e representação contra Serraglio

Ministro da Justiça foi flagrado pela operação da PF em conversa com o fiscal agropecuário Daniel Gonçalves

O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) anunciou nesta sexta-feira (17) que vai começar a coletar assinaturas para a criação de uma CPI na Câmara para apurar irregularidades na fiscalização fitossanitária no País. O deputado também pretende entrar com uma representação na Procuradoria Geral da República (PGR) contra o ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB), flagrado em conversa com o fiscal agropecuário Daniel Gonçalves.

O fiscal é apontado pela Operação Carne Fraca como “líder da organização criminosa”. No diálogo interceptado, Serraglio se refere a Gonçalves como “o grande chefe”.

“Ele (Serraglio) intercedeu por uma pessoa que ele chamou de grande chefe”, comentou Valente. Para o deputado, é grave o atual chefe da Polícia Federal ter demonstrado “intimidade” com o suposto líder da organização criminosa. As informações são da Agência Estado.

Ler mais

‘Basta uma noite no Congresso para a Lava-Jato cair por terra’, diz procurador

‘Basta uma noite no Congresso para a Lava-Jato cair por terra’, diz procurador

Evento marca 3 anos da operação alertando sobre ‘órgãos que tentam impedi-la’

POR AMANDA AUDI, ESPECIAL PARA O GLOBO

Em evento para marcar os três anos de Operação Lava-Jato nesta sexta-feira em Curitiba, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, coordenador da investigação, disse que a operação “chegou a um momento de culminância” e alertou a população sobre “órgãos que tentam impedi-la”. Segundo o procurador, “há tentativas de derrubar a Lava-Jato” e a população precisa ficar atenta a isso.

— A classe política tentou, no fim do ano passado, passar projetos de anistia, de responsabilização de procuradores (…). Temos boa parte do Legislativo e do Executivos contra a investigação. Temos órgão que tentam impedi-la. É um momento de felicidade, mas um momento de muita tensão, de muito cuidados — disse Carlos Fernando. — Basta uma noite no Congresso Nacional que toda uma investigação pode cair por terra — alertou.

Na coletiva de imprensa realizada em Curitiba, o procurador da República Deltan Dellagnol aproveitou para criticar o “foro privilegiado sem paralelo no mundo” e dizer que a sociedade não pode colocar responsabilidade excessiva sobre o Judiciário. O procurador defendeu que é fundamental que as reformas ocorridas nos últimos três anos ultrapassem o Judiciário.

Ex-presidente afirma que impediu Moreira Franco de roubar no seu governo

Em entrevista ao “Valor”, ex-presidente afirma que impediu Moreira Franco de roubar no seu governo

Na entrevista, a ex-presidente também afirma que, durante o seu governo, não permitiu que Moreira Franco (atual ministro da Secretaria Geral da Presidência) roubasse na Secretaria Nacional de Aviação Civil.

“Saber demais não significa que você é capaz de impedir algumas coisas. Por exemplo, o gato angorá [Moreira Franco] tem uma bronca danada de mim porque eu não o deixei roubar, querida. É literal isso: eu não deixei o gato angorá roubar na Secretaria de Aviação Civil. Chamei o Temer e disse: ‘Ele não fica. Não fica!’. Porque algumas coisas são absurdas, outras não consegui impedir. Porque para isso eu tinha de ter um nível de ruptura mais aberto, e eu não tinha prova, não tinha certeza, entendeu? Não acho que é relevante fazer fofoca, conversinha. Posso contar mil coisas do Padilha e do Temer, então?”

Moreira Franco participou do governo Dilma entre 2011 e 2014. Foi responsável pela pasta de Assuntos Estratégicos de 2011 a 2013, com status de ministro, e comandou a Aviação Civil até o fim de 2014.

Ler mais

Dilma chama Temer de ‘fraco’ e ‘medroso’ e diz que Cunha traça roteiro sobre escândalo do FGTS

Dilma chama Temer de ‘fraco’ e ‘medroso’ e diz que Cunha traça roteiro sobre escândalo do FGTS

Dilma diz: Temer é um cara frágil. Extremamente frágil. Fraco. Medroso. Completamente medroso. (…) É um cara que não enfrenta nada!’

Em entrevista ao jornal “Valor Econômico”, publicada nesta sexta-feira, a ex-presidente Dilma Rousseff afirma que as perguntas formuladas pelo ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha deixam claro que o presidente Michel Temer tem ligação com desvios na Caixa Econômica Federal e no FGTS. Ainda sobre Temer, a petista afirma que considera “um erro” ter dado a ele a coordenação política do governo e ataca o peemedebista o chamando de “um cara extremamente frágil, fraco e medroso”.

Durante a entrevista, Dilma faz referência a uma lista com 41 perguntas direcionadas a Temer, protocolada pela defesa de Cunha na Justiça Federal do Paraná, em novembro do ano passado. Em uma das peguntas, Cunha indaga qual é a relação de Temer com José Yunes, ex-assessor especial da Presidência, e se Yunes recebeu alguma doação de campanha para o PMDB.

Ler mais

Com investimentos de R$ 600 mil, governador entrega equipamentos e Centro de Treinamento em São Miguel

Com investimentos de R$ 600 mil, governador entrega equipamentos e Centro de Treinamento em São Miguel

Principal estrutura para capacitação de extensionistas e produtores rurais, o Centro de Treinamento da Emater foi inaugurado na manhã desta sexta-feira (17), em São Miguel, na região Alto Oeste do Rio Grande do Norte. A entrega foi formalizada pelo governador Robinson Faria, pelos secretários de Estado Julianne Faria (Trabalho, Habitação e Ação Social) e Guilherme Saldanha (Agricultura e Pesca) e pela diretora geral do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Cátia Lopes. O deputado estadual Galeno Torquato representou a Assembleia Legislativa no ato.

O Centro de Treinamento sediará, além de cursos e oficinas, conferências, reuniões e palestras desenvolvidas pela Emater.  O prédio tem salas para treinamentos, auditório para 154 pessoas, refeitório, alojamentos masculino e feminino, e teve recursos federais de R$ 397.265.80,00. Esse é o terceiro centro de treinamento da Emater no estado. Os outros dois estão em São José de Mipibu e Lagoa Nova.

Ainda no evento de inauguração, mais R$ 200 mil em equipamentos foram entregues aos prefeitos dos municípios de Paraná, Doutor Severiano, Rodolfo Fernandes e São Miguel, referentes a quatro veículos tipo Saveiro, com baú refrigerado, balanças e kits de informática. Os itens fazem parte do Projeto de Apoio e Modernização das Centrais de Comercialização, do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA-Compra Direta). O PAA-Compra Direta beneficia 161 municípios do estado. O investimento total é de R$ 9 milhões e é uma parceria entre o Governo do Estado e o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Ler mais