Até merenda escolar teve carne adulterada, aponta Polícia Federal

Até merenda escolar teve carne adulterada, aponta Polícia Federal

Agentes da PF cumprem mandado de busca e apreensão na sede do Ministério da Agricultura, em Brasília

ESTELITA HASS CARAZZAI – Folha de são Paulo

Até mesmo a merenda escolar de estudantes da rede estadual do Paraná recebeu carne adulterada investigada na Operação Carne Fraca, deflagrada nesta sexta (17) pela Polícia Federal.

Os estudantes comeram salsicha de peru, na prática, sem carne, com substituição por proteína de soja, fécula de mandioca e carne de frango.

Foi com esse contrato, cujas suspeitas foram encaminhadas por um servidor do Ministério da Agricultura à PF, que começou a investigação.

Ao longo de dois anos de apuração, a PF identificou carnes adulteradas, com prazo de validade vencido e maquiadas com produtos proibidos por lei, em gôndolas de supermercados.

Ler mais

Governo do RN destina 9 milhões para pequenos agricultores

Governo do RN destina 9 milhões para pequenos agricultores

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (SAPE), realiza o lançamento do edital de apoio a projetos de Fruticultura Irrigada para a Agricultura Familiar neste sábado (18), às 11h, no auditório do Sebrae, em Mossoró.

O investimento de R$ 9 milhões é do Governo do Estado, por meio do Acordo de Empréstimo com Banco Mundial, através do Projeto RN Sustentável, e abrange prioritariamente os territórios de Açu-Mossoró, Mato Grande, Sertão Central Cabugi Litoral Norte e Sertão do Apodi.

O edital é uma chamada pública para que as organizações de pequenos fruticultores apresentem projetos de apoio à produção, beneficiamento e comercialização, os quais terão apoio técnico e financeiro do programa. Com este edital, o Governo pretende beneficiar diretamente 350 famílias e gerar 3,5 mil empregos diretos.

Ler mais

Polícia Federal prende executivos das gigantes do setor de carnes JBS e BRF

Polícia Federal prende executivos das gigantes do setor de carnes JBS e BRF

‘Carne Fraca’, maior operação da história da PF, determina bloqueio de até R$ 1 bi em contas de 46 investigados

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira a “Operação Carne Fraca”, com o objetivo de desarticular organização criminosa liderada por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio. É a maior operação já realizada pela Polícia Federal em toda a sua história, segundo a organização.

A operação detectou, em quase dois anos de investigação, que superintendências regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás atuavam diretamente para proteger grupos empresariais em detrimento do interesse público. Irregularidades como reembalagem de produtos vencidos e venda de carne imprópria para consumo humano foram encontradas.

A operação já prendeu executivos dos grupo JBS (de marcas como Friboi, Swift e Seara) e BRF (marcas como Sadia e Perdigão) e faz buscas nas residências dos investigados e nas sedes das empresas. O gerente de Relações Institucionais do Grupo BRF, Roney Nogueira dos Santos, e o funcionário da Seara, do grupo JBS, Flavio Cassou, estão entre os presos. As informações são de O Globo.

Ler mais

Ministro da Justiça aparece em grampo de operação contra frigoríficos

Ministro da Justiça aparece em grampo de operação contra frigoríficos

ESTELITA HASS CARAZZAI, BELA MEGALE e CAMILA MATTOSO – Folha de São Paulo

O atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-PR), aparece na investigação da Operação Carne Fraca, deflagrada nesta sexta (17) e que investiga a venda ilegal de carnes por frigoríficos por meio do pagamento de propina a fiscais agropecuários.

A Polícia Federal, no entanto, não vê indícios de ilegalidade na conduta do ministro. Serraglio assumiu no início do mês o ministério, ao qual está subordinada a PF.

Uma ligação telefônica foi interceptada entre o ministro e Daniel Gonçalves Filho, fiscal agropecuário e superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná entre 2007 e 2016.

Segundo a PF, Gonçalves Filho era “o líder da organização criminosa” que atuava no órgão, permitindo o recebimento de propina em troca de vistas grossas na fiscalização de frigoríficos.

Em fevereiro do ano passado, Serraglio, então deputado federal pelo Paraná, ligou para o fiscal para obter informações sobre o frigorífico Larissa, de Iporã (PR), de propriedade de Paulo Rogério Sposito –que foi candidato a deputado federal em São Paulo, pelo PPS, em 2010.

O ministro se refere ao fiscal como “grande chefe”.

Ler mais

Operação contra frigoríficos prende 38 e descobre até carne podre à venda

Operação contra frigoríficos prende 38 e descobre até carne podre à venda

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta (17) a Operação Carne Fraca, com foco na venda ilegal de carnes por frigoríficos, e deverá cumprir 38 mandados de prisão.

Alguns dos principais frigoríficos do país estão na mira da operação, como BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, e JBS, dona das marcas Seara e Big Frango. A Justiça Federal do Paraná determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão das investigadas.

O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, também é citado na investigação. Ele aparece em grampo interceptado pela operação conversando com o suposto líder do esquema criminoso, chamando-o de “grande chefe”. A PF, porém, não encontrou indícios de ilegalidade na conduta do ministro, que não é investigado.

O objetivo da operação é desarticular uma suposta organização criminosa liderada por fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, que, com o pagamento de propina, facilitavam a produção de produtos adulterados, emitindo certificados sanitários sem fiscalização. As informações são da Folha de São Paulo.

Ler mais

Polícia Federal diz que propina da Carne Fraca abastecia PMDB e PP

Polícia Federal diz que propina de grandes frigorificos abastecia PMDB e PP

Delegado federal Maurício Moscardi Grillo revela que parte do dinheiro arrecadado pelo esquema de corrupção envolvendo fiscais e maiores frigoríficos era distribuída inclusive para partidos políticos

O delegado federal Maurício Moscardi Grillo afirmou nesta sexta-feira, 17, que parte do dinheiro arrecadado pelo esquema de corrupção envolvendo fiscais e maiores frigoríficos do País, descoberto pela Operação Carne Fraca, era abastecia o PMDB e o PP.

“Dentro da investigação ficava bem claro que uma parte do dinheiro da propina era, sim, revertido para partido político. Caracteristicamente, já foi falado ao longo da investigação dois partidos que ficavam claro: o PP e o PMDB”, afirmou.

Executivos do frigorífico JBS e da empresa BRF Brasil foram presos. O esquema seria liderado por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio. Segundo a PF, a operação detectou em quase dois anos de investigação que as Superintendências Regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás ‘atuavam diretamente para proteger grupos empresariais em detrimento do interesse público’.

Ler mais

Termina prazo para estudantes na lista do Fies concluírem inscrições

Termina prazo para estudantes na lista do Fies concluírem inscrições

Pelas regras do programa, o aluno deve ficar atento ao boletim, pois terá cinco dias úteis após ser pré-selecionado para informar os dados solicitados no sistema

Os estudantes na lista de espera do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) têm até esta sexta-feira (17) para verificar se foram pré-selecionados. A informação fica na página do Fies, no boletim de acompanhamento de cada candidato. Caso seja pré-selecionado, o estudante deve acessar o Sistema Informatizado do Fies (SisFies) e fazer a inscrição.

Pelas regras do programa, o aluno deve ficar atento ao boletim, pois terá cinco dias úteis após ser pré-selecionado para informar os dados solicitados no sistema. A pré-seleção ocorre desde o dia 14 de fevereiro. O prazo se encerraria no último dia 3, mas foi estendido pelo Ministério da Educação. No ato da inscrição, o candidato deve escolher a instituição bancária e a agência de sua preferência.

Estudantes poderão concorrer a vagas não preenchidas do Fies a partir do dia 20. As informações são da Agência Brasil.

Ler mais

Lava Jato completa 3 anos de investigações com 260 acusados

Lava Jato completa 3 anos de investigações com 260 acusados

Até agora, a operação conseguiu recuperar R$ 10 bilhões aos cofres públicos, entre valores que já foram devolvidos ou estão em processo de recuperação

Nesta sexta-feira (17), a maior operação de combate à corrupção e à lavagem de dinheiro do país completa três anos. Tudo começou com quatro investigações da Polícia Federal: Dolce Vita, Bidone, Casablanca e Lava Jato. As três primeiras são nomes de filmes clássicos, escolhidos de acordo com o perfil de cada doleiro investigado. A última fazia referência a uma  lavanderia e a um posto de combustíveis em Brasília, que eram usados pelas organizações criminosas. Desde então, já se foram 38 fases da operação Lava Jato. Nesse período, os investigadores apuraram fatos relacionados a empreiteiras, doleiros, funcionários da Petrobras e políticos.

De acordo com dados do Ministério Público Federal no Paraná atualizados em fevereiro, foram 57 acusações criminais contra 260 pessoas, sendo que em 25 já houve sentença por crimes como lavagem de dinheiro, corrupção, organização criminosa e tráfico transnacional de drogas. Até agora, a Lava Jato conseguiu recuperar R$ 10 bilhões aos cofres públicos, entre valores que já foram devolvidos ou estão em processo de recuperação.

Ler mais

Polícia Federal deflagra operação para combater venda ilegal de carnes

Polícia Federal deflagra operação para combater venda ilegal de carnes

Batizada de ‘Carne Fraca’, ação cumpre mandados em sete estados do país

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira a “Operação Carne Fraca”, com o objetivo de desarticular organização criminosa liderada por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio. A operação detectou, em quase dois anos de investigação, que superintendências regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás atuavam diretamente para proteger grupos empresariais em detrimento do interesse público.

Cerca de 1100 policiais federais estão cumprindo 309 mandados judiciais, sendo 27 de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão em residências e locais de trabalho dos investigados e em empresas supostamente ligadas ao grupo criminoso. As ordens judiciais foram expedidas pela 14ª Vara da Justiça Federal de Curitiba e estão sendo cumpridas em sete estados federativos: São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goias.

“Os agentes públicos, utilizando-se do poder fiscalizatório do cargo, mediante pagamento de propina, atuavam para facilitar a produção de alimentos adulterados, emitindo certificados sanitários sem qualquer fiscalização efetiva”, disse a PF em nota.

Ler mais

Emenda à reforma da Previdência assegura aposentadoria pelas regras atuais a congressistas

Emenda à reforma da Previdência assegura aposentadoria pelas regras atuais a congressistas

Proposta apresentada por deputado prevê que as regras que o governo quer aplicar a todos os cidadãos só serão válidas para os parlamentares eleitos após a mudança na Constituição

POR LUCIO VAZ – Congresso Em Foco

Emenda apresentada pelo deputado Carlos Eduardo Cadoca (PDT-PE) à PEC da reforma da Previdência mantém as regras vigentes para os atuais deputados. A sugestão do deputado assegura aos parlamentares filiados ao plano de previdência dos congressistas que ainda não cumpriram os requisitos para a aposentadoria 35 anos de contribuição e 60 anos de idade o direito ao benefício pelas regras vigentes na promulgação da emenda constitucional quando cumprirem as exigências.

Eles terão, ainda, a possibilidade de pagamento das contribuições durante o atual mandato parlamentar, observadas uma das seguintes condições: idade igual ou superior a 54 anos ou pelo menos quatro anos de mandato como deputado federal ou oito anos de mandato como senador.

Ler mais

Em meio a discussão de reformas e Lava Jato, peemedebistas vão passar 10 dias na China

Em meio a discussão de reformas e Lava Jato, peemedebistas vão passar 10 dias na China

Dez deputados do PMDB embarcam na segunda-feira, 21, para missão oficial de dez dias em Pequim, Beihai, Nanning e Guangzhou, na China. A viagem não tem custos para a Câmara, segundo a coluna Estado.

Estão no comboio os deputados Alberto Filho (MA), Baleia Rossi (SP), Cabuçu Borges (AP), Kaio Maniçoba (PE), Leonardo Quintão (MG), Lucio Mosquini (RO), Pedro Chaves (GO), Pedro Paulo (RJ), Ronaldo Benedet (SC) e Vitor Valim (CE).⁠⁠⁠⁠

Serra quer tirar sistema eleitoral da Constituição

Serra quer tirar sistema eleitoral da Constituição

Senador deve apresentar PEC, discutida em jantar na casa d presidente do TSE, na próxima semana

Lu Aiko Otta e Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

Diante das turbulências provocadas pela Lava Jato, o senador José Serra (PSDB-SP) deve apresentar na próxima semana uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que retira da Carta os dispositivos que regulam o sistema eleitoral. O assunto foi discutido no jantar realizado na quarta-feira, na casa do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, com a participação do presidente Michel Temer e de vários convidados do Congresso.

A ideia de criar um modelo de financiamento público de campanhas, com uma lista fechada de candidatos para as eleições de 2018, ocupou as rodas de conversa naquela noite, mas foi a proposta de Serra que chamou mais atenção.

O jantar foi oferecido por Mendes em homenagem ao senador, que completa 75 anos no próximo domingo, e ocorreu um dia após o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhar ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedidos de abertura de inquérito contra vários políticos citados nas delações da Odebrecht.

Ler mais

Projeto torna crime divulgar notícia falsa

Projeto torna crime divulgar notícia falsa

A pena prevista pelo texto é de detenção de 2 a 8 meses e pagamento de 1,5 mil a 4 mil dias-multa

A Câmara dos Deputados analisa proposta (PL 6812/17) que torna crime a divulgação ou compartilhamento de notícia falsa ou “prejudicialmente incompleta” na internet. A pena prevista pelo texto é de detenção de 2 a 8 meses e pagamento de 1,5 mil a 4 mil dias-multa (valor unitário a ser pago pelo réu a cada dia de multa determinado pelos magistrados), que serão revertidos para o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos.

O autor do projeto, deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), alega que a rápida disseminação de informações pela internet tem sido um campo fértil para a proliferação de notícias falsas ou incompletas.

“Esses atos causam sérios prejuízos, muitas vezes irreparáveis, tanto para pessoas físicas ou jurídicas, as quais não têm garantido o direito de defesa sobre os fatos falsamente divulgados”, argumenta. A proposta será analisada por três comissões antes de ir a plenário.

Venda de sentenças por WhatsApp custava até R$ 500 mil no Tribunal de Justiça do Ceará

Venda de sentenças por WhatsApp custava até R$ 500 mil no Tribunal de Justiça do Ceará

Entre os réus estão o desembargador Carlos Rodrigues Feitosa, do TJ cearense, e seu filho Fernando Feitosa

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) abriu ação penal contra dez acusados pela Procuradoria Geral da República (PGR) de envolvimento em um suposto esquema de venda de sentenças no Tribunal de Justiça do Ceará durante plantões judiciais. Entre os réus estão o desembargador Carlos Rodrigues Feitosa, do TJ cearense, e seu filho Fernando Feitosa.

Segundo a acusação, Fernando Feitosa “organizou e liderou o ajuste para recebimento das vantagens indevidas pelo comércio de pelo menos cinco sentenças, com a atuação de seu pai”.

“Parte da atividade era organizada por meio de um grupo de WhatsApp, e as cobranças, segundo investigações, variavam de R$ 70 mil a R$ 500 mil”, diz trecho da acusação.

Ler mais