José Adécio: “É preciso que haja uma resposta mais forte contra esses criminosos”

José Adécio: “É preciso que haja uma resposta mais forte contra esses criminosos”

O deputado estadual José Adécio esteve na tarde dessa terça-feira(4) com o secretário de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social, Caio Bezerra, para uma nova conversa sobre a onda de ataques a agências bancárias e dos Correios, no interior do Rio Grande do Norte.

José Adécio, mais uma vez, levou ao secretário Caio Bezerra sua preocupação com a situação. No dia anterior, o deputado visitou a cidade de Touros, onde bandidos explodiram as agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica.

“Estou aqui, secretário, para ressaltar sua competência, a competência do comandante geral da Polícia Militar, coronel Azevedo, mas também para transmitir o terror, o pânico, a situação de medo pela qual passa o povo. Por onde passo, a reclamação é a mesma. Voltei de Touros aterrorizado com o que vi, com o que ouvi das pessoas que ficaram dentro de suas casas, durante a madrugada, enquanto os bandidos atiraram por mais de uma hora em via pública. É preciso que haja uma resposta mais forte contra esses criminosos, as polícias precisam ter armas melhores e um efetivo maior”, relatou.

Ler mais

Fábio Faria comemora aprovação do Cartão Reforma: “Vai beneficiar inúmeras famílias no RN”

Fábio Faria comemora aprovação do Cartão Reforma: “Vai beneficiar inúmeras famílias no RN”

O deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) comemora a aprovação pelo plenário do Senado, nesta terça-feira (4), a medida provisória que cria o Cartão Reforma, programa que prevê a destinação de recursos para que famílias de baixa renda possam comprar materiais, contratar pedreiros e melhorar a estrutura de suas residências.

“Eu votei a favor da criação do Cartão Reforma, porque acredito que vai beneficiar inúmeras famílias brasileiras, do Rio Grande do Norte, especialmente aquelas que moram em zonas rurais. Na Câmara aprovamos a destinação de 20% dos recursos para essas famílias e isso foi mantido no Senado”, justifica o parlamentar.

As famílias que terão direito ao Cartão Reforma são aquelas com renda mensal de até R$ 2,8 mil. Elas poderão adquirir um crédito de R$ 2 mil a R$ 9 mil (com benefício médio de R$ 5 mil). Porém, este benefício não poderá ser acumulado com outros subsídios concedidos pelo governo em programas habitacionais, exceto os concedidos a pessoas físicas há mais de dez anos.

A estimativa é que em torno de 100 mil pessoas sejam beneficiadas pelo Cartão Reforma, cujos investimentos podem chegar a R$ 1 bilhão. Como a MP já foi aprovada pela Câmara dos Deputados, agora a medida segue direto para a sanção do presidente Michel Temer.

Ministério Público realiza audiência pública para discutir situação do Hospital Regional em Assu

Ministério Público realiza audiência pública para discutir situação do Hospital Regional em Assu

Representante ministerial visitou unidade, constatou diversas deficiências e situação será debatida com poder público municipal, estadual e a população

A 3ª promotoria de Justiça de Assu realiza audiência pública na sexta-feira (7), às 9h30, na sede das promotorias de Justiça na cidade, para discutir a situação do Hospital Regional Doutor Nelson Inácio dos Santos.

A audiência pública é aberta para participação da sociedade e contará com a presença de representantes da secretaria municipal e estadual de Saúde, além de representante ministerial da 3ª promotoria de Justiça, que realizou visita ao Hospital Regional no final do mês passado e constatou diversas irregularidades.

Entre as deficiências verificadas na inspeção, destacam-se o fato de que alguns pacientes estavam tendo que comprar insumos para serem operados, pois faltam de seringas, anestésicos e compressas a fios de sutura. E outros pacientes que precisavam ficar internados na unidade estavam tendo que comprar medicamento, de antibióticos e morfinas a esparadrapos e luvas.

Delator diz que Odebrecht deu R$ 2 mi em caixa dois a Henrique Alves

Delator diz que Odebrecht deu R$ 2 mi em caixa dois a Alves

WÁLTER NUNES – Folha de São Paulo

O ex-presidente da Odebrecht Ambiental Fernando Cunha Reis afirmou, em seu acordo de delação premiada no âmbito da Lava Jato, que doou R$ 2 milhões em caixa dois para a campanha do pemedebista Henrique Eduardo Alves ao governo do Rio Grande do Norte, em 2014.

Alves perdeu a eleição no segundo turno para Robinson Faria, candidato do PSD.

O pedido de contribuição foi feito, segundo o delator, numa reunião de que ele participou juntamente com Alves e o então deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), hoje preso em Curitiba pela Operação Lava Jato.

O encontro, segundo a delação, aconteceu no dia 06 de setembro de 2014 no gabinete de Cunha, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

A doação em caixa dois teria sido paga em dinheiro vivo e viabilizada por meio do setor de operações estruturadas da Odebrecht, classificado pelos investigadores da Lava Jato como departamento de propinas da empresa.

Ler mais

João Maia é acusado de receber propina na construção do Contorno de Viário de Caico

João Maia é acusado de receber propina na construção do Contorno de Viário de Caico

Entre as obras cujas empresas ou consórcios pagaram “custos políticos”, ao ex-deputado e presidente estadual do PR, João Maia, segundo seu sobrinho Gledson, estão a construção do contorno viário de Caicó e a manutenção das BRs 101, 304 e 406.

As propinas eram pagas por empresas que ganhavam licitações para obras, as que tinham Contrato de Restauração e Manutenção de Rodovias (Crema) e até empresas contratadas para sinalizar as vias.

Sobrinho do ex-deputado João Maia acusa o tio de cobrar propina

Sobrinho do ex-deputado João Maia acusa o tio de cobrar propina de empreiteiras no RN

Segundo Gledson Maia, sobrinho de João Maia pedia 4% do valor dos contratos a empresas. Ex-deputado não quis se manifestar.

O ex-deputado federal João Maia (PR) é acusado de cobrar propina de empreiteiras contratadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Rio Grande do Norte, segundo a delação premiada do ex-chefe de Serviço de Engenharia do órgão, Gledson Golbery de Araújo Maia, sobrinho do ex-deputado.

A propina era cobrada em contratos de obras, manutenção e sinalização na malha viária federal no estado. O “custo político”, como ele se referia à cobrança, era de 4% do valor total de cada obra, livres de impostos. Pelo menos nove empresas ou consórcios teriam dado propina ao político.

Em 2010, Gledson foi preso pela Polícia Federal na Operação Via Ápia, que investigou fraudes no Dnit potiguar. De acordo com Gledson Maia, o dinheiro arrecadado com o “custo político” foi usado na campanha eleitoral de 2010, quando João Maia acabou reeleito deputado federal, sendo o segundo mais votado no Estado.

A delação de Gledson, iniciada em outubro de 2016 e concluída em janeiro passado, foi homologada pelos juízes das 2ª e 14ª Varas Federais do Rio Grande do Norte, onde tramitam processos decorrentes da Via Ápia. A delação foi acordada com o procurador da República Ronaldo Sérgio Chaves Fernandes.

Na delação, Gledson se compromete a fornecer provas, apontar terceiros que também tenham cometido crimes e a ajudar o MPF a elucidá-los. Ele diz que entre o final de 2008 e o início de 2009 foi chamado para uma conversa com João Maia, que lhe pediu para indicar um novo superintendente para o Dnit no RN. Gledson indicou Fernando Rocha Silveira, que chefiava a unidade do órgão federal em Macaíba, cidade da Grande Natal. Os dois acabaram nomeados: Gledson se tornou chefe de Serviço de Engenharia e Fernando Rocha, superintendente.

De acordo com Gledson Maia, João Maia incumbiu ele e Fernando Rocha da missão de “melhorar” a “ajuda política” que algumas empresas contratadas pelo Dnit/RN davam. Essa propina, que era de 1,5% do valor da obra, foi aumentada para 4%, livres de impostos. Na delação, Gledson afirma que o valor arrecadado era dividido entre ele, João Maia e Fernando Rocha. O ex-deputado, segundo ele, ficava com 70% do apurado. Gledson e Fernando repartiam os 30% restantes. O G1 tentou entrar em contato com Fernando Rocha, mas não conseguiu.

OUTRO LADO

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A imprensa divulgou nesta terça-feira (04) notícia sobre delação premiada do Sr. Gledson Golbery de Araújo Maia, ex-chefe do serviço de engenharia do DNIT no Rio Grande do Norte, na qual eu sou acusado de ter sido favorecido por irregularidades cometidas naquele órgão.

O processo tramita em segredo de Justiça, e por isso ainda não tive acesso aos autos e ao conteúdo da delação, providência essa que os meus advogados já requereram e que aguarda deferimento para que eu, conhecendo de que sou acusado, possa me defender.

Confio plenamente no Poder Judiciário, e tenho a mais firme convicção de que as investigações irão distinguir a mentira da verdade, e ao final demonstrar que são acusações infundadas de quem busca culpados para as suas próprias fraquezas.

João da Silva Maia

Ex-deputado federal e Presidente Estadual do PR