Sem arrependimento, adolescente confessa ter matado vigilante do IFRN para assaltar em Apodi

Sem arrependimento, adolescente confessa ter matado vigilante do IFRN para assaltar em Apodi

A Polícia Civil conseguiu identificar e deteve um adolescente de 17 anos apontado como autor da morte do vigilante do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), Cabral Neto, na cidade de Apodi. O crime aconteceu na manhã desta terça-feira (11) e, nesta quarta-feira (12), o adolescente confessou a autoria.

O delegado Renato Oliveira, da Delegacia de Apodi, informou que o menor prestou depoimento acompanhado da mãe. “Ele disse que acordou cedo e, juntamente com um comparsa, saiu com objetivo de realizar roubos na cidade, sem vítima definida”.

O delegado Renato Oliveira afirmou ainda que o adolescente não demonstrou arrependimento pela prática do crime e que já tinha sido apreendido com drogas. Ele passou por exame residuográfico que apontou resíduos de pólvora nas mãos.

Marcelo Odebrecht diz a Moro que destinou R$ 40 milhões a Lula

Marcelo Odebrecht diz a Moro que destinou R$ 40 milhões a Lula

Por G1 PR, Curitiba

O empresário Marcelo Odebrecht disse em depoimento ao juiz Sérgio Moro que destinou milhões para o “amigo”, codinome referente ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Primeiro, ele cita o depósito de R$ 35 milhões; depois, fala em R$ 40 milhões.

A conta, diz Odebrecht, era gerida pelo ex-ministro petista Antônio Palocci.

“O que eu combinei com o Palocci foi o seguinte: essa é uma relação minha com a presidência do PT no Brasil. Então, eu disse: vai mudar o governo, vai entrar a Dilma. Esse saldo passa a ser gerido por ela, a pedido dela. A gente sabia que ia ter demandas de Lula, a questão do instituto, para outras coisas. Então vamos pegar e provisionar uma parte desse saldo, aí botamos R$ 35 milhões no saldo amigo, que é Lula, para uso que fosse orientação de Lula”, afirmou o delator.

Ler mais

Delator da Odebrecht diz que Lula pediu propina de 1% por contrato de sondas da Petrobras

Delator da Odebrecht diz que Lula pediu propina de 1% por contrato de sondas da Petrobras

O ex-executivo da Odebrecht Rogério Santos de Araújo disse, em depoimento ao juiz Sergio Moro, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu propina de 1% à Odebrecht para o Partido dos Trabalhadores (PT), em troca de viabilizar contratos para a construção de sondas para a Petrobras. Ele teria ouvido a afirmação do ex-gerente da estatal Pedro Barusco.

— Eu perguntei: “quem definiu isso?”. E ele respondeu: “foi o barbudo”, que seria o Lula — relatou Araújo.

Araújo foi condenado a 19 anos e quatro meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. O STF converteu a prisão preventiva em prisão domiciliar porque ele fez delação. O depoimento dele teve o sigilo quebrado nesta quarta-feira pelo juiz Sérgio Moro e é da ação relacionada ao ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, que corre em Curitiba.

Ler mais

Ex-presidente do BB e da Petrobras é acusado de pedir dinheiro para ‘atenuar’ Lava-Jato

Ex-presidente do BB e da Petrobras é acusado de pedir dinheiro para ‘atenuar’ Lava-Jato

Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobas e do Banco Brasil nos governos do PT, é acusado por ex-executivos da Odebrecht de ter recebido R$ 3 milhões para evitar o avanço da Lava-Jato. Segundo os delatores, Bendine se apresentava como “interlocutor da presidente da República”.

Bendine teria recebido o pagamento de três parcelas de R$ 1 milhão do Setor de Operações Estruturadas da empreiteira, conhecido como departamento de propina. O pagamento ao ex-presidente das estatais teria sido intermediado por um publicitário André Gustavo. As informações são de O Globo.

Ler mais

Temer e PMDB articulam destituição de Renan da liderança do partido no Senado

Temer e PMDB articulam destituição de Renan da liderança do partido no Senado

Um grupo de senadores do PMDB articula abertamente a destituição do líder da bancada do partido na Casa, Renan Calheiros (AL). O assunto foi tratado pelo menos duas vezes com Temer pelos líderes do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), e no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). Destas reuniões sigilosas participaram os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e das Relações Institucionais, Antônio Imbassahy.

O presidente, ministros com gabinete próximos à sala de Temer e líderes governistas receiam que Renan atrase as votações e atrapalhe a aprovação das emendas da reforma da Previdência e da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) – a bancada de apoio parlamentar ao Planalto no Congresso pretende aprovar até maio e enviá-las à sanção ainda no primeiro semestre.

Ler mais

Garibaldi e Walter Alves cobram conclusão de adutora emergencial de Caicó

Garibaldi e Walter Alves cobram conclusão de adutora emergencial de Caicó

O senador Garibaldi Alves Filho e o deputado federal Walter Alves, ambos do PMDB-RN, cobraram a liberação de recursos para conclusão da adutora emergencial de Caicó.

A cobrança foi feita ao ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, durante audiência realizada na manhã de hoje (12), em Brasília-DF. Além da adutora, os parlamentares solicitaram informações sobre outras obras realizadas pelo ministério no Rio Grande do Norte.

Rogério Marinho; Férias poderão ser divididas em 3 períodos, propõe reforma trabalhista

Férias poderão ser divididas em 3 períodos, propõe reforma trabalhista

MAELI PRADO – Folha de São Paulo

A versão final da reforma trabalhista prevê que trabalhadores possam ter suas férias divididas em até três períodos. Nenhum desses “parcelamentos” poderá ser inferior a cinco dias corridos, e um desses períodos deverá ser superior a 14 dias corridos.

“Além disso, para que não haja prejuízos aos empregados, vedou-se o início das férias no período de dois dias que antecede feriado ou dia de repouso semanal remunerado”, diz o texto apresentado nesta quarta (12) pelo relator, Rogério Marinho (PSDB-RN), na comissão da reforma.

O texto proposto pelo relator revoga 18 pontos da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). No total, prevê que 100 pontos possam ser alterados.

Ler mais

Doria diz que lista de Fachin desgasta políticos tradicionais como os do PSDB

Doria diz que lista de Fachin desgasta políticos tradicionais como os do PSDB

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta quarta-feira (12) que a abertura de inquérito determinada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal ) e relator da Lava Jato, Edson Fachin, contra ministros, senadores, governadores e deputados desgasta “de certa forma” políticos tradicionais, inclusive do próprio PSDB.

“Embora investigação não signifique punição, é sempre um desgaste para a classe política de forma geral”, disse Doria, que costuma se definir como gestor, e não político.

A declaração foi dada pelo tucano ao chegar em Seul, após ser questionado sobre um possível desgaste de caciques do PSDB, como os senadores Aécio Neves e José Serra, cotados para a disputa da Presidência da República e do governo de São Paulo, respectivamente. As informações são da Folha de São Paulo.

Escolas filantrópicas temem ser prejudicadas por reforma da Previdência

Escolas filantrópicas temem ser prejudicadas por reforma da Previdência

Em debate na Câmara, representantes do setor disseram que a imunidade fiscal dessas entidades representa R$ 3,9 bihões ao ano, mas a contrapartida em serviços à sociedade chega a R$ 15, 1 bilhões

Representantes de escolas filantrópicas manifestaram preocupação com a proposta de reforma da Previdência (PEC 287/16) em discussão na Câmara dos Deputados. Segundo eles, o relator da matéria, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), poderia incluir em seu parecer o fim da imunidade fiscal prevista na Constituição Federal.

Eles participaram nesta terça-feira (11) do ciclo de palestras Educação em Debate, promovido pela Frente Parlamentar Mista da Educação em parceria com a Comissão de Educação da Câmara.

Ler mais

Odebrecht repassou R$ 9,6 milhões a Duda Mendonça, marqueteiro de Skaf

Odebrecht repassou R$ 9,6 milhões a Duda Mendonça, marqueteiro de Skaf

Dono da empreiteira que leva seu nome e colaborador da Lava-Jato, o empresário Emílio Odebrecht disse em depoimento aos procuradores da força-tarefa ter celebrado um contrato fictício de R$ 9,6 milhões com o marqueteiro Duda Mendonça, marqueteiro da campanha do presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, ao governo de São Paulo, em 2014.

A informação consta do despacho do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, que determinou o envio do depoimento de Emílio e do pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) de investigação deste contrato ao Ministério Público Federal (MPF) em Curitiba, onde tramita a maior parte dos processos da Lava-Jato.

De acordo com Emílio Odebrecht, o contrato fictício foi celebrado para viabilizar parte do pagamento a Duda pelos serviços de marketing político prestados a Paulo Skaf na campanha de 2014.

Ler mais

Deputadas defendem condições diferenciadas para a aposentadoria das mulheres

Deputadas defendem condições diferenciadas para a aposentadoria das mulheres

A bancada feminina da Câmara dos Deputados estará com o presidente Michel Temer, nesta quarta-feira (12), para sanção de projetos ligados aos direitos das mulheres.

As parlamentares pretendem aproveitar a ocasião para tratar também da proposta que torna iguais as condições de aposentadoria de homens e mulheres.

Nesta terça-feira (11), em reunião da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, todas as deputadas que se manifestaram defenderam a manutenção de condições diferenciadas.

A proposta original do governo para a reforma da Previdência (PEC 287/16) fixa a idade mínima para aposentadoria em 65 anos para homens e mulheres.

Ler mais

Fachin alega ‘interesse público’ para retirar sigilos da Odebrecht

Fachin alega ‘interesse público’ para retirar sigilos da Odebrecht

O ministro, relator da operação Lava Jato no STF, retirou o sigilo de 74 dos 76 inquéritos cuja abertura foi autorizada por ele contra 83 políticos suspeitos de envolvimento em esquemas de corrupção

O ministro Edson Fachin, relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), retirou o sigilo de 74 dos 76 inquéritos cuja abertura foi autorizada por ele contra 83 políticos suspeitos de envolvimento em esquemas de corrupção.

Os suspeitos foram citados por delatores da empreiteira Odebrecht, que assinaram acordos de delação premiada com a Justiça. De acordo com a assessoria do STF, os 950 depoimentos prestados pelos 77 ex-funcionários da empresa se tornarão públicos ainda nesta quarta-feira (12).

Ler mais

Fachin envia ao STJ pedido de investigação sobre nove governadores envolvidos na Lava Jato

Fachin envia ao STJ pedido de investigação sobre nove governadores envolvidos na Lava Jato

A partir desta quarta-feira (12), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) será o tribunal responsável por decidir o destino de nove governadores citados por executivos e ex-executivos da Odebrecht, por envolvimento em esquemas de corrupção descobertos com a Operação Lava Jato.

Nessa terça-feira (11), conforme antecipado pelo jornal O Estado de S. Paulo, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin determinou que as citações fossem remetidas à Corte – tribunal responsável por julgar governadores.

Fachin, que é responsável pela Operação Lava Jato no Supremo, atendeu ao pedido de desmembramento feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR). No caso dos governadores do Acre, Tião Viana (PT); do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD); e de Alagoas, Renan Filho (PMDB), as investigações permanecerão no STF por envolver autoridades com foro privilegiado e que só podem ser julgadas pelo Supremo.

Garibaldi se diz ‘surpreso’ e disponibiliza sigilos bancário, telefônico e fiscal

Garibaldi se diz ‘surpreso’ e disponibiliza sigilos bancário, telefônico e fiscal

O senador potiguar Garibaldi Alves Filho (PMDB) disse que ficou “surpreso” quando soube que teve seu nome citado numa lista divulgada nesta terça-feira (11) pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato.

Em nota, o parlamentar também nega as acusações feitas contra ele na delação da Odebrecht e diz que disponibiliza à Justiça seus sigilos bancário, fiscal e telefônico.

Governador Robinson diz que não teve acesso ao teor da denúncia

Governador Robinson diz que não teve acesso ao teor da denúncia

O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), é investigado em um inquérito autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Robinson Faria disse em nota publicada nas redes sociais que não teve acesso ao teor da denúncia, mas que vai prestar os esclarecimentos necessários à Justiça. 

Íntegra do posicionamento do Robinson Faria:

“Bom dia, amigos! Primeiramente, meu sentimento neste dia é de gratidão a Deus por mais um ano de vida que me concede. Mas tenho também a necessidade de tranquiliza-los a respeito das notícias que relacionam meu nome a uma lista de investigações. Ainda não tive acesso ao teor da denúncia, mas quero deixar claro que minha postura é de serenidade e consciência tranquila. Estou pronto para prestar os esclarecimentos que venham a ser necessários à Justiça. Continuo seguindo com a missão que recebi de Deus e do povo do meu Estado. Continuo dando tudo de mim, com perseverança e compromisso com o o povo do Rio Grande do Norte.”