Prefeito de Ipanguaçu ja arrecadou quase R$ 17 milhões

Para governar a cidade de Ipanguaçu – uma cidade de pequeno porte na região do Vale do Açu, com aproximadamente 15 mil habitantes – o prefeito Valderedo Bertoldo, do PSDB, já embolsou em quase cinco meses uma fortuna em torno de R$ 17 milhões, mas tem feito pouco ou quase nada pela cidade do saudoso Major Montenegro que se encontra entregue as moscas.

Por enquanto, o prefeito tem viajado muito ás custas do dinheiro dos cofres públicos, na companhia de amigos, como na foto, ele apareceem Brasília com o deputado federal Rafael Motta (PSB) e p seu amigo, empresário Pedro Neto, o doador master da sua campanha eleitoral que vem sendo beneficiado e agindo como o homem forte da administração municipal.

Nessa viagem a Brasília, Valderedo deve ter acertado com Rafael Motta, o emprego para a sua filha no gabinete do deputado estadual Ricardo Motta, na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte, ganhando um salário mensal no valor de R$ 2.371,00 em troca de votos para reeleição do pai e do filho na campanha eleitoral do próximo ano.

Na gestão de Gustavo Soares, o Assú é a cidade mais sangrenta do Vale

Na gestão do prefeito Gustavo Soares,  que tem o seu irmão deputado estadual George Soares, como principal avalista de uma administração caótica, o município do Assú é hoje, a cidade mais sangrenta do Vale do Açu e está entre as mais violentas do Rio Grande do Norte.

Apesar de ter embolsado mais de R$ 35 milhões desde que assumiu o governo, o prefeito Gustavo Soares que na campanha eleitoral fez promessa de combater a criminalidade, criando inclusive uma Guarda Municipal para auxiliar as polícias civis e militares. No entanto, cresce no município a cada dia, os índices de homicidios e outros praticados a luz do dia, sem repressão, por falta de vontade política do prefeito e do deputado.

 

Deputados resistem à proposta de eleição indireta bicameral

Temer

A hipótese de uma eleição indireta para Presidência da República em modelo bicameral, com votação separada na Câmara sendo referendada em seguida pelos senadores, sofre resistência entre os deputados. A Constituição prevê que em caso de vacância do cargo nos últimos dois anos do período presidencial, o Congresso Nacional fará eleição indireta no prazo de 30 dias.

Como não existe lei regulamentando o processo de eleição indireta, deputados e senadores teriam de aprovar uma legislação estabelecendo as regras do pleito. Os deputados, no entanto, não abrem mão da força de seus 513 votos contra os 81 do Senado e dizem que não há qualquer chance de a proposta, se for formalmente apresentada, prosperar. “A Constituição é clara: a eleição é no Congresso e todos nós somos congressistas”, definiu o líder do DEM da Câmara, Efraim Filho (PB).

A rejeição à proposta se deve ao velho conflito entre Senado e Câmara. Deputados reclamam que os projetos aprovados na Câmara são ignorados ou sensivelmente alterados no Senado quando há pressão da opinião pública. Para os deputados, não existe disposição da Câmara em dar protagonismo a outra Casa quando os senadores sempre fazem o papel de “bons moços”. “A Câmara não vai abrir mão de modificar um processo para dar um poder ao Senado. Existe uma disputa entre Câmara e Senado”, ressaltou um líder governista. As informações são da Agência Estado.

Leia mais

TCU mira em parcerias da JBS com BNDES, CEF e fundos de investimentos

Dentre os crimes confessados por empresários da JBS, além das propinas a agentes políticos, também estão irregularidades junto a instituições financeiras pública. Foto: JF Diorio/Estadão

O Tribunal de Contas da União impôs prioridade a processos relacionados às liberações de recursos de bancos públicos à JBS. A decisão foi anunciada nesta quarta-feira, 24, pelo ministro Raimundo Carreiro. De acordo com o presidente do TCU, as delações premiadas do Grupo, que revelaram diversas fraudes em contratos e financiamentos de instituições estatais, vão ajudar também a esclarecer casos atualmente na pauta do colegiado.

As informações são do site do Tribunal de Contas da União.

Os relatos de executivos da JBS ao Ministério Público Federal são pivô da crise política que contaminou profundamente o governo Michel Temer, alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia mais

SEM FREIO – RN atinge marca de 1.000 homicídios em 2017, diz Instituto

Contador de homicídios do OBVIO  (Foto: OBVIO)

A violência no Rio Grande do Norte continua atingindo e superando marcas preocupantes. Neste sábado (26), segundo levantamento feito pelo Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO) – instituto que contabiliza e analisa os crimes contra a vida – o estado chegou a 1.000 assassinatos registrados somente este ano – o que dá uma média de 6,8 homicídios por dia. A assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública disse que o órgão não vai cometar os dados do OBVIO.

“Uma pena. Nós não merecemos isso”, disse o especialista em gestão e políticas de segurança pública Ivenio Hermes, que também é coordenador do instituto. “O tratamento inadequado às causas da violência não gera um entendimento amplo do fenômeno da violência no Rio Grande do Norte, e isso se mostra nas ausências do Estado em diversas áreas que se correlacionam em políticas de segurança pública”, comentou.

Em comparação ao mesmo período do ano passado, ou seja, levando em consideração a quantidade registrada de pessoas vítimas de homicídio entre 1º de janeiro e 27 de maio de 2016, o ano de 2017 já contabiliza um crescimento de 27,6%. Do G1 RN.

Leia mais

Gilmar indica mudança, e STF pode rever prisão antecipada

Ministro Gilmar Mendes

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes defendeu abertamente por duas vezes nesta semana que o tribunal reveja a decisão, de fevereiro do ano passado, que determina que a pena de prisão deve ser cumprida já a partir de confirmação de condenação em segunda instância.

Alguns ministros da Corte apontam para um meio-termo entre a norma atual e a anterior, que só autorizava a prisão quando ocorresse trânsito em julgado, ou seja, quando não houvesse a possibilidade de mais nenhum recurso. Caso isso prevaleça, a prisão só ocorrerá após pronunciamento do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o que, na prática, levaria a execução da pena para depois da terceira instância.

A ideia de esperar uma decisão do STJ foi sugerida em outubro passado pelo ministro Dias Toffoli. Isso porque, segundo esse raciocínio, diferentes tribunais de Justiça – que integram a segunda instância – podem dar decisões em sentidos opostos, provocando injustiças. Entre as atribuições do STJ está justamente a de uniformizar a jurisprudência dos tribunas inferiores.

Leia mais

Alckmin lança Tasso por apoio em 2018

 

Acordo prevê que senador não dispute reeleição caso assuma ‘mandato-tampão’

Pedro Venceslau, Adriana Ferraz e Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

O governador Geraldo Alckmin “lançou” na sexta-feira, 26, publicamente, os nomes do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do senador Tasso Jereissati (CE), presidente interino do PSDB, como candidatos à Presidência em uma eventual eleição indireta.

A declaração foi feita um dia depois de o tucano se reunir por mais de três horas com FHC, Jereissati e o prefeito da São Paulo, João Doria, no apartamento do ex-presidente. Em um gesto de deferência a Alckmin, o senador cearense viajou até São Paulo para sondá-lo sobre a permanência do partido no governo Michel Temer e traçar cenários em caso de renúncia ou cassação do peemedebista pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O governador paulista também tratou de dissipar os rumores de que ele próprio poderia ser candidato ao mandato “tampão”. “Quero antecipar que nesta hipótese (de renúncia de Temer) eu não sou candidato a nenhuma eleição indireta e os dois grandes nomes são o (ex-)presidente Fernando Henrique (Cardoso) e o Tasso Jereissati”, afirmou.

Leia mais

Presidente do Senado quer duas votações em caso de eleição indireta

BRASILIA, DF, BRASIL, 20-04-2017, 12h00: O presidente MIchel Temer participa, ao lado do Ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes Ferreira e do presidente do senado federal senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) de cerimônia de formatura das novas turmas do Instituto Rio Branco, no Palácio do Itamaraty. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER)

O senador aparece na bolsa de apostas como possível candidato a vice-presidente numa eleição indireta

Por Talita Fernandes –  Folha de São Paulo

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), defende nos bastidores que a Casa tenha peso igual ao da Câmara no caso de eleições indiretas numa eventual saída do presidente Michel Temer.

Pela Constituição, se Temer deixar o cargo por renúncia ou cassação, caberá ao Congresso escolher o seu substituto. Além de um artigo constitucional pouco específico, o país conta com uma legislação desatualizada, de 1964, que fala apenas em escolha do presidente por “maioria dos congressistas”.

Para evitar a possibilidade de que os votos de senadores tenham peso inferior ao dos deputados, Eunício delegou a técnicos do Senado a definição de regra que preveja votações separadas, dando equivalência às duas Casas.

Isso porque a Câmara detém 86% do total de parlamentares. Em uma votação conjunta, os votos dos 81 senadores ficariam diluídos no total de 594 congressistas.

Leia mais

Em quatro anos, patrimônio declarado de Aécio Neves aumentou 305%

Patrimônio, segundo o senador, aumentou após a transferência de cotas de rádio que eram de sua mãe e parte da herança de seu pai. Correção monetária dos imóveis poderia elevar valor dos bens do tucano

POR ISABELLA MACEDO | Congresso Em Foco

Quando concorreu ao Senado, em 2010, Aécio Neves declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter R$ 633.938,42 em bens. Quando declarou seus bens novamente, ao concorrer à Presidência, nas eleições de 2014, a declaração somava R$ 2.503.521,81. O aumento é de 305%. O senador afirma que a riqueza acumulada não vem de sua atividade pública. As informações foram veiculadas em primeira mão pela Agência Lupa, em parceria com a CBN.

Em acréscimo aos bens declarados em 2010, constam R$ 700.000,00, correspondentes a 88 mil cotas da Rádio Arco Íris Ltda; de R$ 666.660,00, acumulados após herdar 15.833 cotas agropecuárias de seu pai; e um carro Land Rover, avaliado em R$ 166,5 mil. As cotas da rádio, afirma Aécio, foram transferidas por sua mãe.

Leia mais

Novo presidente do BNDES é ligado ao DEM mas Agripino nega indicação

Resultado de imagem para economista Paulo Rabello de Castro e agripino

O novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o economista Paulo Rabello de Castro, é filiado ao Partido Novo, mas é muito ligado ao DEM. Segundo democratas, Rabello costumava prestar serviços à legenda, como a elaboração de análises sobre economia. Ele é do O Instituto Millenium, entidade sem fins lucrativos e sem vinculação político-partidária com sede no Rio de Janeiro.

Ivan Júnior continua Trabalho pela implantação do curso de Direito na UERN  Assú

O Conselho Universitário do Campus Avançado Prefeito Walter de Sá Leitão em Assú, presidido pela professora Marlucia Barros aprovou por unanimidade, nesta sexta-feira (26), a implantação do curso de Direito.

O secretário de estado dos recursos hídricos e meio ambiente Ivan Júnior, que trabalha pela criação de novos cursos no CAWSL desde o início de seu primeiro mandato em 2009 ( http://portal.uern.br/blog/prefeito-de-assu-quer-ampliacao-do-cawsl ) declarou que ficou feliz com a aprovação: “É um momento de muita felicidade, saber que nossos jovens que desejam cursar Direito tem a perspectiva de não precisar sair de Assú para realizar o seu sonho”.

Ivan Júnior destacou a importância de mais esta etapa vencida e disse que o trabalho continua: “continuaremos nossa luta porque sabemos que apesar de toda importância desta ação, não basta apenas a aprovação pelo conselho universitário, este mesmo fato aconteceu com o curso de medicina da UFERSA, foi aprovado, porém, esbarrou na falta de recursos motivada pela crise. Desta vez, nós assuenses com  apoio do Governador Robinson Faria e do reitor Pedro Fernandes não vamos permitir que isso aconteça na UERN”.

Agripino diz que protelar ação contra chapa Dilma-Temer não interessa ao país

O presidente do DEM, senador José Agripino (RN), afirmou que a protelação do julgamento de cassação da chapa presidencial no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), previsto para começar no dia 6 de junho, não interessa ao país, e destacou que o fato de o Congresso ter funcionado esta semana, com a aprovação de diversas Medidas Provisórias e outros projetos, não significa um gesto dos partidos da base de sustentação em relação ao governo.

— A protelação no TSE não interessa nem ao governo, nem ao país. Ambos precisam de uma definição sobre a crise que estamos vivendo. O trabalho que o Congresso conseguiu exibir esta semana é uma vitória do Poder Legislativo. O Judiciário parou de emitir sentenças? Não. O Judiciário continua a atuar. Por que o Legislativo não continuaria a atuar? Foi um gesto de afirmação do Poder Legislativo. Não é um gesto em relação ao governo — ressalta Agripino.

Leia mais

Temer pede sorteio de relator e separação da investigação sobre Aécio

Michel Temer

Em um movimento que vinha sendo estudado desde o início da semana, a defesa do presidente Michel Temer (PMDB) pediu que o inquérito aberto contra o peemedebista seja redistribuído, em um sorteio de um novo relator, e seja desmembrado, para que a investigação sobre Temer corra em separado à apuração sobre os fatos suspeitos contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR).

A petição da defesa de Temer foi encaminhada ao ministro Edson Fachin, relator do inquérito, poucas horas depois de a Procuradoria Geral da República (PGR) ter pedido autorização para marcar o depoimento do presidente.

Enquanto a defesa pede a suspensão da investigação até a conclusão da perícia no áudio de Joesley Batista, o procurador geral, Rodrigo Janot, defende o prosseguimento, alegando que, por haver investigado preso, o prazo para a conclusão da apuração e para o oferecimento de denúncia é mais curto do que o normal. As informações são da Agência Estado.

Leia mais

%d blogueiros gostam disto: