Perícia da conversa de Temer com Joesley deve ser concluída na próxima semana

O Instituto Nacional de Criminalística (INC) deve concluir a perícia sobre a gravação de uma conversa do presidente Michel Temer com o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, até a próxima quarta-feira, quando termina o prazo estabelecido pela própria instituição para emitir um laudo sobre o assunto.

Segundo um policial que acompanha o caso de perto, é possível que o trabalho seja encerrado até antes logo no início da semana, antes da data prevista inicialmente. A tendência da perícia é indicar que não houve edição na conversa entre Temer e o empresário. Ruídos e eventuais lacunas no diálogo seriam resultado de características técnicas do gravador e das circunstâncias da gravação.

Peritos estão trabalhando em longas jornadas, inclusive em sábados e domingos, para atender a demanda.A perícia foi determinada pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato, no Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido de Temer. O presidente quer por em dúvida a gravação numa tentativa de esvaziar o inquérito em que é investigado por corrupção, organização criminosa e obstrução de justiça. Pelas investigações, Temer seria destinatário de propina paga a Rocha Loures a mando da JBS. A Procuradoria-Geral da República considera a perícia importante, mas não fundamental. As informações são de O Globo.

Leia mais

Cunha pede para adiar depoimento sobre JBS marcado para esta quarta

Brazil's Vice President Michel Temer (L) is seen near President of the Chamber of Deputies Eduardo Cunha during the Brazilian Democratic Movement Party (PMDB) national convention in Brasilia, Brazil, March 12, 2016. REUTERS/Ueslei Marcelino ORG XMIT: BSB01

Com depoimento marcado para as 11h desta quarta-feira (14) na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, no âmbito do inquérito que investiga o presidente Michel Temer, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) para adiar a oitiva. Cunha está preso na capital paranaense, condenado em março a 15 anos de prisão.

Segundo delatores da JBS, Cunha estava recebendo uma mesada na prisão para ficar em silêncio. Os repasses feitos pela JBS tinham o aval de Temer, de acordo com executivos e donos do frigorífico. Tanto Temer como Cunha negam as acusações. As informações são da Folha de São Paulo.

Leia mais

Gleisi lamenta ocorrido com Míriam Leitão e responsabiliza Globo

Gleisi Hoffmann

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), emitiu uma nota nesta terça-feira (13), em que afirma lamentar os ataques verbais sofridos pela jornalista Míriam Leitão por delegados do PT no último dia 3 de junho, durante voo de Brasília para o Rio de janeiro. A petista afirmou ainda que a Rede Globo, emissora para qual Míriam trabalha, é responsável “em grande medida” pelo clima de ódio no País.

Nesta terça-feira, a jornalista relatou em sua coluna no jornal O Globo que foi xingada por delegados do PT durante o voo. Em resposta, a senadora afirmou que o partido orienta os militantes a não agredirem uma pessoa por suas posições políticas. “Orientamos nossa militância a não realizar manifestações políticas em locais impróprios e a não agredir qualquer pessoa por suas posições políticas, ideológicas ou por qualquer outro motivo, como confundi-las com as empresas para as quais trabalhem”, disse a petista.

Gleisi afirmou que o comportamento não agrega nada ao debate democrático e que ela, assim como outros membros do partido, também já foi vítima de agressão semelhante em locais públicos. A dirigente petista usou a nota para direcionar críticas à emissora em que a jornalista trabalha. “Não podemos, entretanto, deixar de ressaltar que a Rede Globo, empresa para a qual trabalha a jornalista Miriam Leitão, é, em grande medida, responsável pelo clima de radicalização e até de ódio por que passa o Brasil, e em nada tem contribuído para amenizar esse clima do qual é partícipe.” As informações são da Agência Estado.

No STF, Robinson e governadores do Nordeste pedem retomada das obras do São Francisco

O governador Robinson Faria tratou da urgência da retomada das obras de transposição do Rio São Francisco, em reunião com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármem Lúcia, na tarde desta terça-feira, 13. No encontro, na sede do órgão em Brasília, o chefe do Executivo Estadual potiguar realçou a situação preocupante causada por quase sete anos seguidos de seca no estado.

“Esta reunião foi muito importante porque sensibilizou a ministra a nos ajudar em relação à questão judicial da transposição. Ela foi muito atenciosa e prometeu o empenho do Supremo para agilizar as demandas junto ao consórcio para a retomada da obra”, afirmou Robinson.

O processo licitatório para a contratação da empresa que concluiria a obra foi paralisado por decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, e isso pode provocar um atraso ainda maior na transposição. “Nós ainda temos um agravante: o Rio Grande do Norte será o último estado a receber as águas do Rio São Francisco, e, assim como os outros estados nordestinos, 80% de nossas cidades estão com dificuldade no abastecimento”, acrescentou. 

Leia mais

Tasso diz que não vê ‘debandada’ após PSDB manter apoio a Temer

BRASILIA, DF, BRASIL, 12-06-2017, 17h00: Reunião da executiva da PSDB para definir sobre o desembarque ou não do governo Temer. O partido está rachado e não deve ter nenhuma definição sobre o assunto na reunião de hoje. Na mesa principal o presidente em exercício do partido senador Tasso Jereissati, os governadores de SP, Geraldo Alckmin, do PA Simão Jatene, do PR Beto Richa, de GO Marconi Perillo, o prefeito de Manaus Arthur Virgílio, de São Paulo João Dória e os ministros Bruno Araújo (Cidades), Luislinda Valois (Direitos Humanos), Aloysio Nunes Ferreira (MRE) e Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), alem do senador e ex ministro José Serra. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER)

O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), disse não ver uma movimentação de “debandada” do partido depois que a sigla decidiu manter apoio ao governo, em reunião realizada nesta segunda-feira (12).

“Eu não acredito não, foi ponderado [saída do partido] e nenhum deputado, durante a reunião, falou em sair do partido”, disse o tucano.

O partido se reuniu nesta segunda e decidiu pela permanência na base do presidente Michel Temer enquanto a agenda de reformas tiver prosseguimento.

“O partido ficou unido, todos se comprometeram a seguir”, disse. As informações são da jornalista Talita Fernandes, da Folha de São Paulo.

Leia mais

Os milicianos do PT, as feministas e as agressões a Miriam Leitão

Até o momento, a turma do #MexeuComUmaMexeuComTodas, que por muito menos já pendurou muita gente no pelourinho das redes sociais, não emitiu uma única palavra para protestar contra a agressão coletiva de que a jornallsta foi vítima

Há cerca de dez dias, durante um voo da Avianca de Brasília para o Rio de Janeiro, a jornalista Miriam Leitão, do jornal O Globo e da GloboNews, foi agredida verbalmente, de forma covarde, por um grupo de petistas.

Em sua coluna no Globo desta terça-feira, Miriam conta que foi hostilizada, ofendida e até teve a sua cadeira empurrada durante o voo (leia a coluna Ódio a bordo).

Diante dos acontecimentos, seria de se esperar que os tais “coletivos” feministas – as feminazis, como se diz maldosamente por aí – se manifestassem em defesa de Miriam.  Mas curiosamente, talvez previsivelmente para alguns, não fizeram qualquer gesto de apoio a Miriam.

Até o momento, a turma do #MexeuComUmaMexeuComTodas, que por muito menos já pendurou muita gente no pelourinho das redes sociais, não emitiu uma única palavra para protestar contra a agressão coletiva de que Miriam foi vítima.

Leia mais

Jurista Miguel Reale: “O PSDB é um muro que vai acabar se tornando o seu túmulo”

Resultado de imagem para jurista Miguel Reale

“Com essa medida, o PSDB perde consistência, ética e eleitorado. Perde o discurso”, afirmou o jurista Miguel Reale Junior, ex-ministro da Justiça no governo FHC. “O PSDB é um muro que vai acabar se tornando o seu túmulo”, completou ele, que já foi deputado federal e atuou como professor universitário.

Segundo o jurista, a permanência do PSDB no governo Temer nada mais é do que um acordo que visa evitar mais desgastes ao senador e presidente afastado do partido Aécio Neves (MG), ameaçado de ser preso e de ter o mandato cassado no Senado.

“Essa história de que ‘está se olhando para o Brasil, para a necessidade das reformas, é só uma desculpa. Uma mão lava a outra. O presidente precisa de apoio. Além disso, há interesses de aliança eleitoral”, afirmou Reale Junior, segundo informações do jornal Folha de São Paulo.

Leia mais

Miguel Reale Jr. pede desfiliação após PSDB decidir ficar no governo Temer

#multimidia - BRASILIA, DF, BRASIL, 30/03/2016, Reunião da Comissão Especial que analisa a admissibilidade do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, nesta quarta-feira, na Câmara, em Brasília (DF). Conforme acordado na manhã de hoje (30), o encontro tem por finalidade ouvir os advogados Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal, autores do pedido que culminou no processo de impeachment. (Foto: Renato Costa/Folhapress, PODER)

O jurista Miguel Reale Junior, ex-ministro da Justiça no governo FHC, pediu desfiliação do PSDB, após a decisão do partido nesta segunda (12) de permanecer no governo Michel Temer, mesmo diante da crise eclodida com a delação da JBS.

Miguel Reale Junior foi um dos autores do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Estava filiado ao partido desde 1990, após participar ativamente da campanha de Ulysses Guimarães à Presidência da República, em 1989.

“Eles [lideranças do PSDB] não avaliaram que simpatizantes e filiados do partido se opõem a essa decisão [de ficar no governo]. O PSDB não atendeu as suas bases. O eleitorado do PSDB tem a ética e a luta contra a corrupção como focos”, disse ele.

Leia mais

Fachin manda tirar homem da mala da Papuda

Relator da Lava Jato no Supremo vê risco de vida para Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor especial do presidente Temer, e ordena sua transferência imediata para a carceragem da PF em Brasília

Fábio Serapião, Luiz Vassallo, Breno Pires e Julia Affonso –  O Estado de São Paulo

O ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin determinou, nesta terça-feira, 13, a remoção de Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), preso preventivamente no âmbito da Operação Patmos, desdobramento da Lava Jato, do presídio da Papuda, em Brasília. O peemedebista será transferido para a carceragem da Polícia Federal. A defesa sustenta que, após a prisão, Loures recebeu ameaças e corre risco de vida.

Rodrigo Rocha Loures é o homem de confiança do presidente Michel Temer flagrado, em ação controlada da Polícia Federal sobre executivos da JBS, recebendo uma mala de dinheiro de R$ 500 mil do diretor de Relações Institucionais da J&F, Ricardo Saud. Em áudio gravado por Joesley, em visita às escondidas no Palácio do Jaburu, Michel Temer indica Loures para ser seu interlocutor junto à empresa. O peemedebista afirmou, durante as gravações, que o empresário poderia tratar de qualquer assunto com o deputado.

Leia mais

CVM condena Eike Batista por uso de informação privilegiada na OSX

Eike Batista

Por maioria, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) condenou Eike Batista ao pagamento de multa de R$ 21 milhões por uso de informação privilegiada na negociação de ações da empresa de construção naval OSX. Em abril de 2013 o empresário vendeu 10 milhões de ações da empresa, levantando R$ 33,7 milhões. Pouco tempo depois a companhia divulgou um novo plano de negócios, que derrubou suas ações na bolsa.

De acordo com a acusação, o empresário realizou a operação porque já sabia que o novo plano de negócios seria divulgado e derrubaria os papéis da companhia. Com a venda, evitou uma perda de R$ 10,5 milhões. A multa aplicada a Eike corresponde a duas vezes esse valor.

Na época, Eike era o acionista controlador e presidente do conselho da OSX. Segundo a CVM, ele discutiu a mudança de rumos dos negócios poucos dias antes de negociar as ações e um mês antes da divulgação do novo plano em fato relevante, no dia 17 de maio de 2013. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia mais

Desemprego deve começar a cair a partir de agosto, afirma Meirelles

Meirelles

Novo adepto do Twitter como plataforma de comunicação com o público, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, publicou na rede social nesta terça-feira, 13, que espera pela queda no desemprego a partir de agosto.

Em sua avaliação, Meirelles lembrou que, pela primeira vez em três anos, o número de desempregados parou de subir em abril. “Temos que levar em conta que estamos saindo da maior recessão da nossa história, que deixou 14 milhões de brasileiros sem emprego”, tuitou o ministro da Fazenda.

“Os efeitos de uma recessão tão forte quanto a dos últimos anos não desaparecem do dia para a noite”, completou. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia mais

Nelter solicita poços tubulares para comunidades rurais de Currais Novos

Exibindo Nelter Queiroz..jpg

Preocupado em lutar por alternativas que possibilitem o convívio da população rural de Currais Novos com a seca que perdura há seis anos consecutivos, o deputado estadual Nelter Queiroz (PMDB) solicitou nesta terça-feira (13) ao Governo do Estado, através da Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH), a perfuração e instalação de poços tubulares nas comunidades Quandú e Barra da Areia.

“O pleito surgiu através de uma iniciativa proposta pelo vereador Edmilson Sousa, que também foi abraçada por nosso mandato. Sua viabilização será de grande importância, pois beneficiará diretamente 20 famílias residentes nas duas localidades”, destacou Nelter.

Relatório da reforma trabalhista é lido em comissão

O senador Ricardo Ferraço, do PSDB, lê relatório na CAS - Foto: André Dusek/Estadão

Segundo o calendário acertado pelos senadores o texto será votado na próxima terça-feira, 20

Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), relator da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS), começou a ler seu parecer nesta terça-feira, 13. O relatório apresentado pede aprovação integral do projeto vindo da Câmara dos Deputados com a sugestão de alguns vetos.

A reforma trabalhista foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos no último dia 6  e segundo o calendário acertado pelos senadores, o texto será votado na próxima terça-feira, 20, na CAS. Em seguida, seguirá para a Comissão de Constituição e Justiça na quarta, 21. O parecer da reforma será votado uma semana depois, em 28 de junho pela manhã. Logo após, o projeto estará pronto para ser avaliado e votado no plenário do Senado.

Leia mais

União da Europa acena com bloqueio à carne brasileira

Em carta ao ministro Blairo Maggi, auditoria diz ter descoberto mais de cem casos de contaminação e queixa-se de promessas não respeitadas pelo governo

Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

Uma auditoria da União Europa descobriu mais de cem casos de contaminação da carne brasileira e Bruxelas ameaça impor novas restrições aos produtos nacionais. O resultado da auditoria foi apresentado na segunda-feira para os ministros de Agricultura da Europa que, numa reunião em Luxemburgo, deixaram claro que estão preocupados com a situação sanitária das exportações brasileiras.

Mas os europeus ainda insinuam que, diante do caso de corrupção envolvendo membros do governo e a JBS, é a credibilidade das promessas do Brasil que hoje está afetada no que se refere às medidas de controle.

A auditoria, realizada em maio em fazendas e frigoríficos brasileiros, concluiu que o controle é “insatisfatório” e que, mesmo depois da Operação Carne Fraca, o governo não implementou o que havia prometido. Em uma carta direcionada ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, os europeus ainda indicam que tal situação “joga sérias dúvidas sobre a credibilidade do sistema de controle e mina a confiança” entre Bruxelas e as autoridades brasileiras. 

Leia mais

Afastamento de Aécio será julgado pelo STF na semana que vem

Aécio Neves

Ministro do tribunal confirma para terça, dia 20, sessão para analisar pedido da defesa do senador afastado do Senado

Breno Pires e Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), confirmou nesta terça-feira, 13, que serão julgados na próxima terça-feira, 20, os recursos do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a decisão do ministro Edson Fachin que afastou o tucano das atividades parlamentares.

De um lado, Aécio pede a revogação de seu afastamento do Senado. Do outro lado, a PGR pede que o tucano seja preso preventivamente, sob a suspeita de ter acertado e recebido, por meio de assessores, “vantagem indevida” no valor de R$ 2 milhões da JBS.

“Eu vou trazer a julgamento o agravo da Procuradoria e o agravo dele. Aí você tem extremos. A Procuradoria, pedindo a prisão, e ele, querendo voltar à cadeira”, disse o ministro Marco Aurélio.

Leia mais

%d blogueiros gostam disto: