Dnocs informa que testes na adutora Currais Novos começam este mês

Resultado de imagem para semarh ivan dnocs
As chuvas que ainda caem no Agreste e no Litoral Leste do Rio Grande do Norte não correspondem à realidade de crise hídrica que aflige 153, dos 167 municípios do Estado, onde permanece o decreto de emergência. As dificuldades no abastecimento são minimizadas pela rede de adutoras que cortam o território potiguar, e a atual expectativa na região do Seridó é pelo início de operação da adutora emergencial de Currais Novos.

A construção do equipamento está à cargo do Departamento Estadual de Obras Contra a Seca (Dnocs) e, ontem pela manhã, durante reunião em Fortaleza, na sede do órgão, o secretário Estadual de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Ivan Júnior, foi informado que os testes começam no próximo dia 5 de julho.

O prazo para conclusão das obras, de acordo com o próprio Dnocs, seria no início do mês de agosto, mas o Departamento antecipou o cronograma e garantiu ao titular da Semarh que a adutora deverá ser entregue até o dia 15 de julho. “Estamos atentos à situação hídrica do Seridó, e acompanhando de perto o andamento dessa obra que vai amenizar os danos causados por essa longa estiagem”, disse Ivan Júnior. Com informações da Tribuna do Norte.

Podemos controla a presidência da Fundação Nacional de Saúde

Imagem relacionada

Embora oficialmente o partido Podemos se apresente como “independente” em relação ao governo de Michel Temer, ainda possui cargos como a presidência da Funasa (Fundação Nacional de Saúde).

Em seu discurso, a presidente nacional da sigla, a deputada Renata Abreu (SP), negou que seja motivada por cargos no governo. “Os que vieram para o Podemos não vieram por troca-troca, por ministérios. Vieram pela mudança”, disse.

A aposta do partido é lançar candidaturas de “centro” ligadas ao discurso de mudança e de maior participação popular, sobretudo com intenso uso de redes sociais. Durante os discursos repetiu-se várias vezes que a divisão entre “direita e esquerda” era “coisa do passado”. As informações são de Talita Fernandes, da Folha de São Paulo

Leia mais

Com anúncio de candidatura de Álvaro Dias, Podemos é criado em Brasília

BRASILIA, DF, BRASIL, 11-05-2016: O senador Alvaro Dias (PV-PR), discursa durante sessao do impeachment da presidente Dilma Rousseff, no Senado Federal. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress, PODER)

Com anúncio da pré-candidatura do senador Álvaro Dias (PR) ao Palácio do Planalto em 2018, o Podemos foi lançado neste sábado (1º) em Brasília, segundo informações da jornalista Talita Fernandes, da Folha de São Paulo.

Último a falar no evento, o senador foi anunciado como um candidato “sensato” que vai unir o país.”Vamos arrancar o Brasil das mãos sujas de corrupção dos que nos assaltaram nos últimos anos”, disse o senador, ex-tucano, que na última semana trocou o PV pelo Podemos.

“Sem reformas e sem mudanças mergulharemos nas águas sujas do fracasso”, acrescentou.

Leia mais

Janot pede mais 60 dias de investigação em inquérito contra José Dirceu e filho

Janot pede mais 60 dias de investigação em inquérito contra José Dirceu e filho

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu mais 60 dias para  a conclusão das investigações de um inquérito instaurado contra o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu e o deputado Zeca Dirceu (PT-PR), seu filho, com base na delação da Odebrecht.

De acordo com a Procuradoria-Geral da República, ambos teriam  recebido vantagens indevidas nos anos de  2010 e 2014, a pretexto de auxílio na campanha de Zeca Dirceu para a Câmara dos Deputados, “havendo fortes indícios de contrapartida relacionada a pleitos da Odebrecht junto ao governo federal”.

Os pagamentos teriam sido feitos pelo temor de que Dirceu pudesse prejudicar os negócios da empreiteira, devido à sua influência como ministro no governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Os fatos em apuração são graves e indicam a necessidade de oitiva de colaboradores e dos investigados, entre outras diligências ainda não levadas a cabo”, escreveu Janot.

O relator do inquérito é o ministro Edson Fachin. As informações são de O Estado de São Paulo.

Robinson anuncia reforma e ampliação de escola na comunidade Maisa, em Mossoró

Há quarenta anos responsável pela educação de crianças e jovens da Maisa, em Mossoró, a Escola Estadual Gilberto Rola passará por importante obra de reforma e ampliação estimada em R$ 3,6 milhões. A ação beneficiará cerca de 1500 alunos que são atendidos atualmente pela unidade instalada na maior comunidade rural do estado.

“Nós entendemos a importância que a Educação tem em mudar vidas, e não hesitamos em investir no desenvolvimento do povo potiguar” destacou Robinson, que comemorou a união de esforços entre as gestões municipais, estadual e o legislativo. “A palavra mais bonita da política hoje é parceria. O povo quer saber de trabalho, das ações que estamos realizando”, assinalou.

A agente comunitária da Saúde, Edilza Silva, 44 anos, conhece bem o poder transformador da educação. Filha de agricultores, estudou desde a pré-escola na Gilberto Rola, de onde saiu para cursar Pedagogia na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. Ela comemorou a reforma, que acontecerá com recursos oriundos do Programa Governo Cidadão, por meio de empréstimo com o Banco Mundial.

Leia mais

Deputado estadual do RN está preso no Comando Geral da PM

Deputado estadual Dison Lisboa foi condenado para cumprimento inicialmente no regime semiaberto. (Foto: ALRN)

Está preso no Comando Geral da Polícia Militar, em Natal, o deputado estadual Dison Lisboa (PSD), líder do governo do estado na Assembleia Legislativa. A prisão foi feita na madrugada deste sábado (1º) pelo delegado Wellington Guedes, da cidade de Goianinha.

“Os advogados dele entraram em contato e marcamos um local de encontro próximo ao Comando da PM. Quando o deputado chegou, dei voz de prisão e ele foi levado para o quartel”, afirmou Guedes. Ainda de acordo com o delegado, Dison estava acompanhado de dois advogados.

A prisão de Dison aconteceu em razão de uma determinação da juíza Ana Karina de Carvalho Costa Carlos da Silva, da comarca de Goianinha, que publicou decisão para o imediato cumprimento da pena imposta ao parlamentar. Ele tem condenação de 5 anos e oito meses por apropriação de bens ou rendas públicas, ou desviá-los em proveito próprio ou alheio, quando era prefeito de Goianinha. As informações são do G1 RN.

Leia mais

Janot diz que não é preciso prova ‘satânica’ para ligar Temer a mala com dinheiro

Resultado de imagem para temer e rocha loures

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse neste sábado (1º) que não é preciso uma prova “satânica”, “quase impossível”, para ligar o presidente Michel Temer à mala com dinheiro recebida pelo ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ex-assessor especial de Temer.

Janot defendeu que as provas contra o presidente são mais do que suficientes para apresentar uma denúncia, relembrando uma frase antiga usada dentro da Procuradoria. “Não é possível que para eu pegar um picareta eu tenha que tirar a fotografia do sujeito tirando a carteira do bolso de outro. Ninguém vai passar recibo. Esse tipo de prova é satânica, é quase impossível. Tem que se olhar a narrativa.”

A expressão usada pelo procurador-geral faz um trocadilho com o termo “prova diabólica”. No direito, “prova diabólica” é a modalidade de prova impossível ou excessivamente difícil de ser produzida.

A declaração foi dada durante a palestra “Desafios no combate à corrupção: a Operação Lava Jato” no 12° Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo). A Operação Lava Jato foi tema central do evento em São Paulo, que começou na quinta-feira (29) e termina neste sábado. As informações são do G1 SP.

‘Mala diz tudo’, diz Janot sobre denúncia contra Rocha Loures

Rodrigo Janot em evento da Abraji, em São Paulo (Foto: Paulo Lopes/Futura Press/Futura Press/Estadão Conteúdo)

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse que havia provas suficientes para pedir a prisão de Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). O ex-deputado foi solto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e deixou na manhã deste sábado (1º) a superintendência da Polícia Federal em Brasília.

“A mala diz tudo”, disse, referindo-se ao vídeo feito pela PF que mostra o ex-parlamentar deixando uma pizzaria em São Paulo com uma mala com dinheiro. “Houve a decretação da prisão cautelar de uma autoridade que estava no curso de cometimento de crime”, disse Janot sobre a detenção de Loures.

A frase foi dita durante a palestra “Desafios no combate à corrupção: a Operação Lava Jato” no 12° Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo). A Operação Lava Jato foi tema central do evento. As informações são do G1 SP.

Leia mais

Rio Grande do Norte vivencia o Mês Julho Amarelo no combate as hepatites virais

Resultado de imagem para NELTER QUEIROZ

De autoria do deputado estadual Nelter Queiroz (PMDB), a lei nº 9.969/2015 instituiu o Mês Julho Amarelo no Calendário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte, com o intuito de conscientizar a população potiguar sobre os danos causados pelas hepatites virais à saúde humana.

Subdividida em cinco tipos (A, B, C, D e E) as hepatites virais são doenças infecciosas sistêmicas que afetam o fígado. Agindo no organismo de forma silenciosa, as hepatites virais nem sempre apresentam sintomas, mas quando surgem podem vir acompanhadas de cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Boa parte da população brasileira é portadora dos vírus B ou C, mas não tem conhecimento sobre o problema.

Preocupado em efetivar a campanha, ainda no mês de Junho, o parlamentar propôs que o Governo do RN, através da Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP), reforce durante todo o mês de Julho a prevenção das hepatites virais através de campanhas educativas para a população. “Esta Lei tem um grande alcance e importância social, pois busca oportunizar o acesso da sociedade a informações primordiais sobre estas doenças que agem silenciosamente em nosso organismo”, destacou.

Juiz federal do RN aceita denúncias contra Henrique Alves

Os peemedebistas Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves são acusados de recursos públicos, lavagem de dinheiro e corrupção ativa e passiva (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil e José Cruz/Agência Brasil)

O Juiz Federal Francisco Eduardo Guimarães Farias, titular da 14 Vara Federal no Rio Grande do Norte, nessa sexta-feira (30/06/2017), recebeu integralmente a denúncia protocolada pelo Ministério Público Federal contra Eduardo Cosentino da Cunha, Henrique Eduardo Lyra Alves, José Adelmário Pinheiro Filho, Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, Carlos Frederico Queiroz Batista da Silva e Arturo Silveira Dias de Arruda Câmara, supostamente envolvidos na investigação conhecida como operação Manus, que aponta para desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro e corrupção ativa e passiva a partir de contratos operacionalizados com as construtoras OAS, Odebrecht e Carioca Engenharia.

O magistrado analisou a denúncia sob a ótica das disposições contidas no art. 395, combinado com art. 41, ambos do Código de Processo Penal, entendo que a peça não incorreu em inépcia e que estão presentes os pressupostos processuais e as condições da ação penal. Ademais, entendeu presente, também, a justa causa para a persecução penal, anotando:

“Tem-se que há farta justa causa para a continuidade do processo e recebimento da denúncia por todos os crimes imputados aos réus, inclusive o de possível organização criminosa, ante a plausível união dos acusados para cometimento dos delitos expostos na peça inaugural”, escreveu o Juiz Federal Francisco Eduardo, ressalvando que a imputação, neste crime de organização criminosa, é contra os réus Eduardo Cosentino da Cunha, Henrique Eduardo Lyra Alves, José Adelmário Pinheiro Filho, Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, haja vista que sobre eles já recai referida imputação no contexto da “Operação Lava Jato”.

A acusação traz três núcleos do suposto esquema criminoso: o político, operado por Eduardo Cunha e Henrique Alves; o econômico, por José Adelmário Pinheiro Filho (Léo Pinheiro) e Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, e o financeiro por Carlos Frederico Queiroz Batista Silva e Arturo Dias de Arruda Câmara.

No caso do núcleo político, a peça inaugural relata que os referidos acusados, entre os anos de 2012 e 2015, teriam solicitado e aceitado propinas no valor de até R$ 11.500.000,00, de forma oculta e disfarçada, por meio de supostas doações feitas ao Diretório Nacional do Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB, legenda da qual os acusados são integrantes, dentro e fora do período eleitoral, para, em contrapartida, de forma política e parlamentar, favorecer empreiteiras do núcleo econômico da organização criminosa, além de outras empresas não incluídas nesta ação.

‘Enquanto houver bambu, haverá flechas’, diz Janot sobre fim de mandato

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou neste sábado que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de soltar o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) ‘faz parte do processo’, mas em sua avaliação havia provas suficientes para pedir a prisão cautelar do parlamentar, já que se tratava de uma autoridade no ‘curso de cometimento de crime’. O procurador, que fica no cargo até dia 17 de setembro, afirmou que até lá vai continuar no mesmo ritmo atual.

— Até dia 17, a caneta estará na minha mão. Enquanto houver bambu, haverá flechas – afirmou o procurador.

Para o procurador, a mala com R$ 500 mil que o deputado foi flagrado carregando, ‘já diz tudo’.

— Houve a decretação da prisão cautelar que estava em curso de cometimento de crime. Mas o STF chegou à conclusão que a cautelar já tinha surtido efeito e houve a revogação. Isso faz parte do processo, cada um tem seu entendimento jurídico. Posso não concordar, mas faz parte do processo – afirmou Janot, que participou do 12º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo promovido pela Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo investigativo) em São Paulo. Janot proferiu a palestra: “Desafios no Combate à Corrupção: A operação Lava Jato, a fala foi mediada pela jornalista Renata Lo Prete, da Globonews. As informações são de O Globo.

Leia mais

Alckmin quer Aécio fora da presidência do PSDB

O governador Geraldo Alckmin participa do sorteio de casas populares, pelo programa CDHU em Patrocínio Paulista (SP), na manhã desta sexta-feira (21).

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, é contrário à volta de Aécio Neves à presidência do PSDB. Ele defende que o partido efetive Tasso Jereissati, que exerce o cargo interinamente há um mês.

“É importante que o partido defina isso logo. Tasso deve ficar na presidência de forma efetiva, até o ano que vem”, disse o governador à Folha de São Paulo.

Aécio se licenciou da presidência do partido ao ser afastado do mandato de senador por decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.

Leia mais

Garibaldi diz que seu primo Henrique “haverá de provar sua inocência”

O senador Garibaldi Alves Filho (PMDB) acredita que, no decorrer do processo jurídico, o ex-deputado e ex-ministro Henrique Eduardo Alves “haverá de provar sua inocência”.

O primo e aliado político do senador está preso em Natal desde o dia 6 de junho, quando foi um dos alvos da Manus, operação deflagrada pela Polícia Federal que apura possíveis crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Na avaliação de Garibaldi, Henrique foi detido “injustamente”. “Isso já foi demonstrado pelos seus advogados, que vão recorrer da decisão”, complementa o senador, sem especificar os motivos para essa avaliação.

Maia afirma que impeachment é fato ‘menor’

Alexandre de Moraes pediu explicações para Maia sobre pedidos de impeachment contra Temer que estão na Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta sexta-feira (30), em evento no Recife, que a análise dos processos de impeachment contra o presidente Michel Temer virou fato “menor”.

— Acho que a questão do impeachment ficou menor em relação ao que aconteceu esta semana. A denúncia do procurador (Rodrigo) Janot certamente é embasada nos mesmos temas e com informações muito mais profundas, porque quem fez a investigação foi a própria PGR (Procuradoria-Geral da República). Acho que a primeira denúncia ou a segunda que tiver tratam a mesma base dos impedimentos, não terá nenhum tipo de perda nessa questão.

Na quinta-feira (29), ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), solicitou explicações de Maia sobre a não apreciação de 21 pedidos de impeachment contra Temer na Câmara.