Gilmar diz esperar que políticos estabeleçam ‘cuidados’ na distribuição de recursos

Resultado de imagem para gilmar mendes

Apesar da resistência, dos três principais pontos aprovados pela Comissão Especial da Reforma Política, o que tem mais chance de passar intacto pelos plenários da Câmara e do Senado é o fundo público eleitoral, já que o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu, em 2015, que empresas continuassem a financiar os candidatos.

Sem desaprovar a proposta, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, disse esperar que os parlamentares estabeleçam “cuidados” para a distribuição dos recursos. “Claro que a aprovação do fundo vai envolver também questões marcantes e importantes no que diz respeito a critérios de distribuição. Nós mesmos aqui no TSE temos preocupação com isso, com o que se vai fazer, esta gerência”, disse.

Muito. O deputado Vicente Cândido (PT-SP), relator da proposta de reforma política, afirmou que acha o valor “alto”, mas que não conseguiu convencer os deputados a chegar a uma cifra menor.

OAB vai ‘usar todos os meios’ para barrar fundo eleitoral de R$ 3,6 bilhões

Resultado de imagem para claudio lamachia oab

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, pretende publicar uma nota criticando a aprovação do Fundo Especial de Financiamento da Democracia, abastecido com 0,5% da receita corrente líquida apurada nos 12 meses anteriores. A criação do fundo foi aprovada na noite de quarta-feira pela comissão da Câmara que analisa a reforma política. A expectativa é que o fundo receba cerca de R$ 3,6 bilhões no ano que vem. Somente o PSOL e PHS encaminharam voto contrário à medida.

Segundo a coluna do jornalista Matheus Leitão, da Globo News, Lamachia afirmará que parte da classe política está “verdadeiramente empenhada em esgotar o pouco de paciência que ainda resta aos eleitores”, e que aumentar o fundo partidário é “zombar” do cidadão.

Ainda de acordo com o jornalista, o presidente da OAB afirma que a entidade usará “todos os meios” para a proposta não prosperar nos plenários da Câmara e do Senado.

PMDB e DEM sondam Dória para 2018

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), admitiu na noite desta quinta-feira que foi sondado por PMDB e DEM para ser o candidato desses partidos à Presidência da República em 2018. Há sete meses em seu primeiro mandato eletivo, o empresário desconversa sobre seus planos para 2018, evita entrar em uma disputa com seu padrinho político e presidenciável tucano Geraldo Alckmin e diz que “não é o momento” de se falar sobre a candidatura.

Na última semana, Doria recebeu acenos de políticos dos dois partidos. Na segunda-feira, foi chamado de “parceiro” e “companheiro” pelo presidente Michel Temer (PMDB), durante uma agenda pública na segunda-feira. No dia seguinte, foi acompanhado pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), a uma cerimônia na capital baiana, onde recebeu o título de cidadão soteropolitano e foi atingido por um ovo, atirado por manifestantes.

Questionado se é a favor da antecipação das prévias em seu partido, como defende o governador Alckmin, afirmou que não é hora de se falar sobre isso. As informações são de O Globo.

Emendas parlamentares alcançaram R$ 5,7 bi, 33,4% a mais que o divulgado

O volume de emendas parlamentares liberadas pelo governo neste ano é 33,4% maior do que o identificado preliminarmente no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) e usado como referência para o debate entre oposição e o governo sobre o uso político do mecanismo.

Segundo dados do Ministério do Planejamento — que tem o controle do cofre —, Temer liberou R$ 5,7 bilhões no ano, e não R$ 4,1 bilhões, como vêm denunciando movimentos sociais e oposição. A diferença de R$ 1,57 bilhão é referente a gastos com emendas de anos anteriores — 2015 e 2016 — empenhados apenas em 2017 e também alvo de demanda constante dos parlamentares junto ao Executivo.

Embora as emendas sejam impositivas, isto é, com execução obrigatória ao longo do ano, a liberação coincidiu com a negociação em torno de apoio parlamentar na votação que blindou o presidente Temer de uma investigação por corrupção passiva. Em 2 de agosto, data da votação, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), foi flagrado por fotógrafos no plenário cobrando fidelidade dos que tiveram valores liberados. Ele nega que este fosse tema de conversa com os colegas. Há pagamentos para quem votou a favor e contra Temer. As informações são de O Globo.

Leia mais

Polícia Civil prende homem que chefiava desmanche clandestino de carros no RN

Equipes de Policiais civis da Delegacia Especializada em Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV), da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (Defur) e da Secretaria de Estado de Segurança Pública e de Defesa Social (SESED) prenderam, nesta quinta-feira (10), Ricardo de Oliveira, 35 anos, após o cumprimento aos mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão. A prisão ocorreu no distrito de Pium localizado na cidade de Nísia Floresta. Ele estava com peças já desmontadas de quatro veículos roubados.

As investigações policiais apontaram que Ricardo era responsável por articular um esquema de desmonte de veículos roubados em uma sucataria na cidade de Macaíba que servia como fachada. Ele foi indiciado por receptação qualificada e associação criminosa, já respondendo a processo semelhante na comarca de Parnamirim.

Ricardo de Oliveira também já havia sido preso na Operação Clone, realizada pela Polícia Civil no ano de 2012, por fazer parte de uma quadrilha que clonava cartões de crédito e praticava crimes de estelionato nos estados do Rio Grande do Norte, Alagoas, Paraíba e Pernambuco. A polícia estima que tenham sido aplicados golpes de até R$ 3 milhões. Ricardo de Oliveira foi preso e encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.

%d blogueiros gostam disto: