Na Colômbia, papa bate o rosto em vidro

Os soldados observam a distância à medida que as pessoas se reúnem no aeroporto de Enrique Olaya Herrera em Medellín, na Colômbia, para que uma missa seja oficiada pelo Papa Francisco em 9 de setembro de 2017. O Papa Francis visita a cidade colombiana de Medellín, ex-fortaleza da droga tardia barão Pablo Escobar, no quarto dia de uma turnê papal para promover a paz.

O papa Francisco fez, na manhã deste domingo (10), em Cartagena, um elogio à acolhida que a Colômbia vem dando aos venezuelanos que atravessam a fronteira para fugir da crise política e econômica.

Acrescentou que “vem orando por todos os filhos e filhas dessa amada nação da Venezuela” e fez um “chamado a todos para que rejeitem a violência política e rezem por uma solução a essa grave crise, que atinge a todos, mas especialmente aos mais pobres e aos mais desfavorecidos”.

O pontífice fez um percurso que atravessou outros bairros humildes dessa cidade de 900 mil habitantes, mas cuja população abaixo da linha de pobreza é de cerca de 300 mil. Num deles, o bairro de San Francisco, o papa se machucou, batendo o rosto no vidro do papamóvel quando tentava abraçar um fiel. Logo, sua cara ficou um pouco inchada, e gotas de sangue salpicaram sua roupa.

Os médicos quiseram interromper a viagem para atendê-lo, mas o religioso respondeu que não era necessário. Na parte da tarde, o papa Francisco fará sua última missa na Colômbia, para cerca de 1 milhão de pessoas. Do aeroporto local, está previsto que retorne ainda nesta noite diretamente à Roma. As informações são de SYLVIA COLOMBO, Folha de São Paulo.

Papa Francisco quebra protocolo e se despede de Bogotá em carro aberto

Colômbia - papa Francisco - Medellín

Em seu último dia na Colômbia, o papa Francisco deixou a capital Bogotá neste domingo, 10, rumo a Cartagena de Índias fazendo seu último percurso até o aeroporto em seu papamóvel. Mais uma vez, o pontífice fugiu do protocolo porque o trajeto estava previsto para ser feito em carro fechado, mas na noite do sábado, a conferência Episcopal colombiana já anunciava que “como forma de agradecimento a Bogotá, o papa decidiu fazer o último trajeto na cidade em papamóvel”.

Francisco já passou pela capital, por Villavicencio e Medellín. Agora, em Cartagena, deve reforçar o papel da Igreja nas negociações de paz feitas entre o governo do presidente Juan Manuel Santos e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). No ponto mais alto da visita, ele rezará o Angelus, relembrando aos católicos o momento da Anunciação, feita pelo anjo Gabriel à Maria da concepção de Jesus.

Durante a visita pelo país, o pontífice reforçou a importância do acordo de paz e a necessidade de união para que haja uma “paz completa”. Em mais de um evento, ele pediu que os colombianos “resistam à tentação da vingança” e se dirigiu aos jovens como “fontes de esperança e alegria”. As informações são de Fernanda Simas, Enviada especial a Bogotá –  O Estado de São Paulo.

Há indícios suficientes de que delatores omitiram informações, diz Fachin

Ao decretar a prisão de Joesley Batista e Ricardo Saud, o ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou que há “indícios suficientes de que os colaboradores omitiram” informações sobre a participação do ex-procurador Marcelo Miller no processo de delação premiada da JBS.

Diante disso, o ministro decidiu suspender o acordo de ambos até o fim da apuração sobre o caso. “Cabível, portanto, nos termos pleiteados pelo MPF, a parcial suspensão cautelar da eficácia dos benefícios acordados entre o procurador-geral da República e os colaboradores para o fim de se deferir medidas cautelares com a finalidade de se angariar eventuais elementos de prova que possibilitem confirmar os indícios sobre os possíveis crimes ora atribuídos a Marcello Miller”, disse o ministro.

“Quanto aos colaboradores Joesley Mendonça Batista e Ricardo Saud, são múltiplos os indícios, por eles mesmos confessados, de que integram organização voltada à prática sistemática de delitos contra a administração pública e lavagem de dinheiro. A prisão temporária, quanto a eles, como requerida pelo MPF, é medida que se impõe”, afirmou. As informações são da Folha de São Paulo. 

Leia mais

Joesley e Saud se entregam à Polícia Federal em São Paulo

O empresário Joesley Batista e o diretor da JBS Ricardo Saud se entregaram à Polícia Federal (PF) por volta das 14h deste domingo. Eles chegaram em carros separados na Superintendência da PF na Lapa, Zona Oeste de São Paulo, sem dar declarações à imprensa.

A PF não informou se eles serão transferidos para Brasília.

Joesley havia deixado o apartamento da família na Rua Haddock Lobo, nos Jardins, em São Paulo, por volta das 13h45 deste domingo. No banco de trás de um Toyota Hylux com os vidros escuros, Joesley passou pelos jornalistas.

Atendendo a um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Fachin determinou a prisão temporária de Joesley e Saud, sob a suspeita de terem descumprido acordo de delação premiada ao omitir informações dos procuradores. Eles teriam conseguido informações privilegiadas com o ex-procurador Marcelo Miller, como sugerem gravações entregues à PGR. As informações são de O Globo.

Leia mais

Janot aponta R$ 350 milhões em propinas para o PMDB da Câmara

Janot

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deixou rastros de uma das últimas flechas que pretende atirar em direção ao presidente da República, Michel Temer, na denúncia do “quadrilhão do PT”. Janot aponta que o PMDB da Câmara recebeu, pelo menos, R$ 350 milhões do esquema de corrupção e cartel na Petrobrás.

A denúncia, que será encaminhada nesta semana ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Lava Jato, foi preparada para ter como alvo direto o presidente, apesar de Temer não ser investigado no inquérito que apura o pagamento de propinas a deputados do PMDB.

Em agosto, Fachin negou a inclusão do presidente no inquérito que apura se deputados do PMDB formaram uma organização criminosa que atuou na Petrobrás e na Caixa. A decisão também foi estendida aos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência). As informações são da Agência Estado.

Leia mais

Janot e advogado de executivos da J&F fazem reunião ‘escondida’ em bar

Janot e pierpaolo

Uma cena constrangedora para o procurador geral da República Rodrigo Janot foi flagrada, na madrugada deste domingo (10), em Brasília. Janot foi visto se encontrando com o advogado Pierpaolo Bottini, que representa os executivos da J&F Joesley Batista e Ricardo Saud, em um bar da capital federal. O flagra foi feito pelo site “O Antagonista”.

De acordo com o site, Janot e o advogado conversaram por cerca de 20 minutos. Eles ficaram em uma mesa de canto no bar, ao lado de uma pilha de caixas de cerveja. O procurador geral estava de óculos escuros e não tirou o acessório durante todo o tempo de conversa.

Em conversa com a publicação, Bottini disse que o encontro foi casual. “Na minha última ida a Brasília, este fim de semana, cruzei casualmente com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, num local público e frequentado da capital. Por uma questão de gentileza, nos cumprimentamos e trocamos algumas palavras, de forma cordial. Não tratamos de qualquer questão outra ou afeita a temas jurídicos. Foi uma demonstração de que as diferenças no campo judicial não devem extrapolar para a ausência de cordialidade no plano das relações pessoais”, afirmou.

Janot ainda não se pronunciou sobre o encontro.

Fachin decreta prisão de Joesley e Saud, delatores da JBS

Joesley Batista é acusado de descumprir dois pontos e cláusula do acordo de delação

O ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), acatou o pedido de prisão dos delatores Joesley Batista e Ricardo Saud, da JBS, segundo apurou a Folha.

As prisões são temporárias. Não há ainda previsão sobre quando serão efetuadas pela Polícia Federal.

Segundo a Folha apurou, Fachin teria negado estender a medida ao ex-procurador Marcelo Miller.

Os pedidos de prisão dos três foram feitos pelo procurador-geral, Rodrigo Janot na sexta (8).

Na sequência, os advogados deles colocaram os passaportes de seus clientes à disposição do Supremo e pediram para eles serem ouvidos por Fachin.

Na última segunda-feira (4), Janot anunciou a abertura de investigação para apurar possíveis irregularidades nas negociações da colaboração firmada com o Ministério Público. As informações são de LEANDRO COLON, Folha de São Paulo.

Leia mais

Odebrecht entrega chave de acesso a notebook de Marcelo

Odebrecht entrega chave de acesso a notebook de Marcelo

A Odebrecht entregou nesta semana as chaves de acesso para permitir à Polícia Federal (PF) o acesso ao notebook do herdeiro e ex-presidente da empresa, Marcelo Odebrecht. Preso desde junho de 2015, o executivo alegava que a senha era gerada por dispositivo eletrônico – token – que ele não sabia onde estava.

A PF chegou a se queixar com o Ministério Público. Para os delegados era inadmissível que o executivo tivesse conseguido celebrar o acordo de delação premiada sem liberar o acesso do seu computador pessoal.

Os investigadores conseguiram obter uma série de informações relevantes para a Operação Lava Jato quando apreenderam o celular de Marcelo. A expectativa é de que os dados do seu notebook, no mínimo, reforcem o que foi dito pelo empreiteiro ou revelem informações a mais. O laptop é considerado uma importante fonte de informação, pois contém e-mails e planilhas do empresário.

Delegados pressionaram a empresa com ameaça de que poderiam indicar ao MPF a necessidade da revisão do acordo de delação caso o acesso ao equipamento não fosse liberado. As informações são de Beatriz Bulla e Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo.

Leia mais

Prefeito do Assú vai gastar quase R$ 2 milhões com ‘mesada’ de vereadores até 2019

Resultado de imagem para prefeito e vereadores assu

Prefeitura do Assú vai desembolsar mais de R$ 70 mil para pagar ‘mesada’ aos vereadores até dezembro de 2019

Os 15 vereadores das bancadas governista e oposicionista, além de servidores da Câmara Municipal do Assú, vão receber mais de R$ 70 mil, de acordo com o pacote de bondade de autoria do prefeito Gustavo Soares, para garantir a reeleição do atual presidente do legislativo João Walace, nas eleições para a escolha da Mesa Diretora para o biênio 2019/2020, que deverá acontecer ate o final do ano.

Com a distribuição do vale alimentação, uma espécie de ‘mesada’ mensal, o prefeito Gustavo Soares que alega dificuldade financeira para assegurar remédios a população carente e merenda e fardamento aos alunos das escolas municipais, vai torrar nos próximos quatro meses, mais de R$ 280 mil, até dezembro de 2017.

 De janeiro a dezembro de 2018, a previsão é de que com a lei aprovada e sancionada pelo prefeito e irmão do deputado estadual, George Soares, a Prefeitura do Assú vai gastar mais de R$ 843 mil com a ‘mesada’. Até o final de 2019, o governo vai promover uma gastança no valor de quase R$ 2 milhões.

Novo teto salarial ‘emperra’ na Câmara

Resultado de imagem para rubens bueno pps

Aprovado em dezembro de 2016 no Senado, o projeto que limita os valores recebidos por servidores públicos ao teto constitucional tem sido protelado na Câmara desde então. Nos bastidores, deputados admitem sofrer pressão de entidades e representantes de classes, que não querem perder benefícios e têm procurado parlamentares para discutir o projeto.

Apenas no dia 15 do mês passado o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criou uma comissão especial para analisar a proposta. A medida ocorreu um dia após o jornal O Estado de S.Paulo revelar que um juiz de Mato Grosso recebeu quase meio milhão de reais em julho. O projeto também passou a ser bem visto pelo governo, que incluiu a imposição do teto remuneratório a todas as verbas recebidas por servidores como parte do ajuste fiscal anunciado no fim de julho.

Mesmo criada há quase um mês, a comissão ainda não se reuniu nenhuma vez. A primeira reunião, marcada para o fim de agosto, foi adiada. A previsão é de que o colegiado seja instalado no próximo dia 12. Isso porque o deputado Rubens Bueno (PPS-PR), que deve relatar a proposta, estava na Itália para acompanhar o casamento da filha e só retornará a Brasília na semana que vem.

Quase 25% dos deputados já trocaram de partido desde o início do mandato

PODER ELEIÇOES- Sao Paulo - Debate promovido pela Folha, UOL e SBT, dos candidatos a Prefeitura de Sao Paulo, Joao Doria (PSDB), Marta (PMDB), Major Olimpio (SD), Carlos Nascimento, Luiza Erundina (PSOL), Fernando Haddad(PT) e Celso Russomano (PRB). 23/09/2016 - Foto - Marlene Bergamo/Folhapress - 017

Quase um quarto dos deputados eleitos em 2014 já trocou de partido pelo menos uma vez desde o início deste mandato, aponta levantamento feito pela Folha. Dos 513 ocupantes das cadeiras da Câmara, 124 foram alçados ao cargo em legenda diferente daquela a que hoje pertencem, segundos dados da Casa. Ou seja, 24% dos parlamentares atuais.

No total, foram 168 movimentações até 15 de agosto. A discrepância se dá porque alguns trocaram de legenda mais de uma vez. Seis deputados já acumulam três mudanças na 55ª Legislatura, que começou em 2015 e vai até o início de 2019: Major Olímpio (SD-SP), Hiran Gonçalves (PP-RR), Cícero Almeida (Pode-AL), Macedo (PP-CE), Adalberto Cavalcanti (PTB-PE) e Valtenir Pereira (PSB-MT).

Destes, só o parlamentar alagoano não passou pelo PMB (Partido da Mulher Brasileira), epítome do que os troca-trocas podem acarretar. O partido, nascido no fim de 2015, conseguiu filiar 25 deputados, a maioria no primeiro mês de existência da sigla. As informações são ANGELA BOLDRINI, Folha de São Paulo.

Leia mais

%d blogueiros gostam disto: