Papa compara centros de refugiados a campos de concentração

Neste sábado, o papa se reuniu com outros refugiados que haviam chegado à Europa legalmente

O papa Francisco descreveu neste sábado (22) alguns centros de refugiados da Europa como “campos de concentração”, ao prestar homenagem a uma cristã desconhecida assassinada por sua fé, diante do marido, que é muçulmano.

“Esses campos de refugiados… Muitos deles são campos de concentração, (…) abandonados aos povos generosos que os acolhem, que têm de passar esse peso para frente porque os acordos internacionais parecem ser mais importantes do que os Direitos Humanos”, afirmou Francisco, em uma cerimônia em memória dos mártires modernos do Cristianismo.
 
Saindo do roteiro que tinha preparado e se mostrando emocionado enquanto falava, o pontífice argentino disse querer que a vítima fosse lembrada com outros mártires na basílica de São Bartolomeu, em Roma.

Ler mais

Lula atuou para que Petrobras não atrapalhasse a Braskem, diz delator

Segundo o ex-presidente da empresa Carlos Fadigas uma reunião com o ex-presidente do Brasil foi feita para assegurar que a estatal não iria retornar ao setor petroquímico

Depoimentos dados pelo ex-presidente do grupo Odebrecht Emílio Odebrecht e pelo ex-presidente da Braskem Carlos Fadigas dão conta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) atuou para resolver impasses entre a Braskem e a Petrobras, impedindo que a estatal se tornasse uma concorrente na indústria petroquímica.

As informações foram dadas pelos empresários em mais um acordo de delação premiada. Segundo Odebrecht, uma reunião com o ex-presidente Lula na época de seu primeiro mandato foi organizada para cobrar um “compromisso do governo com o setor petroquímico”, já que, durante a campanha, Lula garantiu que não “reestatizaria” a Petrobras. Até o governo Collor, era a estatal que comandava o setor por meio da Petroquisa.

Ler mais

Entre governadores, Marconi Perillo é recordista de viagens ao exterior

“Quem não é visto não é lembrado.” Assim o governador goiano Marconi Perillo (PSDB) respondeu, em redes sociais, a críticas a uma de suas viagens ao exterior.

Perillo, que está no quarto mandato à frente do Estado e tenta se viabilizar como candidato a vice-presidente numa chapa com Geraldo Alckmin (PSDB-SP) ou João Doria, é o governador que mais viajou para fora do Brasil desde janeiro de 2015, aponta levantamento da Folha.

Ao todo, foram nove missões oficiais para quatro continentes, que consumiram 61 dias, ou 7% do período desde a última recondução.

Renan manobra e indica Rose de Freitas na Comissão de Orçamento na terça

Após destituir a senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) da presidência da Comissão de Orçamento, o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), vai indicá-la novamente na terça, segundo a Coluna do Estadão.  

A estratégia garantiu a Renan tempo para inviabilizar a indicação de um aliado do senador Benedito de Lira (PP-AL), seu inimigo político em Alagoas, para a relatoria. Essa vaga pode ficar com PSB ou PSDB.

Em três anos, principais empresas citadas na Lava Jato demitiram quase 600 mil

Segundo analistas, a operação, somada à crise econômica e à redução do preço do petróleo, causou um efeito negativo ainda maior nos setores de construção e de óleo e gás

Fernando Scheller – O Estado de São Paulo

A recessão, a queda do preço do petróleo, a redução dos gastos do governo e a Operação Lava Jato, que investiga esquema de corrupção envolvendo a Petrobrás, empreiteiras e agentes do governo, tiveram efeito devastador no emprego.

Levantamento do Estado com dez das maiores empresas citadas na Lava Jato mostra que, somente entre funcionários diretos e terceirizados dessas companhias, o corte de vagas entre o fim de 2013 (antes da deflagração da Lava Jato, em março de 2014) e dezembro de 2016 foi de quase 600 mil pessoas. Analistas apontam que o efeito foi ainda maior, quando se consideram as vagas indiretas.

Empresas do setor de óleo e gás, como a Petrobrás, foram afetadas pela redução da cotação do petróleo, que hoje está próxima de US$ 50. Já as grandes construtoras e incorporadoras tiveram de lidar com o alto endividamento da população, que deixou de comprar imóveis, e com a conclusão – ou interrupção – de projetos de infraestrutura, diante da deterioração das contas do governo.

A conta de 600 mil postos de trabalho fechados mostra um impacto considerável – equivalente a 5% do total de pessoas que entraram na fila do desemprego entre 2013 e 2016, que foi de 11,2 milhões. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o total de desocupados no País era de 1,1 milhão em dezembro de 2013; no fim de 2016, o número havia crescido para 12,3 milhões.

Ler mais

SBT passa a veicular propagandas favoráveis à reforma da previdência

A ofensiva do Planalto para atrair apoio à sua proposta passa pela distribuição de verbas federais de publicidade em rádios e TVs

Depois de se reunir com o presidente Michel Temer (PMDB) na última quinta-feira (20), o empresário Silvio Santos entrou de vez na campanha pela aprovação da reforma da previdência. A partir deste final de semana, a rede de televisão “SBT”, de propriedade de Silvio Santos, passou a transmitir comerciais com mensagens favoráveis ao projeto.

A ofensiva do Planalto para atrair apoio à sua proposta passa pela distribuição de verbas federais de publicidade em rádios e TVs.

O governo planeja que apresentadores populares expliquem as mudanças sob um ponto de vista positivo. Inicialmente, Temer não pretende ir ao programa de Silvio, mas, sim, fazer com que o apresentador passe o recado. É possível, no entanto, que ele acabe gravando entrevista para o empresário.

Ivan Júnior divulga nota de pesar pelo falecimento de Milton Marques

Ivan Júnior, ex-prefeito do Assú e atual secretário de estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos emite Nota de Pesar pelo falecimento do Dr. Milton Marques

NOTA DE PESAR

O Rio Grande do Norte está de luto, neste sábado (22), faleceu em Fortaleza aos 77 anos, Milton Marques de Medeiros.

Dr. Milton, como era carinhosamente chamado foi uma das pessoas mais extraordinárias que tive o prazer de conhecer, um homem exemplar, de vasto conhecimento, que dedicou sua vida à grandes causas, cuja biografia é rica e extensa. Ele deixará para a posteridade o legado de um homem ético, empreendedor, respeitado, integro e generoso.

Neste momento, dirigimos nossos pensamentos e orações aos familiares, amigos e funcionários que compartilham o sentimento de tristeza.

Ivan Lopes Júnior

Ronaldo e George Soares, foram injustos e covardes com Milton e Lucílio em 2012

Em 2012, o ex-prefeito do Assú Ronaldo Soares e seu filho, então candidato a prefeito e hoje, deputado estadual George Soares, usaram um trenzinho para sair pelas ruas e praças da cidade, querendo denegrir a postura política imparcial da Rádio Princesa do Vale, capitaneada pelo falecido Milton Marques e Lucílio Filho, que foram injustiçados de maneira covarde pelos líderes da oligarquia Soares.

Com a morte de Milton Marques, o radialista Lucilio Filho, tem mais do que motivos para deixar a direção da Rádio Princesa do Vale, até porque na época recebeu ameaça velada e covarde do ex-prefeito através do whatApp. O deputado George Soares é outro que faz covardes ameaças contra quem não reza na cartilha política do clã com o apoio de sua mãe e secretária da Prefeitura do Assú Rizza Montenegro.

Morte de Milton Marques mata credibilidade da Princesa do Vale do Assú

O falecimento do superintendente Milton Marques de Medeiros, matou também a credibilidade da Rádio Princesa do Vale do Assú, levando para a sepultura a postura democrática que sempre teve no jogo do equilíbrio do poder.

Para agravar ainda mais a crise de credibilidade na divulgação da informação isenta e imparcial, o atual diretor da emissora Lucilio Filho, não tem mais nenhum vínculo empregatício e pode se afastar da direção a qualquer momento.

Enquanto isso, a oligarquia Soares que também é sócia da emissora pretende mudar radicalmente as diretrizes e linhas mestras que sempre conduziram a rádio como a voz do povo do Assú e como costumava dizer Dr Milton Marques, a sentinela da cidade.

Hoje, a política da cidade do Assú, perdeu seu sentinela.

Políticos já foram autuados em R$ 145 milhões pelo Fisco na Lava Jato

Apesar da cobrança, os recursos não necessariamente retornarão de forma imediata aos cofres públicos, já que boa parte dos autos de infração são questionados e acabam se tornando batalhas jurídicas

Mais de R$ 145 milhões em autos de infração já foram emitidos pela Secretaria da Receita Federal para autuar políticos e suas empresas no âmbito das investigações da operação Lava Jato. A informação é do site “G1”.

Entre as infrações cobradas aos políticos, estão impostos, multas e juros atrasados. Em depoimento ao site, o coordenador-geral Pesquisa e Investigação da Receita, Gerson Schaan, afirmou acreditar que o valor deve crescer ainda mais com base nos últimos acordos de delações premiadas.

Ler mais

Publicitário Nizan Guanaes lidera grupo que vai bancar propagandas pró-reforma da Previdência

Um grupo capitaneado pelo publicitário Nizan Guanaes e pelo cientista político Luiz Felipe D’Ávila vai liberar, nos próximos dias, intensa campanha publicitária em defesa da reforma da Previdência.

Eles vão produzir propagandas de rádio e peças para a internet a favor das mudanças na aposentadoria. A dupla, que diz agir por iniciativa própria, trabalha para envolver artistas de peso na divulgação.

A ofensiva atende apelo do governo, que tem incentivado o empresariado a se engajar na causa. As informações são da coluna Painel da Folha de São Paulo.

Procuradoria Geral da República ameaça anular delação de Delcídio

O revés para o ex-parlamentar é uma consequência das revelações dos ex-executivos Benedicto Júnior e Rogério Santos de Araújo, da Odebrecht, sobre repasses para campanhas eleitorais

A Procuradoria Geral da República (PGR) analisa a possibilidade de romper o acordo de colaboração premiada do senador cassado Delcídio Amaral (sem partido-MS) homologado em 2016. O revés para o ex-parlamentar é uma consequência das revelações dos ex-executivos Benedicto Júnior e Rogério Santos de Araújo, da Odebrecht, sobre repasses para campanhas eleitorais em contrapartida à atuação dele em casos de interesse da empreiteira.

Além do acordo de Delcídio, outras delações deverão ser reavaliadas pelo Ministério Público por causa das revelações da Odebrecht. O ex-gerente de Engenharia da Petrobrás Pedro Barusco é outro que está na mira por conta das revelações do ex-executivo da Odebrecht Rogério Araújo. Segundo o delator, Barusco teria solicitado que ele guardasse em sua casa 24 garrafas de vinho de primeira categoria logo após o início da Operação Lava Jato. A informação não foi levada ao conhecimento dos investigadores à época da assinatura do seu acordo.

Ler mais

Morre aos 77 anos Milton Marques, superintendente da Rádio Princesa do Assú

Faleceu na tarde deste sábado, 22, o ex-reitor da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e fundador do grupo TCM de Comunicação Milton Marques de Medeiros aos 77 anos. Ele estava internado no hospital Monte Klinikun, em Fortaleza, desde o começo de abril com uma grave infecção pulmonar.

Milton Marques de Medeiros nasceu em Upanema no dia 9 de julho de 1940, filho de pai tabelião e mãe doméstica. É Médico psiquiatra, advogado, professor e empresário. É casado com Zilene, com que teve tem quatro filhos.

Milton também era o superintendente da Rádio Princesa do Vale do Assú. O Blog do VT lamenta muito a morte dele e externa seus sentimentos de pesar.

STF: Gilmar Mendes quer barrar reajuste de servidores

Em 2003, então presidente Lula sancionou a lei 10.698, que fixava aumento de R$ 59,87 para os funcionários públicos civis da administração federal direta, autárquica e fundacional

Preocupado com o estado das contas públicas, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), apresentou uma proposta para barrar uma nova onda de reajustes a servidores públicos federais fundamentados no princípio de isonomia a partir de uma legislação de 2003.

Naquele ano, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sancionou a lei 10.698, que fixava aumento de R$ 59,87 para os funcionários públicos civis da administração federal direta, autárquica e fundacional. Fez-se então uma interpretação “generosa” da lei, entendendo que a fixação de valor único para todas as categorias resultou em porcentuais diferentes de aumento conforme os vencimentos de cada uma.

Vários órgãos do Judiciário, como o Superior Tribunal de Justiça (STJ), Superior Tribunal Militar (STM) e Tribunal Superior do Trabalho (TST), decidiram aplicar o reajuste para seus próprios servidores, gerando efeito cascata. Fixaram como critério de reajuste o porcentual de 13,23%, tendo como referência os servidores de menor remuneração. As informações são da Agência Estado.

Ler mais