‘Safadocracia’ mobilizou ação em Alagoas

Resultado de imagem para 'Safadocracia' mobilizou ação em Alagoas

Daniel Bramatti e Marcelo Godoy, O Estado de S. Paulo

Convocada a combater a prática da compra de votos nas eleições municipais passadas, em 2016, a Polícia Federal de Alagoas não mediu palavras ao batizar de “Canalhocracia”, “Safadocracia” e “Viciocracia” as operações deflagradas em três cidades, às vésperas da votação.

Os três nomes fazem alusão a supostos sistemas de governo baseados na ilegalidade e se destacam pela originalidade e total ausência de sutileza, na lista das mais de 2.300 operações contra o crime organizado promovidas pela PF desde 2013. Nos dicionários, um possível sinônimo seria o termo cleptocracia, que define um governo de corrompidos.

Foi em busca de “canalhocratas” que a PF promoveu, no município de Piranhas, a 260 quilômetros de Maceió, buscas em sete endereços de políticos e assessores suspeitos de comprar votos. As provas coletadas deixaram pouca margem a dúvidas: um dos investigados estava com R$ 27 mil, em maços separados e misturados a panfletos de campanha, além de listas com nomes de eleitores.

Leia mais

Presidente da Câmara de Assu se envolve em confusão com aliado no São João

Visivelmente embriagado, o presidente da Câmara de Vereadores João Walace, armou a maior confusão com o Coordenador Executivo de Informática da Prefeitura do Assú, Edimar Filho, nos últimos dias da festa do São João e padroeiro do Assú.

Além de trocar tapas com o aliado político do deputado George Soares e prefeito do Assú, Gustavo Soares –  o presidente João Walace, ainda ameaçou Edimar e avisou que assim que assumir interinamente o governo municipal, o coordenador de informática vai pagar e disparou, vou mandar demiti-lo.

Na barraco, a mãe do prefeito e do deputado, Rizza Montenegro, foi quem conseguiu apaziguar os ânimos, mas comentam que ela acabou levando um empurrão quando procurava apartar a briga.

Odebrecht usou ‘caixa três’ para financiar campanhas eleitorais

Odebrecht usou 'caixa três' parafinanciar campanhas eleitorais: Políticos beneficiados pela prática confirmam que receberam dinheiro de duas empresas laranjas, utilizadas pela empreiteira para fazer os repasses aos candidatos

A Odebrecht usou empresas laranjas para fazer doações a políticos, durante as campanhas eleitorais de 2010 e 2014. Segundo os próprios executivos da empresa, em depoimentos ao Ministério Público Federal (MPF), durante as investigações da operação Lava Jato, a prática foi utilizada para não estourar o teto estabelecido por lei para doações e ainda para evitar cobranças de políticos preteridos.

No chamado caixa três, a Odebrecht usou duas empresas, a Praiamar e a Leyroz, ambas distribuidoras do grupo Petrópolis, fabricante da cerveja Itaipava, para direcionar R$ 5,5 milhões a 28 candidatos.

Um deles, o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI), admitiu ser um dos beneficiados com o caixa três. “Eu declarei, foi tudo por dentro. Não sei por qual motivo a Odebrecht não quis dar o dinheiro e passou para outras duas empresas. Acho que havia muita pressão na época e ela não queria aparecer muito”, diz Heráclito.

Leia mais

Recurso para isenção de taxa no Enem pode ser enviado até este domingo ao Inep

Os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que tiveram a isenção do pagamento da taxa de inscrição negada têm até as 12h deste domingo (25) para enviar os documentos que comprovem o direito ao benefício ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os documentos devem ser encaminhados para o e-mail: isencaoenem@inep.gov.br.

O assunto do e-mail deve ser “Recurso Administrativo – Isenção da Taxa de Inscrição do Enem 2017”. O corpo do e-mail deve conter o nome completo, CPF e número de inscrição do participante, além do nome completo e o CPF da mãe. A ausência de qualquer uma dessas informações inviabilizará a análise do recurso. A documentação enviada deverá ser legível, em formato .pdf ou .jpg

Leia mais

Deputados que vão analisar caso de Temer são alvos de delatores

Deputados em sessão da CCJ da Câmara

Por Daniel Carvalho –  Folha de São Paulo

Parte dos deputados que vão julgar a procedência da denúncia que a PGR (Procuradoria-Geral da República) deve apresentar nos próximos dias sobre o presidente Michel Temer já foi no mínimo citada em planilhas de pagamentos ou nas delações da Odebrecht e da JBS.

Tanto planilhas quanto delatores relacionaram políticos ao esquema de corrupção investigado pela Lava Jato.

Um quinto dos 66 titulares da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara foi ao menos mencionado nessas delações ou nas planilhas de propina. Dos 14 congressistas do colegiado que aparecem nesse contexto, dois tiveram seus casos arquivados: Esperidião Amin (PP-SC) e Paulo Maluf (PP-SP).

O deputado Alceu Moreira (PMDB-RS) é um dos cotados para assumir a relatoria da denúncia contra Temer. Ele aparece na delação de Ricardo Saud, diretor da JBS, como destinatário de um pagamento de R$ 200 mil em espécie na disputa eleitoral de 2014.

Leia mais

Tiago, cabo eleitoral de Ezequiel Ferreira não incomoda ninguém no Seridó

Doutor Tiago, capacho e cabo eleitoral de Ezequiel Ferreira, no Seridó

O vereador Humberto Godim, é hoje a maior liderança do município de Parelhas no Seridó com capacidade, competência e popularidade para disputar uma vaga de deputado estadual na Assembléia Legislativa, mas sabe que por  não é fácil conquistar uma cadeira e por isso, não assume papel de candidato de mentirinha, como o médico Tiago Almeida, capacho político do presidente Ezequiel Ferreira.

Na realidade, o Doutor Tiago Almeida vem fazendo um papel feio, depois que foi nomeado pelo presidente e deputado Ezequiel Ferreira para gerenciar os serviços médicos na Assembléia e fazer politicagem na região. Comenta-se nos bastidores que ninguém nunca viu cabo eleitoral pago com dinheiro público, possa incomodar os políticos do Seridó. Tiago faz papel de palhaço de Ezequiel.

Ministros do Supremo devem barrar revisão de delações na próxima quarta-feira

Luiz Edson Fachin

Ministros do Supremo Tribunal Federal apostam que a Corte vai impedir a revisão dos acordos de delação já homologados. A definição deve se concretizar com o fim do julgamento sobre a colaboração dos executivos do Grupo J&F, na quarta-feira, 28.

Até agora, nas duas sessões de discussão do caso, os ministros se dividiram. Parte defende a impossibilidade da revisão das cláusulas do acordo após a homologação, sustentando que a Justiça deve ter atuação limitada para dar segurança à delação.

Os ministros Luiz Fux e Luís Roberto Barroso fizeram defesa enfática desse ponto de vista – e ganharam o apoio do relator da Lava Jato, Edson Fachin. A expectativa é de que esse entendimento tenha respaldo do decano, Celso de Mello, da presidente da Corte, Cármen Lúcia, e de Rosa Weber. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia mais

Sarney Filho culpa governo do PT por aumento do desmatamento

Sarney Filho

Ministro do Meio Ambiente concedeu coletiva de imprensa para explicar o que chamou de ‘mal entendido por grande parte da nossa imprensa’

Luci Ribeiro, O Estado de S.Paulo

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, atribuiu ao governo do PT a culpa pelo corte do tamanho do repasse financeiro que a Noruega fará ao Fundo Amazônia em 2017 em virtude do crescimento do desmatamento no Brasil. “O desmatamento que aumentou é fruto da gestão passada, não é fruto da nossa gestão”, disse Sarney Filho. O ministro também negou qualquer retaliação da Noruega ao governo de Michel Temer (PMDB) e disse que as taxas de desmatamento vão voltar a cair.

O ministro decidiu conceder coletiva de imprensa neste sábado, 24, logo depois da viagem que fez ao país junto com Temer, para esclarecer o que chamou de “mal entendido por grande parte da nossa imprensa”.

Nesta semana, o governo norueguês divulgou que o seu repasse anual ao Fundo da Amazônia sofrerá um corte de cerca de 50% por causa do crescimento do desmatamento no Brasil, o que significa apenas US$ 35 milhões, valor muito menor do que a média de US$ 110 milhões por ano.

Leia mais

Receita Federal alerta para envio de falsas intimações pelos Correios

Resultado de imagem para receita federal

Os contribuintes que receberem uma correspondência pelos Correios em nome da Receita Federal devem ficar atentos. Criminosos estão enviando falsas intimações em nome do Fisco para a regularização de dados cadastrais.

Tradicionalmente aplicado por e-mail, esse tipo de golpe mescla correspondência tradicional e internet. Na falsa intimação, há um endereço eletrônico, sem relação com a Receita Federal, para acesso e atualização de dados bancários.

Ao clicar no link, o contribuinte cai numa página falsa que instala vírus e programas maliciosos que roubam dados pessoais, bancários e fiscais armazenados no computador.

Leia mais

Em Assú, Nelter Queiroz participa dos festejos alusivos a São João Batista

Na noite desta sexta-feira (23) o deputado estadual Nelter Queiroz (PMDB) participou dos tradicionais festejos alusivos ao padroeiro São João Batista, em Assú.

Ao lado de sua esposa Luciana Motta, o parlamentar prestigiou o Arraiá do Jegue, em companhia do ex-prefeito e atual secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do RN, Ivan Lopes Júnior, de sua esposa Vanessa, dentre outros. Ainda em Assú, neste sábado (24), o deputado faz visita de cortesia a amigos.

Governo do RN vai contratar empresa para construir cadeia em Afonso Bezerra

Resultado de imagem para cadeia afonso bezerra

O Governo do Estado publicou, nesta sexta-feira (23), o chamamento público para contratação de empresa que fará a construção de presídios estaduais no município de Afonso Bezerra, distante 185km de Natal. As empresas interessadas deverão construir unidades com capacidade para 603 detentos. O Governo Federal, através do Departamento Penitenciário Nacional, disponibilizou R$ 44 milhões para o investimento no Estado, que ainda deverá alocar recursos próprios para a obra.

O Governo do Estado anunciou, no ano passado, que tinha o objetivo de construir dois presídios em Afonso Bezerra, com capacidade para 603 detentos em cada um. Somente agora o governo está viabilizando o processo para a escolha da empresa que fará as obras. O presídio deve ser construído numa área do antigo Banco do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte (BD/RN).

A empresa deverá ser especializada em construção pelo método pré-moldado de concreto. No edital, que está disponível para consultas, está definido tecnicamente como deverá ser o projeto básico e o cronograma para a realização das obras.

Ministro da Justiça não garante chefe da PF no cargo e critica imprensa

BRASÍLIA, DF, BRASIL, 02.06.2016. O ministro da Transparência, Torquato Jardim, dá entrevista sobre o aumento dos servidores e pauta de votações na Câmara, no Palácio do Planalto. (FOTO Alan Marques/ Folhapress) PODER

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, criticou neste sábado (24) o que chamou de “pós-verdade” em relação a informações de que decidiu trocar o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello. O ministro, no entanto, não garantiu a continuidade dele.

Torquato convocou veículos de imprensa para dar explicações. Ele, no entanto, falou durante dois minutos e se negou a responder perguntas. Durante o pronunciamento, no Ministério da Justiça, ele se levantou e deixou Daiello sozinho.

Em sua rápida fala, disse que há “absoluta harmonia” na condução das duas instituições e afirmou que o noticiário “não corresponde à verdade” e não “constrói afabilidade”, atrapalhando a condução dos interesses públicos. Em reunião antes do pronunciamento, com o diretor-geral, Torquato estava visivelmente nervoso, segundo relatos. As informações são da Folha de São Paulo.

Leia mais

Calote do governo de Moçambique no BNDES expõe risco para o país

Obras da usina hidrelétrica em Lauca

Um calote em Moçambique e uma difícil negociação em Angola mostram os riscos aos quais o Brasil ficou exposto com a estratégia de apoiar projetos de empreiteiras no exterior, que ganhou impulso no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo a Folha de São Paulo.

O governo de Moçambique não pagou duas parcelas do financiamento que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) deu para construção do aeroporto de Nacala, obra concluída pela Odebrecht em 2014.

O prejuízo está em pouco mais de US$ 15 milhões, mas pode aumentar. O total do empréstimo concedido é de US$ 125 milhões. O BNDES não informou o saldo devedor.

Como a operação teve aval do Fundo de Garantia à Exportação (FGE), o Tesouro, que administra o fundo, foi acionado para ressarcir o BNDES, e o prejuízo sobrou para o contribuinte brasileiro.

Governo gasta R$ 480 mil em comida e flores para gabinete de Temer

O presidente Michel Temer (PSDB) no lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar 2017/2020, em Brasília, nesta quarta

O governo irá às compras para abastecer o gabinete de Michel Temer de alimentos e de flores. Duas licitações abertas há alguns dias preveem, juntas, gastos de quase R$ 480 mil.

MESA COMPLETA

No pregão de registro de preços de comida, a Presidência estima gastar R$ 137 mil em itens como café, chá, leite, achocolatado, geleias, biscoitos doces e salgados, refrigerantes e sucos integrais. O edital lista, por exemplo, o fornecimento de 5 kg de figo seco (R$ 329 no total), 5.000 barrinhas de cereal (R$ 3.500 no total) e 39 mil garrafas de 1,5 l de água (R$ 50.310 no total).

PERFUME

Já as “flores nobres, tropicais e de campo” serão usadas em eventos com a presença do presidente, de ministros e de autoridades estrangeiras, além de arranjos no gabinete pessoal, nas residências oficiais e nas representações regionais. Serão 1.173 arranjos, de flores como orquídeas, rosas e lírios.

EM VIDA

O valor total da contratação, de R$ 341 mil, inclui também serviços de manutenção das plantas. A Presidência vai orçar ainda 32 coroas fúnebres, para o caso de “falecimentos de autoridades”. As informações são da colunista Monica Bergamo, Folha de São Paulo

Vergonha de ser brasileiro atinge recorde de 47%, diz Datafolha

Manifestantes fazem protesto contra a corrupção e a favor da lava jato em frente ao Congresso nacional. Eles pedem o fim do foro privilegiado e não a lista fechada nas eleições. Em 26.mar.2017

A crise política e econômica instalada no país contaminou a autoestima dos brasileiros. A vergonha de sua nacionalidade acometeu 47% da população, maior índice registrado pelo Datafolha desde o início da série histórica, em março de 2000.

De acordo com a pesquisa, 50% dos eleitores hoje sentem mais orgulho do que vergonha de serem brasileiros.

Houve uma queda brusca: em dezembro do ano passado, a taxa era de 69% e, em abril, 63%. Nesse intervalo, 28% tinham mais vergonha que orgulho em dezembro, e 34% em abril.

A pesquisa mostra que a corrupção, após mais de três anos de Operação Lava Jato, tornou-se a principal preocupação dos brasileiros. As informações são da Folha de São Paulo.

Leia mais