Deputados entram com ação contra ministros investigados

Opositores pedem afastamento por improbidade administrativa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, crime contra a ordem econômica e fraude em licitações

Deputados da oposição protocolaram nesta quarta-feira (19) na Comissão de Ética Pública da Presidência da República uma representação pedindo o afastamento dos oito ministros que serão investigados por terem sido citados nas delações premiadas de ex-executivos da Odebrecht por envolvimento em repasses ilegais de dinheiro.

A petição é assinada pelos deputados Afonso Florence (PT-BA) e Robinson Almeida (PT-BA), segundo a Agência Estado.

No documento, os deputados pedem que os ministros sejam afastados por atos de improbidade administrativa, prática de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, crime contra a ordem econômica e fraude em licitações. Os deputados argumentam que a conduta dos ministros “é incompatível com a ética e probidade públicas” e pedem que comissão adote as providências legais.

O ministro Edson Fachin, relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ordenou a abertura de inquéritos contra os oito ministros: Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Bruno Araújo (Cidades), Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência da República), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia), Helder Barbalho (Integração Nacional), Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e Marcos Antônio Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços). Os ministros negam as acusações.

Deixe um comentário