Fachin só deve receber pedidos de inquérito da Odebrecht semana que vem

Fachin só deve receber pedidos de inquérito da Odebrecht semana que vem

O mistério sobre o conteúdo completo da delação da Odebrecht permanecerá até a próxima semana. O material foi levado pela da Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF) na terça-feira e, desde então, está em uma sala trancada, com acesso restrito a alguns funcionários, para ser autuado e digitalizado. Os 83 pedidos de abertura de inquérito devem ser enviados ao relator da Lava-Jato, ministro Edson Fachin, a partir de segunda-feira.

Com a papelada em mãos, Fachin vai começar a analisar o material e decidir o pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para derrubar o sigilo judicial. A assessores, Fachin já disse que vai precisar de “alguns dias” para analisar tudo. Ele não especificou qual seria esse prazo.

A autuação dos pedidos de inquérito, que consiste em registrar tudo no andamento processual do STF, deve continuar na sexta-feira. Até quinta-feira à noite, os 83 pedidos de inquérito já tinham sido autuados. Havia ao menos 107 nomes sob sigilo. Desses nomes, podem haver repetições. Portanto, não se sabe ainda ao certo o número oficial de possíveis investigados. O pedido de inquérito com mais pessoas a serem investigadas tem cinco alvos.

Entre os 83 pedidos de abertura de inquérito, alguns podem ser redistribuídos a outros ministros. São investigações que partiram da Lava-Jato, mas que não se relacionam diretamente com o esquema de desvios da Petrobras. É possível que haja, por exemplo, investigações sobre o uso de caixa dois em campanhas eleitorais. Neste caso, Fachin encaminharia o caso para ser sorteado para outro ministro do STF. As informações são de O Globo.

Deixe uma resposta