Governo vai considerar opinião do Senado para indicar substituto de Janot

O presidente Michel Temer está disposto a manter a tradição de seguir a lista tríplice do Ministério Público para substituir o procurador-geral Rodrigo Janot, mas interlocutores dizem que ele pode mudar de ideia se houver riscos de o Senado rejeitar o primeiro da fila.

O Planalto trabalha com a informação de que qualquer nome ligado a Janot terá dificuldades para ser aprovado. A queda de braço de Janot com o ministro Gilmar Mendes, do STF, reforça a tese. “Claro que não vai ser ninguém dele”, diz quem participa da discussão, segundo a Coluna do Estadão.

A “linha de corte” do governo beneficia a procuradora Raquel Dodge, principal nome de oposição a Janot, que por sua vez apoia a candidatura do procurador Nicolao Dino.

Recentemente, Dodge propôs limitar o número de procuradores que podem ser emprestados para assessorar a PGR. Medida considerada por Janot prejudicial à Lava Jato. Já Dino pediu a cassação da chapa Dilma-Temer.

Deixe um comentário