‘Henrique é viciante’, disse empresário, antes de delatar ex-ministro

Henrique Eduardo Alves

“E eu digo que Henrique é viciante, porque quanto mais a gente convive, mais a gente quer conviver com ele”, afirmou o empresário Fred Queiroz, antes de entrar em delação premiada e confessar a operacionalização de suposto caixa dois de R$ 11 milhões ao ex-ministro dos governos Dilma e Temer, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Ligado ao peemedebista, Fred chegou a ser preso na Operação Manus, deflagrada no Rio Grande do Norte para apurar fraudes de R$ 77 milhões na construção da Arena das Dunas.

Em ação da PF no Rio Grande do Norte, o peemedebista foi preso preventivamente no dia 6 de junho – ele é investigado por desvios nas obras do estádio e, em Brasília, é alvo da Operação Sépsis, por supostas irregularidades na Caixa Econômica Federal

O empresário confessou ter operado R$ 11 milhões em caixa dois para a campanha de Henrique Alves em 2014, ao governo potiguar. Ele relatou ter buscado R$ 7 milhões, ainda no primeiro turno, das mãos de um emissário, que teria levado, em um avião, o montante em dinheiro vivo. O site O Antagonista apurou que o doleiro Lúcio Funaro afirma, em delação, ser a pessoa que levou as cédulas ao empresário, em voo ao Rio Grande do Norte. As informações são da Agência Estado.

Em vídeo gravado depois das eleições de 2014, durante uma comemoração de fim de ano, o empresário exaltava o peemedebista que agora delata na Manus. “Só consegue ter fidelidade quem é fiel com os outros. E a vida toda ele (Henrique Alves) foi fiel”, afirmou.

Fred ainda se refere a Robinson Faria (PSD) ao dizer que “talvez o governador eleito não tenha tido a oportunidade de ter no final de ano isso aqui (a comemoração)”. “Não sei. Talvez não tenha.”

“E eu digo que Henrique é viciante, porque quanto mais a gente convive, mais a gente quer conviver com ele, mais a gente admira, gosta. E até a forma como ele tem se portado. Ele está uma pessoa divertida, está uma pessoa mais leve, está uma pessoa mais atenta. Atento ele sempre foi”, exaltou, em vídeo.

O advogado Marcelo Leal, que defende Henrique Eduardo Alves, disse que “a delação premiada de Fred Queiroz é um dos mais sórdidos exemplos da vilania ética do próprio instituto, que transforma amizades, antes cantadas em versos, em repúdio escondido na escuridão da vergonha. Fred Queiroz, sua esposa e filho são inocentes e somente o temor injustamente incutido pelo Estado pode justificar que fatos lícitos ganhem roupagem de crime. A defesa de Henrique Alves confia em provar a licitude de sua conduta”.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: