Hospital confirma visitas de contador ligado a advogado de Lula a empresário

Resultado de imagem para Hospital Sírio-Libanês

Em ofício ao juiz Sergio Moro, o Hospital Sírio-Libanês confirmou que o contador João Muniz Leite visitou o empresário Glaucos da Costamarques três vezes enquanto estava internado para um procedimento cardiovascular. Segundo Glaucos, o contador teria visitado para colher as assinaturas dos recibos referentes ao ano de 2015.

Nesse caso, o ex-presidente Lula é acusado de receber propinas da Odebrecht por meio da aquisição de um terreno que serviria de sede para o Instituto Lula e pelo aluguel de um apartamento vizinho ao que mora na cobertura de um prédio em São Bernardo do Campo. A força-tarefa da Lava-Jato alega que Lula nunca pagou os alugueis ao proprietário do imóvel, Glaucos da Costamarques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai.

Em petição encaminhada a Moro no último dia 28, Glaucos da Costamarques afirmou que o não recebeu alugueis referentes ao apartamento vizinho ao que mora o ex-presidente Lula até novembro de 2015, após a prisão de seu primo José Carlos Bumlai.

No ofício encaminhado a Moro, o hospital confirmou as visitas de João Muniz Leite, contador ligado ao advogado do ex-presidente Lula Roberto Teixeira. As informações são de O Globo.

“Identificamos nos documentos ora anexados, 3 registros de visitas realizadas por João Muniz Leite, uma visita ocorrida no dia 3 de dezembro de 2015 e duas visitas ocorridas no dia 4 de dezembro de 2015”, afirma o ofício, que ressalta que não encontrou registros de visitas de Roberto Teixeira a Glaucos.

Os pagamentos só começaram a ocorrer, de acordo com Glaucos, após uma visita de Roberto Teixeira ao defendente quando este estava internado no Hospital Sírio Libanês.

“O pagamento de alugueres, esclareça-se, só começou a ocorrer após visita do Dr. Roberto Teixeira ao defendente, quando este estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde Glaucos se submeteria a intervenção cardiovascular. Foi nesta visita que o referido advogado informou-o de que os alugueres passariam a ser pagos regularmente”, afirmou na petição.

No controle de visitas apresentado pelo Hospital Sírio-Libanês, constam três visitas de João Muniz Leite. No dia 3 de dezembro, o contador passou uma hora no hospital, das 14h24 às 15h24. No dia seguinte, voltou ao hospital e visitou Glaucos da Costamarques duas vezes no mesmo dia: primeiro das 11h53 às 12h22 e depois das 15h18 às 16h40.

Hoje, a defesa do ex-presidente Lula confirmou que possui os documentos originais. Entre os anexos apresentados pelos advogados do ex-presidente está uma declaração do contador João Muniz Leite.

Segundo Leite, ele teria prestado serviços contábeis a Glaucos da Costamarques de 2010 a 2015 e, durante esse período, o assessorou na elaboração do seu imposto de renda e na emissão de guias para recolhimento de impostos, incluindo os recibos de aluguéis de um apartamento para a ex-primeira-dama Marisa Letícia, já falecida.

“No ano de 2015 estive no Hospital Sírio-Libanês para tratar com o Sr. Glaucos de alguns assuntos, inclusivo dos recibos de aluguéis. Mas não corresponde à verdade que naquela oportunidade eu teria colhido do Sr. Glaucos as assinaturas em todos os recibos relativos à locação para a Sra. Marisa Letícia lula da Silva, e sim em apenas alguns meses, que embora tivéssesmos os recibos, os mesmo não estavam assinados”, afirmou o contador.

Segundo o ofício do hospital, enviado hoje a Moro, não foram encontradas visitas de Roberto Teixeira não apenas a Glaucos, mas a outros pacientes do hospital no período. Porém, o próprio advogado, em seu depoimento ao juiz Sergio Moro, confirmou que se encontrou com Glaucos.

Segundo Roberto Teixeira, ele estava no hospital para fazer um curativo, uma vez que tem problemas crônicos no coração e sofreu uma infecção hospitalar após um procedimento no hospital.

— Quando eu voltei para fazer um curativo, encontrei no saguão com o Glaucos. Ele na época mostrou interesse apenas em saber como é que estaria regularizada a titulação desse imóvel, exatamente esse assunto que nós falamos, a respeito do inventário, porque ele também havia sofrido uma série de percalços físicos e ele estava preocupado em deixar essas situações, os imóveis todos regularizados para a família, mais ou menos foi isso a conversa que nós tivemos — disse.

Roberto Teixeira negou, no entanto, que tratou do aluguel do imóvel com Glaucos da Costamarques.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: