Ministro Gilmar ameaça o combate à corrupção e quer impedir o MP de investigar, diz procurador.

Resultado de imagem para Procuradores repudiam críticas de Gilmar

Procuradores do Ministério Público reunidos em evento no Rio criticaram o ministro Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira, 19. O titular do tribunal afirmou nesta segunda haver “abusos” de juízes e procuradores em investigações durante palestra em Pernambuco. “Afirmar que o Ministério Público Federal tem exagerado não condiz com a verdade. Venho aqui repudiar essa fala, que é um desserviço”, disse o subprocurador-geral da República, Nicolao Dino em debate que ocorre no Rio entre os oito candidatos à formação da lista tríplice para procurador-geral da República.

As declarações de Gilmar que causaram mal-estar foram as seguintes: “Investigação sim, abuso não”. Em outro momento, afirmou: “Expandiu-se demais a investigação, além dos limites. Abriu-se inquérito para investigar o que já estava explicado de plano. Qual é o objetivo? É colocar medo nas pessoas. É desacreditá-las. Aí as investigações devem ser questionadas”, disse Gilmar.

Outro candidato, o subprocurador geral da República, Eitel Santiago, disse que Gilmar “tem sido complicado às vezes por falar demais”. Santiago também afirmou que se for escolhido para a vaga de procurador-geral da República dará continuidade às investigações, “mas com obediência à lei”. “Vou lutar para os colegas continuarem combatendo a corrupção.”As informações de O Estado de São Paulo.

Em tom de provocação, Santiago citou ainda que outra candidata, Raquel Dodge, teria o apoio de Gilmar – ela é vista como uma das favoritas à lista, ao lado do subprocurador da República Mario Bonsaglia. “Não procurei o ministro (da Justiça) Torquato (Jardim) ou Gilmar Mendes para que apoiassem o meu nome. Tenho me dirigido apenas internamente à classe. Mas caso entre na lista, farei contatos, como com o ministro da Justiça”, respondeu Raquel.

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, do Ministério Público Federal do Paraná, usou as redes sociais para dizer que o ministro ameaça o combate à corrupção e quer impedir o MP de investigar.

“Gilmar Mendes ameaça todo combate à corrupção de retrocesso. Quer impedir o Ministério Público de investigar. Quer impedir a execução da pena após a decisão de 2.º grau. Precisamos resistir e fazer valer as leis e a Constituição, e não a vontade de déspotas pouco esclarecidos”, escreveu o procurador em seu perfil no Facebook.

Impeachment. Na semana passada, o ex-procurador-geral da República Cláudio Fonteles protocolou um pedido de impeachment no Senado contra Gilmar. Em documento assinado em conjunto com o constitucionalista Marcelo Neves, professor da Universidade de Brasília (UnB), Fonteles alega crime de responsabilidade do ministro por sua conduta em diferentes ocasiões. Fonteles cita, por exemplo, a conversa gravada pela Polícia Federal entre o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o ministro em que tratam sobre a lei de abuso de autoridade. “É claramente uma atuação política que não condiz com o cargo que ele exerce”, disse Fonteles.

Deixe um comentário