Parada Gay deve atrair 3 milhões em São Paulo

Três milhões de pessoas são esperadas neste domingo na Avenida Paulista, em São Paulo, para a 21ª Parada do Orgulho LGBT. A tradicional marcha, que já ocupa data fixa no calendário do município, terá a “importância do Estado laico” como tema para 2017. As atrações confirmadas incluem shows de Anitta e Daniela Mercury, além de 19 trios elétricos. A apresentadora Fernanda Lima será a madrinha do evento. Além do desfile na Avenida Paulista, um show de encerramento será realizado no Vale do Anhangabaú a partir das 19h. A concentração começa às 10h em frente ao vão do Masp, com início da marcha previsto para às 13h e a chegada do último trio, às 18h.

Bares, restaurantes e hotéis de São Paulo estão cheios para a parada, que movimenta a economia paulistana e é considerada atualmente a maior do mundo. Locais como a fachada do Conjunto Nacional, no coração da Avenida Paulista, já estavam decorados ontem.

A marcha atrai pessoas de todo o país e também turistas estrangeiros – que corresponderam a 3,6% dos presentes na edição de 2016, de acordo com pesquisa do Observatório de Turismo e Eventos, núcleo ligado à empresa oficial de turismo do município. As informações são de O Globo.

O levantamento apontou que 44,2% das pessoas que compareceram ao evento eram de outras cidades. Entre os turistas, 38,8% chegaram a São Paulo no dia da marcha e foram embora logo depois da parada, sem pernoitar, enquanto 17,9% se hospedaram em hotéis e flats. Cerca de 22% buscaram estadia em casas de amigos ou parentes.

Ainda segundo o relatório, entre 2012 e 2016, o gasto médio dos turistas em São Paulo cresceu 18%, passando de R$ 1,3 mil para R$ 1,5 mil.

A presidente da Associação da Parada do Orgulho de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros de São Paulo (APOGLBT-SP), Cláudia Regina, afirmou que a discussão em torno do Estado laico se faz necessária pela constância com a qual a população LGBT se sente atacada pelo que chama de “fundamentalistas religiosos”.

— Nossos principais inimigos hoje são os fundamentalistas religiosos, grupos de pessoas dentro de algumas religiões que insistem em nos condenar e retirar direitos já adquiridos. No Congresso Nacional, por exemplo, o debate sobre a criminalização da LGBTfobia é repleto de ataques de parlamentares da bancada religiosa e conservadora, muito dos quais utilizando-se de suas imunidades parlamentares para disseminar o ódio a uma parcela da população – declarou no site oficial do evento.

A página oficial divulgou o “respeito à diversidade” como justificativa para a escolha do tema: “A laicidade do Estado democrático garante respeito à diversidade religiosa, humana e cultural. O Estado deve assegurar todos os direitos humanos, tais como a liberdade religiosa, o direito de cada cidadão a exercer ou não a religiosidade que quiser, mas deve ser garantida a não discriminação. Além disso, é necessária a autonomia do Estado frente às Igrejas, garantindo sua imparcialidade.”

Os 19 trios elétricos que integram a festa são patrocinados por instituições e empresas parceiras. A prefeitura, por sua vez, investiu aproximadamente R$ 1,5 milhão na infraestrutura do evento – a quantia é a mesma disponibilizada para a edição do ano passado, segundo o município. O prefeito João Doria não acompanhará o evento. Ele faz a primeira viagem pessoal desde que assumiu a prefeitura: está em Porto Rico para os 15 anos da filha.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: