Lista fechada dará mais poder a caciques partidários, diz Marina

Lista fechada dará mais poder a caciques partidários, diz Marina

ISABEL FLECK – Folha de São Paulo – ENVIADA ESPECIAL A CAMBRIDGE

A líder da Rede, Marina Silva, disse, nesta sexta-feira (7), que o modelo de “lista fechada”, em que o eleitor escolhe um grupo de candidatos pré-definido pelos partidos, excluirá o cidadão e dará “mais poderes para os partidos e para os caciques”, numa eventual reforma política.

“No momento em que você tem uma crise como essa, você tem como resposta mais poderes para os partidos, com a ideia do super fundo partidário, tem mais poderes para os caciques dos partidos, que seria a história do o voto na lista fechada. É uma contradição”, disse, em palestra no MIT (Massachusetts Institute of Technology), em Cambridge. “O cidadão quer participar e, no entanto, a resposta que tem é de mais exclusão.”

Marina, que foi derrotada nas duas últimas campanhas presidenciais (2010 e 2014), diz defender o financiamento público de campanha, “mas não com o volume [de recursos] que estão propondo”. O relator da reforma eleitoral na Câmara, Vicente Cândido (PT-SP), sugeriu a criação de um fundo de R$ 2,2 bilhões em dinheiro público para financiar as campanhas de 2018.

Ler mais

Salário mínimo para 2018 é estimado em R$ 979

Salário mínimo para 2018 é estimado em R$ 979

Aumento seria de 4,5% em relação ao valor atual, de R$ 937; nesta sexta, governo anunciou revisão da meta fiscal para o ano que vem de déficit de R$ 129 bilhões

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, afirmou nesta sexta-feira, 7, que o salário mínimo previsto para o ano que vem é de R$ 979 – aumento de 4,5% sobre o valor atual. Atualmente, o salário mínimo está em R$ 937. 

“É um resultado da aplicação da regra atual”, afirmou, durante coletiva para anunciar a meta fiscal para 2018, que será um déficit primário de R$ 129 bilhões para o Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central). As informações são de O Estado de São Paulo.

Ler mais

Vereador Paulo Brito diz que Walace agiu com prepotência e vai acionar a Justiça para derrubar demagogia barata

Vereador Paulo Brito diz que Walace agiu com prepotência e vai acionar a Justiça para derrubar demagogia barata

Depois do vereador Mahteus do Frutilândia, do PSD, usar a tribuna da Câmara Municipal do Assú para externar a sua indignação pelo ato antidemocrático praticado pelo presidente da Mesa Diretora João Wálace, do PR, o vereador e atual primeiro secretário da Mesa Paulo Brito, do PP, classificou o ato de Wálace, de retirar de pauta o projeto de antecipação das eleições sem base regimental, como gesto prepotente e arrogante.

Paulo Brito acusou o presidente de querer desengavetar um projeto de reeleição da Mesa Diretora e afirmou que eleição antecipada nunca foi algo ilegal, mas alguns vereadores e o presidente que são contra a antecipação estão agindo com demagogia barata. Ele prometeu que vai acionar a Justiça para que a eleição seja realizada de acordo com o projeto legislativo.

Escute abaixo trecho do pronunciamento do vereador Paulo Brito:

Bancada evangélica celebra retirada de questão de gênero de base curricular

Bancada evangélica celebra retirada de questão de gênero de base curricular

Horas antes de o MEC (Ministério da Educação) divulgar documento que subtrai as expressões “identidade de gênero” e “orientação sexual” da base nacional curricular, o presidente Michel Temer recebeu deputados da Frente Parlamentar Evangélica no Palácio do Planalto.

O grupo tinha uma meta: convencer Temer do quão “absurda” era “a pedagogia que busca impor uma teoria com base sociológica que desconsidera a realidade biológica das crianças e adolescentes”.

É o que diz ofício entregue ao presidente no dia, assinado pelos presidentes das frentes evangélica e da família, os pastores Hidezaku Takayama (PSC-PR) e Alan Rick (PRB-AC), mais o vice-presidente da bancada católica, deputado Flavinho (PSB-SP). As informações são da Folha de São Paulo.

Ler mais

Sem reforma, eleição ficaria entregue ao crime organizado, diz Gilmar

Sem reforma, eleição ficaria entregue ao crime organizado, diz Gilmar

Enviada especial a Cambridge, Isabel Flek – Folha de São Paulo

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, disse nesta sexta-feira (7) que o Brasil corre o risco de ter uma eleição “muito distorcida” em 2018 se não aprovar uma mudança em seu sistema eleitoral até 2 de outubro deste ano.

“Vamos para a eleição de 2018, que é uma eleição grande, sem modelo específico, só com doação das pessoas físicas –que não há tradição no Brasil, e muito provavelmente vamos ficar entregues ao crime organizado, a pessoas que já trabalham no ilícito, ou a algumas organizações que têm modo próprio de financiamento”, disse Mendes, pouco antes de falar em evento no MIT (Massachusetts Institute of Technology), em Cambridge.

Depois, ao participar de um debate com a presença do ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, Mendes destacou que o crime organizado já está operando no campo que não é mais ocupado por doações de empresas. “Em São Paulo, promotores me disseram que tem três candidatos eleitos pelo PCC na Câmara de Vereadores”, disse. “Não preciso falar do Rio de Janeiro”, completou, arrancando risadas do público.

Ler mais

STJ manda soltar conselheiros do TCE do Rio e os afasta do cargo por 180 dias

STJ manda soltar conselheiros do TCE do Rio e os afasta do cargo por 180 dias

O ministro Felix Fischer, do STJ (Superior Tribunal de Justiça) determinou nesta sexta (7) a liberação dos cinco conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio presos no dia 29 de março pela Operação Quinto do Ouro, que investiga pagamento de propinas para a liberação de contratos com o governo estadual.

Em seu despacho, o ministro afasta os cinco do cargo por 180 dias e determina que entreguem seus passaportes à Justiça. Eles só poderão sair do Rio com autorização judicial. O conselheiro Jonas Lopes, que delatou o esquema, também foi afastado.

Além disso, Fischer determinou o bloqueio de cerca de R$ 7 milhões nas contas de três conselheiros: Marco Antônio Alencar (R$ 3,65 milhões), José Maurício Nolasco (R$ 2,43 milhões) e Domingos Brazão (R$ 1,37 milhões). As informações são da Folha de São Paulo.

Ler mais

Robinson defende o Turismo como política de Estado em abertura de evento do setor

Robinson defende o Turismo como política de Estado em abertura de evento do setor 

O governador Robinson Faria participou da abertura do maior evento de turismo do Rio Grande do Norte, na tarde desta sexta-feira, 7.  O Fórum de Turismo do RN acontece até amanhã, 8, e vai reunir no Centro de Convenções debates importantes para o desenvolvimento do setor que, juntamente com o comércio, é responsável por 35% de todas as riquezas geradas no estado.

“É a terceira vez que venho a este evento. Isso demonstra o compromisso do Governo do Estado, da Secretaria do Turismo e de nossa equipe, que transformou este segmento em uma política pública”, assinalou Robinson Faria. “Podem contar com minha presença sempre que precisar. Temos um estado com grande vocação turística e fomentar esta atividade é uma atribuição encarada com muita seriedade por nosso governo”, acrescentou.  

Ler mais

Matheus diz que presidente da Câmara do Assú censura vereadores por mandar cortar som dos microfones

Matheus diz que presidente da Câmara do Assú censura vereadores por mandar cortar som dos microfones

Após a confusão entre os vereadores no plenário da Casa, o vereador Mahteus do Frutilândia, do PSD, usou ontem a tribuna da Câmara Municipal do Assú para externar a sua indignação pelo ato antidemocrático praticado pelo presidente da Mesa Diretora João Wálace, do PR, que mandou cortar o som dos microfones dos vereadores, impedindo e proibindo que eles fizessem até questão de ordem.

No seu rápido pronunciamento, o vereador do PSD condenou o gesto do presidente João Wálace que permitiu a leitura do projeto que pede a realização das eleições para a nova Mesa Diretora durante o biênio  2019/2020 e depois sem nenhuma base legal, retirou o projeto de pauta, caracterizando assim, um ato arbitrário e antidemocrático do presidente.

Escute trecho do discurso do vereador que diz estar indignado com atitude do presidente do legislativo assuense:

Lula diz que está ‘ansioso’ para prestar depoimento a Moro

Lula diz que está ‘ansioso’ para prestar depoimento a Moro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira (7) que está “ansioso” para prestar depoimento ao juiz federal Sergio Moro, responsável pela Lava Jato em Curitiba, no processo em que o petista responde por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro.

“Estou ansioso para esse depoimento porque é a primeira oportunidade que eu vou ter de poder saber qual é a acusação que eles têm contra mim e qual é a prova que eles têm contra mim”, disse Lula em entrevista à rádio “O Povo CBN”, de Fortaleza.

Lula diz estar “muito tranquilo” sobre o depoimento, marcado para o dia 3 de maio. “Quero saber prova efetiva que têm. Prova significa documento, significa coisa escrita, significa conta bancária, significa um monte de coisa”, afirmou. As informações são da Folha de São Paulo.

Ler mais

Justiça bloqueia R$ 476,9 milhões do PP e de dez políticos

Justiça bloqueia R$ 476,9 milhões do PP e de dez políticos

Na ação, a força-tarefa da Lava Jato imputa atos de improbidade administrativa e pede que grupo seja condenado a a ressarcir R$ 2,3 bi ao erário

O juiz Friedmann Anderson Wendpap decretou nesta sexta-feira (7) o bloqueio de R$ 476.917.797,44 em ação de improbidade, na operação Lava Jato, contra o Partido Progressista, dez políticos e um ex-assessor do partido.

Foram bloqueados diretamente do caixa da agremiação R$ 9,88 milhões. O confisco se estende a um grupo de 10 políticos, entre eles Pedro Corrêa, ex-presidente do partido, que teve bloqueados R$ 46,8 milhões.

A decisão do magistrado foi dada em ação ajuizada pelo Ministério Público Federal, no Paraná, em 22 de março deste ano. A Procuradoria da República apresentou à Justiça Federal ação de civil pública contra o PP e 10 políticos da legenda – os deputados federais Nelson Meurer (PP-PR), Mário Negromonte Júnior (PP-BA), Arthur Lira (PP-AL), Otávio Germano (PP-RS), Luiz Fernando Faria (PP-MG) e Roberto Britto (PP-BA), além dos ex-deputados Pedro Corrêa (PP-PE), Pedro Henry (PP-MT), João Pizzolatti (PP-SC) e Mário Negromonte (PP-BA) -, além do ex-assessor João Genu.

Ler mais

STF arquiva inquérito contra Marco Feliciano por peculato e crime contra a honra

STF arquiva inquérito contra Marco Feliciano por peculato e crime contra a honra

Investigação foi aberta em 2013 a pedido da Procuradoria-Geral da República após representação promovida pelos deputados Jean Wyllys e Érica Kokay

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello decidiu hoje (7) arquivar inquérito aberto para investigar o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) pelos crimes de peculato e contra a honra.

O ministro atendeu a pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que descartou o andamento das investigações por falta de provas.

A investigação foi aberta em 2013 a pedido da própria PGR, após representação promovida pelos deputados Jean Wyllys (PSOL-RJ) e Érica Kokay (PT-DF), que acusaram Feliciano de ser responsável pela veiculação de vídeos postados na internet contra os autores da ação e de supostas irregularidades na contratação de membros de sua igreja no gabinete na Câmara.

Ler mais

Prefeito de Ipanguaçu Valderedo, a maior serpente política do Vale do Açu nos últimos tempos

Prefeito de Ipanguaçu Valderedo, a maior serpente política do Vale do Açu nos últimos tempos

O prefeito de Ipanguaçu Valderedo Bertoldo, é a maior víbora venenosa da política do Vale do Açu que apareceu nos últimos tempos. Igual a serpente que enganou Adão e Eva, Valderedo, se fez de bobo e acabou passando a perna no ex-prefeito Leonardo Oliveira.

Na campanha eleitoral, ele buscou ajuda e obteve o apoio do deputado estadual José Adécio. Logo após pegar na caneta, ele abandonou o parlamentar do DEM que sempre o socorreu nas horas de dificuldades antes e durante a campanha.

Primeiro secretário da Câmara de Vereadores do Assú se recusa a ler ata por causa de radicalismo do presidente

Primeiro secretário da Câmara de Vereadores do Assú se recusa a ler ata por causa de radicalismo do presidente

Com confusão e xingamento no plenário da Câmara de Vereadores do Assú, o primeiro secretário Paulo Brito diz que nunca tanto radicalismo como o de Wálace.

Com a proibição arbitrária imposta pelo presidente da Câmara Municipal do Assú João Wálace, de mandar retirar de pauta, projeto de eleições da Mesa Diretora para o biênio 2019/2020, o clima ficou tenso, depois que o presidente mandou cortar o som dos microfones do plenário e foi chamado de ditador pelos colegas – o primeiro secretário e vereador Paulo Brito se recusou a voltar a ler a ata dos trabalhos como protesto.

Endiabrado, o presidente João Walace, ficou batendo boca com os colegas e mandou até vereador se calar e afirmou que ele só iria falar na vez e quando fosse autorizado. Com a confusão generalizada, o primeiro secretário Paulo Brito, afirmou que nos últimos 24 anos nunca viu tanto radicalismo como a praticada por Wálace naquele momento.

Escute abaixo trecho da gravação da confusão na Câmara de Vereadores do Assú:

João Wálace, o Trump da Silva, da Câmara de Vereadores do Assú

João Wálace, o Trump da Silva, da Câmara de Vereadores do Assú

Em Assu, o presidente da Câmara de Vereadores João Wálace, do PR, após protagonizar um espetáculo grotesco de um ditador de meia tigela ontem á noite, quando mandou retirou de pauta projeto assinado por oito vereadores sem nenhuma base legal, passou a ser chamado de Trump da Silva.

Wálace é um tipo político estilo Trump que semeia confusão a distância por causa de sua prepotência e arrogância. Mal educado e estúpido, Waláce não respeitou os seus colegas de parlamento e ainda quer mudar o regimento para ter direito a reeleição que atualmente é proibida.

Deputados rejeitam pedido de juízes e procuradores para ficarem de fora da reforma da Previdência

Deputados rejeitam pedido de juízes e procuradores para ficarem de fora da reforma da Previdência

A cúpula da comissão especial da reforma da Previdência descartou a possibilidade de excluir juízes e integrantes do Ministério Público das mudanças propostas pelo governo para o sistema de pensões e aposentadorias. A exclusão está prevista em emenda à PEC 287/16 apresentada pelo deputado Lincoln Portela (PRB-MG), como mostrou ontem (6) o Congresso em Foco.

Para o presidente do colegiado, Carlos Marun (PMDB-MS), a reivindicação de magistrados, promotores e procuradores é inaceitável. “Esse privilégio não tem a menor chance de ser aprovado, nem na comissão especial e muito menos pelo plenário da Casa”, disse Marun.

O relator da reforma, deputado Arthur Maia (PPS-BA), adiantou que vai rejeitar a emenda. Maia já avisou que vai recusar todos os pedidos para excluir categorias de servidores públicos das novas regras de pensão e aposentadoria.

Ler mais