Vereadores do Assú devem gastar mais de R$ 70 mil/mês com refeições no restaurante do presidente Câmara

Com a polêmica criada por causa do famoso vale alimentação dos vereadores, projeto de lei aprovado na Câmara Municipal do Assú e sancionado pelo prefeito Gustavo Soares, que vai gerar uma despesa mensal superior a R$ 70 mil e que custará um total de R$ 280 mil aos cofres públicos até dezembro de 2017, sem falar que o custo dessa farra até dezembro de 2020, atingirá o montante de quase R$ 2 milhões – começa a circular nos bastidores que o restaurante ‘Badalado‘ de propriedade do atual presidente da Casa, João Wálace, está credenciado a fornecer refeições aos vereadores e servidores do legislativo assuense que foram beneficiados.

Além de conquistar os 15 vereadores do Assú como eleitores para o seu projeto de reeleição de presidente da Mesa Diretora até dezembro de 2020, o vereador João Wálace, também garante aproximadamente 15 clientes que tem a disposição mais de R$ 1 mil dos cofres públicos para fazer refeições no seu estabelecimento comercial. Na foto acima, os vereadores na companhia de Wálace, demonstram que pretendem prestigiar o restaurante Badalado, gastando o dinheiro do contribuinte na empresa do colega.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: