Assustado,Temer pede suspensão de nova denúncia até julgamento de Janot

O presidente Michel Temer pediu que a tramitação de uma eventual nova denúncia contra ele seja suspensa até que o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) julgue o pedido de suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

A defesa de Temer entrou com um recurso para tentar reverter a decisão do ministro Edson Fachin, do STF, que rejeitara o pedido para afastar Janot de investigações contra o presidente por considerá-lo parcial.

Fachin disse que as manifestações do procurador-geral não permitem a conclusão da existência de relação de “inimizade capital” entre Temer e Janot –um dos motivos previstos na legislação para barrar a atuação do chefe do MPF.

OAB não apura advogados citados por JBS

Imagem relacionada

Quase quatro meses após a divulgação da delação da JBS, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ainda não abriu procedimentos disciplinares para apurar suspeitas envolvendo escritórios de advocacia mencionados nos depoimentos da empresa. Segundo os delatores, o pagamento de notas frias a advogados foi um dos principais meios de repasse de propina a políticos.

Após a divulgação do caso, em maio, o presidente nacional da OAB, Cláudio Lamachia, pediu informações sobre o assunto ao Supremo Tribunal Federal – era o primeiro passo para avaliar a possibilidade de punições disciplinares. Até agora, porém, nenhuma sanção foi aplicada e os casos seguem sem uma apuração interna formal.

O lobista da JBS Ricardo Saud disse em sua delação que tratou de pagamentos com “mais de cem escritórios de advocacia”. Procurada, a OAB disse que acompanha os fatos e “se houver algum fato concreto envolvendo advogados e escritórios de advocacia em irregularidades, eles serão apurados”. As informações são da Agência Estado.

Para se casar com plebeu, princesa do Japão deixa família real

ctv-pni-mako-kei-komuro

A princesa japonesa Mako e seu noivo, Kei Komuro. Foto: Shizuo Kambayashi/AP

A princesa do Japão, Mako, comunicou neste domingo, 3, que está deixando a família real para se casar com um cidadão comum no país. Pela lei japonesa, as mulheres da família real não podem se casar com plebeus. Se optam por fazê-lo, perdem o título de nobreza. A lei não é váilda para os homens.

A própria Mako fez o anúncio em uma coletiva de imprensa, acompanhada pelo noivo, o advogado Kei Komuro. Eles se conheceram na faculdade e decidiram se casar há três anos. O comunicado estava previsto para acontecer no mês de julho, mas foi postergado devido ao sofrimento de uma região do país, que foi gravemente atingida pela chuva na época.

“Eu estava avisada que deveria deixar a família real se me casasse”, disse a princesa. “Trabalhei para ajudar o imperador e cumpri com as tarefas da nobreza tanto quanto pude. Gostei da minha vida até aqui”.

Leia maisPara se casar com plebeu, princesa do Japão deixa família real

Questionado sobre quando deixa governo, Alckmin cita abril ou dezembro de 2018

Resultado de imagem para Questionado sobre quando deixa governo, Alckmin cita abril ou dezembro de 2018

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), disse hoje que em não pretende deixar o governo antes de abril para se dedicar a uma eventual campanha à Presidência da República. Questionado se haveria chance de entregar o cargo em janeiro, Alckmin respondeu “Não, em nenhuma hipótese”, conforme áudio de entrevista dada hoje em evento público fornecido pela assessoria de imprensa do Palácio dos Bandeirantes ao Broadcast.

Alckmin, que já adiantou na semana passada que quer ser “presidente do povo brasileiro”, negou a hipótese de deixar o governo paulista em janeiro e disse que há apenas duas possibilidades: Caso seja candidato, umas delas é cumprir o prazo da lei eleitoral, que determina a descompatibilização de cargos públicos nove meses antes do pleito. “Então seria acho que comecinho de abril”. “A outra possibilidade é concluir o mandato em 31 de dezembro”, disse. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia maisQuestionado sobre quando deixa governo, Alckmin cita abril ou dezembro de 2018

 Robinson destaca turismo religioso no RN após a canonização dos Mártires

No mês de outubro, os mártires de Cunhaú e Uruaçu, vítimas de massacres ocorridos em 1645, nos municípios de Canguaretama e São Gonçalo do Amarante, serão canonizados e reconhecidos como santos pela Igreja Católica. O fato marca a história, religião e turismo do Rio Grande do Norte, já que o estado potiguar terá os primeiros mártires santificados do Brasil. Damiana Vicente Ferreira, mora em Canguaretama, é devota dos mártires de Cunhaú e comemora a canonização. “Minha família inteira tem devoção pelos mártires que derramaram sangue por Jesus. Tudo que peço a eles, consigo alcançar”, contou a fiel.

Para discutir os detalhes do evento que acontecerá no Vaticano, em Roma e o apoio do Governo do Estado na preparação do município de Canguaretama para receber fiéis após a canonização, o governador Robinson Faria esteve na cidade da região Agreste na manhã deste domingo (03) e participou de uma missa no Santuário Chama de amor, com o padre José Neto. Antes da missa, Robinson visitou a Fazenda Cunhaú, onde está a capela Nossa Senhora de Candeias, um dos cenários do massacre.

Na ocasião, o governador afirmou que será construída uma área de lazer, banheiros e serão oferecidas opções de lanchonetes e restaurantes. Além disso, Robinson destacou que a estrada que liga a BR-101 a igreja principal será restaurada. “O local ficará adequado para receber a alta demanda de visitantes”, destacou o chefe do executivo estadual.

Leia mais Robinson destaca turismo religioso no RN após a canonização dos Mártires

Incerteza sobre candidatura de Lula embaralha eleição no NE

Resultado de imagem para Incerteza sobre candidatura de Lula embaralha eleição no NE

As dúvidas sobre a candidatura de Lula ao Palácio do Planalto em 2018 provocaram um impasse na definição das estratégias eleitorais dos principais partidos do país, especialmente no Nordeste.

Em busca de uma carona na popularidade do ex-presidente, políticos de siglas como PMDB e PP abriram articulações com o PT na região para a construção de chapas conjuntas a governos estaduais e ao Senado —apesar de suas legendas estarem alinhadas a uma possível candidatura do PSDB na disputa nacional.

No entanto, como a participação de Lula nessa eleição ainda dependerá de decisões judiciais, as negociações para a montagem de muitos desses palanques locais passaram a enfrentar dificuldades que talvez só tenham um desfecho às vésperas do início das campanhas.

O fator Lula criou empecilhos para o PMDB de Michel Temer no Ceará, por exemplo. O partido defende o lançamento de uma candidatura presidencial ao lado de PSDB e DEM, mas o presidente do Senado, Eunício Oliveira (CE), quer subir ao palanque ao lado do petista para disputar sua reeleição. “Por que não? Essa candidatura terá um impacto muito forte no Nordeste”, disse Eunício. As informações são de BRUNO BOGHOSSIAN, Folha de São Paulo.

Leia maisIncerteza sobre candidatura de Lula embaralha eleição no NE

TCU aponta desvios até 70% maiores na Petrobrás

 

A análise de provas da Operação Lava Jato tem feito o Tribunal de Contas da União (TCU) rever a apuração de prejuízos em obras da Petrobrás. A corte refez os cálculos de superfaturamento, com base em documentos obtidos em quebras de sigilo de empreiteiras investigadas, e já descobriu desvios até 70% maiores do que os constatados em auditorias antigas.

A reavaliação foi feita em três contratos da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e um do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). As perdas ao erário até agora apontadas nesses casos, em valores atualizados, somam R$ 3,7 bilhões.

O TCU recebeu da 13.ª Vara Federal Criminal de Curitiba, do juiz Sérgio Moro, notas fiscais emitidas por fornecedores de materiais usados pelas empreiteiras nas obras da Petrobrás. Os documentos mostraram o custo real de equipamentos específicos da indústria de petróleo, os chamados “itens tagueados”, que antes não constavam dos sistemas oficiais de pesquisa de preços consultados pelo tribunal. Ao comparar os valores praticados no mercado com os previstos nos contratos, revelou-se um rombo maior. As informações são de Fábio Fabrini, O Estado de S.Paulo.

Leia maisTCU aponta desvios até 70% maiores na Petrobrás

Coreia do Norte anuncia primeiro teste com bomba de hidrogênio

KCNA/Handout via Reuters

A Coreia do Norte anunciou neste domingo, 3 de setembro, o sexto e maior teste nuclear em sua história. Segundo as autoridades norte-coreanas, foi a primeira vez que o país obteve sucesso no teste de uma bomba de hidrogênio que pode ser instalada em um míssil balístico de longo alcance. Autoridades do Japão e da Coreia do Sul dizem que explosão pode ter sido até dez vezes mais potente que o último teste realizado no país.

“O teste foi realizado com uma bomba de poder sem precedentes”, disse a apresentadora Ri Chun-hee, encarregada de das as notícias mais imortantes do regime na TV local. Segundo ela, o teste teve duas fases, que não poduziram “nenhua fuga de materiais radioativos, nem impacto adverso ao meio ambiente.”

Um terremoto de 6,3 graus na escala Richter abalou a península coreana. Imediatamente, os governos dos Estados Unidos, da Coreia do Sul e da China afirmaram que o abalo era causado, na verdade, pelo que aparentava ser um teste de bomba nuclear. A informação foi confirmada nas horas seguintes.

Leia maisCoreia do Norte anuncia primeiro teste com bomba de hidrogênio

Com jeito de centrão, 36º partido brasileiro está prestes a nascer

Apesar do nome Muda Brasil, o 36º partido brasileiro está longe de apresentar uma novidade no cenário político nacional. A legenda evita se posicionar em algum campo ideológico, definindo-se como de centro, e tem o sucesso na sua criação atribuído ao ex-deputado Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão e principal liderança do PR. O presidente da nova legenda, José Renato da Silva, afirma que Valdemar o ajudou apenas “não atrapalhando”, mas reconhece que está no PR a origem de seu partido.

— Sobre o Valdemar, tenho afeição por ele. Fiquei 15 anos no PR. Ele não me ajudou como eu gostaria. A ajuda que eu tive dele foi de não atrapalhar, de me dar liberdade de conversar com ex-companheiros. Alguns puderam me ajudar. Tive apoio de pessoas de praticamente todos os partidos, mas claro que no PR tem uma afinidade grande e foi uma boa base do apoio que eu tive — afirmou José Renato.

O pedido de registro do partido já recebeu parecer favorável do Ministério Público Eleitoral. Com isso, falta apenas o ministro Napoleão Nunes Maia preparar seu voto e levar o caso ao plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com a aprovação até o dia 7 de outubro, a legenda já estará apta a disputar as eleições de 2018. As informações são de EDUARDO BRESCIANI, O Globo.

Leia maisCom jeito de centrão, 36º partido brasileiro está prestes a nascer

Rogério Marinho, é exemplo de desalinhamento do político com o povo

Resultado de imagem para rogério Marinho

Deputado Rogério Marinho, do PSDB/RN, que comandou a relatoria da Reforma Trabalhista, é um exemplo desse desalinhamento do político com o povo

O desalinhamento entre a classe política e o eleitor esteve presente nas três últimas votações de matérias relevantes no Congresso. Foi assim na denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), na reforma trabalhista e na PEC do Teto de Gastos. Em todos os casos, pesquisas apontavam uma rejeição da população de mais de 60% aos temas, o que não foi suficiente para convencer os parlamentares.

Para o cientista político e professor da Universidade de Brasília (UnB) David Fleischer, esse grande distanciamento pode provocar uma renovação de até 70% das cadeiras da Câmara dos Deputados em 2018. Porém, ele destaca que tudo vai depender de como o cenário político caminhará até a eleição do ano que vem.

“Quanto mais perto da disputa, maior o impacto dessas votações favoráveis a temas impopulares por parte dos deputados. Teremos, ainda, a reforma da Previdência e, provavelmente, mais duas denúncias contra o presidente Michel Temer. Tudo isso pode gerar uma rejeição aos políticos tradicionais nas eleições do ano que vem. Aliás, esse é o dilema do PSDB, sempre avaliando se é melhor manter-se no governo ou desembarcar para se livrar de um desgaste que possa atrapalhar as votações de 2018”, avaliou.

Câmara dos Deputados vota contra população

s
Distância. População rejeitava PEC do Teto e reforma trabalhista e aprovava denúncia contra Temer; Câmara votou nos sentidos opostos

Na teoria, os parlamentares devem representar os interesses de quem os elegeu. Porém, na prática, as últimas votações importantes do Congresso Nacional mostraram um total distanciamento entre o que pensam os eleitores e como votam os políticos.

Para analistas, esse descolamento pode trazer efeitos negativos para quem hoje ocupa um mandato no Legislativo e até mesmo proporcionar uma renovação recorde nas eleições de 2018.

Porém, esse cenário depende da continuidade da crise política. Já os congressistas apostam suas fichas na melhoria da economia para provarem que os eleitores escolheram o caminho certo. As informações são de BERNARDO MIRANDA, O Tempo de Minas Gerais.

Delação de Funaro atinge 20 políticos

Resultado de imagem para geddel e henrique alves

A delação do doleiro Lúcio Funaro deve atingir pelo menos 20 políticos vinculados ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Entre os principais alvos estão os ex-ministros Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves – que são próximos de Temer. Funaro indicou contas bancárias na quais teriam sido depositadas propinas para os dois ex-ministros supostamente a mando de Cunha.

Em um dos depoimentos, Funaro explicou de onde tirou e como fez o dinheiro chegar a Geddel. Ele indica viagens e até o número de voos que usou para se encontrar com o ex-ministro na Bahia. Declarações preliminares do doleiro já levaram Geddel à cadeia. O doleiro relatou também que fez pagamentos a mando de Cunha a mais 18 políticos, a maioria da base governista na Câmara.

Funaro deve ser interrogado na segunda ou na terça-feira por um juiz auxiliar do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal. Como não há qualquer indicação de irregularidade, a delação deve ser homologada já na próxima semana. As informações são da Agência Estado.

Resistência à cláusula de barreira dá fôlego à criação de partidos

Enquanto a fixação de uma cláusula de barreira para restringir o acesso de partidos a recursos públicos e a tempo de TV é asfixiada na Câmara, a proliferação de legendas ganha fôlego. O Brasil já tem 35 partidos, e nas próximas semanas deverá ser aprovado pela Justiça Eleitoral o 36º, chamado Muda Brasil. A legenda tem o apoio, nos bastidores, do ex-deputado Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão e principal dirigente do PR, um dos mais emblemáticos representantes do chamado centrão. Há ainda outras 67 legendas em formação, na fase de coleta de assinaturas, o que poderia levar o número para 103, caso todas obtenham o apoio de 486 mil eleitores, como manda a lei.

A cláusula de barreira em discussão na Câmara é mais flexível do que a aprovada no Senado, mas a votação corre risco porque alguns partidos vinculam este debate à análise de outra emenda constitucional, que trata do sistema eleitoral e do fundo público para campanhas. O PP, por exemplo, só aceita votar a cláusula se o sistema para eleição de deputados for alterado, enquanto que PR e PRB querem a manutenção do atual sistema para aceitar a regra que limita os partidos. O PT, por sua vez, gostaria de decidir, primeiro, a criação do fundo público para as campanhas. Só depois aceitaria tratar da barreira aos partidos sem representatividade.

Enquanto não se chega a um acordo, a lista dos partidos em criação não para de crescer. Somente neste ano mais nove legendas informaram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que estão coletando assinaturas. Ao todo são 68 legendas em criação, mas destas somente o Muda Brasil já comprovou ter conseguido as assinaturas necessárias e seu registro será julgado nas próximas semanas. As informações são de Catarina Alencastro / Eduardo Bresciani / Maria Lima, O Globo.

Leia maisResistência à cláusula de barreira dá fôlego à criação de partidos

%d blogueiros gostam disto: