Última ação de Janot deve ser denúncia contra Temer

Resultado de imagem para janot

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chega ao fim do mandato com a credibilidade abalada e uma promessa ainda por cumprir: oferecer a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, com base na delação premiada do doleiro Lúcio Funaro, que havia anunciado antes da divulgação da conversa entre o empresário Joesley Batista e o executivo Ricardo Saud. A imagem foi arranhada mais uma vez no último sábado, depois de Janot ser flagrado com o advogado da JBS, Pierpaolo Bottini, que defende Joesley Batista, num boteco de Brasília.

Janot tem apenas mais sete dias de mandato, que prometem ser bastante turbulentos. Ontem, a Polícia Federal prendeu Joesley e Saud em São Paulo, por determinação do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), que acolheu o pedido de prisão de ambos, mas deixou em liberdade o ex-procurador Marcelo Paranhos Miller, contratado pelo escritório Watanabe e Associados, até então responsável pelo acordo de leniência da JBS, supostamente antes de deixar o Ministério Público Federal. Segundo Fachin, apesar da gravação, as provas de que Miller atuava a favor da empresa de Joesley quando era procurador do MP não eram robustas o suficiente para a decretar a prisão.

Prefeito Gustavo Soares tem o poder de vetar mesada mensal a vereadores em Assú

Apesar de ter o poder de vetar a lei que autoriza uma espécie de mesada mensal aos 15 vereadores da Câmara Municipal do Assú, o prefeito Gustavo Soares, preferiu sancioná-la para cumprir uma negociata acordada na calada da noite com o atual presidente da Mesa Diretora e vereador João Wálace, do PR, para facilitar a sua reeleição e permanência no comando do legislativo assuense até dezembro de 2020.

O secretário de Comunicação da Prefeitura do Assú Lúcio Flávio, falando em nome do prefeito Gustavo Soares, nega que seja de autoria do chefe do executivo a proposta do vale alimentação e joga a culpa nos ombros dos 15 vereadores que aprovaram a lei, que vai custar aos cofres públicos, quase R$ 2 milhões até dezembro de 2020.

Com a canetada autorizando o vale alimentação para os vereadores, o prefeito Gustavo Soares, teoricamente garante que todos os vereadores voltem a escolher na eleição que se avizinha para a escolha da nova Mesa Diretora que vai governar o legislativo durante o biênio 2019/2020. O pacote de bondade do prefeito, atende também pleito do seu irmão e deputado George Soares, já que assim fica fácil obter apoio dos vereadores para a sua reeleição em 2018.

Janot pode deixar futuro do acordo de delação da JBS para sucessora

Resultado de imagem para Janot  e raquel dodge

Com a prisão de Joesley Batista e Ricardo Saud, o procurador-geral, Rodrigo Janot, pretende agora definir a estratégia em torno da delação premiada de ambos: se pedirá ao STF (Supremo Tribunal Federal) a sua anulação ou se negociará uma repactuação, incluindo medidas cautelares aos executivos.

Por ora, o acordo de ambos está suspenso temporariamente pelo ministro Edson Fachin até que expire a prisão temporária, na sexta (15).

Desgastado pelo episódio, Janot entra em sua última semana como chefe da Procuradoria-Geral da República. Tem até sexta-feira para tentar reverter um ambiente negativo criado com o áudio que aponta a atuação do ex-procurador Marcello Miller a favor da JBS quando ainda atuava na Procuradoria.

Segundo a Folha apurou, Janot sofre pressão de duas correntes em sua equipe: uma ala de procuradores defende que ele decida nesta semana pelo cancelamento do acordo de Joesley e Saud –seria, no caso, uma forma de diminuir o estrago político causado pela gravação, mostrando que a PGR não compactuaria com desvios éticos e morais dos delatores.

Outro grupo avalia que a PGR deveria evitar uma postura radical e levar em conta o conteúdo de provas oferecidas por Joesley e Saud, como gravações e a ação controlada que resultou na entrega de uma mala de R$ 500 mil a Rodrigo da Rocha Loures, ex-assessor do presidente Michel Temer. As informações são de LEANDRO COLON, Folha de São Paulo.

Leia maisJanot pode deixar futuro do acordo de delação da JBS para sucessora

PF faz buscas nas casas de Joesley, Ricardo Saud e Marcelo Miller

A Polícia Federal faz buscas nesta segunda-feira, 11, na casa do ex-procurador da República Marcelo Miller na Lagoa, no Rio. Ele é suspeito de fazer jogo duplo em favor da J&F.

Agentes cumprem quatro mandados de busca também em São Paulo. Dois alvos são as casas dos empresários Joesley Batista e de Ricardo Saud.

Marcelo Miller teve a prisão requerida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A custódia foi negada pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.

Fachin ordenou a prisão dos empresários Joesley Batista e Ricardo Saud, da J&F, por violação do acordo de colaboração premiada. Os dois se entregaram na sede da Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo, no domingo, 10.

Saud foi o primeiro a chegar. Por volta de 14h, Joesley, que partiu da casa do seu pai, nos Jardins, chegou. Ambos chegaram à PF em carros particulares. As informações são de Fausto Macedo e Julia Affonso, O Estado de São Paulo.

Prefeito Gustavo Soares joga culpa nos vereadores por criação do Vale Alimentação em Assú

Resultado de imagem para prefeito e vereadores do assu

Apesar de ter sancionado a lei que cria o vale alimentação para os 15 vereadores do Assú no valor de  R$ 1.040,00 (Hum mil e quarenta reais), o prefeito Gustavo Soares, do PR, que autorizou mais de R$ 70 mil/mês para pagar as despesas, através de nota divulgada pelo secretário de Comunicação da Prefeitura do Assú, Lúcio Flávio de Medeiros, negou que seja de sua autoria a citada lei chamada de ‘mesada’ mensal e jogou a culpa nas cabeças dos vereadores governistas e oposicionistas pela aprovação da matéria que vai custar aos cofres públicos quase R$ 2 milhões até dezembro de 2020. Eis abaixo a íntegra da nota:

No caso em questão (Lei nº 598, de 06 de setembro corrente), a proposta foi gerada na própria esfera da Câmara de Vereadores, ou seja, sem qualquer interferência do Poder Executivo, merecendo aprovação unânime dos senhores/senhoras parlamentares-mirins em sessão plenária;

Depois de devidamente avalizado pela Câmara de Vereadores, todo e qualquer Projeto de Lei é submetido à sanção do Poder Executivo, em obediência à regra constitucional, para que possa ter sua publicação e consequente legitimação oficial;

Leia maisPrefeito Gustavo Soares joga culpa nos vereadores por criação do Vale Alimentação em Assú

Anulação de acordo vai gerar insegurança a todos os delatores, diz Kakay

Joesley Batista, delator da J&F, entre os advogados Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay (à esquerda), e Pierpaolo Bottini. Foto: Felipe Rau/Estadão

O criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, assumiu a defesa do empresário Joesley Batista e do executivo Ricardo Saud, do grupo J&F, dono da JBS. Ele irá atuar na defesa dos dois, presos neste domingo, 10, perante o Supremo Tribunal Federal (STF) junto com os advogados que já atuam no caso.

Em nota, Kakay indicou que a quebra do acordo pela Procuradoria-Geral da República (PGR) vai causar “insegurança geral” para todos os delatores. Ele afirma que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não pode agir com “deslealdade”, pois os empresários cumpriram todas as obrigações que foram impostas pelo acordo de colaboração.

“Não pode o Dr. Janot agir com falta de lealdade e, insinuar que o acordo de delação foi descumprido. Os clientes prestaram declarações e se colocaram sempre à disposição da Justiça”, escreveu Kakay. Janot anunciou na segunda-feira que abriu um procedimento de revisão do acordo dos delatores da JBS. As informações são da Agência Estado.

Leia maisAnulação de acordo vai gerar insegurança a todos os delatores, diz Kakay

Furacão Irma mata ao menos três e deixa milhões sem luz nos EUA

Resultado de imagem para Furacão Irma mata ao menos três e deixa milhões sem luz nos EUA

O furacão Irma chegou neste domingo (10) à Flórida com menos força do que esperado. Ainda assim, ventos de até 215 km/h deixaram ao menos três mortos no Estado.

Na madrugada desta segunda (11), o furacão foi rebaixado para a categoria 1. O Irma chegou a ser classificado como de categoria 5 —a mais alta— quando passou pelo Caribe, onde ao menos 27 morreram nos últimos dias. Na manhã deste domingo, ele chegou as ilhas Keys, ao sul da Flórida, como um furacão de categoria 4, e foi rebaixado por duas vezes durante a tarde: primeiro para a categoria 3 e depois, 2, com ventos de até 177 km/h.

Na noite de domingo, o Irma tinha chegado a Naples, na costa oeste da Flórida, e a previsão era que o olho do furacão atingisse Tampa na madrugada de segunda (11).

A previsão da rota do Irma mudou nos dois últimos dias. No início, a expectativa era que a costa leste, onde fica Miami, fosse a parte mais afetada. A maior parte dos 6,5 milhões de moradores do Estado —quase um terço da população total— que receberam ordem para deixar suas casas vive na região leste. As informações são de ISABEL FLECK, Folha de São Paulo.

Governo Temer gasta R$ 404,2 mil com recepção

Resultado de imagem para temer

Os custos para recepcionar visitantes, funcionários, fornecedores e público em geral na entrada dos órgãos não é baixo. A Presidência da República, por exemplo, reservou R$ 404,2 mil para a prestação de serviços de apoio administrativo. O valor será destinado a serviços de recepção e atendimento ao público. Ao todo, são 12 recepcionistas e um encarregado-geral para realizar o trabalho.

Limpeza de banheiros

A Câmara dos Deputados reservou R$ 10,3 mil para a prestação de serviços de desodorização de banheiros e mictórios, com instalação e manutenção de odorizadores de spray automáticos e de odorizadores de mictórios de dispersão por gravidade. O valor vai atender dois meses de despesas (4 de setembro a 31 de dezembro).

No Senado…

O Senado Federal, por sua vez, empenhou R$ 22,4 mil para compra de seis mil copos de vidro da marca Cisper. A Casa ainda reservou R$ 146 mil para a compra de 200 cadeiras fixas. As informações são do portal Contas Abertas.

José Adécio participa de entrega de casas em comunidade Quilombola de Touros

O deputado José Adécio participou, na manhã deste sábado(09), da entrega de 40 casas no povoado do Geral, comunidade Quilombola do município de Touros.

Acompanhado do prefeito Assis do Hospital, da primeira dama Gildeci Pinhieiro, além de secretários, vereadores, representantes de associações comunitárias e lideranças políticas e comunitárias, José Adécio ressaltou a grande valia das moradias, para resgatar a dignidade das famílias beneficiadas e parabenizou a presidente da Associação dos Moradores da Comunidade do Geral, Eunice Moura, pela persistência em lutar pelos benefícios para seu povo.

O deputado chegou a Touros por volta das 8 horas, visitou o centro da cidade, tomou café da manhã no mercado e também conversou com os comerciantes no mercado do peixe.

Leia maisJosé Adécio participa de entrega de casas em comunidade Quilombola de Touros

%d blogueiros gostam disto: