‘Não tenho vaidade nenhuma em relação ao poder’, diz Luciano Huck

SAO PAULO, SP, BRASIL, 20-10-2017, 12h30: O apresentador Luciano Huck, durante palestra no Festival de Cultura Empreendedora, em Sao Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress, PODER) ***EXCLUSIVO***

Circulando de muletas por causa de uma fratura no joelho, o apresentador Luciano Huck andava com alguma dificuldade na tarde desta sexta-feira (20) ao participar de uma feira sobre empreendedorismo na região da Berrini, em São Paulo.

Mais agilidade ele mostrou, sentado, ao fazer uma palestra que, mais do que do tema do evento, tratou de desigualdade, na definição dele, e de política.

Reafirmando ideias que descreveu em artigo publicado na Folha nesta semana, Huck defendeu a renovação no Congresso Nacional e atacou o que chama de “corrupção endêmica” no país.

“Eu juro para vocês: não tenho vaidade nenhuma em relação ao poder. Minha vaidade está superbem administrada com o que eu faço. Eu não tenho nenhum desespero… Eu quero participar”, disse o apresentador, que vem negando publicamente intenção de ser candidato nas eleições do ano que vem.

Huck está envolvido com movimentos como o Agora!, que prega a formação de novas lideranças e lançará concorrentes para a Câmara dos Deputados, e o RenovaBR, fundo cívico montado por empresários para bancar a formação de potenciais candidatos. As informações são de JOELMIR TAVARES, Folha de São Paulo.

Leia mais‘Não tenho vaidade nenhuma em relação ao poder’, diz Luciano Huck

Situação do PSDB é delicada e Doria ‘queimou o filme’, diz Goldman

Alberto Goldman

O PSDB vive uma situação delicada em relação à eleição de 2018 e só não está pior porque não surgiu alternativa melhor no espectro político-partidário, avaliou o vice-presidente nacional da sigla, Alberto Goldman. Para o ex-governador, a situação fica evidente na dificuldade dos tucanos de apresentar uma candidatura de destaque ao Planalto.

“A dificuldade é real, mas quem está melhor do que o PSDB?”, questionou Goldman, que participou na quinta-feira (19) de um evento na capital paulista. Ele citou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como o nome mais expressivo no momento dentro do partido, mas ponderou que ele “não é nenhuma figura de grande expressão, uma grande liderança nacional”.

“Não é um Lula, que foi um grande líder, a verdade é essa”, disse Goldman. As informações são da Agência Estado.

Leia maisSituação do PSDB é delicada e Doria ‘queimou o filme’, diz Goldman

Governo conclui primeira etapa do Programa Água Doce beneficiando 15 mil pessoas

O Rio Grande do Norte passa a ser uma referência nacional para a dessalinização de águas, inclusive com a adoção da tecnologia da energia solar. “Estamos oferecendo água de excelente qualidade, dessalinizada e tratada para consumo humano. E ainda vamos fazer o aproveitamento das águas do descarte para a criação de peixes e para a agropecuária”, informou Ivan Junior.

O coordenador nacional do Programa Água Doce, Renato Saraiva disse que “a entrega de cada sistema de dessalinização é o fim de uma obra, mas também o início da operação da estação de tratamento de água e o início de uma nova fase na vida das pessoas que irão dispor de água de qualidade”. Ele também destacou que os sistemas têm gestão compartilhada para sua manutenção pelos governos federal, estadual e municipal e também pelas associações comunitárias.

Evarista Quirino mora e trabalha em Serra Verde há 22 anos. Casada e mãe de três filhos, ela produz mandioca, milho, feijão, caju e castanha numa área de 25 hectares. “Com água de boa qualidade vai melhorar muito para nós. Hoje somos abastecidos por carros pipa. Agora não precisamos mais. Vamos ter água aqui para o nosso consumo e vai melhorar muito para toda nossa comunidade”, afirmou. 

Leia maisGoverno conclui primeira etapa do Programa Água Doce beneficiando 15 mil pessoas

‘A Operação Lava Jato é a Diretas-Já do novo Brasil’, diz presidente do Tribunal Federal

ctv-l4f-andr-fontestrf-rj

Por Luiz Maklouf Carvalho, O Estado de S.Paulo

“A Lava Jato é a Diretas-Já do novo Brasil. Vai acabar com a ditadura da corrupção e da impunidade.” O paralelo histórico é do desembargador André Fontes, presidente do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região (TRF-2), a segunda instância da Operação Lava Jato no Rio.

Na primeira, atua, com explícito apoio de Fontes, o juiz federal Marcelo Bretas. Questionamentos de suas decisões vão parar em uma turma especial do TRF-2, com três desembargadores: Abel Gomes, o relator, Paulo Espírito Santo, o decano do tribunal, e Ivan Athié.

Ao contrário de seus colegas da 8.ª Turma do TRF-4, em Porto Alegre, que cuidam só da Lava Jato do juiz Sérgio Moro, eles acumulam ações previdenciárias e sobre propriedade industrial. Fontes recebeu o Estado em seu gabinete no 20.º andar do edifício-sede, no centro do Rio. A seguir, os principais trechos da entrevista.

Seu primeiro ato formal, como presidente do TRF-2, foi uma portaria aumentando a segurança do juiz Marcelo Bretas, responsável pela primeira instância da Lava Jato no Rio. Por quê? 

A minha prioridade foi proteger o juiz Bretas naquilo que é o caso mais complexo, rumoroso e sensível da 2.ª Região. Eu me lembrei da juíza Patrícia Acioly (assassinada por policiais que estava investigando, em 2011), que várias vezes pediu proteção ao Tribunal de Justiça. O juiz Bretas também se manifestou. Eu não iria deixá-lo à mercê da própria sorte. 

Leia mais‘A Operação Lava Jato é a Diretas-Já do novo Brasil’, diz presidente do Tribunal Federal

‘Nunca soube que Geddel era o chefe. Para mim, o chefe dele era outro’, diz Renan

Renan Calheiros

Após uma série de críticas ao presidente Michel Temer ao longo da semana, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) rechaçou a tese da Procuradoria-Geral da República (PGR) de que o ex-ministro Geddel Vieira Lima “parece” ter assumido a posição de líder de uma organização criminosa. Pelo Twitter, Renan insinuou que o “chefe” de Geddel seria outra pessoa, sem citar o nome do presidente da República. “Engraçado… Nunca soube que Geddel era o Chefe. Para mim, o chefe dele era outro”, escreveu o senador alagoano nesta sexta-feira, 20.

Nesta quinta-feira, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, considerou a prisão preventiva do ex-ministro é “imprescindível” para a continuidade das investigações. Geddel foi preso em julho por tentativa de obstrução de justiça, mas colocado em prisão domiciliar dias depois. No último dia 8 de setembro, o ex-ministro foi novamente preso preventivamente após a Polícia Federal encontrar o equivalente a R$ 51 milhõesatribuídos a ele em um apartamento em Salvador (BA), na operação Tesouro Perdido.

Para Raquel Dodge, Geddel “fez muito em pouco tempo”. “A elevada influência desta organização criminosa evidencia-se, aos olhos da nação, em seu poder financeiro: ocultou cinquenta e dois milhões de reais em um apartamento de terceiro, sem qualquer aparato de segurança, em malas que facilitaram seu transporte dissimulado. Este dinheiro seria apenas uma fração de um todo, ainda maior e de paradeiro ainda desconhecido.” As informações são de Julia Lindner, Thiago Faria e Beatriz Bulla, O Estado de S.Paulo.

Leia mais‘Nunca soube que Geddel era o chefe. Para mim, o chefe dele era outro’, diz Renan

Governador de Goiás se lança candidato à presidência do PSDB

A pressão de senadores e dos chamados cabeças pretas ligados ao presidente interino Tasso Jereissatti (CE) para que o senador Aécio Neves (MG) renuncie à presidência do PSDB já, sem esperar a convenção marcada para daqui a 40 dias, acabou deflagrando um movimento que culminou na quinta-feira com o lançamento da candidatura do governador de Goiás, Marconi Perillo, para comandar o partido na disputa de 2018. Marconi disse nesta sexta-feira que decidiu aceitar a candidatura, uma vez que Tasso tem dito que não disputará a eleição marcada para o 9 de dezembro.

Segundo Marconi, ele foi convidado para disputar a presidência do partido por governadores, parlamentares, dirigentes tucanos e setores empresariais da legenda. Diz que o PSDB venceu sempre em Goiás e que seus governos implementaram programas que serviram de modelo para os grandes programas sociais adotados pelo governo federal.

— Eu resolvi aceitar o convite, porque o Tasso tem dito, peremptoriamente, que não é candidato à reeleição para a presidência do partido. É uma pessoa que admiro muito. Quero me dedicar integralmente à unidade do PSDB com a consciência que o presidente do partido não tem que ser protagonista da eleição. O grande protagonista é o candidato — disse Marconi Perillo. As informações são de MARIA LIMA, O Globo.

Leia maisGovernador de Goiás se lança candidato à presidência do PSDB

Em audiência, Nelter reitera importância de adutora partindo de Upanema para abastecer região Seridó

Ainda nesta sexta-feira (20) o deputado estadual Nelter Queiroz (PMDB) participou de audiência no Centro Administrativo Estadual, com a chefe do gabinete civil, Tatiana Mendes Cunha, com o presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN), Marcelo Toscano, com o adjunto da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH), Mairton França, e com algumas lideranças políticas do interior, dentre outros, para tratar sobre a questão hídrica de todo o Estado, especialmente da região Seridó.

“Na oportunidade, conversamos sobre a viabilização da adutora de São Rafael, uma luta nossa travada em parceria com o então prefeito Arimateia Braz; sobre a situação hídrica de Currais Novos e municípios circunvizinhos como: Acari, São Vicente, Florânia, Tenente Laurentino, Lagoa Nova, Cerro Corá e Bodó, além de toda zona rural da Serra de Santana; e sobre a adutora de Caicó, que também abastece Timbaúba dos Batistas e São Fernando”, explicou o parlamentar.

Há muito tempo que o deputado vem defendendo na Assembleia Legislativa que a solução para Caicó, Currais Novos e todos os municípios circunvizinhos seria a construção de uma adutora com extensão de 50km a partir do lençol freático existente no município de Upanema. De acordo com Nelter, esta adutora viria por Campo Grande e Triunfo Potiguar até Jucurutu, onde seria interligada as adutoras já existentes de Caicó, da Serra de Santana e de Currais Novos.

Leia maisEm audiência, Nelter reitera importância de adutora partindo de Upanema para abastecer região Seridó

Número de presos em megaoperação contra pedofilia passa de 100

Quase 100 pessoas foram presas em megaoperação contra pedofilia no Brasil

O número de presos na megaoperação Luz na Infância chegou a 108 na tarde de hoje (20), informou o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Policiais civis de 25 estados cumprem 178 mandados de busca e apreensão relacionados à prática de pedofilia. Ao deparar com material pornográfico de crianças e adolescentes na casa dos suspeitos, os agentes efetuam as prisões, em flagrante.

Segundo o ministério, os detidos são suspeitos de disseminar pornografia infantil e pedofilia na internet e, em alguns casos, eles eram também os responsáveis pela produção do material.

A operação é considerada uma das maiores do mundo no combate à pedofilia e envolve 1,1 mil policiais. O trabalho de investigação durou seis meses, e o número final de presos e mandados cumpridos será divulgado pelo Ministério da Justiça até o fim do dia. As investigações agora vão apontar se os detidos fazem parte de quadrilhas nacionais e internacionais ou agiam sozinhos. Também não foram divulgadas informações consolidadas sobre o perfil das pessoas que foram presas.

Leia maisNúmero de presos em megaoperação contra pedofilia passa de 100

Procuradoria aponta o ‘custo da corrupção’ na Petrobras

Petrobrás

A força-tarefa da Operação Lava Jato descobriu que contratos da Petrobras com a Odebrecht praticamente triplicaram de valor por meio de aditivos firmados por ex-gerentes de áreas estratégicas da estatal petrolífera com a Odebrecht. “É o custo da corrupção”, disse o procurador da República Roberson Pozzobon

Nesta sexta-feira (20) a Polícia Federal e a Procuradoria deflagraram a fase 46 da Lava Jato que, desta vez, não recebeu nenhum nome de batismo, quebrando uma tradição que vinha se mantendo desde março de 2014, quando a operação saiu às ruas pela primeira vez.

Quatro ex-gerentes da Petrobras são o alvo do novo passo da Lava Jato. A investigação mostra que eles receberam propinas de R$ 95 milhões, dos quais R$ 32 milhões no exterior, em contas na Suíça, na Inglaterra e nas Bahamas.

As propinas saíram de dois Contratos de Aliança. Em 1.º de dezembro de 2008, a Odebrecht firmou o Contrato de Aliança 027/2008 com a Companhia Petroquímica de Pernambuco – Petroquímica Suape (PQS), com o preço meta de R$ 1,085 bilhão e o preço teto de R$ 1,194 bilhão, para construção de uma planta industrial de Ácido Terefálico Purificado (PTA). As informações são da Agência Estado.

Leia maisProcuradoria aponta o ‘custo da corrupção’ na Petrobras

CNI diz ser ‘avanço’ portaria do trabalho escravo

u

Em contraponto às criticas feitas a portaria assinada pelo governo de Michel Temer que determina que só o Ministério do Trabalho pode incluir empregadores na Lista Suja do Trabalho Escravo, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou uma nota nesta sexta-feira (20) apoiando a medida.

Para a entidade, a portaria não enfraquece a luta contra o trabalho escravo, “tampouco abranda a legislação que conceitua este crime”. “Pelo contrário, ela representa um importante avanço na definição de um conceito mais claro sobre trabalho escravo. Propicia também maior segurança jurídica, evitando que empresas sejam acusadas injustamente, em função de posições subjetivas e até ideológicas de fiscais, e possibilitando uma aplicação mais eficaz da legislação”, diz a CNI.

A Confederação diz ainda que acredita que a portaria vai definir com mais clareza os parâmetros para o trabalho forçado, para a jornada exaustiva, para a condição degradante e para a condição análoga ao trabalho escravo.

O presidente do Conselho de Relações do Trabalho da CNI, Alexandre Furlan, diz na nota que as alterações introduzidas pela portaria “não comprometem o entendimento da indústria de que o trabalho escravo é absolutamente incompatível com as modernas relações de trabalho defendidas pelo setor”. “Na verdade, o que se busca é sanar distorções na aplicação da lei e prestigiar o devido processo legal”, afirmou. As informações são da Agência Estado.

Leia maisCNI diz ser ‘avanço’ portaria do trabalho escravo

Rede pede ao STF suspensão de portaria sobre trabalho escravo

Marina

Uma ação de autoria da Rede Sustentabilidade contra a portaria que modifica as regras de combate ao trabalho escravo terá a ministra Rosa Weber como relatora no Supremo Tribunal Federal (STF). O partido pede ao STF suspensão, por liminar, dos efeitos da portaria e que, em julgamento, seja declarada inconstitucional. A portaria foi publicada na segunda-feira (16) e tem sido alvo de críticas de diversos setores, entre eles, a Procuradoria-Geral da República.

“A malsinada Portaria do Ministério do Trabalho nº 1.129/2017, ao praticamente inviabilizar o combate ao trabalho escravo no país, violou, de modo frontal e direto, os preceitos mais básicos da ordem constitucional vigente, como o princípio da dignidade da pessoa humana, os objetivos fundamentais da República de ‘construir uma sociedade justa e solidária’, ‘erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais’ e de ‘promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade ou quaisquer outras formas de discriminação'”, diz a Rede na ação de descumprimento de preceito fundamental.

O partido sustenta, ainda, que também são violados os direitos à liberdade, à igualdade, ao trabalho digno e a não ser objeto de tratamento desumano ou degradante. As informações são da Agência Estado.

Leia maisRede pede ao STF suspensão de portaria sobre trabalho escravo

PT vai fazer vaquinha para bancar caravanas de Lula pelo país

Lula – Marlene Bergamo - 24.ago.2017/Folhapress

O PT lançará uma campanha para arrecadar doações para as caravanas do ex-presidente Lula. O esforço é parte de uma mudança na estratégia do partido, que decidiu rever a forma de buscar recursos. Passará a fazer pedidos focados em grandes temas.

A vaquinha será lançada nesta sexta-feira (20), na reunião da Executiva da sigla. Haverá mobilização nas redes a partir da próxima semana, com imagens da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, de líderes petistas e das viagens de Lula. As informações são da coluna Painel da Folha de São Paulo.

Deputado acusado de racismo em Assú mantém silêncio

Resultado de imagem para george soares

O vice-presidente do Diretório Estadual do PR e deputado estadual, George Soares, acusado da prática de racismo pela doméstica Dilma Maria de Queiroz, até agora se mantém calado sobre a denúncia de que a chamou de negra, quando ela fazia cobrança administrativa ao seu irmão e prefeito do Assú, Gustavo Soares, mas lacaios e a tropa de choque da oligarquia Soares, procuram desacreditar a acusação de Dilma gravada em áudio e vídeo.

Na denúncia contra o deputado estadual, Dilma falou também ameaçada de ser surrada de chicote pelo irmão do prefeito do Assu. Até agora, a suspeita intolerância racista do deputado PR, ficou por isso mesmo e não mereceu atenção do Ministério Público ou de entidades do movimento negro em defesa da doméstica. Veja vídeo abaixo:

Corrupto ‘arrependido’ da Petrobrás devolve R$ 10,5 mi de propinas da Odebrecht

O ex-gerente executivo da Área de Abastecimento da Petrobrás Paulo Cezar Amaro Aquino, alvo da 46.ª fase da Operação Lava Jato deflagrada nesta sexta-feira, 20, protagonizou um episódio incomum da investigação sobre o maior esquema de corrupção no País. Acuado, ele próprio decidiu procurar os investigadores, a quem confessou o recebimento de propinas da Odebrecht, e, por escrito, renunciou espontaneamente à fortuna que mantinha depositada em três contas na Suíça. Na planilha de propinas da empreiteira, Aquino era identificado como o ‘Peixe’.

A iniciativa do ex-gerente da Petrobrás o livrou de um decreto de prisão na Lava Jato, mas não do processo.

“As pessoas não colaboram com a Justiça por uma crise de consciência ou por questão ética, mas sim porque se veem como pessoas que serão fortemente responsabilizadas diante do avanço das investigações”, disse o procurador da República Roberson Pozzobon, da força-tarefa da Lava Jato. As informações são de Ricardo Brandt e Julia Affonso, O Estado de São Paulo.

Leia maisCorrupto ‘arrependido’ da Petrobrás devolve R$ 10,5 mi de propinas da Odebrecht

Temer admite alterar portaria que muda regras de trabalho escravo

Resultado de imagem para temer

O presidente Michel Temer afirmou, em entrevista ao site “Poder360”, que irá fazer alterações na portaria que mudou as regras sobre trabalho escravo. Segundo o presidente, o governo irá editar uma nova portaria incorporando sugestões feitas pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, com quem o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, esteve duas vezes desde o início da polêmica.

— Ele esteve duas vezes com ela e recebeu sugestões que ela fez. Ele está examinando as sugestões. É muito provável que incorpore várias — explicou Temer.

Uma possibilidade, segundo o presidente, é criar dentro da Polícia Federal, uma delegacia específica para crimes de trabalho escravo, assim como já existe para crimes previdenciários e trabalhistas.

Leia maisTemer admite alterar portaria que muda regras de trabalho escravo

%d blogueiros gostam disto: