fbpx

Para Jaques Wagner, PT pode ser vice de Ciro Gomes

Jacques Wagner

Apontado como uma das alternativas do PT para a disputa da Presidência da República, o ex-ministro e ex-governador da Bahia Jaques Wagner admitiu nesta terça-feira, 1º, que o partido pode aceitar ser vice de Ciro Gomes (PDT) e defendeu a inclusão de Joaquim Barbosa (PSB) no diálogo com os demais partidos de esquerda.

Ao chegar ao ato de 1º de Maio organizado pelas seis centrais sindicais na tarde desta terça-feira, em Curitiba, Wagner foi indagado por jornalistas sobre a possibilidade de o PT aceitar ser vice de Ciro e respondeu: “Pode. Sempre defendi que, após 16 anos, estava na hora de ceder a precedência. Sempre achei isso. Não conheço na democracia ninguém que fica 30 anos. Em geral fica 12, 16, 20 anos. Defendi isso quando o Eduardo Campos ainda era vivo. Estou à vontade neste território”, segundo informações de Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo.

Wagner defendeu as articulações feitas pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, que também é citado como alternativa do PT a Lula, e já se reuniu duas vezes com Ciro neste ano. “O Haddad teve uma conversa sobre a economia brasileira e acharam que era sobre política eleitoral no estrito senso. Esse é o caminho. Eu continuo na minha posição. O PT vai sustentar a candidatura do Lula até que alguém diga que ele está interditado definitivamente. Ninguém traça uma estratégia já pensando em plano B”, afirmou.

Delator da Galvão diz que pagou R$ 1 milhão a Kassab

Kassab afirma que não coordena coleta de assinaturas para PSD

O executivo Dario de Queiroz Galvão Filho disse em delação premiada que o então prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD, ex-DEM), atuou no direcionamento de licitação da obra do túnel Sena Madureira para que a Galvão Engenharia saísse vencedora. Em contrapartida, a empreiteira teria doado R$ 1 milhão para o diretório nacional do DEM, numa estratégia considerada pelos investigadores como “pagamento de propina via doação eleitoral”.

O termo de colaboração do executivo foi anexado aos autos de inquérito contra o ex-prefeito e hoje ministro que tramita no Supremo Tribunal Federal. Kassab é investigado por suspeita de recebimento de vantagens indevidas da Odebrecht em 2008 e 2009 que teriam sido desviadas de contratos de obras viárias no Estado de São Paulo.

Leia maisDelator da Galvão diz que pagou R$ 1 milhão a Kassab

Ivan Júnior é recebido com alegria e carinho por vereadora de Paraú

O pré-candidato a deputado estadual pelo PSD Ivan Júnior, apontado por pesquisa administrativa como o melhor prefeito da história do Assú nos últimos 30 anos, não pára.

Ele esteve hoje na cidade de Paraú, visitando Neguinha, vereadora atuante com seis mandatos. Ivan disse que “nada melhor no Dia do Trabalhador, poder abraçar familiares da vereadora, gente batalhadora que tem minha admiração e respeito”.

“Obrigado pela receptividade e estamos juntos nessa luta”, destacou o ex-secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos que foi recebido com entusiasmo e carinho.

‘Com medo de vaia’, presidenciáveis evitam palanque no Dia do Trabalho

Resultado de imagem para 'Com medo de vaia', presidenciáveis evitam palanque no Dia do Trabalho

“Com medo de vaia”, segundo Paulinho da Força, os quase dez pré-candidatos à Presidência foram convidados, mas não apareceram no ato da Força Sindical deste 1º de Maio, Dia do Trabalho, em São Paulo, salvo por três deles, que expressaram pessimismo ao falar do país.

Manuela D’Ávila (PCdoB) pediu a revogação da reforma trabalhista, “que retira direitos dos trabalhadores, paga menos e faz com que trabalhem muito mais”.

Referindo-se ao incêndio e consequente desabamento de prédio em São Paulo, Paulo Rabello de Castro (PSC) disse que “foi a República do Brasil que desabou em cima do trabalhador e a trabalhadora brasileira”.

Com 13,7 milhões de desempregados, número em ascensão, segundo o IBGE, “quem quer governar o país tem a obrigação moral de gerar emprego”, discursou Aldo Rebelo (Solidariedade).

Leia mais‘Com medo de vaia’, presidenciáveis evitam palanque no Dia do Trabalho

Juíza nega visitas de líderes de centrais sindicais a Lula

Resultado de imagem para Juíza nega visitas de líderes de centrais sindicais a Lula

A juíza federal Carolina de Moura Lebbos, responsável pela execução da pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, negou nesta segunda-feira (30) novos pedidos de visita ao petista, preso em Curitiba desde o dia 7 de abril. Foram barradas as solicitações de seis líderes de centrais sindicais, que pretendiam ver Lula na quarta-feira (2), dia seguinte às manifestações em solidariedade a ele previstas para amanhã (1), feriado do Dia do Trabalho.

Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Adilson Gonçalves de Araújo, líder da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), José Calixto Ramos, da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Edson Carteiro da Silva, da Intersindical, Antônio Carlos dos Reis, da União Geral dos Trabalhadores (UGT), e João Carlos Gonçalves, o Juruna, da Força Sindical, queriam fazer a visita “na qualidade de representantes de centrais sindicais e amigos do executado”. As informações são da revista VEJA.

Leia maisJuíza nega visitas de líderes de centrais sindicais a Lula

Ivan Júnior prestigia festa do padroeiro de Arapuá em Ipanguaçu

Na companhia do ex-prefeito de Ipanguaçu Leonardo Oliveira, o ex-secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e ex-prefeito do Assú, Ivan Júnior, esteve ontem para prestigiar a participar na comunidade de Arapuá, da festa de seu padroeiro São José Operário.

O pré-candidato a deputado estadual pelo PSD, Ivan Júnior, que tem o apoio do ex prefeito Leonardo, aproveitaram para conversar com amigos e lideranças políticas, durante a festa social e religiosa de grande importância para a comunidade.

Ivan disse que ficou feliz de ver o carinho e respeito que a população de Ipanguaçu tem para com seu ex gestor, que com certeza contribuiu muito para desenvolvimento da cidade.

Hostilizado, Temer deixa às pressas local do incêndio em SP

O presidente Michel Temer errou em sua estratégia de comparecer ao local do incêndio para prestar apoio às vitimas da tragédia que atingiu dois prédios no Centro de São Paulo, na madrugada desta terça-feira, e precisou deixar o local às pressas, levado por seguranças. Um edifício de 24 andares desabou e até o momento ao menos quatro pessoas estão desaparecidas. Uma morte está confirmada.

Por volta das 10h, Temer desceu de um carro preto e cercado por repórteres disse que estava ali para prestar apoio às vítimas, quando passou a ser hostilizado pelos moradores que revoltados passaram a xingá-lo de “golpista” e arremessaram objetos contra a comitiva do presidente.

Leia maisHostilizado, Temer deixa às pressas local do incêndio em SP

Polícia Federal mira 660 brasileiros com contas secretas na Suíça

Passados três anos do vazamento de contas secretas de milhares de brasileiros na Suíça no caso que ficou conhecido como Swissleaks, a Polícia Federal do Brasil concluiu a primeira etapa do inquérito criminal aberto sobre o caso e decidiu aprofundar a investigação contra 660 brasileiros suspeitos de manterem contas ou investimentos secretos no HSBC da Suíça. Neste grupo estão grandes empresários de diversos setores da economia — principalmente construção civil, indústria e área financeira.

Os crimes sob apuração são evasão de divisas e lavagem de dinheiro, além de outros delitos financeiros que possam surgir. A lista inclui ainda 13 ex-funcionários do HSBC no Brasil que são investigados sob suspeita de terem atuado e auxiliado na abertura das contas secretas e prática de crimes financeiros, totalizando 673 investigados no caso.

Detalhes inéditos do inquérito, que tramita sob sigilo, foram obtidos pelo GLOBO. Após uma minuciosa investigação em um imenso banco de dados, a PF identificou 9.325 clientes da instituição financeira com nacionalidade brasileira e contabilizou que eles mantiveram US$ 15,2 bilhões no HSBC Private Bank Genebra à época dos fatos investigados — o período entre 2006 e 2007. O valor equivale a R$ 53,4 bilhões, pela atual cotação do dólar — para efeitos de comparação, a Petrobras calculou em R$ 6 bilhões o prejuízo que a corrupção provocou aos seus cofres. As informações são de AGUIRRE TALENTO – O Globo.

Leia maisPolícia Federal mira 660 brasileiros com contas secretas na Suíça

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: