Eunício comemora demissão de Parente da Petrobrás; Maia lamenta

Resultado de imagem para eunicio e maia

Os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado Federal, Eunício Oliveira (MDB-CE), reagiram nesta sexta-feira, 1.º, de forma distintas ao pedido de demissão do presidente da Petrobrás, Pedro Parente. Enquanto Eunício comemorou, Maia lamentou e disse que a questão da redução dos preços dos combustíveis poderia ter sido resolvida “sem intervenção”.

“Era o que a sociedade esperava”, declarou o presidente do Senado ao Broadcast Político do jornal O Estado de São Paulo. “Ele tinha muita credibilidade e estava fazendo um ótimo trabalho. A questão do preço dos combustíveis poderia ter uma saída sem nenhum tipo de intervenção”, reagiu o presidente da Câmara, para quem o governo poderia ter resolvido a questão por meio de de impostos regulatórios.

 

Investigado por corrupção em ministério, sobrinho de deputado se entrega à PF

0

O deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO)

Investigado na operação Registro Espúrio, que mira fraudes e corrupção no Ministério do Trabalho, o diretor do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) Rogério Arantes se entregou na manhã desta sexta-feira (1º) à Polícia Federal em Brasília.

Ele é sobrinho do deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO), também alvo da investigação, que aponta pagamento de propina em troca da liberação de registros sindicais pela pasta. Rogério tinha um mandado de prisão preventiva decretado contra si, mas estava em viagem oficial ao Maranhão e negociou sua entrega.

Como mostrou a Folha de São Paulo nesta quinta (31), o diretor do Incra foi gravado dando aval ao pagamento de R$ 4 milhões para facilitar a oficialização de um sindicato de Goiás.

Leia maisInvestigado por corrupção em ministério, sobrinho de deputado se entrega à PF

PF vê participação de senadores em esquema no Ministério do Trabalho

Resultado de imagem para ministerio do trabalho

A Polícia Federal vê indícios de que os senadores Dalírio Beber (PSDB-SC) e Cidinho Santos (PR-MT) participaram do esquema de fraudes no Ministério do Trabalho, investigado na operação Registro Espúrio, deflagrada na quarta-feira (30).

De acordo com a investigação, mesmo sem ocupar qualquer cargo no âmbito da pasta, os senadores atuaram para deferir e indeferir pleitos sindicais de entidades que pretendiam favorecer.

As tratativas eram feitas com o atual coordenador-geral de Registro Sindical, Renato Araújo, nomeado para o cargo com ajuda dos congressistas.

Os investigadores suspeitam que, como contrapartida, os sindicatos ofereciam apoio aos políticos em eleições ou mesmo se filiavam a centrais por eles indicadas.

A PF viu elementos para pedir a prisão dos senadores, mas não o fez por causa da imunidade formal que eles detêm. Porém, requereu busca e apreensão em seus gabinetes, além de indiciamento e abertura inquérito. O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin não autorizou as medidas. Fábio Fabrini e Camila Mattoso – Folha de São Paulo

Leia maisPF vê participação de senadores em esquema no Ministério do Trabalho

Rajoy é destituído do cargo de primeiro-ministro na Espanha

O governo espanhol foi destituído por votação parlamentar nesta sexta-feira (1°) devido a um vultoso escândalo de corrupção semelhante àquele investigado no Brasil pela Operação Lava Jato.

Deputados aprovaram pela maioria absoluta de 180 votos, em uma Câmara de 350 cadeiras, a moção de censura contra o premiê Mariano Rajoy, do conservador PP (Partido Popular). Diversas figuras de sua sigla, incluindo o ex-tesoureiro, estavam ligadas a um esquema de venda de contratos públicos.

A moção fora apresentada na véspera pelo líder opositor Pedro Sánchez, do PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol), que passa a ser o premiê em exercício até a sua confirmação pelo rei Felipe prevista para a segunda-feira (4). É o sétimo governante desde a redemocratização do país nos anos 1970.

Votaram pela remoção de Rajoy, além do PSOE, o esquerdista Podemos, os catalães da Esquerda Unida e o Partido Nacionalista Basco, entre outras pequenas formações. A favor do ex-premiê, votaram a sua própria sigla e o aliado Cidadãos, de centro-direita. Diogo Bercito – Folha de São Paulo

Leia maisRajoy é destituído do cargo de primeiro-ministro na Espanha

Cai 18% o número de homicídios no RN em relação ao mesmo período de 2017

Imagem relacionada

Número de crimes teve redução de 15% no estado, mas, em alguns municípios a violência tem aumentado

O número de homicídios registrados no Rio Grande do Norte até o final de maio teve uma redução de 18% no comparativo com o mesmo período de 2017, de acordo com o relatório do Obvio (Observatório da Violência). No ano passado, 1.030 pessoas foram assassinadas nos primeiros cinco meses do ano. Em 2018, o número caiu para 844.

Natal teve uma redução percentual maior que a média (26%), mas continua liderando o ranking da violência no estado com 197 casos registrados em 2018 e 268 em 2017. Em Parnamirim, terceiro município mais violento do estado, a redução chegou a 38% e o número total de crimes caiu de 71 para 44.

Por outro lado, o município de São Gonçalo do Amarante, que ocupa a quarta posição no ranking, registrou um aumento de 36% saltando de 36 para 49 casos registrados em cinco meses. Em Canguaretama e Areia Branca, o índice também teve um crescimento significativo (55% e 37%, respectivamente). O aumento percentual mais drástico ocorreu no município de São José de Mipibu, onde o número de casos dobrou em um ano, saltando de 11 para 22 casos registrados. 

Leia maisCai 18% o número de homicídios no RN em relação ao mesmo período de 2017

STF pode ampliar restrição ao foro privilegiado no país

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), deve apresentar em plenário uma questão de ordem para definir se a regra que restringe o foro privilegiado para deputados e senadores pode ser aplicada também para outras autoridades julgadas pela Corte. Se os ministros concordarem, também devem deixar o tribunal processos de ministros de Estado, de integrantes do Tribunal de Contas da União e do presidente da República.

Pela regra aprovada no início do mês, deputados e senadores só são julgados no STF se o crime foi cometido no cargo atualmente ocupado e em razão da função pública. A partir da decisão, estão sendo transferidos para a primeira instância inquéritos e ações penais sobre fatos ocorridos antes da diplomação no cargo. O mesmo ocorre com crimes comuns, que não têm relação com o mandato – como, por exemplo, agressão.

Até agora, 149 processos já deixaram o STF rumo a outras instâncias do Judiciário. São inquéritos, petições e ações penais que tratam de atos cometidos por parlamentares. Caso a nova regra do foro seja aplicada a outras autoridades, essa conta vai aumentar. O Globo

Leia maisSTF pode ampliar restrição ao foro privilegiado no país

Agenda eleitoral cristã de candidatos à Presidência não é por acaso

Ciro Gomes (PDT) demonstrou no programa “Roda Viva” desta semana como o alerta dos presidenciáveis está ligado para a crescente influência do voto evangélico nas eleições. Ao ser perguntado sobre aborto, disse que não era “candidato a guru de costumes, mas a chefe de Estado”. Sobre a descriminalização das drogas, omitiu novamente sua opinião e deixou claro como pretende tratar este tipo de tema na campanha:

— O Brasil é um país profundamente cristão. A Igreja Católica é contra. Os neopentecostais são contra ao quadrado. Não adianta nada ser um déspota esclarecido que vai impor a uma nação aquilo que você acha correto — respondeu a um dos entrevistadores da bancada.

A cada disputa presidencial que passa, atrair o eleitorado evangélico é missão essencial para ser competitivo. O segmento representava 9% da população nos anos 1990; 15,6%, em 2000; 22,2%, em 2010; agora, beira os 30%; e a estimativa de demógrafos é que torne-se maioria no Brasil a partir de 2040.

Leia maisAgenda eleitoral cristã de candidatos à Presidência não é por acaso

Meghan e Harry precisaram devolver R$ 35 milhões em presentes de casamento

Príncipe Harry e Meghan Markle se casaram no dia 19 de maio de 2018

Casados há quase duas semanas, príncipe Harry, 33, e Meghan Markle, 36, precisaram devolver presentes de casamento que contabilizam cerca de 7 milhões de libras esterlinas (o equivalente a R$ 35 milhões).

E isso não foi porque receberam cafeteiras e torradeiras repetidas. Segundo o site britânico Express, o casal, na verdade, nem chegou a desempacotar os objetos por conta das regras da família real.

Qualquer presente enviado por um cidadão desconhecido da realeza deve ser recusado e aqueles enviados por marcas devem passar por uma avaliação antes de serem aceitos.

Isso porque a família real não pode ter sua imagem usada pelas marcas para fins comerciais. Em teoria, a coroa deve arcar com os gastos e providenciar tudo que o casal precisar, para que Harry e Meghan não façam publicidade gratuita.

Pedro Parente pede demissão da presidência da Petrobras

Pedro Parente, presidente da Petrobras, tomou posse em 2016 afirmando que a política de preços da companhia não teria mais influência do governo

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, pediu demissão na manhã desta sexta (1º), em reunião com o presidente Michel Temer. Eles estão reunidos neste momento. Parente estava na empresa desde junho de 2016. ​

Parente vinha sendo criticado pela insistência com a política de preços dos combustíveis implantada durante sua gestão, que levou a aumentos que culminaram com a paralisação dos caminhoneiros.

Em fato relevante, a Petrobras informou que um presidente interino será escolhido pelo conselho de administração da companhia nesta sexta. Disse ainda que não haverá mudanças na diretoria. 

Leia maisPedro Parente pede demissão da presidência da Petrobras

Doria sugere aliança Alckmin-Rocha e constrange PSDB

O prefeito de São Paulo Bruno Covas com João Doria, Flávio Rocha e o apóstolo Estevam, durante a Marcha para Jesus 2018

Pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, o ex-prefeito João Doria disse nesta quinta-feira, 31, que o empresário Flavio Rocha, presidenciável do PRB, e o ex-governador Geraldo Alckmin “estarão juntos” na disputa pelo Palácio do Planalto. A declaração irritou aliados de Alckmin, que consideram precipitado o gesto de Doria. Alckmin mantém conversas com o PRB e reuniu-se na semana passada com o presidente nacional do partido, Marcos Pereira.

Para Doria, a aliança dos dois seria benéfica para o que ele considera uma união do centro contra as pré-candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT). “Será e estarão juntos”, disse após participar da Marcha Para Jesus, na capital paulista.

Em outra frente, o deputado federal Marcus Pestana, secretário-geral do PSDB, tenta unfiicar as candidaturas do centro já no primeiro turno, em uma frente batizada de “polo democrático”. Daniel Weterman e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

Leia maisDoria sugere aliança Alckmin-Rocha e constrange PSDB

Exército diz que ‘malucos’ apoiam intervenção

Resultado de imagem para general exercito vila

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, diz que há “chance zero” de setores das Forças Armadas, principalmente da ativa, mas também da reserva, se encantarem com a volta dos militares ao poder. Admite, porém, que há “tresloucados” ou “malucos” civis que, vira e mexe, batem à sua porta cobrando intervenção no caos político.

“Esses tresloucados, esses malucos vêm procurar a gente aqui e perguntam: ‘Até quando as Forças Armadas vão deixar o País afundando? Cadê a responsabilidade das Forças Armadas?’” E o que ele responde? “Eu respondo com o artigo 142 da Constituição. Está tudo ali. Ponto”.

Pelo artigo 142, “as Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.”  Eliane Cantanhêde, O Estado de S. Paulo

Leia maisExército diz que ‘malucos’ apoiam intervenção

Prefeito do Assú desaparece mais uma vez e réu toma conta de evento

Nuilson Pinto, o Pavão, que responde a processo de improbidade, agora comanda Assú no lugar do prefeito

O prefeito do Assú Gustavo Soares, que passa de 15 a 20 dias fora e numa demonstração que não quer nada com a cidade, não compareceu a mais um encontro de articulação com os expositores da Feira da Lua que aconteceu no Cine Teatro Pedro Amorim, e também registrou a presença de membros da direção da cooperativa recém-constituída.

Na reunião de da preparação para a 8ª Feira da Lua, o Consultor de Projetos, Nuilson Pinto, réu que responde a diversos processos pela prática de crimes e outras falcatruas contra a administração pública na Prefeitura do Assú, quando integrava e comandava a ‘patota’ do ex-prefeito Ronaldo Soares, pai do atual gestor e do deputado estadual do PR, George Soares.

Posto que não reduzir em R$ 0,46 o diesel pode ter multa de R$ 9,4 mi

Foto: Tony Winston/Agência Brasil

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse na noite desta quinta-feira, 31, que o governo atuará para punir com multa de R$ 9,4 milhões postos de combustíveis que não repassarem, a partir de sábado, 2, o desconto de R$ 0,46 centavos por litro de óleo diesel nas bombas.

A redução foi uma das exigências do setor de cargas para encerrar a paralisação, que chegou a dez dias. Também estão previstas suspensão temporária dos estabelecimentos e cassação da licença. Para garantir o cumprimento dos preços, o governo aposta num entendimento com federações de distribuidores e postos.

Uma portaria com as normas da fiscalização dos postos será publicada pelo Ministério da Justiça. Nas conversas com representantes de distribuidoras, o governo foi informado que os postos costumam renovar seus estoques em até 72 horas. Logo, estabelecimentos que ainda têm combustível comprado com valores antigos, com impostos que foram cortados nas negociações, até a tarde desta sexta-feira estarão com óleo de preço reduzido.

Ao anunciar o fim dos bloqueios nas estradas, Padilha não fez malabarismo para admitir que a conta do prejuízo pelo cumprimento das exigências do movimento será paga pelo contribuinte. “Quem paga a conta é sempre o cidadão”, disse. “Todo mundo está bravo porque vai pagar.” Leonêncio Nossa, O Estado de S.Paulo

“Saúde do Assú virou cabaré geral”, diz popular revoltado com descaso do prefeito Gustavo Soares

Apesar de gastar quase R$ 800 mil com a contratação de uma empresa para realizar serviços de vigilância nos prédios públicos, o médico e prefeito do Assú Gustavo Soares, do PR, é o pior exemplo de gestor da Saúde do RN.

A população esta revoltada com o descaso do prefeito e irmão do deputado estadual do PR George Soares.

Justiça retira das ruas em Macau, PM acusado de comandar esquema de fraude no DPVAT

A promotora Tiffany Mourão entrou com um pedido de medida cautelar contra Leandro de Souza

Um policial militar foi denunciado pelo Ministério Público por comandar um esquema fraudulento envolvendo o seguro DPVAT na cidade de Macau, na região salineira potiguar.

O PM, que também é blogueiro, se chama Leandro de Souza e possuía dois escritórios especializados no esquema – um em Macau e outro em Ceará-Mirim.

E segundo a 1ª Promotoria de Justiça de Comarca de Macau, ele e mais três pessoas – uma delas sua esposa – cometeram os crimes de estelionato, associação criminosa e falsificação de documentos para conseguir o viabilizar o benefício para supostas vítimas de acidentes.

Ainda segundo a promotora Tiffany Mourão, Leandro se valia da função de PM e fraudava boletins de ocorrências. Com ajuda de seus comparsas, ele conseguia uma lista de pessoas atendidas no hospital de Macau e, em seguida, um dos estelionatários abordava as pessoas já em casa, com a promessa de indenizar através do seguro DPVAT as futuras vítimas, de forma rápida e segura.

Leia maisJustiça retira das ruas em Macau, PM acusado de comandar esquema de fraude no DPVAT

Dez parlamentares evitam pena com recursos no STF

Dez parlamentares condenados pela Justiça continuam a exercer seus mandatos e não tiveram as penas executadas, pois ainda dispõem de recursos contra a decisão no Supremo Tribunal Federal (STF). Esses processos fazem parte do conjunto de 52 ações penais que permaneceram na Corte mesmo após a restrição ao foro privilegiado, segundo levantamento do Estadão/Broadcast.

É o caso do senador Valdir Raupp (MDB-RO), condenado em 2002 a 6 anos de reclusão. A ação penal chegou ao STF em outubro de 2003, sob relatoria do ministro Celso de Mello, e ainda não tem decisão. Raupp também é réu na Corte por investigações da Operação Lava Jato.

Na terça-feira, 29, o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) se tornou o primeiro parlamentar réu da Lava Jato a receber condenação da Corte. Além de Meurer, outros seis deputados federais e três senadores foram sentenciados por delitos como peculato, falsidade ideológica eleitoral, crime contra o sistema financeiro e fraude em licitação.

Condenado em maio de 2017 por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o deputado Paulo Feijó (PR-RJ) representa um caso emblemático sobre a pendência de decisões tanto no Supremo quanto no Congresso. Amanda Pupo, O Estado de S.Paulo

Leia maisDez parlamentares evitam pena com recursos no STF

PT paga preço alto ao manter Lula como candidato fantasma

Lula tem prisão decretada - Veja repercussão

O PT paga um preço alto ao carregar um candidato fantasma na etapa pré-eleitoral. Ao insistir na improvável participação de Lula na disputa, o partido afasta potenciais aliados, confunde eleitores e reduz seu peso na cena política cotidiana.

A percepção consolidada de que o ex-presidente terá seu registro negado torna absurdas as condições de negociação entre o PT e outras siglas.

Em uma reunião há três semanas, um dirigente do PSB tentou arrancar dos petistas o nome do substituto de Lula —já que a definição terá impacto sobre eleições locais. Um líder do PT respondeu o de sempre: o ex-presidente será candidato.

Ao ouvir o discurso, o socialista se irritou. Disse que era impossível fazer campanha para um político que não chegará às urnas, e que não daria um cheque em branco aos petistas em troca de apoio em seu estado. Bruno Boghossian – Folha de São Paulo

Leia maisPT paga preço alto ao manter Lula como candidato fantasma

%d blogueiros gostam disto: