Deputados torram o equivalente a 48 toneladas de café com aluguel de máquinas de expresso

“Para proporcionar um atendimento melhor aos prefeitos, vereadores e diversas pessoas que visitam o meu gabinete, vejo que o aluguel da máquina é importante para os trabalhos do meu gabinete”, diz Nilton Capixaba

Um cafezinho, por favor! Essa é uma das frases que o brasileiro mais repete ao longo do dia. A segunda bebida mais consumida do país – atrás apenas da água – é também uma das paixões dos parlamentares. Em particular, para um grupo de 68 deputados mais exigentes na hora de consumi-la. Insatisfeitos com a qualidade da mistura de pó e água servida nas comissões, no plenário e nos gabinetes dos demais colegas, eles torram dinheiro público para alugar as tradicionais máquinas de café expresso. Três lideranças partidárias (DEM, Solidariedade e Podemos) também fornecem cafés do tipo longo e curto, todos moídos na hora.

Desde o início da atual legislatura, em fevereiro de 2015, lá se foram R$ 600 mil com o aluguel dessas maquininhas que, além do cafezinho, entregam outras delícias, como cappuccino, mocaccino e chocolate quente. O valor sai da cota para o exercício da atividade parlamentar, uma verba pública destinada a cobrir gastos atribuídos pelos congressistas ao mandato, como aluguel de escritório político, passagens aéreas, locação de veículos e despesas com combustíveis. A prática não é ilegal. A brecha está associada ao uso da cota para a manutenção do gabinete.

O valor equivale ao consumo de 48 toneladas de pó quando comparado com o que toda a Câmara gastará apenas este ano com a compra de 53,5 toneladas de café. Com essa quantia, é possível satisfazer a vontade dos 16 mil funcionários, jornalistas e os milhares de visitantes da Casa. Todos têm direito a beber sem desembolsar nada.

De acordo com o edital da compra, os grãos torrados são de primeira qualidade. A empresa vencedora foi a Odebrecht Café. Apesar do nome, a marca não faz parte do grupo envolvido na Operação Lava Jato. Pertence a outro ramo da família. O deputado Aluísio Mendes (Podemos-MA) não dispensa um café expresso. Ele já gastou R$ 23,8 mil com o aluguel da máquina desde o início da legislatura. Valor devidamente reembolsado pela Câmara. POR JOELMA PEREIRA E LUCIO BATISTA – Congresso Em Foco

Leia maisDeputados torram o equivalente a 48 toneladas de café com aluguel de máquinas de expresso

Avanço de Bolsonaro e Ciro assusta mercado

Foto: Gabriela Biló/Estadão

A percepção de avanço de candidaturas que representam extremos ideológicos aos olhos do mercado, casos de Ciro Gomes (PDT) e de Jair Bolsonaro (PSL), tem contribuído para o sentimento de desalento de investidores. Eles antecipam risco de desfecho eleitoral desfavorável à agenda de reformas e, consequentemente, ao desempenho da economia, segundo levantamento feito pelo ‘Estado’ com dez instituições financeiras e sondagem feita pela XP Investimentos com 204 investidores.

Tal avaliação vem sendo embalada pelo mau desempenho nas pesquisas de candidatos vistos como fiscalmente responsáveis, como Geraldo Alckmin (PSDB), que segue patinando, e Henrique Meirelles (MDB), que demonstra raquitismo nas prévias eleitorais.

Analistas avaliam que Bolsonaro e Ciro se fortaleceram com a crise política provocada pela greve dos caminhoneiros e a fragilidade do governo Temer. A leitura, diante do apoio popular ao movimento grevista, é de que um candidato reformista tem menos chances de ser eleito. “O comprometimento do candidato que o mercado quer, de prosseguir com a agenda de reformas, não é o mesmo do eleitor comum”, afirma Sérgio Lazzarini, professor do Insper.

Renata Agostini, Vinícius Neder, Mônica Scaramuzzo e Luciana Dyniewicz, O Estado de S.Paulo

Leia maisAvanço de Bolsonaro e Ciro assusta mercado

Com 7% no Datafolha, Alckmin tem índice mais baixo do PSDB em quase 30 anos

Retrato de perfil do pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, em debate eleitoral em Brasília, no dia 6 de junho de 2018

O desempenho de Geraldo Alckmin (PSDB) nas pesquisas eleitorais deste ano é o pior para um candidato tucano à Presidência em quase 30 anos.

A quatro meses da disputa, o ex-governador de São Paulo marcou 7% das intenções de voto no levantamento do Datafolha divulgado neste domingo (10).

O índice é comparável apenas ao de Mário Covas (PSDB), que tinha 5% em junho de 1989. Ele terminou aquela eleição presidencial em quarto lugar.

Para os tucanos, as dificuldades de Alckmin são motivadas pelo desgaste sofrido pelo PSDB nos últimos anos e pela multiplicação de candidaturas de centro e de direita —que ocuparam um espaço tradicionalmente dominado pelo partido. Folha de São Paulo

Leia maisCom 7% no Datafolha, Alckmin tem índice mais baixo do PSDB em quase 30 anos

Rejeição vai a 82% e torna Temer presidente mais impopular da história

Governo Temer

A crise provocada pela paralisação dos caminhoneiros e a lenta retomada da economia aumentaram a impopularidade de Michel Temer. Segundo o Datafolha, 82% dos brasileiros consideram seu governo ruim ou péssimo.

A taxa de reprovação aumentou 12 pontos percentuais desde abril, quando o presidente era rejeitado por 70%. Com isso, Temer bate seu próprio recorde como presidente mais impopular desde a redemocratização do país. Em setembro, ele atingira 73%.

Segundo o levantamento, realizado pelo Datafolha na quarta (6) e na quinta (7), após a paralisação dos caminhoneiros, apenas 3% dos brasileiros consideram o governo Temer ótimo ou bom. Outros 14% acham sua gestão regular.

A impopularidade de Temer cresceu em todas as faixas de renda e escolaridade, e nas cinco regiões do país. No Nordeste, o presidente é rejeitado por 87%. No Sul e no Sudeste, o índice é de 80%. Bruno Boghossian – Folha de São Paulo

Leia maisRejeição vai a 82% e torna Temer presidente mais impopular da história

Ivan Júnior pode fechar ‘dobradinha’ com Nicolau em Carnaubais

Ivan Júnior se mostra simpático a votar em Nicolau para federal em Carnaubais

Apesar da perseguição política imposta pelo prefeito de Carnaubais Thiago Meira, do PSDB, que a pedido do deputado estadual George Soares, mandou demitir secretário e outros que exerciam cargos comissionados que apoiam a pré-candidatura a deputado estadual pelo PSD Ivan Júnior – o ex-prefeito do Assú e ex-secretário estadual, não se intimidou e foi ontem participar da festa de Santo Antônio de Pádua, padroeiro da comunidade de Jenipapeiro, no município.

Depois de participar da procissão e da missa na capela de Santo Antônio em Janipapeiro, o ex-prefeito Ivan Júnior, prestigiou também o tradicional jantar do padroeiro e se encontrou com o vereador do PC do B e pré-candidato a deputado federal Nicolau Cavalcante, com quem durante um bate papo animado, defendeu o fortalecimento político da Vale do Açu e voto para os filhos da região para deputado federal e estadual.

Na conversa, Ivan Júnior se mostrou disposto e aberto para fechar uma dobradinha para deputado estadual e apoiar a pré-candidatura de Nicolau do PC do B para federal em Carnaubais, mas nada fechado de prego batido e ponta virada até agora.

PR esquece do deputado George Soares em Mossoró

O blogueiro do Assú Samuel Nário fez uma observação interessante e inteligente no seu blog Rabiscos. O PR esqueceu do deputado estadual George Soares em Mossoró. Nas fotos enviadas e divulgadas pela assessoria do partido, George não aparece em nenhuma, durante o IV Encontro Regional do partido, com o tema “Trabalho para fortalecer o RN” e teve os pré-candidatos e teve os pré-candidatos Tião Couto e Jorge do Rosário, como anfitriões.  como anfitriões.

O esquecimento mostra que o deputado estadual George Soares, não está com essa bola toda e nem esse prestígio político no PR, apesar de ter comparecido ao evento. O parlamentar foi conversar besteira em Assú sobre os pré-candidatos Tião Couto e Jorge do Rosário, chegando ate debochar do potencial eleitoral da dupla e agora recebe o troco.

A conversa chegou aos ouvidos da cúpula do PR. O troco veio rápido. Bem feito.

Datafolha: Marina venceria Bolsonaro no segundo turno

A ex-senadora Marina Silva (Rede) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) estariam à frente de Jair Bolsonaro (PSL) nas simulações de segundo turno propostas pelo instituto Datafolha a quase 3.000 eleitores em todo o Brasil, entre os dias 6 e 7 desta semana. Entre os dois, no entanto, apenas Marina tem vantagem superior à margem de erro, de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa, divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo na madrugada deste domingo, 10, mostra que a pré-candidata da Rede teria 42% das intenções de voto, contra 32% do deputado do PSL em uma eventual disputa direta. O instituto mostra que brancos, nulos e indecisos, neste cenário, somariam 26%.

Já a vantagem de Ciro sobre Bolsonaro é de apenas dois pontos percentuais (36 a 34%) e, portanto, eles estão tecnicamente empatados. Caso os pré-candidatos do PDT e do PSL estivessem na segunda etapa, um número próximo ao da intenção de voto de ambos, 31%, não optaria nem por um nem pelo outro. As informações são da revista VEJA

Leia maisDatafolha: Marina venceria Bolsonaro no segundo turno

Datafolha: Sem Lula, Marina e Ciro disputam vaga para enfrentar Bolsonaro

Nos cenários sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado em segunda instância e tecnicamente barrado pela Lei da Ficha Lima, a ex-senadora Marina Silva (Rede) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) disputariam uma vaga para enfrentar o deputado Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno, segundo pesquisa Datafolha divulgada na madrugada deste domingo, 10, pelo jornal Folha de S. Paulo.

Independentemente de qual seria a posição do PT, Bolsonaro lidera, com 19% das intenções de voto, seguindo por Marina, entre 14 e 15%, e Ciro, com 10 ou 11% das intenções de voto. Em quarto lugar, fora da margem de erro, de 2 pontos percentuais, apareceria o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), com 7%, seguido pelo senador Álvaro Dias (Podemos), com 4%

Cotados como alternativas para o PT, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e o ex-governador da Bahia Jaques Wagner vão mal. Ambos registraram apenas 1% das intenções de voto.

O número de eleitores sem candidato salta quando Lula não está na amostragem. Brancos, nulos e indecisos passam de 21%, na simulação com o ex-presidente, para entre 33 e 34% quando ele não está entre os nomes apresentados. As informações são da revista VEJA

Leia maisDatafolha: Sem Lula, Marina e Ciro disputam vaga para enfrentar Bolsonaro

Datafolha: Collor, Lula e Bolsonaro são os candidatos mais rejeitados

O senador Fernando Collor (PTC-AL): O ex-presidente Fernando Collor de Mello, pré-candidato ao Planalto pelo nanico PTC

A nova pesquisa eleitoral do instituto Datafolha, divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo neste domingo, 10, mostrou quais os pré-candidatos à Presidência são os mais rejeitados pelos eleitores. De acordo com o levantamento, os ex-presidentes Fernando Collor (PTC) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado Jair Bolsonaro (PSL) são os que “lideram” o ranking.

Ao todo, 39% dos entrevistados disseram que não votariam em Collor, seguido por 36% que rejeitam o nome de Lula e 32% que descartam votar no pré-candidato do PSL. Os três se tornaram os nomes com mais reprovação depois da desistência do presidente Michel Temer (MDB), que ainda era pré-candidato em abril, quando a pesquisa anterior do Datafolha foi realizada e o emedebista rejeitado era por 64%.

As oscilações tanto do trio quanto dos pré-candidatos do pelotão seguinte foram dentro da margem de erro, de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) era rejeitado por 29% e agora por 27%, enquanto a ex-senadora Marina Silva (Rede) viu o índice crescer de 22% para 24%. Guilherme Venaglia – VEJA

Leia maisDatafolha: Collor, Lula e Bolsonaro são os candidatos mais rejeitados

PT de Fátima Bezerra junto e misturado com o PSDB de Márcia Maia em Carnaubais

O vereador do PC do B de Carnaubais, Nicolau Cavalcante, lançou a sua pré-candidatura a deputado federal pelo Vale do Açu na última sexta-feira. O evento contou com a presença da senadora do PT e pré-candidata ao Governo do RN, Fátima Bezerra, e da deputada federal e pré-candidata ao Senado, Zenaide Maia (PHS).

Nicolau é irmão do ex-prefeito de Carnaubais Luizinho Cavalcante que exerce o cargo de assessor parlamentar da deputada estadual Marcia Maia, do PSDB. A tucana compareceu a festa de lançamento com a petista Fátima Bezerra para prestigiar o irmão do seu assessor.

Resultado de imagem para luizinho e fatima bezerra carnaubais

Fátima Bezerra ja fez aliança e esteve no palanque com o DEM, do empresário Dinarte Diniz, marido da atual vice-prefeita de Carnaubais Marineide Diniz

Em Carnaubais, a candidatura de Nicolau recebeu o apoio de uma salada de partidos, como PSDB, PT, PHS e PC do B de ideologias políticas diferentes no RN. A senadora Fátima Bezerra, hoje ovacionada pelo clã dos Cavalcante, já foi fustigada pelo ex-prefeito Luizinho Cavalcante, após a petista fechar aliança com o DEM no município. Vela abaixo o que Luizinho dizia da pré-candidata Fátima Bezerra no passado.

Papa diz a petroleiras que energia limpa é desafio ‘épico’

Foto: Fabio Frustaci/EFE

O Papa Francisco disse neste sábado a um grupo de executivos da indústria do petróleo que a transição para fontes de energia menos poluentes “é um desafio de proporções épicas” e alertou que para satisfazer as necessidades globais de energia “não é preciso destruir a civilização”.

Segundo o Vaticano, a conferência de dois dias com executivos de petroleiras foi concebida para ser uma continuação da encíclica publicada pelo Papa três anos atrás pedindo por uma ação para salvar o planeta dos danos provocados pelas mudanças climáticas e de outros males que atingem o meio ambiente.

Entre os participantes do encontro estavam os CEOs das gigantes ENI, British Petroleum, ExxonMobil e da norueguesa Statoil, além de cientistas e gestores de grandes fundos de investimento. As declarações de Francisco no primeiro dia da conferência, realizada a portas fechadas, não foram divulgadas pelo Vaticano.

Leia maisPapa diz a petroleiras que energia limpa é desafio ‘épico’

%d blogueiros gostam disto: