Fátima Bezerra recebe apoio do líder do clã dos Soares e velho cacique da política do Vale do Açu

Fátima abraçada a Ronaldo Soares, líder do clã Soares e velho cacique da política potiguar

Enquanto os seus filhos, o prefeito do Assú Gustavo Soares e irmão, deputado George Soares, ambos do PR, andam com o pires na mão pedindo ajuda e implorando apoio do governador Robinson Faria, do PSD, para em troca apoiá-lo na disputa pela reeleição, o pai e ex-prefeito do Assú Ronaldo Soares, anunciou hoje oficialmente o seu apoio a senadora do PT e pré-candidata ao Governo do RN, Fátima Bezerra.

O velho cacique político e líder da maior oligarquia do Vale do Assú que domina a região por quase um século, Ronaldo Soares, anunciou o seu apoio a senadora do PT Fátima Bezerra que age como caçadora feroz para exterminar do cenário da política potiguar os clã que se acham donos do Estado e aposta na possibilidade de quebrar o maior dos paradigmas da política do RN, derrotar as oligarquias que dominam a política estadual há séculos e se eleger governadora.

Na foto, a pré-candidata a governador pelo PT Fátima Bezerra, com seu discurso de modernidade e de renovação na política do RN, não demonstra nenhum constrangimento de posar abraçada com o velho cacique da política do Vale do Açu e líder do maior clã político da região.

Prefeito do Assú e o deputado do PR apoiam pré-candidatura de Zenaide Maia para o Senado

A máscara do engodo político planejado pelo ex-deputado federal, João Maia que tentará retornar à Câmara dos Deputados no pleito deste ano na vaga aberta por sua irmã e atual deputada federal Zenaide Maia – caiu hoje por terra, revelando uma suposta farsa do presidente estadual do PR, que nega que já estivesse garantido apoio a pré-candidatura da irmã, pelo PHS – durante o almoço do São João em Assú, quando o prefeito do Assú Gustavo Soares e o seu irmão, deputado estadual George Soares, ambos filiados ao PR, declaram apoio e apresentaram Zenaide como futura senadora do clã Soares.

Os irmãos Soares estão combinados com o presidente regional do PR João Maia ou demonstram completa independência para tomar essa decisão solitária, atropelando uma orientação da cúpula do partido no Rio Grande do Norte, antecipando apoio a irmã do presidente da legenda e pré-candidata a senadora pelo PHS, Zenaide Maia.

Com a decisão de fechar com Zenaide, o prefeito e o deputado do PR em Assú, ainda falta escolher outro pré-candidato a senador. Até agora, os irmãos Soares não anunciaram apoio ao senador do MDB e candidato a reeleição Garibaldi Alves, assim como também não assumiram compromisso com o pré-candidato a senador pelo PSB e ex-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Vieira ou com o ex-governador e pré-candidato a senador pelo PSDB Geraldo Melo.

Leitor compara perseguição a Ivan Júnior com o que fizeram a Aluizio Alves

George Soares e o seu irmão Gustavo Soares, hoje com a pré-candidata ao Senado Zenaide Maia  durante o almoço de São João 

Após o lamentável episódio de hoje em que o ex-prefeito do Assú e pré-candidato a deputado estadual pelo PSD Ivan Júnior, foi literalmente impedido de falar durante a solenidade de homenagem póstuma ao desportista Nozinho, quando o carro de som do deputado estadual George Soares, do PR, que fazia a sonorização do evento, foi desligado bruscamente, na hora que o ex-prefeito começou a falar.

 a população presente ficou revoltada e indignada com o atitude. Um leitor do blog comparou o episódio com Ivan Júnior, com a perseguição que o ex-governador Aluzio Alves sofria no passado e enviou um vídeo para relembrar a história.

Ivan Júnior diz : “desligam o som, mas não calam a minha voz”

Começa a pegar a fogo antes da deflagração da campanha eleitoral, a disputa por uma vaga na Asssembléia Legislativa, no município do Assú, entre o atual deputado estadual do PR George Soares contra o ex-prefeito e pré-candidato a deputado estadual pelo PSD Ivan Júnior, quando aliados do clã Soares, desligaram o som durante solenidade, mas não calaram a voz do ex-secretário.

Hoje pela manhã na rua Bernardo Vieira, durante evento patrocinado pela Prefeitura do Assu, com a montagem de tenda e um carro de som do irmão do prefeito e deputado estadual George Soares, para homenagem póstuma ao desportistas Nozinho – a rivalidade se mostrou mesquinha e antidemocrática, quando o ex-prefeito Ivan Júnior, a convite da família do falecido, quase foi impedido de prestar também a sua homenagem com o desligamento abrupto do som do deputado George Soares.

Apesar do desligamento brusco do carro de som do deputado do PR, o pré-candidato a deputado estadual pelo PSD Ivan Júnior, não se abalou e continuou a falar para o público e a família do falecido homenageado desportista. Presente ao evento, o prefeito Gustavo Soares, não esboçou nenhuma reação ou pediu para regularizar a sonorização interrompida, demonstrando uma certa satisfação com o episódio.

Enquanto o prefeito Gustavo Soares demonstrava alegria com o desligamento do som, a população ficou revoltada e indignada com a atitude desrespeitosa e deselegante. Veja abaixo dois vídeos sobre o fato de ângulos diferentes:

Festa do São João no sábado foi um fracasso em Assú

Com a omissão ou a cumplicidade do prefeito Gustavo Soares, do PR, a festa do São do João ontem em Assú, foi um fracasso de público, graças a ganância financeira do empresário Karume Nascimento, ex-sócio do irmão do prefeito e deputado estadual George Soares que fez uma manobra para lucrar e acabou prejudicando o evento junino, já que o povo não apareceu para prestigiar a festa bancada com dinheiro dos cofres do governo municipal.

No palco principal da Prefeitura do Assú no ‘buraco do prefeito’, a cantora Fadja Lorena, paga com dinheiro público para tocar e animar a festa junina, cantou para ninguém e a população não compareceu, mesmo sem pagar um tostão. Já no São João Parque Clube, o cantor Felipão, contratado pelo empresário Karume Nascimento, que cobrava uma taxa de entrada e esperava arrecadar uma fortuna com a atração principal do evento, ficou frustrado com o número reduzido do público pagante.

 

Prefeito Gustavo Soares ‘ajuda’ Assu perder R$ 4 milhões em obras e diz  que “fazer o que é certo, não é fácil”

“Fazer o que é certo, não é fácil”, diz prefeito do Assú que montou equipe de secretários réus na Justiça

Depois de administrar virtualmente o município do Assú durante quase dois anos, o prefeito Gustavo Soares, do PR, finalmente apareceu na cidade para participar da festa do São João, mas após o término dos festejos religiosos e mundanos, deverá voltar a sua rotina de aparecer no seu gabinete na Prefeitura de 15 a 20 dias, para assinar um monte de documentos atrasados.

Com essa sua conduta irresponsável, o prefeito Gustavo Soares, vem causando enormes prejuízos financeiros ao município que contribui para o atraso no desenvolvimento social e econômico. Até agora, o prefeito contribuiu para o Assu perder mais de R$ 4 milhões para a construção de obras importantes, como a pavimentação de diversas ruas na periferia, abatedouro público e o santuário de Irmã Lindalva.

“Fazer o que é certo, não é fácil”, justifica o prefeito Gustavo Soares que ganha R$ 18 mil por mês, montou uma equipe de secretários de réus e acusados de crime contra a administração pública para cuidar da Prefeitura do Assú e se tornou sócio de uma clínica médica na cidade de Mossoró, enquanto deixa faltar ate dipirona nos postos de saúde de Assú.

Ministro do TSE diz que condenado não pode ser candidato a presidente

O ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), defendeu que a candidatura do um presidenciável condenado pela Justiça seja impedida assim que for solicitado o registro, cujo prazo termina em 15 de agosto. Para ele, a suspensão pode ser dada “de ofício”, ou seja, sem necessidade de passar pelo plenário da Corte.

“Quando você almeja um cargo de presidente, você não pode brincar com o país. Fazer com que milhões de brasileiros vão às urnas para votar nulo. Não contem comigo pra isso”, disse o ministro, um dos convidados para o ciclo de debates do Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral, realizado durante a semana em Curitiba (PR).

Sem menções nominal, o ministro trata do caso do ex-presidente Lula (PT), que foi condenado em segunda instância e está preso desde 7 de abril na superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba. O petista foi confirmado como pré-candidato à sucessão de Michel Temer (MDB) e tem liderado todas as pesquisas de intenção de voto há meses, mas deve ser barrado pela Lei da Ficha Limpa.

Tite assume risco para jogar bonito na estreia contra a Suíça

Jogadores fazem treino no campo de estreia da seleção brasilera na Copa

A seleção de Tite já resgatou o apoio do torcedor brasileiro. Com uma campanha exemplar antes da Copa do Mundo da Rússia, o time está invicto há mais de um ano e acumula 17 vitórias em 21 partidas desde a contratação do treinador, em 2016.

Agora, Tite e seus comandados têm o desafio de apagar o vexame do time nacional na Copa passada.
Para isso, o treinador quer a equipe jogando bonito e correndo risco, a partir deste domingo (17), às 15h (horário de Brasília), na partida contra a Suíça, pela primeira rodada do Grupo E do Mundial.

O jogo do Brasil planejado por Tite no torneio da Rússia será baseado na valorização de posse de bola, em toques curtos, nas triangulações e na rapidez das jogadas próximas ao gol adversário, ou no último terço do campo, como gosta de dizer o treinador.

Chutões foram proibidos. O técnico exige que o time saia jogando. Nos treinos da equipe, o goleiro Alisson treina passes com os preparadores simulando uma saída de jogo. Folha de São Paulo

Leia maisTite assume risco para jogar bonito na estreia contra a Suíça

Ministro do STF afirma que ato do CNJ ‘ressoa como censura’

Resultado de imagem para marco aurelio

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou ao Estado que a medida do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de proibir magistrados de fazer ataques pessoais a candidatos, lideranças políticas ou partidos nas redes sociais pode “ressoar como censura”.

“Não é uma crítica direta ao Conselho, mas, na minha visão, o controle nesse caso é sempre posterior, senão ressoa como censura prévia”, disse o ministro, referindo-se às normas para o uso de redes sociais por juízes e desembargadores. “(É) Inconcebível, com os ares democráticos da Carta de 1988, se ter uma espécie de censura dirigida ao ‘Estado juiz’ (Judiciário) por um órgão administrativo.”

Ele disse que a Lei Orgânica da Magistratura Nacional já orienta juízes sobre posicionamentos públicos. Na visão do ministro, cabe ao CNJ o controle administrativo posterior das condutas e manifestações dos magistrados que sejam supostamente irregulares.  Amanda Pupo e Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

Leia maisMinistro do STF afirma que ato do CNJ ‘ressoa como censura’

Polícia Civil prende suspeitos de homicídio em Assú

Equipes da Polícia Civil e Polícia Militar da cidade de Assú prenderam em flagrante, na tarde deste sábado (16), Rosemilson Felipe Santiago da Silva, vulgo “Ró”, 22 anos, e Aldemberg Gleyson Tomaz Lopes, vulgo “Berguinho”, 20 anos, suspeitos por serem os autores do assassinato de José Iltemberg de Mendonça, conhecido como “Temberg”.

Apontados como integrantes de uma facção criminosa de São Paulo, os dois foram presos enquanto chegavam na casa onde moravam, minutos após a ação criminosa. A dupla era investigada pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, e também eram suspeitos por outros homicídios. Por conta das investigações, havia em aberto um mandado de busca e apreensão na residência onde foram presos.

Na abordagem, os policiais apreenderam na casa 139 pedras de crack, uma porção de maconha, dois rádios comunicadores, uma balaclava, além de uma espingarda calibre 12 com munição e uma moto modelo Honda Fan, utilizados no homicídio.

Os suspeitos confessaram o crime e afirmaram que receberam a motocicleta como pagamento. Eles foram autuados em flagrante por homicídio, tráfico de drogas, associação para o tráfico, receptação e posse ilegal de arma de fogo. Ambos foram encaminhados ao sistema prisional, onde ficarão à disposição da Justiça.

Partidos ainda devem R$ 32 milhões de eleições passadas

TSE

Com menos recursos para uma nova campanha eleitoral, 13 dos 35 partidos políticos ainda têm de desembolsar recursos para pagar dívidas de disputas passadas. Ao todo, as legendas registram débitos que chegam a quase R$ 32 milhões. Os dados foram obtidos nas prestações de contas de 2017 enviadas pelos partidos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que incluem as dívidas de campanhas assumidas pelas legendas ao fim da eleição.

Pela legislação eleitoral, os candidatos têm até a eleição seguinte, ou seja, quatro anos, para quitar todos os débitos de campanha. As diferentes esferas dos partidos – municipal, estadual e nacional – não têm obrigação legal de assumir essas dívidas, mas é o que costuma ocorrer.

A sigla mais endividada é o PT, com um rombo de cerca de R$ 25 milhões, o que representa 78% do valor total devido por todas as agremiações. Além dos petistas, também lideram o ranking dos endividados o Avante (R$ 3,4 milhões), o MDB (R$ 1,1 milhão), o PSDB (R$ 848 mil) e o PCdoB (R$ 712 mil).

Somente em 2017, os partidos desembolsaram mais de R$ 22,6 milhões com pagamento desse tipo de despesa. Esses dados, no entanto, ainda podem mudar. Os partidos tinham até 29 de abril para prestar contas ao TSE, mas, após um apelo das legendas, o presidente da Corte Eleitoral, Luiz Fux, estendeu esse prazo até o dia 1.º de agosto. Até lá, são permitidas retificações nas declarações já enviadas.

Neste ano, o Orçamento da União reservou R$ 888,7 milhões para o fundo partidário. Ele é constituído em parte por recurso público e também por doação de pessoas físicas e jurídicas.

Leia maisPartidos ainda devem R$ 32 milhões de eleições passadas

%d blogueiros gostam disto: