PSDB vai privilegiar Executivos e Senado nas eleições 2018

Geraldo Alckmin

Em uma estratégia para tentar ampliar as bancadas no Congresso, o PSDB decidiu lançar 16 candidatos ao Senado e outros 15 a governador, apesar dos poucos recursos que serão destinados às campanhas nas eleições 2018. Na primeira eleição nacional sem doação de empresas e com recursos predominantemente públicos, os 31 postulantes a cargos majoritários – excluído o presidenciável da legenda – terão de dividir R$ 43 milhões, valor informado pelo PSDB ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo o deputado Silvio Torres (SP), tesoureiro nacional do PSDB, o partido deve ter outras fontes de arrecadação, como doações de pessoas físicas e recursos do Fundo Partidário, mas a injeção de mais dinheiro nas campanhas vai depender do desempenho dos postulantes. “Vamos avaliar novos aportes de doações pelo desempenho de cada candidato”, disse. A meta da legenda é eleger 60 deputados federais e pelo menos dez governadores. Em 2014, foram 54 federais e cinco governadores tucanos eleitos.

A avaliação da legenda é de que, mesmo com poucos recursos, as candidaturas majoritárias “puxam” as bancadas estaduais e garantem tempo na TV. A regra estabelecida pelo PSDB para tentar evitar uma “guerra” por recursos limita o repasse nos Estados a 30% do teto de gastos de campanha definido pela Justiça Eleitoral. Em São Paulo, por exemplo, os dois candidatos a senador – os deputados federais Mara Gabrilli e Ricardo Tripoli – terão de dividir R$ 5 milhões em suas campanhas. Na eleição de 2014, por exemplo, só a campanha do senador tucano José Serra custou R$ 10,7 milhões. Pedro Venceslau e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

Leia maisPSDB vai privilegiar Executivos e Senado nas eleições 2018

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: