Delator diz que pagou propina a Eunício, Henrique Alves e ex-ministros por obras contra a seca

Resultado de imagem para eunicio oliveira e henrique alves

Em delação premiada homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-superintendente regional da Galvão Engenharia Jorge Henrique Marques Valença afirmou que pagou ao menos R$ 1 milhão em “propina” ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), em troca da liberação de recursos em obras contra a seca.

A delação também aponta que outros três emedebistas recebiam propina dessas obras: o senador Fernando Bezerra, o ex-deputado Henrique Alves e o ex-ministro Geddel Vieira Lima. Eunício atualmente é candidato à reeleição ao cargo de senador pelo Ceará.

Na delação, mantida sob sigilo e obtida com exclusividade pelo GLOBO, Valença relatou que existia um pedágio de “7% a 8%”, a ser pago a título de propina a políticos do MDB, nos contratos do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), órgão federal sob influência política de Eunício, segundo o delator.

A Galvão Engenharia, porém, considerou o valor muito alto e acertou um percentual de 5%, que era repassado à medida que a empreiteira recebia os pagamentos por seus serviços. O pagamento delatado por Valença foi referente à obra da Barragem Figueiredo, construída pela Galvão no interior do Ceará para o abastecimento de água de municípios afetados pela seca. A barragem foi concluída em 2013.

Leia maisDelator diz que pagou propina a Eunício, Henrique Alves e ex-ministros por obras contra a seca

PF leva Geddel da Papuda para audiência no Supremo na ação do bunker de R$ 51 milhões

Preso desde setembro do ano passado na Papuda, em Brasília, pelo caso do ‘bunker’ de R$ 51 milhões, o ex-ministro Geddel Vieira Lima esteve no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira, 24, escoltado por agentes da Polícia Federal, para acompanhar depoimentos de testemunhas na ação penal em que é réu perante à Corte.

Visivelmente mais magro, vestindo o uniforme branco dos detentos da Papuda, Geddel chegou na sala de audiências do STF por volta das 10h, onde ficou por cerca de uma hora.

Ele assistiu aos depoimentos das testemunhas chamadas pelo irmão, o deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA), que também responde pelo caso do ‘bunker’ encontrado em apartamento em Salvador (BA). A mãe dos políticos, Marluce Vieira Lima, o ex-assessor parlamentar, Job Ribeiro Brandão, e o empresário Luiz Fernando Machado da Costa Filho são os outros réus na ação penal, aberta pelo STF em maio para apurar supostos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. O relator é o ministro Edson  Amanda Pupo – O Estado de São Paulo

Leia maisPF leva Geddel da Papuda para audiência no Supremo na ação do bunker de R$ 51 milhões

Angélica busca projeto pessoal com cunho social e diz que não sonha em ser primeira-dama

Angélica

Após se afastar da televisão em abril, Angélica revela que está trabalhando em um projeto próprio – e que ele não inclui ser primeira-dama. Segundo ela, a pausa na carreira era necessária, já que a apresentadora trabalha desde os quatro anos de idade.

“Só descobri o que era fim de semana aos 28 anos, quando parei com os shows. Não tinha Natal, Páscoa, Réveillon. Precisava disso”, contou Angélica em entrevista ao jornal O Globo. Angélica deixou de apresentar o programa Estrelas em abril deste ano, após 12 anos à frente dele. Logo depois, investiu na carreira de atriz ao escolher viver a personagem Rebequinha no filme “De Perto Ninguém é Normal”.

Em entrevista, ela disse que passou boa parte da vida tentando ajudar outras pessoas e que, agora, depois de muitos brainstormings e formatação de ideias, sua meta é apresentar um projeto próprio à direção da Globo em breve.

Assim como fez seu marido Luciano em projetos como “Lar Doce Lar”, Angélica busca algo que tenha algum cunho social e que envolve generosidade. “O empoderamento feminino, essa palavrinha feia, mas necessária, está nos planos não só para a TV mas para a vida. Quero deixar um legado”, contou sobre o novo projeto.

Questionada sobre se apoiaria o marido em uma possível candidatura à Presidência, a apresentadora respondeu que isso não está entre os seus planos. “Ser presidente é um projeto de vida muito dele, não meu. Mas ele sabia que eu estava do lado dele. […] Faria meu trabalho como primeira-dama muito bem. Mas, no fundo, não era o momento. As coisas estão muito difíceis.”

Sobre as eleições, ela afirmou que não sabe ainda em quem votar, e que já mudou de opinião três vezes. Cautelosa sobre o assunto na internet, Angélica justificou que o online não é local de terapia. “As pessoas que te seguem não são suas amigas, não é com elas que você deve se abrir, desabafar. Você nunca vai me ver fazendo isso, nem campanha.”

Governo assina ordem de serviço para reconstrução da RN-307 que liga Genipabu a BR-101

Os nove quilômetros de estrada que ligam a balsa de Genipabu à BR-301 serão restaurados e sinalizados. A ordem de serviço foi assinada nesta manhã, no distrito de Pedrinhas, em Extremoz, pelo secretário da Sethas e coordenador do Governo Cidadão Vagner Araújo. O investimento é de R$ 4,8 milhões e conta com recursos do Acordo de Empréstimo com o Banco Mundial.


Essa obra, há muito aguardada pela população,  é de grande importância para o Turismo. “Depois de quase dez anos vamos regatar essa estrada, agora é a vez do litoral Norte. Sem falar que o Governo ainda está  investindo na infraestrutura relacionadas a acessos”, disse Paulo Gallindo, Presidente do Sindicato de Hotéis e Bares e Restaurante.

Leia maisGoverno assina ordem de serviço para reconstrução da RN-307 que liga Genipabu a BR-101

MP abre inquérito contra Alckmin para investigar desapropriação que beneficiou familiares

O candidato Geraldo Alckmin (PSDB) em campanha em Salvador

O Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou nesta segunda (24) um inquérito contra o candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB-SP) para apurar as denúncias feitas pela Folha sobre supostas irregularidades nos dois decretos que levaram a desapropriações de terrenos envolvendo familiares do ex-governador de SP, informa Bruna Narcizo.

De acordo com a reportagem, Alckmin realizou duas desapropriações em 2013 e 2014 que atingiram propriedades de Othon Cesar ribeiro, sobrinho do tucano. Eles teriam recebido ao menos R$ 3,8 milhões. 

O promotor Marcelo Milani pediu a abertura da investigação e deu um prazo de 20 dias para que Alckmin, o sobrinho e a concessionária se manifestem sobre as acusações. ​

Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou, por meio de sua assessoria, que não interferiu no traçado do contorno de São Roque e que é “descabida e ofende o bom senso” a ideia de que o processo de desapropriação foi conduzido “apenas para beneficiar parentes do ex-governador”.

O tucano disse também que assinou centenas de decretos de utilidade pública e de desapropriação, “todos eles amparados em pareceres técnicos dos órgãos responsáveis e em parecer jurídico da Procuradoria Geral do Estado”, segundo nota de sua assessoria. 

Bolsonaro pode receber alta hospitalar na sexta-feira

Resultado de imagem para Bolsonaro pode receber alta hospitalar na sexta-feira

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) pode ter alta nesta sexta-feira, 28, segundo a Coluna apurou com a equipe médica que o acompanha no Hospital Albert Einstein. O candidato está internado no hospital desde o dia 7 de setembro, quando chegou transferido de unidade hospitalar de Juiz de Fora (MG), onde fez sua primeira cirurgia após ser vítima de uma facada durante um evento de campanha. No Einstein, Bolsonaro fez uma segunda cirurgia devido a uma aderência que obstruiu o intestino delgado.

A alta médica não significa que Bolsonaro poderá voltar a fazer campanha nas ruas. A recomendação é para que ele fique em repouso. O jornal O Globo divulgou hoje que a família de Bolsonaro alugou uma cama hospitalar para ser entregue na casa do parlamentar no Rio.

O candidato do PSL lidera as pesquisas de intenção de voto, mesmo afastado da campanha de rua desde o dia 6 de setembro, quando foi esfaqueado. O autor do atentado, Adélio Bispo de Oliveira, está preso. A Polícia Federal vai concluir nos próximos dias o inquérito sobre a agressão. A Coluna apurou que a conclusão será que Adélio agiu sozinho. (Coluna do Estadão – Naira Trindade)

Partidos privilegiam candidatos à reeleição em divisão do fundo eleitoral

Magno Malta, deputado federal pelo PR, dá entrevista a jornalistas em Juiz de Fora
Magno Malta, um dos líderes em repasses do fundo eleitoral no PR – Pedro Prado/Farpa/Folhapress

A lista dos maiores repasses de campanha do fundo eleitoral indica apostas dos grandes partidos em herdeiros de linhagens políticas e em candidatos apadrinhados por lideranças das siglas. Mas são exceções em meio a um predomínio de políticos que tentam a reeleição como os donos das campanhas mais caras.

No PR (Partido da República), por exemplo, entre as primeiras posições na lista de repasses do diretório nacional estão as mulheres do senador Magno Malta (ES) e do ex-governador do DF José Roberto Arruda, que tentou concorrer em 2014 e foi barrado pela Ficha Limpa. Flávia Arruda e Lauriete Rodrigues receberam mais de R$ 2,3 milhões cada uma para financiar suas campanhas à Câmara.

Os critérios de distribuição de recursos vêm despertando acalorados debates internos das siglas e reclamações em série para as cúpulas. A fórmula de financiamento que estreia nesta eleição foi estabelecida após a proibição da doação de empresas, em 2015. Diante da falta de tradição das doações de pessoas físicas, no ano passado o Congresso aprovou a entrada em vigor de um bilionário fundo eleitoral para custear os gastos. 
Felipe Bächtold e Catia Seabra – Folha de São Paulo

Leia maisPartidos privilegiam candidatos à reeleição em divisão do fundo eleitoral

Presidente da Assembléia do RN desafia radialista a trocar ‘tapa e briga de rua’

Resultado de imagem para ezequiel e george soares

O presidente da Assembléia Legislativa do RN e deputado estadual Ezequiel Ferreira, do PSDB, está descontrolado com as denúncias do Ministério Público sobre o desvio de  R$ 2.440.335,47 com inserção de funcionários fantasmas na folha de pagamento do legislativo  e chamou o
o radialista e apresentador da FM Cabugi Central, Gean Carlos, para briga de meio de rua.

O deputado Ezequiel Ferreira,  é o terceiro na linha de sucessão do Governo do Estado, a quem cabe responder pelo Executivo estadual na ausência do governador e do vice. Na gestão do governador Robinson Faria, o deputado Ezequiel Ferreira, foi empossado no dia 13 de novembro de 2013, governador em exercício do Estado do Rio Grande do Norte. 

No vídeo, o prefeito de Angicos Deusdete Gomes e o deputado federal Rogério Marinho, do PSDB, aparecem aplaudindo o desafio da briga de rua do deputado Ezequiel Ferreira. O prefeito de Angicos ficou sorrindo e aplaudindo a conduta do presidente da Assembléia Legislativa, numa demonstração de apoio a arrogância e prepotência de um homem público.

Marido de candidata ao Senado diz que UPA quebra o município

Deputada Zenaide Maia com seu marido Jaime Calado e o seu aliado, deputado George Soares

O ex-prefeito e ex-vice-presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte, dr. Jaime Calado(PMB), é terminantemente contrário a implantação de Unidades de Pronto Atendimento(UPAs), segundo vídeo de uma de suas entrevistas que circula na internet.

Marido da deputada federal Zenaide Maia Calado (PHS), também médica, candidata ao Senado, Jaime diz, na entrevista, que as UPAs quebram os municípios. O custo, segundo ele, de cada unidade, é de 1 milhão de reais, 12 milhões por ano.

A opinião de Jaime é contestada por outros profissionais de saúde, especialmente aqueles que atendem a população. Alguns municípios, a exemplo de São Gonçalo, com uma arrecadação superior a meio bilhão de reais, tem condições de ter mais de uma UPA.

Na entrevista, o marido da candidata a senadora foi veemente: “Eu sei o que é isso. É o meu ramo. Eu disse aos prefeitos. Natal, quebrou; Parnamirim, quebrou; Macaíba, quebrou. 

Interessante é que a população pobre de São Gonçalo está sendo atendida na UPA de Macaíba. As informações são do jornalista Alexandre Cavalcanti, do blog Pinga Fogo/ Nominuto

Quem ganhar a eleição deve ser respeitado, afirma Toffoli

O presidente do STF, Dias Toffoli, em entrevista à Folha no seu gabinete

O ministro Dias Toffoli, que assumiu a presidência do STF (Supremo Tribunal Federal) no dia 13, diz acreditar que “o batismo das urnas” terá o condão de tranquilizar o país. “Qualquer que seja o resultado, será respeitado”, inclusive pelos militares, afirma.

Toffoli recebeu a Folha no gabinete da presidência da corte para a sua primeira entrevista exclusiva após tomar posse. Diz que aceitou o pedido do jornal “em homenagem a Otavio Frias Filho”, diretor de Redação da Folha morto no dia 21 de agosto, aos 61 anos.

O ministro falou, entre outras coisas, sobre um eventual indulto ao ex-presidente Lula (PT), o reajuste ao Judiciário e a relação do STF com outros Poderes. Questionado sobre decisões de juízes indicados, como ele, pelo PT, disse: “Essa Casa transforma todo mundo. Ninguém entrou aqui e permaneceu com as mesmas ideias, as mesmas convicções ou posições”.

Neste domingo (23), Toffoli também assumiu temporariamente a Presidência da República devido à viagem de Michel Temer até terça (25) para participar da Assembleia Geral da ONU em Nova York.

O senhor assume em meio a uma campanha em que Lula está preso por corrupção. Antes de o registro ser impugnado, ele tinha 53% das intenções de voto [em simulação de segundo turno], de parcela da população que passou por cima da decisão judicial. Isso não pode ser um sinal de descrédito do Judiciário?

A pergunta parte de pressuposto equivocado, de que o fato de ele ter tido intenção de voto seria descrédito do Judiciário. De maneira nenhuma. Tanto é que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) negou o registro [da candidatura] e não houve contestação popular ou social.

Um indulto ou perdão a Lula, defendido por parte do PT, pode ser vetado no Supremo? 

A hipótese ainda não está colocada. Ninguém ainda decretou, seja algum tipo de anistia, seja o indulto a ele.

A corte já suspendeu um indulto decretado pelo presidente Michel Temer.

Esse é o indulto de Natal, para um conjunto de pessoas que têm bom comportamento no presídio e que são beneficiadas por uma redução no total da pena.

Houve uma decisão, inicialmente da ministra Cármen Lúcia, depois amenizada pelo ministro Luís Roberto Barroso, de que o indulto não pode beneficiar quem tiver sido condenado por corrupção. Essa discussão vai ser colocada no colegiado [do Supremo].  Letícia CasadoMônica Bergamo – Folha de São Paulo

Leia maisQuem ganhar a eleição deve ser respeitado, afirma Toffoli

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: