O desafio de Moro: em 14 estados, facções estão em guerra dentro e fora das prisões

No Rio, o aumento da violência levou o governo a decretar este ano intervenção federal na Segurança. São Paulo entrou em alerta depois de descobrir que bandidos usariam explosivos num plano de fuga em massa. Roraima pode começar a semana com suas prisões sob intervenção federal.

Os três casos são sintomas da crise na segurança de um Brasil que terá, a partir de 2019, Sergio Moro como ministro da Justiça e Segurança Pública. Um país dividido nas prisões e favelas por ações de 70 facções criminosas; vulnerável nas fronteiras, por onde passam armas e drogas; registrou 63,8 mil homicídios em 2017 e tem a terceira maior massa carcerária do mundo com 684 mil presos.

Levantamento do governo reforça o desafio de Moro: em 14 estados, facções estão em guerra dentro e fora das prisões.

A CANETA DO MINISTRO

Escolhido como ministro da Justiça e da Segurança pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, o juiz Sergio Moro já tem um leque significativo de ações que podem ser tomadas contra o crime. ANTÔNIO WERNECK E RENATA MARIZ – O Globo

Leia maisO desafio de Moro: em 14 estados, facções estão em guerra dentro e fora das prisões

MEC autoriza funcionamento de faculdade de partido ligado à Universal

Concebida pelo PRB, Republicana terá vestibular para Ciência Política; legenda diz que não ‘formará militantes’ - Foto: Dida Sampaio/Estadão
Concebida pelo PRB, Republicana terá vestibular para Ciência Política; legenda diz que não ‘formará militantes’

Ministério da Educação (MEC) autorizou a criação de uma faculdade pela fundação do Partido Republicano Brasileiro (PRB), sigla que integra a base governista do presidente Michel Temer e tem afinidades ideológicas com o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

O PRB é comandado por líderes da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), uma das maiores denominações evangélicas do País, cujo fundador, bispo Edir Macedo, declarou voto em Bolsonaro. De centro-direita, o PRB apoia o projeto Escola sem Partido, uma bandeira de campanha do presidente eleito.

A Faculdade Republicana Brasileira funcionará em Brasília, a partir do ano que vem. A nova sede deve ser aberta em fevereiro, com previsão de lançar o vestibular no primeiro semestre e início das aulas no segundo. O primeiro curso credenciado pelo MEC foi o de Ciência Política, com cem alunos, em oito semestres.

Mantenedora da faculdade, a Fundação Republicana Brasileira, que recebe 20% dos recursos públicos do fundo partidário destinado ao PRB (cerca de R$ 680 mil mensais), busca agora aval do MEC para pós-graduação em Gestão Pública, Direito Eleitoral e Política Contemporânea. Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

Leia maisMEC autoriza funcionamento de faculdade de partido ligado à Universal

Governo propõe a Bolsonaro novo socorro a Estados em troca de reforma

Resultado de imagem para Governo propõe a Bolsonaro novo socorro a Estados em troca de reforma

Pouco mais de dois anos após a renegociação da dívida dos Estados com a União, um novo socorro aos governos estaduais já é considerado inevitável pela atual equipe econômica. Pelo menos sete governadores já informaram à União que vão extrapolar o limite de gastos estabelecido pelo governo federal como exigência para aderir ao programa de refinanciamento. A estratégia que será sugerida pela equipe de Michel Temer ao presidente eleito é conceder um novo resgate em troca de apoio à reforma da Previdência. 

A equipe de Jair Bolsonaro já foi alertada de que a crise financeira dos Estados – agravada pelo rápido avanço dos gastos com salários e aposentadorias – será um dos primeiros e maiores desafios do novo governo. 

No ano passado, os gastos com aposentadorias e pensões nos Estados atingiu a marca de R$ 162,9 bilhões. O déficit ficou em R$ 106 bilhões, segundo levantamento do economista Paulo Tafner, autor de uma das propostas de reforma previdenciária entregue a Paulo Guedes, futuro ministro da Economia.  Idiana Tomazelli, Adriana Fernandes e Luciana Dyniewicz, O Estado de S. Paulo

Leia maisGoverno propõe a Bolsonaro novo socorro a Estados em troca de reforma

Senado articula barrar Escola sem Partido e ‘agenda da bala’

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa o Foto: Jonas Pereira / Jonas Pereira/Agência Senado

Com a perspectiva de um novo governo patrocinando projetos polêmicos — como a liberação do porte de armas , o enquadramento de movimentos sociais na Lei Antiterrorismo e oEscola sem Partido —, parlamentares de diferentes partidos se articulam para tentar fazer do Senado a “casa do equilíbrio” da República. Temendo a radicalização nessas pautas, até senadores de PT e PSDB admitem se alinhar na votação dos projetos.

As costuras passam pela escolha do presidente do Senado, no ano que vem. Diferentes lideranças defendem um senador de perfil moderado, sem alinhamento direto com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), mas que não faça parte da oposição a ele. Por trás desse discurso, a articulação é para chegar a um nome com força para pôr freio a eventuais extremismos na agenda do governo que provoquem tensionamentos sociais.

— Há muitos senadores novos cuja opinião não conhecemos, mas o consenso entre os partidos é a favor de uma Casa moderada, que não faça oposição sistemática. O governo foi eleito e o Brasil tem de ir para frente. Tudo aquilo que for de interesse do país, vamos votar a favor. Mas, também agiremos para que questões mais radicais sejam contidas aqui e a gente mantenha o equilíbrio — diz o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Amanda Almeida – O Globo

Leia maisSenado articula barrar Escola sem Partido e ‘agenda da bala’

Tragédia em Niterói deixa ao menos 14 mortos e 11 feridos

Buscas na madrugada encontram mais quatro corpos Foto: Livia Neder

Subiu para 14 o número de mortos na tragédia no Morro Boa Esperança, em Piratininga, Região Oceânica de Niterói.

Mais quatro corpos foram encontrados durante a madrugada deste domingo, que foi marcada por silêncio e emoção durante os últimos resgates das vítimas soterradas pelo deslizamento de uma rocha na comunidade Boa Esperança, em Piratininga, Região Oceânica de Niterói.

Às 5h40m, o último corpo foi retirado dos escombros. O Corpo de Bombeiros totalizou 25 resgates, sendo 14 mortos e 11 pessoas com vida. Não há relatos e confirmação de mais vítimas.

Incansável, Eliane Martins, que perdeu sete membros da família na tragédia, incluindo o filho Marcos, de 9 anos, encontrado pela manhã de sábado, só deixou o local após o corpo da sua filha mais velha, Beatriz, de 18, ser removido. Beatriz estava dormindo no mesmo quarto que a tia Maria Aparecida, de 19, e a prima Jéssica, de 15. As jovens foram as últimas vítimas a serem encontradas, por volta de  4h45. Livia Neder – O Globo

Leia maisTragédia em Niterói deixa ao menos 14 mortos e 11 feridos

Conmebol adia primeiro jogo da final entre Boca e River após chuva

Eitan Abramovich/AFP

A forte chuva que castigou Buenos Aires e o gramado do estádio da Bombonera levaram a Conmebol a adiar a primeira partida da final da Copa Libertadores entre Boca Juniors e River Plate para este domingo, às 17 horas (de Brasília). A entidade sul-americana anunciou a decisão em sua conta oficial no Twitter.

“Por motivos de força maior, a partida está adiada para amanhã, domingo, 11 de novembro, às 16 h”, publicou a Conmenbol. Com a decisão, os jogos da 12ª rodada do Campeonato Argentino que seriam realizados no domingo foram adiados, pela impossibilidade de a polícia de Buenos Aires garantir a segurança das partidas na capital argentina.

A Conmebol se pronunciaria oficialmente às 14 horas (de Brasília), quando o gramado parecia apresentar condições de jogo e o Boca Juniors abriu os portões para os torcedores com ingressos entrarem na Bombonera. O trio de arbitragem, inclusive, fez a inspeção no gramado e chegou a dar sinal verde para a realização da partida.

No entanto, minutos depois, um novo temporal voltou a cair e o campo ficou ainda mais alagado. Além disso, as ruas no entorno do estádio também ficaram encharcadas, dificultando o acesso dos torcedores, o que fez a Conmebol se pronunciar minutos depois adiando a partida para o domingo.

O jogo de volta está marcado para daqui dois sábados, no dia 24. A Conmebol concordou em romper com a tradição de promover finais às quartas-feiras por causa da cúpula do G20, reunião dos países industrializados e emergentes, estar marcada para Buenos Aires no dia 30. O segundo jogo, no Monumental de Nuñez, seria realizado no dia 28, mas a polícia de Buenos Aires alegou que não conseguiria organizar a logística de segurança de dois eventos desse porte tão perto um do outro. O Estado de S.Paulo

Se já fosse presidente, Bolsonaro vetaria reajuste de ministros do STF

Temer e Bolsonaro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), vetaria o reajuste de 16,38% nos salários dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

O aumento foi aprovado na quarta-feira (7) pelo Senado. O salário dos ministros passou de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil. Com o efeito cascata, o impacto é de R$ 4 bilhões ao ano.

O presidente Michel Temer ainda precisa sancionar a lei.

“Não sou o presidente. Se fosse, você sabe qual seria minha decisão [o veto]. Não tenho outro caminho no meu entender [a não ser vetar], até para dar o exemplo”, disse o presidente eleito, em entrevista à Record.

Ele postou em suas redes sociais os bastidores da entrevista. A resposta foi dada quando o jornalista questionou se ele vetaria o projeto de lei de reajuste. Ele comentou a primeira visita a Brasília.

“Eu falei antes da votação que é inoportuno, que este não é o momento para discutir este assunto. O Brasil está numa situação complicadíssima, a gente não suporta mais isso daí”, disse Bolsonaro.

Leia maisSe já fosse presidente, Bolsonaro vetaria reajuste de ministros do STF

Bolsonaro não é a volta dos militares, afirma comandante do Exército

Comandante Eduardo Villas Bôas em evento do Exército, em abril
Para o comandante do Exército, o presidente eleito é mais político do que militar

O Exército está preocupado com o risco de politização dos quartéis na esteira da eleição do capitão reformado Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência. Seu comandante, general Eduardo VillasBôas, quer estabelecer uma linha divisória entre instituição e governo.

“A imagem dele como militar vem de fora. Ele é muito mais um político. Estamos tratando com muito cuidado essa interpretação de que a eleição dele representa uma volta dos militares ao poder.

Absolutamente não é”, disse, em entrevista à Folha no Quartel-General do Exército.

O militar, que completou 67 anos na quarta (7), falou sobre a “inevitável associação” entre Exército e o novo governo e sobre a possibilidade de “ideias serem personalizadas” nos quarteis —um eufemismo para quebra de hierarquia. Considera o risco baixo, mas diz estar atento. Descarta riscos à democracia pelo voluntarismo do presidente eleito. Igor Gielow – Folha de São Paulo

Leia maisBolsonaro não é a volta dos militares, afirma comandante do Exército

Senador mais votado do RN abre processo seletivo para contratar assessores

Capitão Styvenson ganhou notoriedade no estado como 'Carrasco da Lei Seca' — Foto: Fernanda Zauli/G1

Senador mais votado do Rio Grande do Norte, o Capitão Styvenson (Rede) abriu nesta sexta-feira (9) processo seletivo para a contratação de assessores parlamentares.

De imediato, serão nomeados profissionais de nível superior para atuação no gabinete de apoio, em Natal. Um detalhe: os candidatos aprovados e selecionados devem fazer exame toxicológico.

Os currículos devem atender ao edital, que foi publicado nesta sexta (acesse AQUI).

Estão sendo ofertadas 8 vagas para profissionais nas seguintes áreas:

Leia maisSenador mais votado do RN abre processo seletivo para contratar assessores

Abertura dos Jogos Escolares da Juventude em Natal acontece nesta segunda-feira

Daniele Hypolito estará em Natal como embaixadora dos Jogos Escolares da Juventude — Foto: Ricardo Bufolin/CBG
Daniele Hypolito estará em Natal como embaixadora dos Jogos Escolares da Juventude — Foto: Ricardo Bufolin/CBG

A cerimônia de abertura da etapa nacional dos Jogos Escolares da Juventude 2018 será realizada nesta segunda-feira, às 18h (horário local), no ginásio do Colégio Henrique Castriciano, em Natal.

O evento vai contar com a presença de todas as delegações e de atletas olímpicos como a ginasta Daniele Hypolito e a nadadora Joanna Maranhão. A competição, que seguirá até o dia 25 na capital potiguar, vai reunir mais de 5 mil atletas de duas faixas etárias – 12 a 14 e 15 a 17 anos.

Serão 14 modalidades em disputa: basquete, futsal, handebol, vôlei, atletismo, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, natação, tênis de mesa, vôlei de praia (apenas na categoria 15 a 17 anos), xadrez e wrestling.

Composta por 333 integrantes, a delegação do Rio Grande do Norte é formada por 291 atletas, 36 técnicos e seis dirigentes, e vai participar de todas as modalidades, justamente por ser sediante do evento. O destaque fica para a presença de representantes do interior do estado.

%d blogueiros gostam disto: