Delegação do PSDB-Mulher Potiguar participa em Brasília de estratégia para eleger mais mulheres em 2020

Até março, PSDB RN vai receber centenas de filiações em todas as regiões do Estado aumento suas forças para 2020

O Rio Grande do Norte também foi representando no encontro do PSDB-Mulher em Brasília. Na noite desta sexta-feira (6) a reunião da Coordenação Executiva e das Coordenadorias Regionais, na véspera do IV Congresso Nacional do PSDB, teve o lançamento de quatro novos produtos de Comunicação com o objetivo de eleger mais mulheres nas eleições municipais de 2020.

Da delegação Potiguar, a ex-deputada Larissa Rosado que preside o PSDB Mulher RN, a vice-prefeita de Apodi, Hortência Regalado, a presidente da Câmara Municipal de Nísia Floresta, Polyana Dias, além da ex-deputada federal Sandra Rosado, vereadora de Mossoró. A meta é repetir o sucesso alcançado na disputa eleitoral de 2018, quando a bancada feminina do PSDB cresceu 60% na Câmara dos Deputados e 33% nos estados. A presidente nacional do PSDB-Mulher, Yeda Crusius, anunciou os novos produtos e a prioridade do segmento: o investimento na capacitação e formação de novas lideranças.

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo ressaltou a importância do evento. “Vamos revigorar nossas teses. Vamos ouvir a voz de vocês. Vocês são fundamentais para nós. Temos de aumentar a participação. Evoluir para um discurso. O espaço das mulheres é em todas as esferas de Poder do país”, disse o pernambucano.

Leia maisDelegação do PSDB-Mulher Potiguar participa em Brasília de estratégia para eleger mais mulheres em 2020

NATAL: Sinsenat denuncia: “Servidores são obrigados a trabalhar em condições precárias”

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal, assim como o Sindicato dos Médicos do RN, critica os gastos da Prefeitura com festejos natalinos, enquanto gratificações não são pagas e nas UPAs e hospitais faltam itens básicos e medicamentos.

Segundo o Sinsenat, as Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades de Pronto Atendimento (UPA), hospitais e maternidades de Natal aderiram ao movimento grevista iniciado oficialmente nesta quinta-feira (5).

A entidade afirma que a “Prefeitura de Natal gasta milhões com as festividades natalinas e não paga as gratificações dos servidores. Nas UPAs e Hospitais faltam itens básicos e medicamentos. Os servidores são obrigados a trabalhar em condições precárias e não recebem sequer as gratificações que fazem parte dos seus vencimentos garantidas por lei.”

Leia maisNATAL: Sinsenat denuncia: “Servidores são obrigados a trabalhar em condições precárias”

Motorista assaltado mais de dez vezes receberá indenização

Um motorista que sofreu mais de dez assaltos ao transportar cigarros para a Phillip Morris Brasil vai receber indenização de R$ 11 mil. A decisão é da 3ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho, que considerou alta a exposição do empregado ao risco em razão de a mercadoria ser muito visada por assaltantes.

Na reclamação trabalhista, o motorista, promovido posteriormente a vendedor de varejo, disse que trabalhava em áreas de risco no Rio de Janeiro e que, nessas circunstâncias, havia sofrido os assaltos, durante os quais fora rendido por homens armados que roubaram a carga e o dinheiro dos pagamentos recebidos. Em uma das ocasiões, relatou que havia ficado em poder dos assaltantes por mais de 1h dentro de uma comunidade.

O Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (RJ) julgou improcedente o pedido de indenização, por entender que não se pode considerar como risco da atividade a exposição do trabalhador à violência urbana, fruto da ineficiência do Estado, à qual todos os cidadãos estão sujeitos, independentemente das atividades que realizam”.

Consultor Jurídico

Planalto mantém sob sigilo gastos do cartão corporativo

O Palácio do Planalto decidiu ignorar decisão recente do Supremo Tribunal Federal (STF) e manter sob sigilo os gastos com cartão corporativo da Presidência.

Desde 1967, um decreto militar ampara a decisão de não divulgar as despesas da Presidência. Há exatos trinta dias, no entanto, o STF derrubou o artigo 86 do decreto-lei 200/67, segundo o qual a movimentação dos créditos destinados à realização de despesas reservadas ou confidenciais do presidente ou de ministro deveria ser feita sigilosamente.

O governo foi notificado em novembro sobre a mudança, mas não alterou o seu procedimento. Um mês após a decisão do Supremo, provocada por uma ação do partido Cidadania (ex-PPS), a Secretaria-Geral da Presidência (SGP) continua mantendo os gastos presidenciais em sigilo e disse que não pretende torná-los públicos.

Segundo dados do Portal da Transparência do Governo Federal, a Presidência desembolsou, na gestão de Jair Bolsonaro, R$ 14,5 milhões com cartões corporativos.

Para justificar a preservação do sigilo, o governo informou que lança mão de outra legislação, a Lei de Acesso à Informação (LAI), de 19 de novembro de 2011.

Leia maisPlanalto mantém sob sigilo gastos do cartão corporativo

Um ano após escândalo, “entidade” João de Deus ainda assombra Abadiânia

O letreiro à chegada de Abadiânia mudou: tiraram o “Só Jesus Salva”, entrou um coração (Fotos: Paulo Sampaio/UOL)

Apenas um dos cerca de 80 quartos da pousada onde eu me hospedo em Abadiânia, cidade a 90 km de Goiânia, está ocupado. Se até um ano atrás o lugar ostentava gloriosamente reservas feitas com meses de antecedência, agora o salão do café da manhã encontra-se praticamente vazio. O valor da diária cobrado nos áureos tempos, segundo quem atende na recepção, chegava a ultrapassar os R$ 170. O blog pagou R$ 100.

A única mesa ocupada abriga uma senhora que veio do Rio chamada Ruth Nogueira, 83 anos, e o filho dela, o piloto submarino Alex Nogueira, 45 . Eles estão entre os fiéis remanescentes da Casa de Dom Inácio de Loyola, o hospital de curas espirituais comandado desde o começo dos anos 1970 pelo médium João “de Deus” Teixeira de Faria, 77 anos. Conhecido mundialmente como um líder capaz de operar milagres, Faria está preso preventivamente desde 16 de dezembro de 2018, sob a acusação de praticar mais de uma centena de crimes sexuais.
Fogo morro acima

Na madrugada deste domingo, 8 de dezembro, faz um ano que o programa do apresentador Pedro Bial, na TV Globo, levou ao ar depoimentos de quatro mulheres que acusavam o líder espiritual de assédio sexual e estupro. A partir do relato da bailarina holandesa Zahira Lieneke, única a se identificar, e de mais três brasileiras, deu-se uma avalanche de denúncias que, nos dias subsequentes, chegaram a centenas.

Na quarta-feira, 12 de dezembro de 2018, o Ministério Público pediu a prisão preventiva de João Teixeira de Faria. O advogado de defesa dele à época, Alberto Zacharias Toron, solicitou ao juiz permissão para que seu cliente mantivesse os atendimentos na casa, com escolta policial —mas não obteve sucesso. Fora de circulação, Faria foi considerado foragido, até que no domingo, 16, se entregou à polícia em uma estrada de terra batida da região.
Tonta de novo

Leia maisUm ano após escândalo, “entidade” João de Deus ainda assombra Abadiânia

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: