Ministro da Saúde orienta que população utilize máscaras de tecido; Veja como fazer

O aumento nos casos de coronavírus tem feito com que a população estoque máscaras e álcool gel em casa, o que, consequentemente, tem deixado farmácias sem o estoque dos produtos em Campo Grande e no Brasil. Diante do cenário, ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta orientou que as pessoas confeccionem suas próprias máscaras, para evitar que a corrida pelo produto hospitalar falte para quem mais precisa.

“Essa questão de máscaras, se temos poucas, vamos deixar para os enfermeiros, médicos. Se for para sair e ir até a unidade de saúde para confirmar, usa uma máscara de pano, confecciona a sua máscara. Eu digo assim, poupe o material de saúde para os enfermeiros e médicos. Eles são as pessoas mais importantes da cidade hoje, o pessoal da Saúde”, disse ao Correio do Estado.

Conforme o Procon municipal, consumidores estão comprando os produtos em grande quantidade para estocá-los. Pesquisa feita pelo Correio do Estado na última semana apontou que os itens que previnem doenças infecciosas e aumentam imunidade, como a máscara, álcool em gel e vitaminas, tem alta procura e as prateleiras já estão vazias em diversos locais.

Apesar da grande procura, a máscara é indicada para quem tem o coronavírus e pode transmitir a doença e pessoas que apresentam sintomas respiratórios, como tosse, espirros ou dificuldade para respirar, para proteger as pessoas ao redor que não estão contaminadas; pessoas, incluindo familiares, que prestam atendimento ou mantém contato com pessoas com suspeita ou confirmação do vírus e profissionais de saúde

Segundo o Ministério da Saúde, o item sozinho não protege contra o vírus e só é efetivo se for associado à lavagem frequente das mãos com água e sabão ou higienização com álcool em gel, que são as principais recomendações para evitar o contágio, assim como evitar aglomeração de pessoas e seguir a etiqueta respiratória (ao tossir ou espirrar, cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou com um lenço.

Para pessoas saudáveis, estudos não demonstraram um benefício claro do uso de máscaras e por este motivo há a orientação para que não se compre o produto em grandes quantidades, já que este ato pode fazer com que falte o item para as pessoas que realmente precisam.

No entanto, caso a pessoa queira utilizar a máscara como uma forma a mais de proteção, sempre aliada as demais recomendações do Ministério da Saúde, a máscara de pano é uma solução. Este tipo de máscara é bastante utilizado por pacientes em tratamento de câncer que se submetem a quimioterapia, que baixa a imunidade, e pode ser feita em casa.

Leia maisMinistro da Saúde orienta que população utilize máscaras de tecido; Veja como fazer

Maia propõe auxílio de R$ 500 a trabalhador informal durante pandemia

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (26) que o valor do auxílio mensal a ser pago aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa durante a crise provocada pela pandemia de coronavírus pode ser de R$ 500. O valor é maior do que o pagamento de R$ 200 mensais previstos pelo governo federal. O plenário da Casa está reunido neste momento para apreciar a proposta.

Segundo Maia, o auxílio referente ao valor de meio salário-mínimo (atualmente em R$ 1.039) deve ser pago por três meses e terá um impacto fiscal estimado entre R$ 10 bilhões e R$ 12 bilhões. Sem projeto enviado pelo Executivo, a Câmara vai analisar um projeto de lei de 2017 para renda emergencial, de autoria do deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG). Inicialmente, a medida fixava outros parâmetros, além da renda per capta de uma família, para caracterizar a situação de vulnerabilidade social que permite à pessoa com deficiência e ao idoso receberem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

“O que está se construindo é um valor da ordem de R$ 500, é o que o parlamento está trabalhando”, disse Maia. “A nossa opinião é que esse valor vai gerar um impacto a mais de R$ 10 bilhões, R$ 12 bilhões. Mas em relação ao que o Brasil precisa investir, garantir à sociedade brasileira, é muito pouco”.

Maia argumentou que o valor pago aos profissionais informais deve ser reavaliado após três meses e ser mantido caso ainda haja necessidade para esses trabalhadores.

Leia maisMaia propõe auxílio de R$ 500 a trabalhador informal durante pandemia

Assembleia divulga cartilha com informações sobre covid-19 e saúde mental

O Programa de Qualidade de Vida e Saúde e a Coordenadoria de Gestão de Pessoas da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte elaboraram uma cartilha explicativa destacando alguns pontos importantes do documento oficial da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a Covid-19 e a saúde mental. O material é voltado especialmente aos servidores que compõem a Casa Legislativa, foi disponibilizado pelas redes sociais, também nos grupos das unidades setoriais da ALRN e será enviado por e-mail aos servidores.

A disseminação do Coronavírus ao redor do mundo tem causado tensão em todos os continentes e diante de uma pandemia é comum o pânico generalizado da população. Por isso, a Organização Mundial de Saúde publicou orientações para preservar o bem-estar durante a pandemia. As orientações vão desde as atitudes que se deve ter com outros até maneiras de explicar a situação para crianças. E, preocupada em amenizar o medo e a ansiedade entre os servidores, a ALRN decidiu replicar essas informações.

De acordo com o coordenador Gestão de Pessoas, Thyago Cortez, a pandemia está gerando ansiedade, medo pelo risco de contaminação, isolamento e muita incerteza sobre o futuro. “Então, preocupados com a saúde mental dos nossos servidores, nós nos unimos, por meio de home office, e elaboramos essa cartilha. A gente pede que o servidor leia, que possa ter uma rotina saudável, que consiga dormir. Tenham boas horas de sono, tenham momentos de lazer, fiquem com a família. Se puder, façam exercício dentro de casa, alimentem-se bem”, disse.

A cartilha fala da importância do isolamento social, sugere às pessoas evitarem o bombardeio de informações, já que o fluxo constante de notícias gera preocupação e estresse, também traz orientações de como lidar com as crianças e idosos neste momento, bem como alguns cuidados com as pessoas isoladas.

O material traz ainda dicas de filmes, séries e livros para período da quarentena, dicas de capacitações online gratuitas, dicas de como organizar o cronograma de trabalho em casa e menciona rede de apoio em saúde mental disponível na internet. Além de claro, dar dicas de prevenção da doença.

RN chega a 19 casos confirmados e 1.126 suspeitos do novo coronavírus

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) confirmou, na manhã desta quinta-feira, 26, mais cinco casos do novo coronavírus no Rio Grande do Norte. Com a adição, o estado chega, agora,19 casos confirmados da doença. Atualmente, o RN possui 1.126 casos suspeitos. Os números constam no Boletim Epidemiológico da pasta.

Das cinco confirmações, uma é de Mossoró e quatro de Natal. No município do Oeste, a confirmação é de uma paciente de 25 anos. Já na capital, foram registradas confirmações do novo coronavírus em duas mulheres (42 e 32 anos) e dois homens (72 e 36 anos).

Com os cinco novos casos, as confirmações do novo coronavírus (COVID-19) no Estado estão distribuídas nas cidades de Natal (13), Parnamirim (4) e Mossoró (2).

Das cinco novas confirmações, três possuem entre 20 e 39 anos. É justamente essa faixa etária que aglomera a maioria dos casos suspeitos no RN (58%), de acordo com dados mais atualizados da Sesap e registrados em reportagem da edição impressa desta quinta-feira na TRIBUNA DO NORTE.

Leia maisRN chega a 19 casos confirmados e 1.126 suspeitos do novo coronavírus

SP tem aumento de internados em estado grave por coronavírus; Doria mantém quarentena

Resultado de imagem para doria

O número de pessoas internadas em estado grave em São Paulo com infecção pelo novo coronavírus teve um aumento de 42% nas últimas 24 horas. Eram 61 pacientes no boletim divulgado na quarta-feira e já são 84 no balanço divulgado nesta quinta-feira, 26. O Estado tem 862 casos confirmados da covid-19, segundo balanço divulgado nesta tarde pelo secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann.

A aceleração de internados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) ocorre enquanto as obras para construções de hospitais de campanha na capital e em cidades da região metropolitana ainda estão em andamento, e em meio a um processo de transferência de pacientes no Hospital das Clínicas (HC) para liberar 900 leitos de internação — dos quais 200 serão UTIs.

Para o governo, entretanto, o aumento de casos no Estado ocorre em um ritmo menos acelerado do que no restante do País. “Se vocês se lembram bem, nós éramos praticamente 90% dos casos do Brasil e agora nós somos 30%. O que significa que existe uma expansão da epidemia, e de forma acelerada”, afirmou o secretário de Saúde.

São Paulo teve 48 dos 57 óbitos registrados no País. “No Estado de São Paulo, ontem (quarta-feira), eu anunciei 40 óbitos. Então, nós tivemos um acréscimo de 20%”, pontuou Germann. Para os técnicos, o número de casos seria maior caso não houvesse as ações de distanciamento social impostas pela quarentena em vigência no Estado.

Leia maisSP tem aumento de internados em estado grave por coronavírus; Doria mantém quarentena

Cerca de mil pessoas farão teste com hidroxicloroquina: “Brasil será útil”

Pesquisas com o medicamento hidroxicloroquina, amplamente usado no combate ao lúpus e à artrite reumatoide, ascenderam esperança no combate à covid-19. Apesar de ainda não haver evidências conclusivas sobre a eficácia da droga, cientistas de diferentes países dedicam tempo e esforços ao estudo de seus efeitos em pacientes com o novo coronavírus.

É o caso do Brasil. Por aqui, pesquisadores do Hospital Israelita Albert Einstein, HCor, Sírio Libânes e BRICNet, uma rede que realiza estudos clínicos na área de medicina intensiva, juntaram esforços para encontrar respostas sobre a segurança e eficácia do remédio.

O VivaBem conversou com Otávio Berwanger, diretor de pesquisas clínicas do Hospital Israelita Albert Einstein, que respondeu as principais dúvidas sobre a pesquisa:
Como funcionará a pesquisa?

OB: O estudo será feito de forma colaborativa. Consideramos que não é o momento de uma instituição competir com a outra, mas se unir para conseguir resultados o mais rápido possível. Desenhamos um projeto que envolve centenas de pacientes — até agora, os estudos feitos são muito pequenos — e será dividido em três:

Coalização covid-19 Brasil I, que testará medicamentos em pacientes que não estão em estado grave mas apresentam sintomas como falta de ar leve, febre e tosse persistente. São aqueles casos que não podemos tratar em casa, mas que não requerem cuidados intensivos. Para essa fase, 600 pessoas serão testadas com três estratégias diferentes: um grupo receberá a hidroxicloroquina com a azitromicina, o outro receberá apenas a hidroxicloroquina e os últimos 200 não receberão nenhuma das duas drogas, apenas as outras terapias já usadas para controlar os sintomas.

Coalização covid-19 Brasil II, nosso primeiro projeto a ficar pronto e o que deve iniciar os testes primeiro. É voltado para 440 pacientes de maior gravidade, que necessitam auxílio com oxigênio e estão na unidade semi-intensiva ou intensiva. Dividiremos em dois grupos: um receberá a terapia combinada e a outra metade, só a hidroxicloroquina. Como são casos mais preocupantes, achamos melhor não ter participantes que não recebem pelo menos uma das drogas.

E o Coalização covid-19 Brasil III, em que avaliaremos a efetividade da dexametasona, uma medicação com ação anti-inflamatória, para 284 pacientes com insuficiência respiratória grave, que necessitam de suporte de aparelhos (ventilador mecânico) para respirar.

Leia maisCerca de mil pessoas farão teste com hidroxicloroquina: “Brasil será útil”

Bolsonaro decreta que templos religiosos e lotérica são serviços essenciais

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ampliou a lista de serviços considerados essenciais. Em decreto publicado hoje, ele inclui nessa lista templos religiosos e lotéricas. Dessa forma, esses locais poderão funcionar apesar de restrições impostas por governos estaduais e municipais para conter a proliferação do novo coronavírus no país.

O decreto de hoje atualiza o de 20 de março, em que o presidente estabelece regras “sobre o funcionamento de serviços públicos e atividades essenciais”. Os templos e as lotéricas não constavam naquela relação.

A decisão de Bolsonaro tem validade imediata e não precisa de aprovação do Congresso Nacional. Ela ocorre em meio à polêmica causada pelo presidente ao minimizar a doença, classificando-a como uma “gripezinha” e pedindo que as pessoas voltem a circular, algo criticado por médicos, especialistas e lideranças mundiais.

Ontem à noite, o presidente comentou a atualização que faria. “No Brasil, existem 12.956 casas lotéricas e 2.463 se encontram fechadas por decretos estaduais ou municipais. Para que possam funcionar em sua plenitude, atualizei, nessa data, o Decreto 10.282”, escreveu ele no Twitter.

Leia maisBolsonaro decreta que templos religiosos e lotérica são serviços essenciais

Coronavírus: Francisco do PT defende que emendas que destinou para saúde sejam utilizadas no combate ao Covid-19

O deputado estadual Francisco do PT defende que todo o recurso que destinou para o setor de saúde, através de emendas apresentadas no ano passado, no valor total de R$500 mil, seja utilizado nas ações de combate ao Coronavirus, no Rio Grande do Norte.

“O momento é de unirmos todas as forças necessárias, para impedirmos a proliferação desse vírus em nosso Estado, ao mesmo tempo em que temos que estar preparados para atender os casos graves que, porventura, possam acontecer. É triste vermos, a situação de países que precisam escolher quem tem mais direito de receber um atendimento. E, claro, nosso trabalho é para impedir que algo desse tipo venha ocorrer aqui. Temos que nos antecipar ao problema”, disse o deputado.

Francisco do PT foi escolhido como um dos 6 parlamentares que compõem a comissão da Assembleia Legislativa, de enfrentamento ao Coronavirus. A comissão acompanha as ações do Governo do Estado nesse setor.

error: Content is protected !!