Comissão do Coronavírus: UFRN atinge 2 mil testes da Covid-19 e estima 100 mil exames em 5 meses

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) já soma 2 mil testes da Covid-19 e espera realizar, no prazo de 5 meses, cerca de 100 mil exames. Os números foram revelados pelo reitor da instituição, José Daniel Diniz Melo, durante reunião da Comissão de Enfrentamento ao Coronavírus da Assembleia Legislativa, que realizou mais um encontro por videoconferência nesta sexta-feira (10).

O reitor apresentou um resumo das várias ações realizadas pela UFRN até agora, no sentido de contribuir com a sociedade no combate à Covid-19. Entre as medidas adotadas, Daniel relembrou que a instituição montou uma comissão com especialistas no assunto para decidir as ações a serem adotadas – a primeira delas foi justamente a suspensão das atividades da universidade por tempo indeterminado.

Sobre os testes, o reitor lembrou que enviou um ofício ao Ministério da Educação solicitando recursos exatamente para aumentar a realização dos exames. O MEC acabou liberando cerca de R$ 18 milhões para a UFRN. “Nossa intenção é fazer até 100 mil testes no Estado. Se fizermos cobertura maior de exames vamos evitar ocupação indevida de leitos e garantir a preservação de profissionais de saúde. Nesta sexta-feira Santa nós devemos realizar por volta de 300 testes, o que totalizará quase 2 mil testes da Covid na UFRN já realizados.”, disse.

A UFRN também planeja iniciar a coleta das amostras em Santa Cruz e Caicó, municípios que contam com unidades da instituição e com profissionais capacitados para o serviço. Assim, seria feito apenas o teste final no Instituto de Medicina Tropical (IMT), localizado no campus de Natal. A UFRN também passou a realizar exames de Dengue, Chinkungunya e H1N1 com o objetivo de desafogar os laboratórios do sistema público estadual.

Leia maisComissão do Coronavírus: UFRN atinge 2 mil testes da Covid-19 e estima 100 mil exames em 5 meses

Brasil atinge 1.056 mortes registradas por coronavírus

O Ministério da Saúde anunciou hoje que subiu para 1.056 o número de mortes registradas pelo novo coronavírus no Brasil — 115 óbitos confirmados nas últimas 24 horas. Até ontem, eram 941 mortes.

No total, são 19.638 casos oficiais no país até agora — aumento de 1.781 diagnósticos em um único dia —, segundo o Ministério.

O número real de casos, no entanto, tende a ser maior. Isso porque os testes são realizados prioritariamente nos pacientes internados em hospitais, e pesquisas indicam que 86% das pessoas infectadas não apresentam sintomas ou têm apenas sintomas leves que podem ser confundidos com uma gripe comum.

A taxa de letalidade — que compara os casos já confirmados no Brasil com a incidência de mortes — é de 5,4%. O Ministério da Saúde ainda não divulga dados oficiais sobre o número de pessoas que se curaram da covid-19.

A taxa real de letalidade deve ser menor porque o país faz poucos testes. Quando há poucos casos confirmados, a taxa fica artificialmente maior. Por exemplo, se há 20 mil casos e 1.000 mortes, a letalidade é de 5%. Se são 40 mil casos com as mesmas 1.000 mortes, a letalidade cai para 2,5%.

O Brasil ultrapassa a marca de mil mortes por coronavírus cerca de um mês e meio após ser registrado o primeiro caso confirmado no país.

Leia maisBrasil atinge 1.056 mortes registradas por coronavírus

Denúncia grave: crianças estão expostas ao Covid-19 na pediatria do Hospital Tarcísio Maia

A Enfermaria Clínica Pediátrica e o Pronto Socorro do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) não têm nenhuma condição para prestar serviço de atendimento à população diante do cenário imposto pela pandemia do novo coronavírus. Está faltando tudo, de estrutura física à material básico. O cenário é mais grave do que o que já havia sido revelado pela imprensa.

O JORNAL DE FATO teve acesso a um documento encaminhado ao Secretário de Estado de Saúde Pública do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia, em que profissionais desses setores relatam o caos. Trata-se do ofício 001/2020, assinado pela representante dos médicos pediátricos atuantes no HRTM, Maria Targino Bezerra Alves, e pelo coordenador do Pronto-Socorro Infantil, Gledson Emanuel de Oliveira Cavalcante.

O documento narra o caos dividido por carências de insumos, de recursos humanos, estrutural, de exames e medicamentos e carência de organização da própria Secretaria de Saúde do Estado.

No primeiro ponto, o de carência de insumos, o documento lista mais de três dezenas de itens que o hospital não dispõem, com ênfase para kits específicos para intubação em pacientes com coronavírus. São necessários em cada kit, segundo os profissionais: laringoscópio – lâmina curva ou reta; tubo orotraqueal com cuff; seringa para inflar o cuff; material para fixar o cuff; filtro HME adequado para idade/peso; drogas do SRI; máscara laríngea; e sonda estéril para aspiração + circuito aspirador ligado ao vácuo.

O ofício cita que foi solicitada à coordenação do HRTM, no dia 25 de março, a previsão de insumos básicos para o funcionamento dos setores de pediatria, mas até esta quinta-feira, 9, não havia recebido resposta ou entrega do material, “o que corrobora para o risco de vida das crianças expostas a esse serviço, já que dentre os insumos ausentes estão materiais essenciais para suplementação de oxigênio e também para a intubação.”

Os profissionais denunciam que não houve por parte da Sesap-RN a oferta de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os funcionários do Tarcísio Maia, sendo que os equipamentos existentes foram doados pela sociedade civil organizadas, através de campanhas, e mesmo assim não é suficiente para atender a demanda.

Leia maisDenúncia grave: crianças estão expostas ao Covid-19 na pediatria do Hospital Tarcísio Maia

Regularização de CPF pode ser feita pelo site da Receita Federal

A Receita Federal informou hoje (8) que a regularização do Cadastro de Pessoa Física (CPF) para ter acesso ao programa de auxílio emergencial do governo federal pode ser feita no site do órgão a qualquer hora do dia.

O esclarecimento foi feito após cidadãos terem relatado dificuldades para inserir o número do CPF no aplicativo Caixa – Auxílio Emergencial, que permitirá o cadastramento para receber o valor de R$ 600 para compensar a perda de renda decorrente da pandemia de coronavírus.

Segundo a Receita, o aplicativo tem recebido um grande número de acessos, fato que pode estar dificultando o cadastro dos beneficiários. O órgão orienta que as pessoas continuem tentando realizar o cadastro ao longo do dia caso não seja possível realizá-lo na primeira tentativa.

Caso o problema persista, o cidadão deve verificar no site da Receita se seu CPF está em situação irregular. Caso seja encontrada alguma pendência, o problema poderá ser resolvido por meio da página de serviços do órgão, preenchendo o formulário eletrônico “Alteração de Dados Cadastrais no CPF”.

Se a pendência continuar, o cidadão deverá procurar o atendimento presencial em uma agência da Receita Federal.

A Receita alerta ainda que, se o CPF estiver em situação regular, mas o usuário não conseguir realizar o cadastro no aplicativo, o problema não estará relacionado ao órgão.

A estimativa da Caixa é de que 20 milhões de trabalhadores informais não inscritos em programas sociais poderão baixar o aplicativo que permitirá o cadastramento para recebimento da renda básica emergencial. O auxílio é de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil para mães solteiras.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: