Líderes debatem votação de projeto que disciplina plenário virtual

Os deputados estaduais que são líderes de blocos e partidos na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte fizeram nesta quinta-feira (23) mais uma reunião para debater questões administrativas e legislativas.

Desta vez, a pauta da reunião foi direcionada ao projeto de lei que institui o “Plenário Virtual” durante a pandemia do coronavírus e a situação de calamidade pública – reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – que será votada na próxima sessão.

“O legislativo potiguar avança com o Sistema de Deliberação Remota e adoção de medidas preventivas para garantir a continuidade do funcionamento do Poder Legislativo enquanto perdurar a condição de calamidade pública”, destaca o presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira (PSDB).

Durante a reunião, os deputados Kelps Lima (SDD); Gustavo Carvalho (PSDB); Souza (PSB); Isolda Dantas (PT); Dr. Bernardo Amorim (Avante); George Soares (PL); Coronel Azevedo (PSC) sugeriram ações legislativas ao presidente Ezequiel que acatou os encaminhamentos.

As novas regras do Plenário Virtual seguem modelo adotado pelo Senado Federal, Câmara dos Deputados e outras Assembleias Legislativas em todo o Brasil.

Sérgio Moro pede demissão e Bolsonaro resiste a aceitar

Bolsonaro começa a esvaziar Sergio Moro — Conversa Afiada

 

Sergio Moro pediu hoje demissão a Jair Bolsonaro, após o presidente comunicar ao ministro que vai tirar do comando da Polícia Federal Maurício Valeixo, como informou mais cedo a Crusoé.

Bolsonaro ainda tenta convencer Moro a permanecer no cargo.

A reunião entre os dois ocorreu hoje pela manhã; a troca na PF, no entanto, só deve ser oficializada na semana que vem.

*O antagonista

Coronavírus: Getúlio Rêgo diz que governo precisa acelerar providências no RN

A celeridade nas providências em relação ao combate da Covid-19 no RN foi tema do deputado Getúlio Rêgo na primeira sessão plenária remota da ALRN, nesta quinta-feira (23). O parlamentar criticou o governo estadual por, na sua avaliação, não estar agindo com a rapidez que deveria para melhorar a rede assistencial.

“Uma das coisas que acho mais importantes no contexto dessa luta para vencer a pandemia é a agilidade da Secretaria Estadual de Saúde na implantação das providencias necessárias, como por exemplo, habilitar diversos hospitais para atender a demanda que vai ser crescente”, observou o parlamentar.

Getúlio Rêgo relatou que já durante a primeira reunião entre os deputados que integram a Comissão de Enfrentamento ao Coronavírus e o secretário de Saúde do RN, Cipriano Maia, sugeriu a expansão dos leitos em municípios polo, como é o caso de Pau dos Ferros, cuja estrutura comportaria essa ampliação.

“Também sugeri que o Hospital Luisa de Marillac possa oferecer os seus espaços físicos que também estão disponíveis pra alargar a rede de atendimento para uma região que converge para Pau dos Ferros, mas até hoje não houve providências”, lamentou Getúlio Rêgo.

Leia maisCoronavírus: Getúlio Rêgo diz que governo precisa acelerar providências no RN

MPRN, MPF/RN e MPT/RN recomendam que prefeitos cumpram decretos estaduais sobre Covid-19

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), o Ministério Público Federal do Rio Grande do Norte (MPF/RN) e o Ministério Público do Trabalho do Rio Grande do Norte (MPT/RN) recomendaram aos prefeitos de todos os municípios potiguares que cumpram os termos dos decretos estaduais que tratam da Covid-19. O documento foi assinado nesta quinta-feira (23) e já foi encaminhado a cada gestor municipal.

A recomendação é para que os prefeitos se abstenham de praticar quaisquer atos, inclusive edição de normas, que possam flexibilizar medidas restritivas estabelecidas pelo Governo Estadual. O documento prevê que fica ressalvada, na hipótese de necessidade local, devidamente justificada, a possibilidade de estabelecimento de medidas de prevenção de caráter mais restritivo.

Para emitir a recomendação conjunta, o MPRN, o MPF/RN e o MPT/RN levaram em consideração que os Municípios não têm sistemas de regulação de leitos municipais, nem hospitais próprios para atendimento de casos de alta complexidade. Além disso, também foi levado em conta uma recomendação do Comitê de Especialistas da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) para o enfrentamento da pandemia da Covid-19. Esse documento demonstra que é necessário que as medidas de mitigação de contágio tenham uma maior adesão da população e a necessária uniformização de procedimentos de contenção em todo o território do Estado, especialmente pelo fato de que, atualmente, há casos confirmados em pelo menos 46 municípios e óbitos em 13 desses, o que revela a interiorização da epidemia.

O Comitê de Especialistas da Sesap já havia informado que a maior vulnerabilidade social associada à fragilidade da rede de saúde no interior do Estado deve alertar para a possibilidade de uma explosão de casos no interior, destacando que esse movimento já se observa no município de Natal, onde se percebe uma tendência de migração dos casos para os bairros mais vulneráveis socialmente.

A recomendação conjunta também leva em consideração que a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece que somente haja relaxamento de medidas de isolamento social quando demonstrado o controle da transmissão do vírus, haja testagem para possíveis novos casos e o sistema de saúde tenha capacidade de atender pacientes ao mesmo tempo, com o isolamento de pessoas infectadas e identificação das pessoas que mantiveram contato com as infectadas.

Leia maisMPRN, MPF/RN e MPT/RN recomendam que prefeitos cumpram decretos estaduais sobre Covid-19

Chamar militares para o governo é sinal de fraqueza política de Bolsonaro, diz FHC

FHC avalia que Bolsonaro é 'fruto dos erros do PT' - Metro 1

O aumento da participação de militares nos altos cargos do governo federal indica mais uma fraqueza política do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) do que uma tentativa de articular um golpe no País, avaliou o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) durante live organizada pela Abitrigo nesta quinta-feira, 23.

Para Fernando Henrique, a condução que Bolsonaro faz da crise preocupa, já que, na avaliação do tucano, o presidente não consegue mostrar tranquilidade e sinalizar um rumo para sair da crise.

“O presidente fala mais do que pensa, sempre. E eu não aprecio algo que está acontecendo no Brasil, rixas crescentes entre as instituições, a disputa entre o presidente da Câmara e o presidente da República”, afirmou FHC.

O ex-presidente também criticou o posicionamento de forças políticas que pedem o impeachment de Bolsonaro. Fernando Henrique afirmou que não está claro que o presidente tenha infringido a Constituição Federal.

“Disseram que eu estava conspirando com o Rodrigo Maia (presidente da Câmara dos Deputados), mas eu não vejo o Maia há anos. Não está claro que tenha havido infringência constitucional. Eu não votei no Bolsonaro, mas a população votou no Bolsonaro, ele está aí”, disse FHC.

O tucano disse, ainda, que será necessária coesão entre as lideranças políticas do País para enfrentar a crise do coronavírus e para transformar as instituições. “Precisaremos de estadistas, de coesão, não de disruptura. Nós precisamos ter paciência histórica, entender que as coisas levam tempo”, declarou.

Leia maisChamar militares para o governo é sinal de fraqueza política de Bolsonaro, diz FHC

Auxílio emergencial: quem tenta solicitar os R$ 600 enfrenta problemas no site e no aplicativo

Site e aplicativo para solicitar auxílio emergencial de R$ 600 são ...

Duas semanas depois do início das solicitações do auxílio emergencial de R$ 600 para enfrentar a crise provocada pelo coronavírus,  usuários do site e do aplicativo da Caixa estão reclamando de diversos erros no sistema.

Entre os problemas relatados estão informações desencontradas entre o site e o aplicativo do benefício, usuários com status “Contestação em análise”sem nem enviarem novos documentos e mães solteiras que não conseguem solicitar o benefício em dobro por dados inconclusivos.

Estado entrou em contato com a Caixa Econômica para entender o que pode ter acontecido em cada um dos casos e o que o solicitante pode fazer para resolver o problema.

Leia maisAuxílio emergencial: quem tenta solicitar os R$ 600 enfrenta problemas no site e no aplicativo

Ibovespa opera em alta e dólar volta a ultrapassar R$ 5,45; euro está acima de R$ 5,90

O malfadado namoro entre Donald Trump e Jair Bolsonaro - CartaCapital

Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, abriu as negociações do dia com o Ibovespa, principal índice do mercado de ações do Brasil, em leve alta, mantendo o patamar de 80 mil pontos. Pouco tempo após a abertura, atingiu a máxima do dia, em 81 mil pontos.

O patamar de R$ 5,40 foi atingido na quarta-feira, 22, pela primeira vez. A valorização da moeda dos Estados Unidos é superior a 35%. A primeira vez que os 30% de variação foram alcançados foi em 18 de março, quando a barreira de R$ 5,20 foi quebrada. Desde então, o real tem sofrido forte depreciação, se mantendo, se não acima de 30%, próximo a ele.

euro também tem se valorizado muito frente ao real. Nesta quinta, a cotação está em R$ 5,93, uma valorização também superior a 30% em relação ao início do ano. Para se ter uma ideia, o valor da moeda oficial da União Europeia era de R$ 4,50 no primeiro dia de 2020. No pregão desta quinta, inclusive, a moeda europeia atingiu seu máximo histórico nominal. Ambas as moedas atingiram R$ 5 de cotação em março deste ano.

Leia maisIbovespa opera em alta e dólar volta a ultrapassar R$ 5,45; euro está acima de R$ 5,90

Prefeitura do Assú vai torrar mais de R$ 1 milhão com a empresa CONSERV enquanto Mossoró vai colocar 100 leitos de UTI com o mesmo valor

O prefeito turista do Assú, Gustavo Soares, e a secretária Viviane Lima vivem fantasiando uma realidade que não existe na saúde da terra dos poetas, ignoram os problemas que afligem a população e acabam de eleger como prioridade um contrato emergencial com a empresa CONSERV EIRELI para contratação de 127 ASG´S.

O engraçado dessa história é que para colocar a UPA para funcionar, eles não tiveram pressa, pelo contrário, mesmo a cidade estando em estado de calamidade, resolveram deixar para resolver as coisas da UPA de última hora, para demorar no serviço pro povo.

Sem contar que Assú não tem uma unidade de saúde que garanta que as pessoas sejam internadas sem ter que serem removidas para a cidade de Mossoró ou Natal, e Gustavo Soares, sem dó e nem piedade, brinca com a saúde da população e age bem diferente da prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, que busca diariamente parcerias para que sejam garantidos mais leitos para a cidade.

A prefeita De Mossoró, Rosalba Ciarlini, firmou contrato com o Hospital privado São Luiz e teve parceria entre o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Prefeitura de Mossoró, a Associação de Assistência e Proteção à Maternidade e Infância de Mossoró (APAMIM) e o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, e os leitos devem passar a funcionar nas próximas semanas.

O valor do contrato é de R$ 1.040 milhão por um período de quatro meses, sendo R$ 260 mil por mês. Enquanto a Prefeitura do Assú, vai torrar mais do que esse valor, R$ 1 milhão e 150 mil reais, só que não será para garantir leitos, e sim, a limpeza de prédios públicos.

Recentemente, o ex prefeito Ivan Junior e o deputado Benes Leocádio, anunciaram recursos para UTI no Regional, e foram alvos de agressões do prefeito e aliados, pois incomoda o fato de Ivan não ter mandato e ainda assim, se preocupar com a população, e ele que pode fazer pois tem um mandato, não tem nenhuma preocupação e nem interesse.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: