Bolsonaro ignora equipe econômica e dá aval para manter reajuste de servidores

Bolsonaro despreza sugestões de Guedes para aliviar empresas | VEJA

Com aval do presidente Jair Bolsonaro ao corporativismo do funcionalismo público, o Congresso atropelou medida desenhada pelo ministro da EconomiaPaulo Guedes, de congelamento de salários dos servidores públicos, e reduziu em quase R$ 90 bilhões a economia nos gastos do governo federal, Estados e municípios com a folha de pagamento de pessoal até 2021.

Câmara “salvou” várias categorias do congelamento e o Senado manteve as mudanças, com exceção dos policiais legislativos. As alterações reduziram para R$ 43 bilhões a economia que seria obtida nas contas de União, Estados e municípios.

Esse é mais um desgaste para Guedes, que enfrentou, há duas semanas, “fogo amigo” no lançamento do programa Pró-Brasil (que previa a ampliação de investimentos públicos em infraestrutura) e não conseguiu emplacar a reforma administrativa (com redução no número de carreiras e do salário de entrada de novos servidores) – de novo, por resistência de Bolsonaro.

Leia maisBolsonaro ignora equipe econômica e dá aval para manter reajuste de servidores

MEC suspende nomeação de candidato eleito ao cargo de reitor do IFRN

IFRN Natal — Foto: Alberto Leandro/Arquivo Tribuna do Norte

O presidente da República Jair Bolsonaro emitiu um decreto no início da noite desta quarta-feira (6), através do Ministério da Educação, suspendendo a nomeação de José Arnóbio de Araújo Filho como reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN).

A suspensão se baseou em uma decisão proferida pelo Juízo da 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

Mais cedo, nesta própria quarta-feira, o presidente da República havia nomeado José Arnóbio como reitor do IFRN após uma decisão da juíza Gisele Leite, da 4ª Vara Federal da Justiça do Rio Grande do Norte.

José Arnóbio de Araújo Filho foi o vencedor do processo eleitoral para o cargo de reitor do IFRN, que aconteceu em dezembro do ano passado, com mais de 48% dos votos válidos.

Em 17 de abril, no entanto, o Ministério da Educação nomeou Josué Moreira de Oliveira como reitor temporário. Ele, que é professor no campus de Ipanguaçu, sequer havia participado das eleições. Em 2018, Josué, que já foi candidato à Prefeitura de Mossoró, se filiou ao Partido Social Liberal (PSL), a então sigla do presidente da República Jair Bolsonaro.

Em 1º de maio, a juíza Gisele Leite determinou o afastamento imediato do reitor temporário e a posse do candidato eleito, José Arnóbio.

G1 RN

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: