NOTA DE ESCLARECIMENTO: Deputado estadual Getúlio Rêgo

Deputado Getúlio Rêgo nega ter receitado remédio contra o novo ...

Está circulando um áudio atribuído a mim, na rede social WhatsApp, sobre um possível tratamento do novo coronavírus.

É FAKE! A voz não é a minha e eu jamais prescreveria, de forma irresponsável e genérica, um tratamento específico para um vírus nebuloso, que não sabemos muito bem como se comporta.

O grande desafio dos cientistas do mundo é encontrar a cura para o coronavírus, mas não existe receita pronta ou resposta rápida.

Até o momento, não há vacinas ou medicamentos específicos para a COVID-19. Os tratamentos estão sendo investigados e serão testados por meio de estudos clínicos.

O isolamento social é a medida mais eficaz para conter o avanço do coronavírus, sobretudo neste momento em que as projeções matemáticas nos transparecem uma curva ascendente da doença.

Sejamos conscientes e responsáveis!

Grande abraço,

Getúlio Rêgo.

Embaixador da China em Israel é encontrado morto em Tel Aviv

Embaixador chinês em Israel é encontrado morto em sua casa ...

O embaixador da China em Israel, Du Wei, foi encontrado morto neste domingo (17), em sua residência no subúrbio de Herzliya, em Tel Aviv.

A polícia israelense abriu uma investigação, disse à agência AFP uma fonte local que pediu para não ser identificada, acrescentando que as causas da morte ainda são desconhecidas.

Segundo o site The Jerusalem Post, não há evidência que a causa da morte não tenha sido natural.

Du Wei, 57, foi embaixador na Ucrânia antes de assumir o cargo de principal representante diplomático da China em Israel.

Ele chegou ao país em fevereiro, quando a pandemia de coronavírus estava no auge na China, e num momento em que Israel implementava restrições de viagens de países afetados.

Nem a embaixada chinesa em Israel nem o Ministério das Relações Exteriores em Pequim comentaram a morte.

A morte ocorre menos de uma semana após a visita a Jerusalém do secretário de Estado americano, Mike Pompeo, que criticou abertamente a China em relação às ações tomadas pelo país durante a pandemia de coronavírus.

Washington acusa Pequim de ocultar informações sobre a pandemia e até de tentar “hackear” a pesquisa americana por uma vacina contra a Covid-19.

Pompeo também pediu a líderes de Israel —aliado dos EUA— que limite os investimentos chineses em setores estratégicos de infraestrutura e comunicação.

Du Wei era casado e tinha um filho. Ambos não estão em Israel.

*Folha

Cinco cidades do RN terão abastecimento de água suspenso na terça (19), diz Caern

Cinco cidades do RN terão abastecimento de água suspenso na terça-feira — Foto: Igor Jácome/G1

Cinco cidades potiguares terão fornecimento de água suspenso temporariamente, na próxima terça-feira (19), para manutenção nos conjuntos de motobombas do sistema integrado de Pureza, segundo informações da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern)

As cidades de João Câmara, Pureza, Taipu, Poço Branco e Bento Fernandes terão parada programada de abastecimento a partir das 7h30 e, de acordo com a empresa, a previsão é que o sistema seja religado na manhã da quarta-feira (20).

Ainda de acordo com o informe, após a religação, são necessárias 48 horas para normalização do abastecimento.

De acordo com a empresa, a recomendação é de que a população das cidades “façam uso racional da água”.

“A divulgação de parada programada é para garantir que os clientes possam preparar-se para o período previsto de suspensão de água”, informou em nota.

G1RN

PF antecipou a Flávio Bolsonaro que Queiroz seria alvo de operação, diz suplente do senador

PGR deve se manifestar sobre pedido de Flávio Bolsonaro no caso ...

O empresário Paulo Marinho, 68, foi um dos mais importantes e próximos apoiadores de Jair Bolsonaro na campanha presidencial de 2018. Ele não apenas cedeu sua casa no Rio de Janeiro para a estrutura de campanha do então deputado federal, que ainda hoje chama de “capitão”, como foi candidato a suplente na chapa do filho dele, Flávio Bolsonaro, que concorria ao Senado. Os dois foram eleitos.

Em dezembro daquele ano, com Jair Bolsonaro já vitorioso e prestes a assumir o comando do país, Flávio procurou Paulo Marinho. Estava “absolutamente transtornado”, segundo o empresário. Buscava a indicação de um advogado criminal.

O escândalo de Fabrício Queiroz, funcionário de Flávio no seu gabinete de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio, não saía das manchetes. Havia acusações de “rachadinhas” e de desvio de dinheiro público. O senador recém-eleito temia as consequências para o futuro governo do pai —e precisava se defender.

As revelações que Marinho diz ter ouvido do filho do presidente nesse encontro são bombásticas: segundo ele, Flávio disse que soube com antecedência que a Operação Furna da Onça, que atingiu Queiroz, seria deflagrada.

Foi avisado da existência dela entre o primeiro e o segundo turnos das eleições, por um delegado da Polícia Federal que era simpatizante da candidatura de Jair Bolsonaro.

Mais: os policiais teriam segurado a operação, então sigilosa, para que ela não ocorresse no meio do segundo turno, prejudicando assim a candidatura de Bolsonaro.

O delegado-informante teria aconselhado ainda Flávio a demitir Fabrício Queiroz e a filha dele, que trabalhava no gabinete de deputado federal de Jair Bolsonaro em Brasília.

Os dois, de fato, foram exonerados naquele período —mais precisamente, no dia 15 de outubro de 2018.

Queiroz estava sumido em dezembro. Mas, segundo Marinho, o senador Flávio Bolsonaro mantinha interlocução indireta com ele por meio de um advogado de seu gabinete.

Nesta entrevista, Marinho, que é pré-candidato a prefeito do Rio de Janeiro pelo PSDB, começa falando da cidade que pretende governar, dos planos para a campanha presidencial de João Doria em 2022 —e por fim detalha os encontros com Flávio Bolsonaro.

Leia maisPF antecipou a Flávio Bolsonaro que Queiroz seria alvo de operação, diz suplente do senador

Número de empresas abertas no RN cai de janeiro a abril de 2020

Um ano cercado de perspectivas e mudanças positivas na economia pode ser declarado como perdido antes mesmo do fim. Um dos termômetros que mede o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Norte, o registro de abertura de novas empresas na Junta Comercial do Estado (Jucern), tem apresentado dados negativos ao longo de 2020, conforme levantamento exclusivo para a TRIBUNA DO NORTE. O quantitativo de abertura de novos empreendimentos comerciais, de prestação de serviços ou industriais caiu 20% de janeiro a abril deste ano ante período idêntico de 2019. Pouco mais tímido, mas ainda superior ao tabulado no primeiro quadrimestre do ano passado, o encerramento de empresas cresceu 3,71% no Estado no período em destaque.

Conforme a Jucern, esses podem ser os mais novos reflexos da pandemia do novo coronavírus na economia do Rio Grande do Norte. Entre janeiro e abril do ano passado, o percentual de crescimento no registro de novas empresas no Estado foi de 15%. “É preciso lembrar que o ano passado trouxe o maior aumento em dez anos no número de empresas abertas no estado do Rio Grande do Norte. Ou seja, a gente vem de um período de recuperação e que agora está sendo afetado pelo momento atípico que vivemos. A Jucern está se adaptando ao momento de isolamento social, priorizando os serviços digitais e a desburocratização de procedimentos, para apoiar o nosso empreendedor”, destaca o presidente da Jucern, Carlos Augusto Maia.

Pelas ruas da Cidade Alta, um dos principais endereços do comércio de rua na capital, é posível identificar inúmeras lojas que fecharam ao longo dos primeiros quatro meses deste ano, incluindo uma de grande porte do ramo varejista, com filiais em diversas cidades brasileiras. “Essa pandemia é um grande risco para a nossa economia. Ela está atingindo a todos. O Centro (de Natal) vinha com movimento constante. De repente, parou. Já estamos com mais de 50 dias parados. E aí isso começa a complicar. Os empresários não estão mais suportando, pois precisam pagar aluguel, energia, água, folha de funcionários, mercadoria que chegou e que está sem vender. O custo é muito alto e começa a fechar. A Leader fechou e amanhã podem ser outros. Foram demitidas muitas pessoas. Cerca de 30% dos funcionários das lojas. Afeta a nossa economia”, comenta o presidente da Associação Viva o Centro, Delcindo Mascena, proprietário da loja Avohai.

Comparando os números de abertura de empresas entre os primeiros quatro meses de 2020 com o mesmo período do ano passado, é possível perceber o recuo mês a mês. Foram abertas 613 empresas em janeiro de 2019 ante 578 em 2020. Em fevereiro, a queda foi de 632 em 2019 para 579 em 2020. Em março, recuo de 580 em 2019 para 527 este ano. Em abril, a redução mais significativa, visto que, o isolamento social já era uma imposição decretada pelo Governo do Estado: de 640 em 2019 para 285 este ano.

Leia maisNúmero de empresas abertas no RN cai de janeiro a abril de 2020

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: