Sindicato dos Médicos do RN aciona Justiça para impedir transferência de leitos do Hospital Ruy Pereira

Sindicato dos Médicos do RN entrou na Justiça para evitar transferências de leitos do Hospital Ruy Pereira — Foto: Quézia Oliveira/Inter TV Cabugi

O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed-RN) e a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV-RN) acionaram a Justiça para interromper o processo de transferência de leitos e pacientes do Hospital Estadual Ruy Pereira para o Hospital da Polícia Militar, que vai receber a partir deste mês os casos cirúrgicos e de UTI – o Hospital João Machado receberá os casos clínicos.

Essa transferência acontece após decisão judicial, resultado de um acordo entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Ministério Público Estadual e Federal e Conselho Regional de Medicina.

Para o médico Gutenberg Gurgel, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia, uma das autoras da ação, os outros hospitais não têm a estrutura adequada para atender a demanda vascular e ortopédica no Estado. Com a saída dos leitos, os médicos temem pelo fechamento da unidade.

“A gente não pode pactuar com o fechamento de um hospital desse porte, que tem três salas de cirurgia disponíveis para cirurgia vascular e de repente você é encaminhado para um hospital com uma sala de cirurgia disponível para cirurgia vascular e ainda vai desmobilizar toda a equipe”, falou Gutenberg Gurgel.

Leia maisSindicato dos Médicos do RN aciona Justiça para impedir transferência de leitos do Hospital Ruy Pereira

Projeto de Kleber Rodrigues prevê teste do bracinho em crianças a partir de 3 anos

O deputado Kleber Rodrigues (PL) protocolou, na Assembleia Legislativa, um Projeto de Lei que institui a realização do teste do bracinho, para aferir a pressão arterial de crianças a partir de três anos, em consultas pediátricas da rede pública de saúde do Rio Grande do Norte.
O teste do bracinho tem como objetivos a prevenção, o rastreio e o diagnóstico de hipertensão arterial infantil; doenças renais; doenças cardíacas; além de complicações cardiológicas, renais e na retina.

“A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma doença que acomete pessoas de qualquer idade. Pesquisas mostram que 5 a cada 100 crianças têm pressão arterial superior que a normal. E estudos epidemiológicos realizados no Brasil nos últimos anos têm mostrado que a prevalência de HAS em crianças e adolescentes é de 0,8% a 8,2%”, informou o parlamentar.

Kleber acrescentou que, com esses dados, fica clara a importância da incorporação da medição de pressão arterial na avaliação pediátrica de rotina. “Esse procedimento tem permitido o diagnóstico mais precoce da HAS, possibilitando seu tratamento, já que, se a doença não for controlada, ela pode prejudicar vários órgãos do corpo, como coração, rins e cérebro”, argumentou.

Após o teste, as crianças que apresentarem alteração na pressão arterial serão encaminhadas ao atendimento especializado e realização de exames complementares.

O Poder Executivo terá o prazo de noventa dias para regulamentar a referida Lei, a partir de sua entrada em vigor.

Nelter Queiroz afirma que George Soares é um deputado lagartixa

O deputado Nelter Queiroz esteve ontem na 89 Fm em Assú, e duarante entrevista, afirmou que o deputado George Soares é o típico deputado “lagartixa”, aquele que só balança a cabeça para os projetos que o Governo envia.

Nelter que é conhecido em todo o estado, por não ter papas na línguas, e principalmente por ser corajoso e não ceder a ameaças de quem quer que seja, e que critica quando tem de criticar, defendendo a qualquer custo a população do estado que o elege há 8 mandatos, relatou que ninguém manda em seu mandato, além do povo.

O parlamentar ainda destacou a subserviência de George, o deputado lagartixa que concorda com tudo que o governo do Estado faz com o povo. George é um deputado que além de largatixa é um grande demagogo e oportunista só olhando o povo ser desrespeitado, enquanto ele é beneficiado, defendendo seus cargos indicados, como seu sogro, cunhada e demais familiares, babando por qualquer benesse que a governadora possa ofertar.

Nelter ainda fez duras críticas a atual gestão, a ausência do prefeito, e o desastre que é a saúde do municipio, que recebeu mais de 10 milhões para ações de combate ao Covid e que ninguém sabe onde foi aplicado

NO CABRESTO: Prefeito Gustavo “Paraguaçu” exige a presença de cargos e servidores do Assú e Estado para reuniões em prol de sua candidatura

O prefeito do Assú, Gustavo Soares, que estava ausente há quase uma semana do município, e agindo como se não tivesse responsabilidades com o cargo ao qual foi eleito, voltou ontem a dar as caras na cidade, e ao lado do seu irmão, o deputado “boquinha” George Soares.

A dupla que seguem os ensinamentos de seu pai, o vigarista Ronaldo Soares, estão tocando o terror, já que seus aliados mais chegados, fazem ligações para os cargos comissionados e servidores com gratificação, obrigando – os a comparecerem nas reuniões em prol de sua candidatura.

Esse tipo de ameaça e numa clara alusão ao voto de cabresto, lembra bem a Sucupira, cidade governada por Odorico Paraguaçu, que fazia investidas retóricas como recurso para entreter, e suas decisões eram tomadas não porque eram as mais corretas, mas porque eram as que combinam mais com sua conveniência. Um teatro armado para enganar, ameaçar e manipular os eleitores, e que deveria ser investigado pelos órgãos competentes, pois é configurada como crime eleitoral.

Será que é só mera coincidência, Gustavo voltar a incorporar o personagem que enganou a população há quase quatro anos atrás? Na vida real, ele passou 4 anos fora e vivendo na capital às custas do seu salário de prefeito, e agora, ele volta pro personagem inicial, um médico que quer ser prefeito e cuidar do povo. Mas esquece que não fez isso durante os últimos anos.

A existência de políticos que se assemelham a Odorico, como Gustavo Soares, representa uma renúncia àquilo que é mais valiosa na democracia, a coragem de agir de acordo com a própria consciência, sem roteiros ensaiados.

Porque em Assú, Gustavo agiu em 2016 como Odorico, deitou e rolou na inocência dos humildes habitantes do lugar, inventando promessas mirabolantes que nunca cumpriu, e maquiando a gestão com a sua falta de propósito e compromisso com a cidade.

Mas a população pode se rebelar contra isso, filme, grave, printe, e envie para a justiça, gere a prova de que você não está exercendo seu direito a liberdade, e o pior, está sendo obrigado e ameaçado por receber uma vantagem que é direito por trabalhar, e que está sendo usado supostamente para chantagem por parte de um candidato a reeleição.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: