fbpx

Polícia Federal e Receita Federal deflagram Operação “Baalon” para combater esquema de importação irregular de cabelos humanos.

1.jpg

Foz do Iguaçu/PR – Na manhã desta terça-feira (10/11), foi deflagrada a operação policial “Baalon”, com o propósito de desarticular um grupo criminoso especializado em realizar importação irregular de cabelos de origem estrangeira para posterior revenda em território nacional.

As sete ordens judiciais (mandados de busca e apreensão), expedidas pela 14ª Vara Federal de Curitiba, estão sendo cumpridas em Foz do Iguaçu/PR, Curitiba/PR, São Paulo/SP e Araçatuba/SP.

As investigações tiveram como foco um grupo criminoso, parte dele composto por pessoas de origem indiana, voltado a realizar importação irregular de cabelos humanos. Referidas mercadorias, quando não eram subfaturadas por meio de processos de importação realizadas por empresas brasileiras, eram irregularmente internalizadas por meio da fronteira com o Paraguai. Vale ressaltar que a introdução da mercadoria se dava por meio da supressão parcial ou total de tributos que incidiam na operação de importação (crime de descaminho).

Percebeu-se que as pessoas interessadas em adquirir essas mercadorias (clientes brasileiros que trabalham com o comércio de cabelos humanos) realizavam os respectivos pagamentos por meio de contas bancárias tituladas por interpostas pessoas.

Por sua vez, para que o grupo criminoso conseguisse realizar o pagamento de seus fornecedores estabelecidos no estrangeiro, os reais recebidos no Brasil eram então convertidos em dólares. A conversão em moeda estrangeira ocorria com a remessa física de reais em espécie para o Paraguai ou por meio de contato com algum operador financeiro, que disponibilizava o contravalor via sistema internacional de compensação paralelo, sem registro nos órgãos oficiais, conhecido por dólar-cabo.

Leia maisPolícia Federal e Receita Federal deflagram Operação “Baalon” para combater esquema de importação irregular de cabelos humanos.

Carnaubais: Prefeita determina antecipação de 13º salário; folha de quase R$ 1 milhão inclui seletistas, comissionados e contratados

Um fato inédito na administração pública de Carnaubais. Pela primeira vez na história, o município cumpre com as suas obrigações com o funcionário público e quita antes do mês de dezembro a folha do 13º salário, incluindo comissionados, contratados e os seletistas.

Os valores já estão disponíveis para saques nas agências bancárias. A quitação da folha do 13º salário do servidor público da Prefeitura de Carnaubais atende uma determinação da Prefeita Marineide Diniz e beneficia diretamente cerca de 800 trabalhadores.

Com a medida da gestão municipal, cerca de R$ 1 milhão de reais vai circular na economia do município e esse volume de recursos aumenta, quando acrescentado o salário do servidor deste mês de novembro.

SÓ NA COLA: Prefeito Gustavo Soares se atrapalha durante debate

O ausente prefeito do Assú, Gustavo Soares, participou hoje de debate na Câmara Municipal, e se atrapalhou com tantos papéis de cola e mensagens do deputado George Soares, no decorrer de todo o debate político entre os prefeitáveis.

A ausência do prefeito Gustavo Soares é tão gritante, que ele não consegue sequer elaborar uma pergunta sem se atrapalhar com tantos papéis, pois como é um prefeito ausente, não acompanha as necessidades da população e muito menos o que acontece ao longo de sua gestão, nos últimos 3 anos e meio.

Além da mesa cheia de cola, o prefeito teve que achar tempo para ler os SMS do seu irmão, o controlador George Soares, que durante todo o debate, deve ter travado o celular do prefeito de tantas mensagens, com o intuito de instruir o prefeito nas respostas e perguntas.

Nem nas considerações finais, o prefeito conseguiu se livrar dos papeis, mostrando sua incapacidade de formular ideias e um discurso, que não fosse orientado por palavras prontas.

Os movimentos de Ciro, Moro, Huck e Maia para driblar polarização Bolsonaro x PT em 2022

Sergio Moro, Rodrigo Maia, Ciro Gomes e Luciano Huck se movimentam para driblar a polarização em 2022 Foto: Arquivo O GLOBO

A menos de uma semana do primeiro turno das eleições municipais, que começarão a desenhar o xadrez das alianças para 2022, nomes cotados como possíveis presidenciáveis daqui a dois anos, como o apresentador Luciano Huck e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), fizeram movimentos para tentar driblar a polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e o PT, do ex-presidente Lula.

Após ter seu encontro com o ex-juiz Sergio Moro revelado no fim de semana, Huck esteve num almoço no Rio de Janeiro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O apresentador foi um dos nomes sugeridos por Moro, em entrevista ao GLOBO, como bons candidatos de centro para a próxima disputa presidencial. Lideranças de partidos de esquerda reagiram e vetaram qualquer possibilidade de aliança com o ex-ministro. Ao entrar no debate eleitoral, Moro também recebeu críticas de Maia e do governo, através do ministro Fábio Faria.

O Globo

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: