Juiz determina entrega a Lula de mensagens da Lava-Jato hackeadas

 (crédito: Ricardo Stuckert/AFP)

O juiz Gabriel Zago Capanema Vianna de Paiva, substituto de plantão na Justiça Federal do DF, proferiu despacho, na noite de segunda-feira, determinando o cumprimento de decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), que garantiu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acesso às mensagens obtidas na Operação Spoofing — investigação sobre grupo de hackers que invadiu celulares de autoridades, incluindo procuradores da Lava-Jato, o ex-ministro Sergio Moro e o presidente Jair Bolsonaro.

Além de expedir o “cumpra-se”, o magistrado ainda oficiou a Divisão de Contrainteligência da Diretoria de Inteligência da Polícia Federal, registrando que o material deve ser entregue com cópia da decisão proferida pelo ministro do STF.

A decisão foi dada após Lewandowski intimar o juízo da 10ª Vara Federal Criminal do DF a cumprir a ordem que proferiu, no dia 28, autorizando o “compartilhamento das mensagens informais trocadas no âmbito da força-tarefa Lava Jato, encontráveis nos arquivos arrecadados ao longo da Operação Spoofing”.

Na quinta-feira, o ministro já havia reiterado a ordem de compartilhamento, depois que o advogado Cristiano Zanin, responsável pela defesa de Lula, acusou a imposição de “dificuldades” pelo juízo de Brasília e comunicou ao ministro que a 10ª Vara Federal Criminal havia encaminhado os autos do processo ao Ministério Público Federal (MPF) para manifestação. Na ocasião, o ministro observou que o comando é ‘expresso’ e não cabe submetê-lo ao ‘escrutínio’ da Procuradoria.

Waldemar Cláudio de Carvalho descumpriu a decisão com base na resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que define as matérias a serem apreciadas durante o plantão judicial. “Não conheço o pedido formulado nos autos, por não se tratar de matéria passível de ser apreciada em regime de plantão”, disse.

Correio Braziliense

Mulher fica ferida após receber buquê e pacote com bomba na Grande SP

Uma mulher de 49 anos permanece internada após receber flores e um pacote com uma bomba, que explodiu após a vítima abrir o embrulho, por volta das 19h desta terça-feira (5), em Francisco Morato (Grande SP).

A vítima foi encaminhada à Santa Casa da cidade, que não havia atualizado seu estado de saúde até a publicação desta reportagem.

Dias antes do crime, a mulher havia recebido mensagens de um ex-namorado, via rede social, falando que ele não aceitava o fim do namoro entre os dois, além de demonstrar ciúmes pelo atual relacionamento dela. Por causa disso, a mulher bloqueou o ex em seu aplicativo de mensagens, que mesmo assim continuou mandando emails a ela.

Em um deles, encaminhado às 16h11 do dia do crime, o ex comenta o fato de ter sido bloqueado. “Mas achar você [vítima] é fácil”, escreveu o homem, que é investigado pela Polícia Civil. Ele não havia sido encontrado para prestar depoimento até o início da tarde desta quarta-feira (6).

No dia do crime, segundo a polícia, a vítima estava com o namorado em outra cidade, não informada, quando, por volta das 11h, um motoboy entregou na casa da mulher um pacote e um buquê de flores. Havia um bilhete também, assinado em nome do atual companheiro da vítima. O entregador não havia sido identificado até a publicação desta reportagem.

Um dos dois filhos da mulher enviou fotos, via mensagem, mostrando a entrega à mãe.

Por volta das 19h, a mulher chegou em casa, no bairro Jardim Rosa. “No momento em que [a vítima] abriu a caixa que estava sobre a mesa da cozinha, observou que a mesma começou a sair/produzir fumaça, sendo que logo em seguida a caixa explodiu fortemente”, diz trecho do depoimento de um dos filhos da mulher, de 27 anos, prestado à Polícia Civil.

Após a explosão, o rapaz afirma ter sido lançado a cerca de um metro de distância, por causa do impacto da explosão.

Leia maisMulher fica ferida após receber buquê e pacote com bomba na Grande SP

Guedes interrompe férias e se reúne com Bolsonaro nesta quarta-feira

O ministro da Economia, Paulo Guedes

Após contradições sobre o estado de saúde da economia do país, o ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu interromper as férias e participar pessoalmente da reunião que o presidente Jair Bolsonaro terá com ministros nesta quarta-feira (6), agora de manhã.

Guedes afirmou à CNN que está no Palácio do Planalto. Oficialmente, o ministro voltará ao trabalho somente na semana que vem, quando encerra o período de duas semanas de férias.

Mas ontem, todos os ministros receberam ligação do Planalto com o convite para a primeira reunião do ano com Bolsonaro.

A apoiadores, Bolsonaro afirmou que o país está quebrado e que não pode fazer nada, se referindo a ideias de governo que não andam. Em contraponto, o ministro Guedes afirmou nesta terça-feira à analista Thaís Arbex que a economia brasileira está se recuperando em “V”, expressão utilizada para diagnosticar uma economia que caiu mas retomou o crescimento rapidamente.

Na reunião desta quarta-feira, além de Guedes, os ministros da Comunicação, Educação, Agricultura e Saúde confirmaram presença.

CNN Brasil

Hospital do Coração em Natal é vendido a grupo empresarial

Hospital do Coração, em Natal (Arquivo) — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Após cerca de dois anos de negociação, o Hospital do Coração – um dos maiores hospitais privados de Natal – foi vendido para a Humana Saúde, do grupo Athena Saúde, segundo confirmou a empresa em comunicado à imprensa. Os valores negociados na compra não foram divulgados.

De acordo com o comunicado, o contrato foi assinado no dia 30 de dezembro. O grupo empresarial ainda informou que não haverá nenhuma alteração no corpo clínico e nos serviços prestados e o médico Nelson Solano deverá permanecer na direção do hospital.

“Ressaltamos ainda que o hospital continuará atendendo e fortalecendo a parceria com todos os convênios, ampliando seus serviços e oferecendo uma medicina especializada e de excelência para a saúde potiguar”, informou a empresa no comunicado.

O hospital foi fundado no início dos anos 2000 por médicos cardiologistas potiguares, mas ampliou seu atendimento a várias outras especialidades.

Com a venda, o Hospital do Coração passa a integrar a Athena Nordeste, juntamente com a Humana Saúde, Medplan, grupo Medimagem, Unihosp e o Hospital Centro Médico Maranhense.

G1RN

Bolsonaro se referiu ao setor público ao falar que o ‘Brasil está quebrado’, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante entrevista com balanço de fim de ano Foto: Edu Andrade / ME

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse ao GLOBO que o presidente Jair Bolsonaro se referia ao setor público ao afirmar que o Brasil está “quebrado”, em conversa com apoiadores nesta terça-feira. Guedes afirmou ainda que o presidente demonstrou, durante sua fala, a necessidade de respeito ao teto de gastos para controlar as despesas da União.

O Brasil está mesmo quebrado?

— Ele está se referindo, evidentemente, à situação do setor público, que está numa situação financeira difícil. Porque, depois dos excessos de gastos cometidos por governos anteriores, quando chegou o primeiro governo falando que vai cortar forte, foi fulminado pela pandemia. Nós estamos reconhecendo a dificuldade da situação, mas decididos a enfrentar. Nós vamos seguir com as reformas estruturais. Foi só isso — disse Guedes, afirmando que compartilha do mesmo diagnóstico do presidente de que a situação do setor público ficou difícil.

Guedes disse que o governo fez um forte sacrifício com corte de gastos no primeiro ano do governo, mas o plano foi inviabilizado pela pandemia, sendo necessário aumentar os gastos públicos. As despesas para conter os efeitos do vírus vão levar o governo a registrar um rombo de quase R$ 900 bilhões em 2020.

Desemprego: 

— É um governo que fez sacrifícios e de repente é fulminado por um raio, que foi essa doença, e gasta 10% do PIB. É tarefa de Sísifo, o cara que empurrava as pedras até lá em cima e os deuses derrubavam a pedra para o cara empurrar tudo outra vez. É evidente que o presidente está se referindo à situação do setor público — disse Guedes.

Leia maisBolsonaro se referiu ao setor público ao falar que o ‘Brasil está quebrado’, diz Guedes

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: