fbpx

George Soares dá carta verde a vice Fabielle Bezerra para nomear os cargos comissionados que desejar

Na terra dos poetas o prato no café, almoço e janta, é a política, e agora o Blog do VT dá uma notícia de primeira mão, em que o deputado George Soares que é o prefeito de fato e quem manda e desmanda na Prefeitura do Assú, deu a vice Fabielle Bezerra, carta branca na escolha dos cargos que foram e serão nomeados nessa gestão.

A vice Fabielle conseguiu emplacar alguns nomes tanto no secretariado como nos cargos de Diretoria e demais funções, como de Nayara para Obras, Bia Dantas para Desenvolvimento, Luiza para Meio Ambiente, e até a indicação de Wedson partiu dela, além de Tomas Barbalho, dentre outros.

Então, a partir de agora, quem sonhar em ser nomeado tem que passar no crivo da vice Fabielle Bezerra, que começa a mandar e quem sabe até oprimir, já que é hoje a pessoa com mais força dentro da gestão para ditar as regras e seu único trabalho, será enviar a lista para o Diário Oficial publicar as nomeações.

Prefeito do RN nomeia esposa, pai, irmão, tio e cunhadas para secretarias

O novo prefeito de Riacho de Santana/RN, Dr. Cassio Fernandes, nomeou esposa, pai, irmão, tio, e cunhadas para ocupar secretarias na prefeitura do município.

Os nomeados foram o pai Manoel Gilvan (Secretário Administração e Finanças); a esposa Kelly (Secretária Apoio ao Gabinete); o Irmão Jorge Fernandes (Secretário Saúde); o tio Aluízio Aires (Controlador); a cunhada Keliane (Secretária Assistência Social); outra cunhada, Rosana Carvalho (Chefe de Controladoria e Administração Financeira) e uma última cunhada, Ana Beatriz (Chefe de Divisão do RH).

Dr Cassio, do PL, foi eleito no ano passado com 1.611 votos. Ele derrotou Raimundinho, que ficou em segundo lugar com 48,77% (1.540 votos).

Dr Cassio tem 30 anos, é casado, tem superior completo e declarou ao TSE a ocupação de médico. O vice é Ze de Quinco, do PSB, que tem 70 anos.

Fonte: Portal Grande Ponto

Butantan pede à Anvisa autorização emergencial de uso para vacina contra Covid-19

Vacina CoronaVac Foto: NELSON ALMEIDA / AFP

O Instituto Butantan solicitou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta sexta-feira, a autorização emergencial de uso da vacina CoronaVac contra a Covid-19. O prazo estimado pela agência para avaliação do pedido é de até dez dias. Ainda hoje, a Fiocruz deve pedir o uso emergencial do imunizante da AstraZeneca/Universidade de Oxford (Reino Unido), principal aposta do governo federal até o momento, à agência.

Em nota, a Anvisa afirmou que já iniciou a triagem dos documentos enviados pelo IB ao órgão. Segundo a agência, a primeira etapa da análise, que ocorre nas 24 horas iniciais, servirá para checar se as informações apresentadas atendem aos requisitos da solicitação emergencial.

Caso a documentação esteja incompleta, a Anvisa pode paralisar a contagem do prazo de análise para solicitar novas informações ao Butantan. Além dos dados apresentados nesta sexta-feira, a agência também vai analisar o que já foi apresentado pelo Butantan durante o processo de submissão contínua. Durante o processo as desenvolvedoras submetem os dados da vacina à agência durante o seu desenvolvimento.

“A análise do pedido de uso emergencial é feita por uma equipe multidisciplinar, envolve especialista das áreas de registro, monitoramento e inspeção. A equipe vem atuando de forma integrada, com as ações otimizadas e acompanhadas pela Comissão que envolve três Diretorias da Agência”, explicou a Anvisa.

Na última quinta-feira, o Butantan apresentou à Anvisa os dados sobre vacina. Segundo as informações, a CoronaVac tem eficácia de 78% nos estudos no Brasil. O Butantan, no entanto, não apresentou informações sobre a eficácia global do imunizante.  A vacina desenvolvida pelo Butantan e pela chinesa Sinovac Biotech é o primeiro imunizante a pedir autorização emergencial de uso para a agência.

Leia maisButantan pede à Anvisa autorização emergencial de uso para vacina contra Covid-19

Castanha de Caju de Serra do Mel torna-se Patrimônio Cultural Imaterial do RN

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte aprovou, ainda em 2020, o projeto de lei que considera como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado a iguaria “Castanha de Caju da Serra do Mel”, proposta pelo deputado estadual Albert Dickson (PROS). A matéria foi aprovada por unanimidade dos presentes.

Para o deputado, é importante promover e proteger a memória e as manifestações culturais representadas, em todo o mundo, por monumentos, sítios históricos e paisagens culturais. “Mas não só de aspectos físicos se constitui a cultura de um povo. Há muito mais, contido nas tradições, no folclore, nos saberes, nas línguas, nas festas e em diversos outros aspectos e manifestações, transmitidos oral ou gestualmente, recriados coletivamente e modificados ao longo do tempo”, disse Albert na sua justificativa.

De acordo com o parlamentar, Serra do Mel é um dos destaques no Nordeste no quesito produção de castanha de caju. Esta iguaria é o “propulsor de sua economia desde a fundação”. “Do Caju tudo é aproveitado. Do pedúnculo, rico em vitamina C e vitamina B12, é possível a produção de outros subprodutos industrializados como: doce, polpa, cajuína, carne básica do caju, bife, paçoca, omelete, cuscuz, sopa, mel natural, rapadura, bolo, geleia, pastel, pão, biscoitinho, hambúrguer, licor, dentre outros. Já a castanha de caju é rica em proteínas, calorias, carboidratos, cálcio, fósforo e ferro”, completa.

“Essa diversificação, a partir de um único fruto, apresenta e garante a possibilidade para que os pequenos produtores rurais de castanha de caju da Serra do Mel acessem mercados além da venda in natura do pedúnculo para fábricas de suco”, diz o deputado.

Outra proposta de Albert Dickson aprovada pelo Legislativo proíbe a aplicação de multa por quebra de fidelidade nos pedidos de cancelamentos ou de alteração para plano mais vantajoso nos serviços de TV por assinatura, telefonia ou internet, enquanto perdurar a pandemia do coronavírus no RN. O descumprimento da Lei poderá acarretar o pagamento de multa de acordo com o Código de Defesa do Consumidor.

“A catastrófica pandemia do coronavírus trará sérias consequências econômicas aos países. Muitos trabalhadores terão seus rendimentos diminuídos em razão desse vírus avassalador, modificando as condições na época da celebração dos respectivos contratos ou mudança de operadora para plano mais vantajoso, já que muitos cidadãos sofrerão grandes perdas financeiras”, relata o deputado. As duas matérias de iniciativa de Albert Dickson foram aprovadas por unanimidade.

Presidente da Assembleia participa da posse da nova gestão do TJRN para o biênio 2021-2022

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB) participou nesta quinta-feira (07) da sessão solene de posse dos novos dirigentes do Tribunal de Justiça do RN (TJRN) para o biênio 2021-2022. Na ocasião, o desembargador Vivaldo Pinheiro assumiu a presidência do Poder Judiciário potiguar, acompanhado da desembargadora Maria Zeneide Bezerra como vice-presidente e do desembargador Dilermando Mota como corregedor-geral de Justiça. A cerimônia foi transmitida ao vivo pelo canal do TJRN no YouTube.

“O Poder Legislativo do Rio Grande do Norte reafirma a parceria de respeito e independência, construída com o Poder Judiciário do Rio Grande do Norte agora sob a administração do desembargador Vivaldo Pinheiro. Não tenho dúvidas que com sua inteligência e retidão, fará uma administração de excelência à frente do TJRN”, comentou Ezequiel Ferreira.

Em atendimento aos protocolos sanitários em prevenção à Covid-19, a cerimônia ocorreu de forma híbrida. Os empossados e o atual presidente, desembargador João Rebouças, estavam presentes no Pleno do TJRN, enquanto que os demais membros do Tribunal, autoridades e convidados acompanharam a sessão solene por meio de videoconferência. Ao abrir os trabalhos o desembargador João Batista Rebouças agradeceu aos servidores e falou das dificuldades enfrentadas no último ano, em função da pandemia do novo coronavírus.

“Sem os meus queridos servidores não teria conseguido tocar o barco do meu mandato, ainda mais em um ano tão difícil como esse. O tempo, senhor da razão, mostrará os feitos dessa gestão que se encerra. Tive sempre como norte em minha vida a paz, os ensinamentos em Deus e os valores da família. Desejo ao eminente amigo todo o sucesso que ele sua equipe merece a frente do TJRN”, discursou João Batista Rebouças, ao abrir os trabalhos.

Membro do TJRN desde 2007, Vivaldo Pinheiro é o 65º desembargador a ocupar a sua Presidência. Ele foi eleito por aclamação em eleição realizada no dia 21 de outubro de 2020. “Assumo com alegria e grande satisfação o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. Procurarei dar seguimento ao trabalho exitoso do presidente João Batista Rebouças. O compromisso com a instituição tem sido uma marca desse colegiado, por isso devo dizer que não farei promessas, não disponho de fórmulas mágicas, todavia reafirmo que serei um dirigente fiel, atento, e que buscarei, sempre, o fortalecimento do Poder Judiciário do Rio Grande do Norte”, disse ao tomar posse.

No biênio 2021-2022 a diretoria da Escola da Magistratura será exercida pelo desembargador Virgílio Macedo Jr., enquanto o desembargador Amílcar Maia será o ouvidor geral, tendo o desembargador Ibanez Monteiro como ouvidor substituto. O desembargador Saraiva Sobrinho será o responsável pela Revista de Jurisprudência. O Conselho da Magistratura será integrado pela desembargadora Judite Nunes e pelo desembargador João Rebouças, tendo os desembargadores Claudio Santos e Expedito Ferreira como suplentes.

‘O Brasil é dos únicos países que conseguem em um único dia vacinar 10 milhões’, diz ex-ministro da Saúde

O ex-ministro José Gomes Temporão Foto: Divulgação

A esperança para se responder com eficiência à pandemia vem do Sistema Único de Saúde (SUS) e da ciência brasileira, impulsionada por instituições centenárias como a Fiocruz e o Instituto Butantan. A opinião é do ex-ministro da Saúde do governo Lula, o sanitarista José Gomes Temporão. À frente da pasta durante a pandemia de H1N1, em 2009, ele frisa que a saúde pública brasileira vem evitando uma catástrofe ainda maior no país.

A saída da crise, ele diz, depende de o governo federal “deixar os servidores da Saúde trabalharem”. Temporão critica a falta de conhecimento do ministro Eduardo Pazuello, e afirma que, diante da falta de comando no Ministério da Saúde, criou-se uma “autoridade sanitária informal”, constituída por especialistas e gestores de outras esferas, para dar conta da emergência sanitária.

— Se o governo federal finalmente chamar os sanitaristas, epidemiólogos, os técnicos e cientistas do Programa Nacional de Imunização (PNI) e entregar a eles a condução e a coordenação do esforço de vacinação, nós teremos sucesso. É um momento crítico, porque temos até agora praticamente 20 milhões de pessoas vacinadas no mundo e, no Brasil nenhuma.

O país tem 200 mil mortos e especialistas criticam as estratégias do Ministério da Saúde. O que tem evitado um cenário ainda pior?

A saúde pública do Brasil é muito respeitada, inclusive internacionalmente. Havia expectativa de que enfrentássemos a situação poupando o maior número de vidas possível. Mas, infelizmente, uma série de obstáculos e opções nos levaram a essa situação dramática de 200 mil mortes. O SUS, de um lado, tem uma fragilidade por conta dos últimos dez anos, de redução de políticas, estratégias e financiamento. Com a aprovação da Emenda Constitucional nº 95 pelo Congresso, em 2016, houve uma redução real dos gastos federais. A pandemia, então, encontra o sistema numa situação de fragilidade, de desfinanciamento. Mas, por outro lado, ele se organizou, ao longo de 32 anos, em base habitacional, aumentou muito a cobertura. O SUS enfrenta esta crise sanitária entre uma fragilização mais conjuntural e uma fortaleza mais estrutural. Os 200 mil óbitos mostram que fomos derrotados por esse vírus, mas, sem o SUS, seria uma situação de barbárie social, o caos total. Isso é fato.

Leia mais‘O Brasil é dos únicos países que conseguem em um único dia vacinar 10 milhões’, diz ex-ministro da Saúde

De boa no Enem: On-line e gratuito, Super Aulão UnP é neste sábado (9)

Super Aulão será on-line e gratuito — Foto: Julia M Cameron/Pexels

A Universidade Potiguar realiza neste sábado (9) o Super Aulão para ajudar jovens estudantes a se prepararem para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que terá provas nos dias 17 e 24 de janeiro. O evento é totalmente on-line e gratuito. As inscrições são feitas pela internet.

O aulão de revisão acontecerá das 8h às 17h e contará com a participação de nove profissionais renomados em todas as áreas de conhecimento.

De acordo com a UnP, a programação do Super Aulão foi pensada de forma que o candidato poderá aprender também a relaxar, diminuindo a pressão que geralmente antecede as provas.

Programação

  • 8h às 8h30 – Abertura
  • 8h30 às 9h – Gilbert Patsayev (Ciências Humanas)
  • 9h às 9h30 – Márcio Krauss (Ciências Humanas)
  • 9h30 às 10h – Tomaz Diego (Ciências Humanas)
  • 10h30 às 11h – Flaviano Marques (Ciências da Natureza)
  • 11h às 11h30 – Evandro Gomes (Ciências da Natureza)
  • 11h30 às 12h – Sandro Marques (Ciências da Natureza)
  • 12h às 14h – Pausa
  • 14h às 14h30 – Abertura
  • 14h30 às 15h – Cícero Demétrio (Matemática)
  • 15h às 15h30 – Erik Anderson (Linguagens e Códigos)
  • 15h30 às 16h – Lorena Ponce de Leon (Linguagens e Códigos)

G1RN

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: