fbpx

Doação de sangue é tema da nova campanha da Assembleia

A cada 15 minutos uma pessoa precisa de sangue no Brasil. No Rio Grande do Norte, os números são semelhantes e a necessidade ainda maior em razão da pandemia da Covid-19 que provocou no último ano o distanciamento social entre pessoas. Por isso, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte lança nesta sexta-feira (11) a campanha de conscientização e incentivo à doação de sangue.

“Os estoques de doação de sangue caíram 70% provocando um colapso na rede de saúde. Isso é a realidade da rede pública e privada também. Falta sangue para pacientes de todas as idades em procedimentos cirúrgicos e tratamentos de patologias de saúde que precisam de transfusão de sangue em todo o Estado”, argumenta o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PSDB).

Em números absolutos, o Hemonorte Dalton Cunha possuía, em média, estoque com 700 bolsas de sangue. Porém, com a queda significativa no número de doações em todo o Brasil e no Rio Grande do Norte, o Estado conta com aproximadamente 300 bolsas armazenadas. O quantitativo é insuficiente para a demanda e pode inviabilizar procedimentos cirúrgicos e tratamentos de patologias de milhares de pacientes que precisam da transfusão de sangue. Por isso, o Legislativo Estadual montou estratégia para a conscientização da população.

Dados do Hemocentro do Rio Grande do Norte (Hemonorte) relatam que uma bolsa de sangue através de doação pode salvar até quatro vidas. Em tempos normais, o estoque considerado satisfatório para os centros de doação de sangue é de 600 a 800 bolsas. Hoje, o Estado conta com menos de 300 bolsas.

Já no Centro de Doação de Sangue, Hemovida, a média deveria ser de 1.100 doadores e a média de recebimento é de 700 a 800 bolsas.

Em razão da pandemia não haverá o lançamento tradicional da campanha com audiência pública e sim, vídeos que serão publicados nas redes sociais da @assembleiarn. O primeiro vídeo, do lançamento da campanha será do presidente da Casa, Ezequiel Ferreira alertando sobre a importância do tema.

Na próxima segunda, 14 de junho, será lembrado o Dia Mundial do Doador de Sangue. O material será divulgado nos canais da Casa, tanto na TV Assembleia (canal 10.3) quanto nas redes sociais, com as hashtags #DOESANGUEHOJE e #COMPARTILHEVIDA.

A necessidade de doação de sangue no Brasil é alarmante: a cada 15 minutos, uma pessoa precisa de sangue. E no período de pandemia, a realidade piorou pelos cuidados com as pessoas em ficar em casa e ainda procurar centros de doação de sangue. “Precisamos conscientizar e mobilizar as pessoas para o ato fundamental de doar sangue. O que antes era um ato comum em períodos normais, tornou-se cada vez mais raro na pandemia. O nosso alerta é para a doação de sangue hoje”, comenta o presidente Ezequiel.

Nelter Queiroz solicita ao Governo do RN redução da carga horária semanal de servidores que tenham filhos, que sejam responsáveis por pessoas e/ou que tenham dependentes portadores de comorbidades

O deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) encaminhou expediente ao Governo do Estado, via Gabinete Civil e Secretaria de Administração, solicitando a redução da carga horária semanal de servidores públicos estaduais – sem compensação de horário, sem prejuízo do exercício do cargo e sem prejuízo de sua remuneração – que, neste momento de pandemia, tenham filhos, que sejam responsáveis por pessoas e/ou que tenham dependentes portadores de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) cerca de 80% das pessoas com Covid-19 se recuperam da doença sem precisar de tratamento hospitalar, ou seja, uma em cada seis pessoas infectadas pelo SARS-CoV-2 ficam gravemente doentes e desenvolvem dificuldade de respirar. Entretanto, idosos e pessoas com comorbidades têm maior risco de ficar gravemente doentes se contraírem o coronavírus. Dados da OMS também demonstraram que o diabetes, a doença renal crônica e outras pneumopatias crônicas são as comorbidades que trazem maior risco de hospitalizações e mortes em caso de Covid-19.

“Desta forma, nosso mandato busca oferecer condições mínimas para que os servidores públicos estaduais, responsáveis por pessoas com comorbidades, possam concentrar esforços e dedicar cuidados especiais aos seus, uma vez que estes servidores, muitas vezes, não dispõem de recursos financeiros necessários para a contratação de profissionais para acompanhar as pessoas sob sua responsabilidade”, destacou o parlamentar.

COMORBIDADES RECONHECIDAS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

• Diabetes mellitus;
• Pneumopatias crônicas graves;
• Hipertensão arterial resistente (HAR);
• Hipertensão arterial;
• Doença renal crônica: estágio 3 ou mais e/ou síndrome nefróticalmunocomprometidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV, doenças reumáticas em uso de corticoides,
pessoas com câncer);
• Hemoglobinopatias graves (anemia falciforme e talassemia maior);
• Obesidade Mórbida: índice de massa corpórea (IMC)=40;
• Síndrome de Down;
• Cirrose hepática;
• Doenças cardiovasculares: insuficiência cardíaca, cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva, síndromes coronarianas, valvopatias, miorcadiopatias e pericardiopatias, doença da aorta, doença dos grandes vasos, fístulas arteriovenosas, hematomas da aorta e demais grandes vasos, arritmias cardíacas, cardiopatias congênitas no adulto (arritmias e insuficiência cardíaca), comprometimento miocárdio e próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados;
• Doenças neurológicas crônicas: acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico,
ataque isquêmico transitório, demência vascular, doenças neurológicas crônicas que
impactem na função respiratória, paralisia cerebral, esclerose múltipla, doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular, deficiência neurológica grave.

Lei de Ezequiel Ferreira que beneficia pequenos produtores rurais é sancionada pelo governo estadual

O deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa do RN, teve mais uma Lei de sua autoria sancionada pelo Governo do Estado, a Lei 10.925. A legislação isenta imóveis rurais de pequeno porte da outorga do direito de uso dos recursos hídricos voltados para o consumo humano, a dessedentação animal e a produção agrícola.

“Agora, com essa nova Lei, estão dispensados da outorga do direito de uso sobre os recursos hídricos os imóveis rurais de pequeno porte cuja utilização tenha por objetivo o consumo humano, a dessedentação animal e a exploração de pequenas áreas com atividades agrícolas, pecuárias, aquícolas e de pesca. Matéria muito importante e de grande alcance social”, disse o parlamentar.

De acordo com a legislação, a dispensa diz respeito à vazão de exploração recomendada que não exceda 5.000 L/h (cinco mil litros por hora). Além disso, a exploração e a vazão dizem respeito ao consumo de água proveniente de açudes e poços.

Ainda segundo o texto da norma, a dispensa de outorga não se aplica aos casos de captação de água subterrânea em zonas de formação sedimentar que venham a ser consideradas como aquíferos estratégicos, assim definidos em regulamento do Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn).

“Para que consigam essa dispensa, os produtores devem comprovar seu registro no Cadastro Ambiental Rural – CAR. Depois disso, deverão seguir o procedimento necessário junto ao Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn)”, concluiu Ezequiel.

Francisco do PT defende política de apoio ao sistema de cooperativas

A importância da organização de segmentos produtivos para a economia através do sistema de cooperativas foi o destaque no pronunciamento do deputado Francisco do PT na sessão plenária híbrida desta quinta-feira (10). O deputado apresentou projeto de lei que Institui a  Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo no RN.

“Sabemos como é importante destacar o papel das cooperativas para a economia, no desenvolvimento das comunidades e na organização de determinados segmentos, que não podendo se organizarem de maneira individual, buscam o cooperativismo como alternativa”, destacou o parlamentar.

Francisco do PT explicou que o projeto de lei apresentado pelo seu mandato é consequência de uma ampla discussão com pessoas e com organizações ligadas ao cooperativismo, em  especial  o  Conselho Estadual  de  Cooperativismo  e  a Associação das Cooperativas do Estado do RN (ACERN).

“É fundamental o apoio encontrado no cooperativismo para poder vencer as dificuldades que enfrentam determinados segmentos. Em nosso estado, as cooperativas são responsáveis pelo  fornecimento  de produtos e serviços para mais de dois milhões e meio de pessoas. As organizações cooperadas asseguram a sobrevivência de mais de 300 mil pessoas, além de terem grande participação na economia do RN”, reforçou Francisco do PT.

Gustavo e Fabielle celebram 133 mortes e 5.921 infectados pela COVID com live de São João

O jogo dos Soares sempre seguiu o curso da desorganização e esperteza por parte do chefão da sujeira, que é o pai do prefeito de Assu, Ronaldo Soares, e que ensinou aos filhos bem direitinho como pensar apenas em si mesmo e esquecer dos outros.

A Prefeitura do Assú sob o comando da dupla “pé podre e bota velha”, Gustavo Soares e a vice Fabielle, celebram com live no lançamento do São João, uma crise sem precedentes na gestão, a saúde quase colapsada, 133 mortes e 5.921 infectados pela COVID, e uma média de 54 infectados por dia.

Em um momento delicado que o comércio está com atividades restritas e a adoção de medidas mais drásticas para população, a Prefeitura do Assú acha que esse é um bom momento para celebrar São João com lives de bandas, mostrando seu total despreparo diante de tudo, já que até as lives podem mais prejudicar do que ajudar, incentivando as pessoas a se reunirem e aglomerarem para festejar o São João.

Não é errado celebrar algo que está enraizado na cidade com a tradição junina, mas é totalmente descabida, promover essa celebração enquanto a taxa de transmissão está altissima, enquanto o comércio está a beira de fechar suas portas definitivamente e gerar a maior onda de desemprego já vista, e enquanto a covid está totalmente descontrolada.

IPANGUAÇU: Vereador Jefferson denuncia “laranja” de prestador da prefeitura e pode se complicar com o MP por omissão

O vereador e presidente da Câmara, Jefferson Charles, ontem fez uma grave acusação contra Toinho das Caçambas, que supostamente a empresa pertence ao vereador, mas é registrado no nome de outra pessoa, que é uma “laranja” da empresa.

A complicação do Vereador Jefferson agora é para possivelmente, explicar ao Ministério Público não apenas a denúncia, mas para que ele revele os motivos que o levaram a omitir a informação por todo esse tempo.

A conduta de denunciar por parte do vereador só foi anunciada, depois de Toinho das Caçambas ter traído o vereador Jefferson, na eleição pra presidência da Câmara. Depois que o vereador governista fez a denúncia, até o prefeito Valderedo vai entrar no “bolo”, e pode ser investigado mais uma vez pelo MP.

Amoêdo se queixa de ‘falta de unidade’ do Novo; desistência expõe racha no partido

João Amoêdo trava criação de diretórios do Novo - Época

João Amoêdoque desistiu de ser pré-candidato do Novo à Presidênciapublicou no Twitter na noite desta quinta-feira (10) a mensagem que enviou aos membros da Convenção Nacional do partido.

O fundador da sigla explicou do seguinte modo sua desistência:

“Na minha avaliação, a ausência de um posicionamento transparente, firme e célere da instituição, neste processo, demonstrou a falta de unidade do Novo quanto ao propósito para 2022. Muito me orgulharia representar o Novo nesse momento tão importante para o nosso país, mas não há como iniciar essa dura caminhada sem a condição por mim citada quando da aceitação desse convite: (…) aceito essa tarefa confiando que trabalharemos como um time, com resiliência, alinhamento, humildade e coerência, dentro dos princípios, valores e propósitos que justificaram a fundação do Novo.”

O Antagonista apurou que pelo menos 41 membros eleitos do Novo não gostaram de Amoêdo ter imposto sua pré-candidatura “a fórceps” —a maioria desse grupo apoiou o nome do deputado federal Tiago Mitraud para a disputa em 2022.

Esse racha atingiu especialmente a bancada do partido na Câmara, cujos oito deputados (com a exceção de Vinicius Poit, que negocia sua candidatura ao governo paulista) se posicionaram contra o fundador do Novo.

Antes de Amoêdo decidir sair da disputa, a diretoria nacional do Novo chegou a ameaçar levar os deputados federais ao Conselho de Ética da sigla, sugerindo a possibilidade de expulsão.

O antagonista

Governo quer acabar com brecha que permite o chamado ‘milagre da aposentadoria’

IAgência de atendimento do INSS: governo quer impedir aumento artificial de benefícios Foto: Agência O Globo

Uma brecha aberta pela reforma da Previdência está na mira do governo. Ela permite elevar artificialmente o valor no requerimento de benefícios. Por isso, já é conhecida por advogados como o “milagre da aposentadoria”.

Em determinadas condições, o uso dessa brecha pode inflar o valor do benefício de um salário mínimo para mais de R$ 3.800.

A manobra consiste em fazer uma contribuição extra sobre o teto do INSS antes de dar entrada na aposentaria por idade. O governo planeja editar uma Medida Provisória (MP) para acabar com essa possibilidade.

O truque já virou até tema de anúncios na internet, o que atraiu a atenção da equipe econômica.

O segredo para o “milagre” está na mudança na forma de calcular o valor da aposentadoria, em vigor desde novembro de 2019.

Na regra anterior, o benefício era baseado na média das 80% maiores contribuições a partir de julho de 1994, quando houve a troca de moeda para o real.

Agora, essa conta é feita sobre todos os recolhimentos no mesmo período.

A fórmula tende a prejudicar o trabalhador e, por isso, parlamentares incluíram na regra a possibilidade de descartar todas as contribuições de menor valor, desde que fossem mantidos ao menos 15 anos de contribuição — o mínimo para dar entrada no pedido.

Ao mesmo tempo, a nova regulamentação acabou com uma trava que exigia que a média de contribuições fosse calculada com base em um número mínimo de contribuições para servir de denominador na conta.

É a combinação de todas essas mudanças que tem permitido inflar aposentadorias.

O Globo

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: