fbpx

Beto Rosado rebate Estadão, relata luta por mirante para Monte das Gameleiras e cita perseguição política

O deputado federal Beto Rosado (PP) rebateu a suposta denúncia publicada nesta segunda-feira (20) pelo jornal Estado de S. Paulo, o Estadão. O parlamentar relatou todo o esforço que precisou dedicar para obter recursos destinados a construção de um mirante em Monte das Gameleiras, diz que sempre atuou da mesma forma para defender interesses de todas as cidades do Estado e cita uma possível perseguição política ao ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, como um dos motivos para a tentativa do jornal paulista de polemizar algo rotineiro no relacionamento entre Congresso Nacional e Palácio do Planalto.

“O município de Monte das Gameleiras, que foi onde tive a maior quantidade de votos para deputado em termos proporcionais do RN, tem esse perfil turístico. O prefeito é inclusive Progressista, parceiro político nosso, não só pelo partido como administrativamente também, e estamos sempre alocando recursos para a cidade. E ele já vinha me solicitando apoio para esse complexo turístico na cidade, que é local adequado para receber turistas, com hoteis de alta qualidade”, disse Beto fazendo referência ao prefeito Jailton Félix. O gestor, inclusive, fez questão de agradecer via redes sociais ao deputado pela emenda de R$ 1,5 milhão, destinada a Monte das Gameleiras para a construção do mirante.

Beto relata que é comum para deputados e senadores a peregrinação em Ministérios na busca por recursos para seus Estados, ainda mais quando o ministro da pasta é algum conterrâneo, como no caso de Rogério Marinho no MDR e de Fábio Faria, no Ministério das Comunicações. Outro personagem que Beto costuma acionar quando necessário é o próprio presidente da Câmara, deputado Artur Lira (Progressistas), com quem mantém bom relacionamento.

O deputado potiguar revela que desde o primeiro mandato do prefeito Jailton Félix já havia essa solicitação por recursos para a obra e que, agora com o projeto definido, buscou ajuda com diversos ministros para viabilizar a emenda junto ao Ministério do Turismo. “Foi um acerto direto com o ministro do Turismo”, acrescenta.

Sobre o motivo de tanta tentativa de polemizar o assunto, o deputado acredita que seja com o objetivo de prejudicar agentes políticos. “Nosso trabalho sempre é para ajudar a todos os municípios do RN que nos procuram com projetos viáveis. E a injustiça que está sendo feita é essa, temos uma cidade que precisa do recurso, que faz um pedido legítimo e se tenta prejudicar com o objetivo de atingir alguma figura política com outros interesses”, finalizou.

Fonte: Portal Grande Ponto

Representantes de igrejas destacam ajuda espiritual e social cristã na pandemia

O papel social e espiritual da Igreja durante o período da pandemia foi tema de audiência pública que aconteceu nesta segunda-feira (20), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. A proposição foi iniciativa do mandato do deputado estadual Jacó Jácome (PSD), contando com a participação de autoridades eclesiásticas e representantes de igrejas católicas e evangélicas do Estado.

Como aponta o parlamentar propositor da audiência pública, Jacó Jácome, o mundo se deparou com uma pandemia causada pela Covid-19 na qual, além da questão de saúde, a vida cotidiana das pessoas foi drasticamente alterada. O medo do sofrimento e da morte foi potencializado.

“Respeitar as medidas de isolamento e outras regras sanitárias ajudaram a salvar vidas e as igrejas também respeitaram essas ações, mas, sem deixar de lado as suas atividades de auxiliar a sociedade com responsabilidade. A pandemia acentuou a crise social já existente, pastores e líderes religiosos muitas vezes ajudaram a salvar vidas. A arrecadação de doação, ofertas, serviços ou ações de cidadania promovidas pelas igrejas foi um alento para diversas pessoas. Além disso, mediante tamanha perda que as pessoas têm sofrido nesse momento de pandemia, a igreja tem sido um lugar de acolhimento e uma forma de evitar outros males em decorrência das pressões e da ansiedade sofridas pelas pessoas”, alertou Jacó Jácome.

“É preciso que as autoridades olhem com mais atenção para as igrejas, pois elas operam com políticas públicas também e contribuem para o seu fortalecimento e cumprimento, fomentando assim suas ações direto com a população”, destacou.

Entre os convidados a falar sobre o tema esteve o coordenador das campanhas da Arquidiocese de Natal, padre Robério Camilo, que atua em Mãe Luiza há cerca 13 anos. “No período da pandemia de fato foi um grande desafio no bairro e na arquidiocese como um todo. Nossa plataforma básica é o evangelho, é o mandamento do amor e, no nosso mundo cristão, no período da pandemia, nós católicos procuramos colocar em prática a pedagogia do bom samaritano. Havia uma necessidade muito grande de pessoas que precisavam ser cuidadas e ao mesmo tempo existia a prudência de ficar em casa. Tivemos então que nos reinventar, cuidar de longe da espiritualidade, através das lives, de mensagens e evangelização não presencial, e tivemos que focar em campanhas para cuidar dos necessitados”, contou.

“Nesse período, o Papa Francisco convidou a humanidade inteira para se reconhecer como irmã, fortalecendo a fraternidade universal. Nós fortalecemos muito o diálogo com o diferente, com o sofredor, de modo que estamos colhendo e refletindo sobre o legado que vai ficar a partir dessa pandemia. A nossa preocupação daqui para frente é a saúde mental, é o processo de desconfinamento. Essa responsabilidade é de todas as igrejas, é uma missão comum. E uma grande pandemia constante no nosso meio se chama a fome. Neste período, a cortina da fome caiu de uma maneira mais rápida e tivemos que ter ações para cuidar das pessoas. Ainda estamos vivenciando esse cuidado em diversas campanhas”, completou.

Leia maisRepresentantes de igrejas destacam ajuda espiritual e social cristã na pandemia

Deputado Benes denuncia descaso nas estradas e diz que gestão de Fátima não dá conta de cuidar do Estado do RN

Em entrevista à TV Assú no último fim de semana, o deputado Benes Leocádio denunciou o descaso nas estradas e afirmou que a gestão de Fátima Bezerra não dá conta de cuidar do estado do RN.

O parlamentar ainda disse que a infraestrutura do Estado, no quesito estradas, estão todas esburacadas, seja no Vale do Açu, ou nas Rn 129/041, é sempre a mesma situação de buraqueira.

Benes ainda relatou que o Governo precisa ter cuidado e respeito com o povo, porque o cidadão paga seus impostos, IPVA e outros, e isso deveria ser revertido em benefícios, já que quem se desloca diariamente dentro do estado, sabe o sofrimento que é.

“Me disseram que andaram fazendo uns tapa buracos ou arranjos, mas parece que é feito pra inglês ver, fazem num dia e pouco depois já está tudo totalmente esburacado”, afirmou Benes.

Ivan Júnior e Nelter Queiroz visitam Mendubim

O ex-prefeito Ivan Júnior e o deputado estadual Nelter Queiroz, acompanhados de amigos e lideranças políticas visitaram, neste sáado (18), a comunidade de Mendubim II, onde se localiza o barramento do açude que recebe o mesmo nome.

A visita teve por objetivo percorrer cerca de sete quilômetros da Estrada que liga a BR 304, aquela comunidade e que deverá receber projeto de pavimentação asfáltica, ciclovia e passarela para pedestres.

Nossa reportagem conversou com o deputado Nelter e segundo suas palavras o ministro Rogério Marinho já recomendou ao DNOCS, órgão gestor do reservatório, a elaboração do projeto com vistas a obtenção de recursos para a tão desejada obra.

“Trata-se de uma obra importante para toda a Região, que vai estimular o turismo, transportar as riquezas ali produzidas, fomentar o emprego e renda e melhorar a qualidade de vida dos moradores e frequentadores das diversas comunidades do entorno no Açude”, afirmaram Ivan e Nelter.

*Blog do Nelson Dantas

Pfizer-BioNTech: vacina contra covid protege crianças de 5 a 11 anos

A Pfizer e a BioNTech disseram, nesta segunda-feira (20), que a vacina contra covid-19 que desenvolveram em parceria induz uma resposta imune robusta em crianças de entre 5 e 11 anos de idade. Os laboratórios planejam pedir autorização para que a vacina seja aplicada nessa faixa etária às autoridades dos Estados Unidos (EUA), da Europa e de outros locais o mais rápido possível.

As empresas dizem que a vacina gerou resposta imune nas crianças de 5 a 11 anos em seu ensaio clínico de fases 2 e 3, e os resultados se equivalem ao que observaram anteriormente entre pessoas de 16 a 25 anos. O perfil de segurança também foi, em geral, comparável ao da faixa etária mais elevada, afirmaram.

“Desde julho, casos pediátricos de covid-19 aumentaram em cerca de 240% nos Estados Unidos, enfatizando a necessidade de saúde pública de vacinação”, disse o presidente executivo da Pfizer, Albert Bourla, em comunicado à imprensa.

“Os resultados desse teste fornecem uma fundação sólida para buscar autorização de nossa vacina para crianças entre 5 e 11 anos, e planejamos entregar o pedido à FDA (agência reguladora dos EUA) e outros reguladores com urgência.”

Autoridades norte-americanas de saúde de alto escalão acreditam que os órgãos reguladores podem tomar uma decisão sobre a vacina, se é segura e eficaz em crianças mais novas, três semanas após a entrega pelos laboratórios dos pedidos de autorização, disseram à Reuters neste mês.

As internações e mortes por covid-19 aumentaram nos Estados Unidos, nos últimos meses, devido à variante Delta do novo coronavírus, altamente contagiosa. Casos pediátricos da doença também estão em alta, particularmente porque crianças com menos de 12 anos não estão sendo vacinada. Não há, no entanto, nenhuma indicação de que, além de ser mais transmissível, a Delta seja mais perigosa para crianças.

Uma autorização rápida ajudaria a mitigar um potencial aumento de casos no outono do Hemisfério Norte, especialmente com as escolas já abertas em todo os EUA.

A vacina Pfizer/BioNTech já está autorizada para aplicação em crianças a partir de 12 anos em vários países, incluindo os Estados Unidos.

No ensaio clínico, as crianças entre 5 e 11 anos receberam uma dose de 10 microgramas da vacina, um terço da dose dada a pessoas com mais de 12 anos. As empresas disseram esperar, até o quarto trimestre deste ano, os dados sobre como a vacina atua em crianças entre 2 e 5 anos e em bebês de 6 meses a 2 anos.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: