fbpx

REVIRAVOLTA: General Girão rompe com Bolsonaro e declara apoio à governadora Fátima; entenda

Me desculpem a chamada audaciosa, mas o que está acima se faz explicar no que abaixo vai.

Não faz muito tempo, foi ali atrás, em julho deste ano, quando o presidente da OAB-RN, Aldo Medeiros, questionado sobre o impeachment do presidente Bolsonaro, disse assim:

“Não tem porque a OAB se antecipar nesse discurso. Eu entendo que impeachment não é o Senado que faz. É o povo que chega um momento, não quer mais e tira. Não vejo, não enxergo essa situação. Aqui no Rio Grande do Norte, nós debatemos esse assunto e chegamos à conclusão de que não há, ainda, crime de responsabilidade claramente demonstrado. O impeachment é uma situação tão traumática para uma república que eu entendo que é precipitado isso”, declarou o presidente da OAB-RN.

A declaração se deu em dois contextos:

1) A CPI da Pandemia já coletava elementos que fragilizavam o mandatário, especialmente na condução da crise sanitária;

2) Mais importante: a OAB Nacional levantava o debate sinalizando que poderia vir a pedir o impeachment.

Esse segundo ponto é realmente o mais importante.

Aldo Medeiros marcou posição se mostrando contrário a uma ação nacional, quando se sabe que Felipe Santa Cruz, presidente nacional da Ordem, endossava a ideia de deposição.

E nem se trata de alinhamento automático a Bolsonaro, pois quando o pai de Santa Cruz foi atacado pelo presidente, Aldo criticou a medida.

Mas decididamente Aldo e Santa Cruz não estão alinhados. Na pandemia, Santa Cruz quis fazer live com os presidentes das seccionais. Aldo se recusou.

As evidências estão aí.

Só não ver quem faz questão de ignorá-las.

Caso do General Girão.

Sem a menor cerimônia, ele pegou uma foto de Aldo Medeiros e Felipe Santa Cruz para relacionar as políticas de ambos.

Disse, em seu perfil no Instagram, que o primeiro, se reeleito, deve apoiar os projetos do segundo.

Imagina eu pegar uma foto de Girão com sua maior adversária, a governadora Fátima Bezerra e sapecar a chamada:

REVIRAVOLTA: Generão Girão rompe com Bolsonaro e declara apoio à governadora Fátima.

Isso, sim, é fake news.

É pegar algo que existiu – uma foto, como a de Aldo e Santa Cruz – tirar de contexto e contar o que quiser, ao sabor do que se quer passar.

Danem-se os fatos e as evidências em contrário.

É preciso estar atento para que esse expediente não passe por liberdade de expressão.

Fake news, em verdade, atenta contra essa liberdade.

Como investigado nos inquéritos das Fake News – do qual sou ferino crítico, Girão sabe a diferença.

Com informações Blog do Dina

Governo vai devolver R$ 273 milhões ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações

O governo federal enviará ao Congresso, nesta semana, um projeto de lei que propõe a devolução de R$ 273 milhões para o orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), de modo a financiar bolsas de pesquisa e outras atividades da Pasta. O dinheiro é parte de uma verba de R$ 600 milhões inicialmente destinada à Ciência, e que o Executivo e o Congresso decidiram remanejar para outras áreas no começo de outubro.

A liberação dos R$ 273 milhões foi comunicada pelo Ministério da Economia ao presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados, Aliel Machado (PSB-PR). Ao congressista paranaense, a Pasta informou que o texto do projeto de lei já está pronto e se encontra sob revisão da Secretaria de Governo, comandada pela ministra Flávia Arruda. O Estadão procurou a ministra para falar sobre o novo remanejamento, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

“Tivemos a informação do próprio Ministério da Economia, me dando um retorno do trabalho que fiz em relação a isso”, afirmou Machado ao Estadão. “Já foi autorizado pelo grupo de trabalho (a Junta de Execução Orçamentária) e eles vão mandar um PLN (Projeto de Lei do Congresso) devolvendo R$ 273 milhões, uma parte dos R$ 600 milhões.”

Trata-se de recurso importante para o setor. Sem o dinheiro, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) viu afetado o principal edital de financiamento para pesquisas no País, a Chamada Pública Universal de 2021. O programa prevê aplicar até R$ 250 milhões em bolsas.

O valor que será liberado supera em mais de três vezes os R$ 76 milhões que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), ligado ao MCTI, recebeu neste ano, sendo o menor orçamento de sua história.

“O Ministério da Ciência e Tecnologia já encaminhou dizendo quais eram as prioridades, e o Ministério da Economia já preparou o projeto. Agora, está na Secretaria de Governo com a (ministra) Flávia Arruda. Eles devem mandar para o Congresso no início desta semana”, disse Machado.

Os R$ 600 milhões retirados do Ministério da Ciência e Tecnologia fazem parte de um montante maior, de R$ 690 milhões, que havia sido liberado pelo Executivo em agosto.

Leia maisGoverno vai devolver R$ 273 milhões ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações

Bolsonaro diz que espera, em ‘pouquíssimas’ semanas, ‘casar ou desfazer o noivado’ com o PL

Bolsonaro é alvo de críticas em debate no Parlamento Europeu da pandemia na  América Latina | Mundo | G1

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (15) que espera, dentro de “pouquíssimas semanas”, se “casar ou desfazer o noivado” com o PL.

O presidente falou com a imprensa na saída da Expo 2020, em Dubai. Este é o terceiro dia da viagem oficial ao Oriente Médio.

“Eu espero em pouquíssimas semanas, duas, três, no máximo, casar ou desfazer o noivado. Mas eu acho que tem tudo para a gente casar e ser feliz”, disse o presidente.

Na semana passada, o PL havia anunciado que o presidente se filiaria ao partido. E marcou a data do ato de filiação para o dia 22 deste mês.

A ida de Bolsonaro para o partido começou a ficar indefinida neste domingo (14), quando o próprio presidente falou para jornalistas, em uma feira de aviação em Dubai, que ainda tinha pendências para conversar com Valdemar Costa Neto, presidente do PL.

Fonte: g1

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: